21
agosto

Panorama – Com Ralph Lagos


 

Dia 20 de agosto de 2020, um dia que vai ficar marcado na história de Santa Cruz como um dia de tristeza e saudade. Essa data é a da partida para a eternidade de José Fernando Arruda Aragão, o guerreiro Fernando Aragão.

Começou sua carreira política militando no grupo do seu tio Raimundo Aragão, que era sem sombras de duvidas era o seu maior exemplo na política. Fernando sempre fez questão de enaltecer o tio, sempre o colocando como o melhor prefeito que Santa Cruz já teve.

Fernando foi vereador por cinco mandatos, presidente da câmara, candidato duas vezes a prefeito e uma a vice-prefeito. Foi também tesoureiro do Moda Center Santa Cruz e teve uma militância bastante ativa na sociedade civil organizada.

Ao longo dos seus 35 anos de vida pública as obras principalmente conseguidas nos governos de Miguel Arraes foram se sucedendo e Fernando começa a escrever uma história que jamais será esquecida. Sempre conciliou a sua vida pública com seu comercio, dia de feira, era dia Fernando está no Moda Center, vendendo sua confecção.

Fernando foi sempre um vitorioso, até quando perdeu. A sua maneira serena e democrática de aceitar a derrota dizia muito do grande homem que ele era. Mas vou além, Fernando foi vitorioso porque ao findar a sua luta aqui na terra, o testemunho de todos apontavam pra a sua honestidade e o amor que tinha a essa terra de Santa Cruz. Não existe vitória maior que essa, ser honrado, respeitado por aliados, adversários e o povo, que era pra Fernando o que realmente importava.

Na sua passagem pela política não deixou que nada manchasse as suas mão limpas, muito pelo contrário sempre teve uma reputação admirável, se comportando como um grande homem público e um exemplo de pai, avô, esposo e amigo. Santa Cruz chora sua partida, sabendo que é uma lacuna que não poderá ser preenchida, Santa Cruz dá adeus a esse homem que tanto amava.

Quanto a mim, vai ficar nossos momentos de alegria e de boas risadas, vai ficar sua presença e a de Dona Ivone quando meu pai ficou doente, as suas visitas constantes a ele, sempre com uma palavra de ânimo. O vinho que sempre tomávamos em nossos encontros descontraídos, está amargo. A tristeza aos poucos vai passar, só não vai passar da memória o grande homem que você foi.

Minha singela homenagem ao meu amigo FERNANDO ARAGÃO.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade do seu idealizador

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Notícias Anteriores


 




error: Copiando nosso texto?