15
setembro

Coluna Ponto de Vista – com Euzébio Pereira

PROCESSO ELEITORAL SEGUE NOVO RITMO

Estamos entrando em um novo ciclo para a disputa eleitoral de 2020. Com finalização do período de realização das convenções partidárias, o processo eleitoral seguirá com uma dinâmica diferenciada, com todos os nomes postos para avaliação do eleitor. As chapas majoritárias já são de conhecimento público e tendem a ficarem resumidas a três: Dida e Joselito; Allan e Vera; e Fábio e Helinho.

Na última semana aconteceram, também, entrevistas com os pré-candidatos e, historicamente, as pessoas se reúnem na saída das emissoras para demonstrarem seu apoio. Diante dos protocolos, havia dúvidas se aconteceria nesta eleição. Pois aconteceu.

Na saída do primeiro entrevistado, Alan, alguns apoiadores o recepcionaram e ouviram dele um discurso, em tom até certo ponto raivoso, criticando obras. Com esse fato, os apoiadores de Fábio se estimularam e também o receberam ao final da entrevista. Encerrando estas atividades, Dida viu uma verdadeira multidão aguardando sua saída da rádio, onde percorreram diversas ruas da cidade, sem o pré-candidato, logicamente, numa demonstração de força. Como reação, foram realizadas outras movimentações.

 É natural a participação popular nas eleições, faz parte da “Festa da Democracia” e a cidade de Santa Cruz do Capibaribe tem histórico de movimentações bastante volumosas e com bastante participação, mas este ano será preciso se reinventar diante do cenário que ainda vivemos. Não podemos nos descuidar.

Em duas semanas começa de fato a campanha e aí o ritmo tende a ser ainda mais forte.

VAPT-VUPT

Agregando – Apoiadores históricos do grupo de oposição têm feito adesões públicas à pré-candidatura de Dida e Joselito, muitos dos quais não aceitam a forma de condução e as constantes brigas e desentendimentos do antigo grupo.

Migrando – Alan também viu alguns ex aliados dos “vermelhos” migrarem para seu projeto. Não se sabe se este fato compensará a visível perda de mobilização que aconteceu nas ultimas semanas.

Ajuntamento – Com a queda de braço vencida por Eduardo da Fonte (PP), restou ao PSB se curvar e aceitar que estava de fato #resolvido e promover o ajuntamento dos Maias, Moraes e Aragão. Até poucos dias se digladiavam e, agora, se toleram. Mesmo precisando se curvar, o Dep. Diogo pode ter garantido apoio para 2022, já Zé Augusto sempre planeja algo… Helinho, mesmo sendo posto para vice, saiu menor do processo.

Ficha Suja – Os Tribunais de Conta da União e do Estado (TCU e TCE) já apresentaram, preliminarmente, os nomes considerados popularmente como estando com a “Ficha Suja”. Algumas situações, mesmo constando nas referidas listas, podem conseguir liberação para registrar a candidatura, em virtude de entendimentos que vem sendo seguidos pela Justiça Eleitoral.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade do seu idealizador

11
setembro

Panorama – Com Ralph Lagos

Os Maias – José Augusto Maia vive um dilema pessoal. Acostumado a grandes embates dentro do seu grupo e fora dele, ZÉ agora tem um problema pra resolver no seio da sua família. Digo isso, porque segundo informações do próprio Tallys Maia, ele estaria disposto à disputar uma vaga na câmara de vereadores e já teria informado ao pai e ao irmão Augusto Maia da sua intenção.

Os Maias II – Augusto por sua vez, também me afirmou que vai pra disputa, o que colocaria os dois herdeiros de Zé Augusto em um páreo difícil. Augusto, apesar de já ter mandato e ser Presidente da Câmara, ainda tem uma dependência muito grande de Zé Augusto.

Um Maia azul – Se você acha que o problema dos Maias não pode ser maior, enganou-se. Tallys pode concorrer a vereança no palanque do grupo Boca Preta. Sim você não leu errado, no palanque de Dida de Nam. O palanque tão combatido por seu pai e por ele próprio pode ser o destino político do Tallys Maia.

Fora Presidente – Outra possibilidade é a de Augusto não concorrer ao cargo de Vereador. Nesse cenário Tallys seria candidato no palanque de Fabio Aragão. O problema é que a família de Augusto não parece disposta à aceitar esse acordo.

E agora, José? Além do fato de no desfecho taboquinha Zé Augusto não ter indicação na chapa majoritária, ainda poderá amargar uma campanha com um filho no palanque do seu maior adversário, que é o prefeito Edson Vieira. Isso poderá colocar de uma vez por todas em xeque a liderança já fragilizada de Zé Augusto no grupo taboquinha.

As cartas estão na mesa e o almoço de domingo na família Maia está meio indigestos. A possibilidade de tudo que escrevi acima acontecer, só reforça que quem tem partido do coração é o eleitor, político tem conveniência.

24
agosto

Coluna Ponto de Vista – com Euzébio Pereira

 

UMA CONSOLIDADA HISTÓRIA DE LUTAS

 

A política perde um dos seus bons quadros e nossa cidade um dos seus filhos que, ao longo de três décadas buscava servir com dedicação. A família e amigos perdem um ente querido e de referência.

Acompanhei, de forma mais próxima, o último mandato de Fernando Aragão na Câmara de Vereadores (2009/2012) e naquele momento constatava sua seriedade no debate sobre nossa cidade. Claro que as circunstâncias partidárias o forçava, algumas das vezes, a tomar medidas que não pactuava e isso o acompanhou em sua trajetória.

Muitas vezes a história se repete e, ainda consternado com a partida precoce, lembrei de uma breve conversa que tive com o mesmo, anos atrás, sobre um texto que escrevi para este Blog. Era meados de agosto e o ano era 2013. Ao reler o texto, muito se parecia com o cenário atual e as dicas ali constantes se aplicaram ao processo deste ano… O agradecimento dele aquele texto ficou marcado (inclusive a ironia que usou para reconhecer as acríticas ali presentes) por estarmos em projetos diferentes, mas com o mesmo objetivo: buscar o melhor para nossa cidade.

Compartilho este momento em homenagem ao cidadão e político Fernando Aragão, que dedicou grande parte de sua vida à política. E é na política que se constrói uma sociedade melhor, e não em sua negação.

Eis, parte, do texto citado:

Fernando Aragão e a repetição da história ou a consolidação de uma história de lutas

“Ao longo de seus vários mandados como vereador na cidade de Santa Cruz do Capibaribe, o vereador Fernando Aragão tem tido um papel importantíssimo. Certamente isto teve inicio por conta que descende de uma das famílias que participaram da formação político administrativa de nossa cidade.

Muitas vezes lembrado pelas lutas junto ao saudoso Miguel Arraes, outras pelo temperamento forte e incisivo que o mesmo tem, o fato é que Fernando Aragão, na maioria das vezes e ao longo de sua trajetória política, tem seu desempenho e oportunidades atrapalhados pela politicalha que o cerca, bem como a outros bons políticos também.

(…)

Esta história pode mudar caso o vereador Fernando Aragão tenha realmente a intensão de ser candidato a Dep. Estadual, onde a alternativa mais viável para o mesmo é mudar de partido, fortalecer cada vez mais seu nome (inclusive na mídia) e partir com tudo para o projeto, pois a renovação de nomes no grupo de oposição está, em minha opinião, em seu mais experiente componente: Fernando Aragão!

O texto completo pode ser lido aqui:

https://www.blogdoneylima.com.br/politica/politica-regada-a-polemica-17

 

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade do seu idealizador

21
agosto

Panorama – Com Ralph Lagos

 

Dia 20 de agosto de 2020, um dia que vai ficar marcado na história de Santa Cruz como um dia de tristeza e saudade. Essa data é a da partida para a eternidade de José Fernando Arruda Aragão, o guerreiro Fernando Aragão.

Começou sua carreira política militando no grupo do seu tio Raimundo Aragão, que era sem sombras de duvidas era o seu maior exemplo na política. Fernando sempre fez questão de enaltecer o tio, sempre o colocando como o melhor prefeito que Santa Cruz já teve.

Fernando foi vereador por cinco mandatos, presidente da câmara, candidato duas vezes a prefeito e uma a vice-prefeito. Foi também tesoureiro do Moda Center Santa Cruz e teve uma militância bastante ativa na sociedade civil organizada.

Ao longo dos seus 35 anos de vida pública as obras principalmente conseguidas nos governos de Miguel Arraes foram se sucedendo e Fernando começa a escrever uma história que jamais será esquecida. Sempre conciliou a sua vida pública com seu comercio, dia de feira, era dia Fernando está no Moda Center, vendendo sua confecção.

Fernando foi sempre um vitorioso, até quando perdeu. A sua maneira serena e democrática de aceitar a derrota dizia muito do grande homem que ele era. Mas vou além, Fernando foi vitorioso porque ao findar a sua luta aqui na terra, o testemunho de todos apontavam pra a sua honestidade e o amor que tinha a essa terra de Santa Cruz. Não existe vitória maior que essa, ser honrado, respeitado por aliados, adversários e o povo, que era pra Fernando o que realmente importava.

Na sua passagem pela política não deixou que nada manchasse as suas mão limpas, muito pelo contrário sempre teve uma reputação admirável, se comportando como um grande homem público e um exemplo de pai, avô, esposo e amigo. Santa Cruz chora sua partida, sabendo que é uma lacuna que não poderá ser preenchida, Santa Cruz dá adeus a esse homem que tanto amava.

Quanto a mim, vai ficar nossos momentos de alegria e de boas risadas, vai ficar sua presença e a de Dona Ivone quando meu pai ficou doente, as suas visitas constantes a ele, sempre com uma palavra de ânimo. O vinho que sempre tomávamos em nossos encontros descontraídos, está amargo. A tristeza aos poucos vai passar, só não vai passar da memória o grande homem que você foi.

Minha singela homenagem ao meu amigo FERNANDO ARAGÃO.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade do seu idealizador

13
agosto

Panorama – Com Ralph Lagos

O começo do fim – Pelos últimos acontecimentos parece que a novela taboquinha está chegando ao fim. O presidente estadual do PSB Sileno Guedes sinalizou que a legenda vai apoiar a candidatura de Fernando Aragão em Santa Cruz. Depois de vários meses de trocas de farpas e provocações, essa etapa da disputa parece que será superada. Resta agora saber como vai reagir o grupo depois da definição, já que até o momento ninguém se pronunciou.

Helinho – Tem como única vantagem nesse processo ter tido seu nome exposto por muito tempo na mídia e nas redes sociais. Só o tempo dirá se a exposição foi benéfica para o vereador e se isso se transformará em voto caso seja candidato a reeleição. O fato negativo é a imagem de uma submissão excessiva a José Augusto Maia, que mais uma vez foi o fiador de um processo que envolve Helinho, que não deu certo.

Zé Augusto – Não vai ficar parado, apesar do atual silencio, nem muito menos vai apoiar a candidatura de Fernando Aragão. Como já escrevi aqui mesmo, deveremos ter quatro candidaturas nesses pleito, e duas delas serão da ala taboquinha. Os nomes que são especulados é o do advogado Tallys Maia ou o próprio Zé Augusto pode figurar como o candidato, já que os dois não estão filiados ao PSB e tem o aval do presidente estadual do Republicanos para uma possível candidatura.

Diogo Moraes – Presidente municipal do PSB, Diogo não teve seu pleito atendido pelo seu partido, fato que gera a interrogação de qual será a reação pública do Deputado. Em outras situações Diogo peitou o palácio e saiu vencedor. Não acho que seria esse o caso desta vez. Diogo pensa em alçar voos mais autos e sabe que precisa do palácio e do PSB pra isso. Além do que o pai do Deputado volta a figurar nos bastidores como um bombeiro de toda essa situação. Oseas Moraes que foi deputado por dois mandatos, tem muito bom transito no palácio e dentro do PSB.

A falta de Eduardo e de Arraes – foi no dia 13 de agosto de 2014, que em um trágico acidente de avião Eduardo Campos nos deixou. Candidato a Presidente da República, governo muito bem aprovado em Pernambuco, Eduardo certamente teria sido um ator político que mexeria com a cena daquela eleição, tinha potencial pra vencer inclusive. O comando do PSB no estado também seria outro. Tenho lá minhas dúvidas se a aliança Vieira Moraes teria acabado em Santa Cruz por exemplo. Articulador nato, discurso irreparável, bom trânsito com opositores, quando olho para o nosso atual quadro político a minha afirmativa só pode ser, que falta faz Eduardo.

Põe meia dúzia de Brahma pra gelar, que eu tô voltando – A música de César Pinheiro e Maurício Tapajós, foi um dos grandes símbolos da volta de Miguel Arraes do exilio em 1979, depois de assinada a lei da anistia. Miguel Arraes de Alencar, deposto do cargo de governador em 1964, foi preso, confinado em Fernando de Noronha e depois no Rio de Janeiro. Logo após, por força de um habeas corpus concedido pelo STF foi solto e conseguiu áxilo na Argélia. Na sua volta para o Brasil Miguel Arraes foi ovacionado por uma multidão de mais de 50 mil pessoas em Recife. Foi Deputado Federal e Governador novamente, foi na verdade o Governador do sertanejo, do homem do campo, que se sentia representado na figura daquele homem simples e de rosto sisudo. Foi também em um dia 13 de agosto, desta feita em 2005 que Arraes faleceu. Do sertão ao cais, como faz falta Arraes.

;

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade do seu idealizador

12
agosto

Artigo – Por Adriano Oliveira

O AUXÍLIO EMERGENCIAL E A ELEIÇÃO

 

Junho de 2014. Véspera da eleição presidencial. Uma eleitora numa cidade nordestina no decorrer da pesquisa qualitativa afirma: “Com Lula, o Estado bateu em nossa porta”.  Julho de 2020, em um município do Nordeste, um eleitor, ao ser questionado sobre as ações do presidente Bolsonaro na pesquisa qualitativa, expressa o seu sentimento: “Ele está ajudando muita gente com este Auxílio Emergencial”.

As pesquisas da Cenário Inteligência revelam que o bolsonarismo encontrou o lulismo no Nordeste. Por enquanto, são fenômenos semelhantes. O lulismo é mais completo. Pois tem os seguintes ingredientes: carisma do presidente Lula, ampliação do consumo, vários programas sociais, expansão das universidades públicas e Bolsa Família. O bolsonarismo é formado por três elementos: enfrentamento à corrupção, sinceridade do presidente e Auxílio Emergencial.

 O ex-presidente Lula continua forte na memória de parcela do eleitorado nordestino. É considerado o melhor presidente da História do Brasil. Mas, muitos eleitores, as falarem sobre Lula, usam a seguinte expressão: “Já deu o que tinha de dar”. A Lava Jato e a prisão não foram suficientes para desconstruírem fortemente o ex-presidente. Entretanto, elas possibilitaram o sumiço de Lula da dinâmica eleitoral. Por isto, como bem tem revelado as pesquisas qualitativas, os votantes não falam do retorno do líder do PT.

O bolsonarismo segue em recuperação. Não é inesperada. Pois, no Brasil, governos que atendem as demandas das classes C, D e E, tendem a conquistar popularidade. O Auxílio Emergencial é o instrumento que alavanca a popularidade do atual mandatário da República. Por outro lado, os votantes das classes A e B abandonam o presidente. O jeito de ser de Jair Bolsonaro continua a atrapalhá-lo. Porém, o seu silêncio estratégico mais o Auxílio Emergencial lhe trazem popularidade.

A nacionalização estará presente nas eleições municipais. De um lado, o bolsonarismo com o reforço do Auxílio Emergencial. De outro, o antibolsonarismo. Neste último universo, estão os refratários ao PT, a Lula e a Jair Bolsonaro. Estão também, os eleitores que admiram Lula e o PT. Em razão do antibolsonarismo está dividido em duas partes, o bolsonarismo hoje é mais forte do que o lulismo.

Se o Auxílio Emergencial for estendido, não será surpresa o sucesso eleitoral de vários candidatos bolsonaristas. Caso não seja, o bolsonarismo perde força. Mas não o suficiente para lhe enfraquecer fortemente na disputa municipal.

06
agosto

Panorama – Com Ralph Lagos

Rodo shopping – O mundo caminha para vendas em plataformas digitais, mas Zé Augusto não cansa de falar em um rodo shopping, que é requentado desde a campanha de 2010. Um discurso antigo que envelhece a pré campanha do vereador Helinho Aragão. A população na sua maioria não aguenta mais promessas vazias que se repetem de dois em dois anos e não tem nenhum nexo com a realidade.

 Guerra de nervos – O grupo denominado Calabar de Taquaritinga vive uma verdadeira guerra de nervos. Na última terça o grupo se reuniu e o Prefeito Lero saiu comemorando um acordo, que segundo ele culminou com a chapa Lero e Gena para concorrer no próximo pleito. Minutos depois o ex Prefeito Evilásio, enviou um áudio para um grupo de whatsapp se demostrando chateado com a situação e que não teria ficado nada certo na reunião. O momento conturbado do grupo não é nenhuma novidade, o que também não é novidade é que Lero e Evilásio apenas se toleram.

Quase lá – Quem está perto de selar um acordo em seu grupo é o Prefeito do Brejo Hilário Paulo. As conversas com Dr Edson estão avançadas e o nome de Frailan Mota deve ser indicado para compor a chapa majoritária. Todo o mérito para Hilário que teve muita paciência e traquejo político para contornar as divergências com Dr Edson, que assim como acontece na Dália da serra, Hilário e Dr Edson apenas se toleram.

O Menino cresceu – o menino vem ai, foi o primeiro adesivo que se usou na pré campanha de Edson Vieira em 2008. É bem certo que Edson perdeu aquela campanha, mas foi uma derrota que divide a carreira política do Prefeito. Naquela derrota Edson toma de uma vez por todas a direção do grupo denominado boca preta e quatro anos depois em uma campanha histórica chega ao poder. É reeleito em 2016, elege a esposa 2018, mantem o grupo coeso em 2020 e já anuncia que vai ser candidato a Deputado Federal em 2022. Pra quem gosta e pra quem não gosta, tem que respeitar “O Menino”.

A vice de Allan – o pré candidato Allan Carneiro está procurando o perfil ideal para a composição da sua chapa. Começa a ganhar contornos que esse perfil seria de uma mulher, os bastidores políticos apontam ainda que o pré candidato teria encomendado uma pesquisa qualitativa e que o nome de duas empresárias já estaria sendo sondado por Allan. O problema é que o PSL e o PDT querem essa vaga e que o diálogo entre Allan e as duas sigla parece não ser mais o mesmo. Será preciso muito jogo de cintura para que não se tenha uma crise as portas da convenção, coisa que alguns já julgam inevitável.

 

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade do seu idealizador

24
julho

Panorama – Com Ralph Lagos

Força Fernando – O pré candidato a prefeito Fernando Aragão, testou positivo para a Covid -19. O quadro de Fernando expira cuidados e por isso ele está internado em uma unidade de saúde em Caruaru. Liguei pra Fernando, ele está bem, com sintomas leves da doença e se Deus quiser logo retornara para suas atividades.

Palanques desarmados – Logo que foi noticiado que Fernando testou positivo, os seus adversários políticos se manifestaram em suas redes sociais desejando melhoras para ele. Todos deixaram as diferenças de lado, dando uma demonstração de maturidade em um momento delicado. Em tempos que algumas pessoas desejam a morte de Presidente e de ex Presidente, é importante aplaudir o comportamento dos políticos da terra das grandes gameleiras.

Peleja sem fim – Uma pesquisa de intenção de voto para prefeito de Santa Cruz sacudiu os bastidores políticos. A pesquisa não foi registrada, mas várias pessoas tiveram acesso aos números. Se os dados colhidos representarem realmente o quadro do eleitorado, estaríamos passando por uma mudança na geografia política.

Vazou ou vazaram? – Quando uma pesquisa não é registrada, por obvio ela é de consumo interno. Acontece que a famigerada pesquisa virou figurinha fácil no celular de muita gente. Uma velha tática usada na política para levar a população a viabilidade ou não de certas candidaturas. Se o vazamento vai surtir o efeito desejado não sabemos, mas que haverá outros desdobramentos a partir da ciência da pesquisa, isso sim vai acontecer.

Quatro candidaturas – Uma coisa é certa, no próximo pleito teremos quatro candidaturas postas em Santa Cruz, mesmo que o PSB negue legenda a Helinho Aragão pra ser candidato a prefeito. Zé Augusto deve se lançar ou lançar o seu filho, o advogado Tallys Maia. A corda esticou muito, não existe clima, nem disposição de se unir de ambas as partes. A pergunta que não quer calar é, se isso realmente acontecer, qual a posição dos atores políticos do grupo denominado taboquinha?

.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade do seu idealizador

17
julho

Panorama – Com Ralph Lagos

 

A entrevista – Em entrevista concedida à Alberes Xavier, na semana passada, o Presidente estadual do partido Republicano disse que se dependesse dele Zé Augusto seria candidato a prefeito. Partindo da lógica que um político experimentado como Silvio Costa não diria isso à toa, somado ao silencio de Zé Augusto sobre o tema e o seu histórico, mudanças no quadro político podem realmente acontecer.

Fique em casa – Os candidatos esse ano terão duas tarefas difíceis, a primeira convencer o eleitor que é a melhor opção. A segunda, é convencer o eleitor a ir votar em meio a uma pandemia. Deveremos ter nesse pleito uma abstenção como nunca vista, será preciso jogo de cintura e muito poder de convencimento para reverter essa situação.

A batata dele não está assando – A chegada do ex vereador Batata deu outros ares a pré campanha de Jânio Arruda. Fica visível que Batata empolgou o eleitorado do seu novo grupo e caminha a passos largos pra ser o candidato à vice de chapa de Jânio. Hoje Batata é um dos principais opositores do Prefeito Lero e tem conquistado um espaço interessante na oposição.

Pesquisas – Pelos quesitos de uma pesquisa que os dados estão sendo colhidos hoje, muito provavelmente alguém ligado ao grupo governista encomendou essa pesquisa. Essa tem sido uma marca do Prefeito Edson Vieira desde da sua campanha a prefeito em 2008. Monitorar, tentar entender a cabeça do eleitor, tem feito de Edson um grande vencedor, depois de amargar derrotas, como aconteceu em 98 e 2008. Edson chegou no grupo no começo dos anos 2000 e degrau por degrau virou uma liderança sem nenhuma contestação.

Recuou – O prefeito Edson solicitou que fosse retirado de pauta o projeto de lei que tratava da suspenção do repasse da parte patronal para o Santa Cruz PREV. O recuou se deu para evitar uma derrota com a não aprovação do projeto e um desgaste ainda maior com os funcionários públicos em um ano de eleição. Se tivesse insistido no projeto de lei, só restaria a Edson amargar desgaste e expor a sua bancada de vereadores.

Bem na foto – Quem ficou bem na fita foram as oposições, que alinharam seu discurso contra o projeto com a grande maioria dos funcionários públicos. Teriam muito mais dividendos políticos se tivesse sido votado e reprovado o projeto, é bem verdade. Mas pra uma oposição que faz oposição à oposição kkkkkkkk já é um grande feito.

;

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade do seu idealizador

17
julho

Coluna Ponto de Vista – Com Euzébio Pereira

AS LIDERANÇAS POLÍTICAS E SUAS ATUAÇÕES DIANTE DA CALAMIDADE PÚBLICA DECRETADA NO BRASIL

;

Todos nós temos acompanhado e vivido as consequências da pandemia do novo coronavírus na sociedade brasileira, que tem causado milhares de mortes diárias, grave crise do sistema de saúde, aprofundamento da crise econômica e agravamento das questões sociais, para citar apenas estes. Já afirmei nesta coluna que a pandemia fez com que diversas lideranças demonstrassem a força da boa política na condução do setor público, guiando a população e as ações neste momento de grande e grave anormalidade.

Na esfera federal o presidente JAIR BOLSONARO tem uma postura de negação da gravidade da pandemia, com diversas atitudes que reduziram o Brasil junto à comunidade internacional e, pior, tomando algumas atitudes que dificultaram o combate ao vírus letal. Neste vácuo o presidente da Câmara dos Deputados, RODRIGO MAIA, mostrou liderança e conduziu os debates essenciais, praticamente à revelia da Presidência da República. E, reparem, as ações federais estão sendo cruciais especialmente no enfrentamento da financeira como o “auxílio emergencial” e minimização das perdas de estados e municípios, mas o presidente não liderou a nação.

Em Pernambuco o governador PAULO CÂMARA, ao meu ver, teve seus maiores acertos no início da crise, tomando atitudes necessárias e que, naquele momento pareciam muito rígidas, mas se mostraram necessárias. Neste momento o diálogo com a sociedade e prefeitos era mais franco. As falhas estão ocorrendo na retomada das atividades, com falta de diálogo com gestores e tomando decisões que, ao que demonstram, não conhecem ou consideram as peculiaridades do interior. Esse descompasso se viu claramente esta semana, com o desastroso anúncio da retomada de algumas atividades aqui do Polo de Confecções, que causou muitos desencontros por falta de diálogo prévio.

Em nossa cidade, o prefeito EDSON VIEIRA soube liderar e enfrentou a pandemia com desenvoltura. No início tomou decisões difíceis, mas necessárias, e preparou o sistema de saúde de nossa cidade para os problemas trazidos pela Covid-19. Não subestimou o vírus! Mudou fluxo da rede de urgência e emergência na saúde e criou um Hospital de Campanha, duplicando a rede de atendimento 24 horas na cidade, quando somado à UPA, Hospital Municipal e AME Infantil. No Social investiu na assistência aos mais vulneráveis e ampliou investimentos em milhares de cestas básicas e máscaras de proteção. Na economia, deu amplo suporte para a entrega de mercadoria, que amenizou aqueceu a economia. No principal momento da pandemia a oposição ao governo sumiu. Com a proximidade do período eleitoral, reapareceu trazendo a questão partidária para o debate.

Ainda temos muito a enfrentar para vencermos este vírus e esperamos de nossos governantes que tomem as melhores decisões de enfrentamento aos diversos aspectos desta Calamidade Pública decretada no Brasil. O primeiro pensamento deve ser salvar vidas. As questões eleitorais não devem se sobrepor a esta bandeira.

VAPT-VUPT

COMPROMETIMENTO – Dep. Fernando Filho mostrou comprometimento, força e liderança política ao conseguir emenda de um milhão de reais para a cidade de Santa Cruz do Capibaribe enfrentar a Covid-19. Das 08 novas viaturas que chegaram para a Guarda Municipal, 05 foram indicações suas.

ENQUANTO ISSO… – o Dep. Eduardo da Fonte trava luta interna para desestabilizar a candidatura de Helinho Aragão e conseguir o apoio do PSB para Fernando Aragão. “Resolvido” e emoji em grupo de whatsapp foram suas ações mais comentadas nesta pandemia.

PRESENÇA – Seguindo sua linha de atuação, a Dep. Alessandra Vieira continua demonstrando crescimento constante em sua atuação na caminhada na Alepe. Faz questão de mostrar o trabalho legislativo que tem realizado, com aprovação de Leis e indicações importantes neste momento.

FORA DE CAMPO – Apoiado na cidade por Diogo Moraes, o Dep. João Campos só veio na cidade para conseguir votos, foi substituído por Cabral. Com o projeto de candidatura do PSB em xeque pela própria executiva estadual, o Dep. Diogo Moraes, continua fora de campo buscando apoio da própria legenda.

NA LISTA DO TCU – Na sombra da pré-candidatura de Helinho Aragão, o ex-deputado José Augusto esta figurando na Lista de Contas Julgadas Irregulares pelo TCU, desta vez com a companhia de Toinho do Pará, ambos podem ter problemas em seus registros de candidatura. Como antecipamos semana passada, Zé tenta limpar o nome para as eleições.

14
julho

Artigo – Por Adriano Oliveira

O ELEITOR E A COVID-19

 

Qual a influência da pandemia do novo coronavirus no comportamento do eleitor? Logo no início da pandemia, construí hipóteses para orientar pesquisas e análises. A primeira hipótese era que prefeitos aumentariam ou perderiam popularidade em razão do enfrentamento à Covid-19. As pesquisas da Cenário Inteligência têm revelado que tal hipótese é verdadeira. Porém, um achado importante: votantes diferenciam a popularidade do gestor conquistada no período da Covid-19, da popularidade do mandato.

O alto número de mortes em virtude da Covid-19 trará impopularidade para o presidente Bolsonaro. Esta hipótese ainda carece de comprovação. Pesquisas qualitativas e quantitativas realizadas no Nordeste mostram que o “vírus e China” mais “Bolsonaro” são os principais responsáveis pelas mortes. A primeira variável, a depender da localidade, se sobressai. É alto o porcentual de eleitores que reprovam a conduta do presidente na gestão da crise sanitária.

A crise econômica fortalecida pelo novo coronavirus terá como responsável principal o presidente Bolsonaro. Esta hipótese também precisa de comprovação. As pesquisas têm mostrado que o “vírus e a China”, “Bolsonaro” e “governadores” aparecem como variáveis causais para o agravamento da crise econômica. Os porcentuais quanto a estes itens variam entre cidades. É oportuno lembrar que pesquisas nacionais de variados institutos têm mostrado queda e, em seguida, estabilidade da reprovação do governo Bolsonaro.

O eleitor cansará do isolamento social e da paralisação da economia.  Quanto a esta hipótese, constato o seguinte processo entre os eleitores: no início da pandemia, o desejo majoritário era salvar vidas. Em seguida, ele sofre enfraquecimento. Hoje, as pesquisas quantitativas da Cenário revelam que o eleitor, majoritariamente, quer salvar vidas e empregos. As pesquisas qualitativas mostram que o eleitor quer a volta do comercio, da atividade econômica, com prevenção. Portanto, o isolamento social cansou para parcela considerável do eleitorado. Os eleitores continuam, majoritariamente, com medo de ser contaminado pelo coronavirus.

A eleição municipal ocorrerá em novembro. Até lá, efeitos do Auxilio Emergencial entre os eleitores devem ser monitorados. O impacto da crise econômica e de uma possível recuperação lenta da economia também. A transição entre crise sanitária e o novo normal poderá criar novos sentimentos nos votantes. A pandemia do coronavirus será temática da eleição. Os comportamentos do presidente Bolsonaro, governadores e prefeitos também. A Covid-19 estará presente na eleição municipal.

09
julho

Panorama – com Ralph Lagos

Golias do bem, Davi do mal – Uma gigantesca obra começou a funcionar em Santa Cruz essa semana. Trata-se do esgotamento sanitário. Obra moderna, que terá impactos positivos para nosso meio ambiente e para toda a nossa população, principalmente no quesito saúde. Do ponto de vista político uma pequena ponte com menos de vinte metros está ofuscando parte do impacto que uma das maiores obras feitas em Santa Cruz devia causar.

A saga taboquinha  – Uma coisa que me chamou muita atenção quando foi noticiado que o esgotamento sanitário começou a funcionar, foi a falta de sintonia do grupo denominado taboquinha com o governo do Estado. Na sua imensa maioria (fora Diogo, Junior Gomes e Marlos) eles não se sentem confortáveis para defender o governo e nem se sentem na condição de comemorar quando obras como essas viram realidades. A falta de identidade reina.

Alerta ligado – Semana passada nessa coluna tratei das vantagens que Allan teria caso se confirmada a ausência de eventos no pleito eleitoral desse ano. Dessa vez vou chamar atenção do leitor para uma coisa que pode atrapalhar a candidatura de Allan. A eleição do Moda Center, será antes da eleição municipal esse ano, pelo menos é o que temos a peso de hoje, e uma derrota da chapa de situação no nosso Gigante causaria grandes impactos negativos a campanha de Allan Carneiro, que já é de longe a maior terceira via dos últimos tempos em Santa Cruz.

Não entendi I – O Presidente da Câmara de Vereadores Augusto Maia retirou da pauta desta quinta feira dia 09/07 o projeto de lei Nº 008/2020 que tem como objetivo suspender os recolhimentos patronais da prefeitura para o SANTACRUZPREV. A retirada do projeto se deu pelo um pedido do governo, através da vereadora Jessica Cavalcante e a argumentação apresentada por Augusto foi que precisava do posicionamento dos sindicatos. Mas o fato da minha não compreensão é que todos os sindicatos já se posicionaram, contrário ao projeto de lei, diga-se de passagem.

Não entendi II – O mesmo Governo que pediu para o projeto ser retirado de pauta, enviou o esse mesmo projeto para a casa de leis com o regime de urgência. Vamos decidir pessoal é urgente ou não?

Não entendi III – Quando o vereador Junior Gomes fez o questionamento sobre a urgência do citado projeto de lei, foi enviado um pedido de retirada da urgência do projeto pela vereadora Jessica. Pois bem, sendo de autoria do poder executivo, só quem poderia solicitar a retirada do pedido de urgência ou do próprio projeto seria o prefeito que é chefe do executivo.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade do seu idealizador   

08
julho

Artigo – Por Adriano Oliveira

O QUE FAZER NESTA ELEIÇÃO?

 

As eleições foram adiadas. Não existia clima eleitoral para que os competidores fossem às ruas pedir o voto ao eleitor. Desde abril, a agenda no ambiente social é a Covid-19. As pesquisas qualitativa e quantitativa têm mostrado isto. Não adianta acredita em movimentos nos grupos do WhatsApp ou nas redes sociais. São movimentos que não representam o todo da realidade.

São as pesquisas de opinião que têm o poder de decifrar o todo da realidade. O olhar para as redes sociais apresenta, apenas, a parte do todo. Competidores que analisam o seu desempenho considerando apenas as redes sociais, desprezam o todo. Pois ele olha para apenas a parte do todo. Portanto, o adiamento da eleição é uma oportunidade para que os candidatos possam fazer pesquisas.

Não partam do princípio de que pesquisa quantitativa é apenas Intenção de voto. Ela apresenta a parte do todo. Na pesquisa quantitativa, outras indagações devem existir. O que deseja os eleitores? Quais os seus sentimentos para com a gestão atual e os candidatos? Qual é a memória do eleitor? Que tipo de mudança o votante deseja? Qual é o clima eleitoral da cidade? As pesquisas quantitativa e qualitativa realizadas conjuntamente têm condições de responder a estas indagações.

As respostas para as perguntas apresentadas possibilitam a criação de estratégias eleitorais. Elas têm o objetivo de produzir efeitos no eleitor. Em primeiro lugar, a estratégia deve conduzir o candidato a um adequado nível de competitividade. Em segundo lugar, a estratégia busca o sucesso eleitoral. A estratégia eleitoral define a narrativa de campanha, isto é, o que será dito ao eleitor para conquistá-lo. Saliento que narrativas eleitorais têm começo, meio e fim. Como uma novela.

Candidatos não podem ter mais de uma estratégia. A estratégia principal deve ser definida. Estratégias auxiliares existem. Quando defino a estratégia eleitoral, defino o conceito do candidato. Ou seja: defino o meu candidato para o eleitor. Por exemplo: ele é a esperança para um futuro muito melhor. Em seguida, posiciono o competidor. No caso, ele é o futuro, enquanto os outros representam o passado. Por fim, o discurso do candidato. Neste aspecto, o candidato dirá ao eleitor por que é o futuro.

A vindoura eleição municipal será disputada sob crises sanitária e econômica e com a possível nacionalização. Eleitores pró Bolsonaro podem rejeitar candidatos contrários ao presidente da República. A carência material mais os efeitos do coronavirus têm o poder de deixar eleitores descrentes com a política. Portanto, o que fazer? São as pesquisas que lhe dirão o que fazer.

;

As opiniões aqui expressas são de total responsabilidade do seu idealizador

02
julho

Panorama – com Ralph Lagos

Chegando

 

Imprensa forte – Na minha primeira escrita por aqui, não poderia deixar de registrar a passagem por esse blog dos gigantes ROMENICK e TENÓRIO. Sucesso aos dois amigos no novo projeto e que Deus proteja sempre vocês e seus familiares.

Sou aluno dos dois – Quanto à mim, vamos analisar semanalmente os bastidores e as principais notícias do nosso Agreste.

Vantagem pra Allan – Se realmente a campanha eleitoral de 2020 não tiver os grandes eventos que estamos acostumados a ver por conta da pandemia. O pré-candidato Allan Carneiro deve sair na vantagem no sentido de que as duas alas tradicionais da cidade, tem em seu currículo grandes eventos e passeatas com muita música e som. Sem a lambadinha e o famoso parará, fica mais leve a caminhada de Allan.

Aumentou o tom – O Prefeito Edson Vieira definitivamente aumentou o tom contra seus opositores. No seu programa semanal apresentado por meu amigo Cesar Melo, o prefeito não tem poupado críticas ao seus adversários, tem feito inclusive questionamentos (a palavra da momento) a respeito dos apoiadores do governo do Estado e da estada de Allan a frente do gigante Moda Center.

Baixou o tom – Na contra mão do que faz o prefeito, os vereadores de oposição simplesmente diminuíram o tom e as denúncias contra a administração pública. Eles usam agora seus programas de rádio, para se alfinetar e mandar indiretas para os companheiros de bancada ou colegas do seu próprio grupo. Receita perfeita para mais uma derrota.

E a pesquisa – Várias pesquisas estão sendo feitas em Santa Cruz. Uma delas foi registrada e seria publicada na terça-feira (30), mas estranhamente, foi retirado o registro e consequentemente a pesquisa não foi divulgada. O fato é que quem encomendou não gostou do resultado.

;

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

24
junho

As Curtinhas do Romenyck Stiffen

Fechando um ciclo

Sob pressão: Os vereadores de Santa Cruz do Capibaribe, em especial os de oposição, estão mais uma vez sob pressão, desta feita, devido o projeto do poder executivo que trata da suspensão do repasse do valor patronal ao Santa Cruz Prev, por parte da prefeitura, como noticiado nos mais diversos meios de comunicações da cidade.

São contra: Já se posicionaram contra o projeto, da forma que o mesmo está, os vereadores Deomedes Brito (PT), Ernesto Maia (PCdoB), Junior Gomes (PSB), Helinho Aragão (PSB), Toinho do Pará (PSB), Capilé da Palestina (PSD) e Joab do Oscarzão (PP).

Analisando: Em contato com este colunista, os vereadores Augusto Maia (PSB), Marlos da COHAB (PSB) e Carlinhos da COHAB (PP), nos afirmaram que ainda estão analisando o projeto que está tramitando na comissão de finanças e orçamento aguardando documentos da prefeitura. Maia adiantou que seguirá o parecer da comissão que vem discutido com as categorias, Marlos afirmou que o projeto merece uma discussão ampla, já o vereador Carlinhos afirmou que está estudando o projeto e que se debruçar, principalmente em relação ao impacto financeiro.

Favoráveis: Mesmo não conversando com os mesmos, teoricamente se acredita que a bancada de situação irá votar a favor do projeto. Esse posicionamento fica notório a cada discussão sobre o projeto, principalmente na fala da líder do governo, Jessica Cavalcante (PSDB). Os principais integrantes da situação se apegam como justificativas, principalmente, uma lei complementar sancionada pelo Governo Federal e a queda de receita do município.

Não aprova: Conversando com vereadores de Situação e oposição, os mesmos tem o entendimento que para o projeto ser aprovado precisa de maioria simples e não dois terços. Contudo, nos bastidores a crença de que os 10 vereadores de oposição votem pela reprovação do projeto da forma que está e apenas os sete vereadores da situação votariam pela reprovação, nesse contexto, atualmente o referido projeto seria reprovado.

Quer pesquisa: O vereador e pré-candidato do PSB, Helinho Aragão, afirmou, em entrevista a rádio polo, na última segunda-feira, 22/06, que estaria disposto a definir a candidatura do grupo Taboquinha através de uma pesquisa. Na ocasião alfinetou o pré-candidato do PP, Fernando Aragão, ao dizer que o mesmo não queria.

Atitude: O vereador Jobson Barros vem demonstrando atitude e sensibilidade no período de pandemia. O mesmo vem sendo um dos políticos de nossa região que tem utilizado suas redes sociais para conscientizar a população, principalmente fazendo live com profissionais da área de saúde. Recentemente, o vereador anunciou que seu salário de parlamentar dos meses de abril, maio e junho seria convertido para o combate a pandemia, e anunciou a entrega de 20 mil máscaras para o município.

Fim de ciclo: As curtinhas do Romenyck Stiffen fecha mais um ciclo, desta feita, estamos nos despedindo do Blog do Ney Lima. Gostaria de agradecer ao amigo e parceiro Ney Lima por todas as oportunidades concedidas, não foram poucas, e serei eternamente grato. Nesse contexto, ao agradecer a Ney Lima estou agradecendo a essa linda e competente família da Avant Digital, por todo suporte dado nos últimos sete anos. Sendo até clichê, mas de coração, ciclos se abrem e se fecham, então, nunca será um adeus, mas até logo. Dessa forma, venho me despedir de cada um de vocês leitores do Blog do Ney Lima por todo carinho de ter nos acompanhado por todos esses anos, mesmo divergindo de nossas opiniões em diversos momentos. Fiquem todos com Deus, gratidão é o que resume no momento e nos vemos por aí.

24
junho

Resumório – A Coluna do Professor Tenório

​RESUMÓRIO

 

QUESTIONAMENTOS – E segue a peleja sobre gastos no Moda Center x gastos da prefeitura. Em sua live semanal, o pré-candidato Fernando Aragão fez um questionamento ao prefeito sobre o porquê da contratação da uma empresa do Rio Janeiro para fazer uma adequação no prédio onde funciona o hospital de campanha. Enquanto isso, correligionários da gestão municipal continuam questionando os gastos no Moda Center, principalmente nas gestões do também pré-candidato Alan Carneiro. Falaram até da visita de Alan a Rede Globo. Santa Cruz do Capibaribe está muito “riodejaneirizada” nos últimos dias.

PARCERIAS – Sobre o duelo de questionamentos entre despesas do Moda Center e despesas da prefeitura, podemos concluir que o pessoal que defende a gestão é especializado nas contas do parque de feiras e o pessoal que defende Alan especializado nos gastos da prefeitura. Por isso já foi uma parceria de sucesso.

EM ANÁLISE – Outro assunto que continua repercutindo é a entrevista do presidente estadual do PSB, Sileno Guedes, na qual ele deixou em aberto a definição da pré-candidatura que ganhará a bênção do Palácio do Campo das Princesas em Santa Cruz e mais trinta e nove cidades pernambucanas. Resumindo, o apoio do PSB a Fernando Aragão ou a Helinho está em análise, feito o auxílio emergencial do Governo Federal.

RESOLVIDO – Santa Cruz do Capibaribe sempre foi conhecida pela produção de confecções e de cientistas políticos. E mesmo em tempos de pandemia, as duas produções continuam a todo vapor. Embora o presidente estadual do PSB tenha dito que a definição do apoio da sigla em Santa Cruz vai ser decidida pela executiva estadual, nossos cientistas políticos já sabem qual foi a decisão e postam a toda hora nas redes sociais a palavra RESOLVIDO.  Postam e apostam, mostrando que tem confiança e iludidos nas duas alas taboquinhas.

DE MENTIRINHA – O São João 2020 foi marcado por forró clandestino e distanciamento social de mentirinha feito político muito preocupado com o povo. Fogos de artifício e acendimento de fogueiras também aconteceram aos montes, porque teimoso o povo sabe ser com maestria.

CONTRADIÇÃO – E o maior exemplo de contradição em Santa Cruz durante a pandemia foi a recepção de um recuperado da covid-19 com direito à aglomeração, locutor e carro de som com a música tema da vitória de Ayrton Sena. É preciso sim celebrar essa tão importante vitória, mas sem aglomerar, né?

FIM DE SÃO JOÃO – E quando o dia de hoje acabar, será o fim de mais um São João, o mais diferente dos últimos anos. Cheio de nostalgia e boas lembranças, com cada um comemorando e acompanhando os shows de um jeito diferente, assim como será o acompanhamento do Resumório daqui pra frente.

FIM DE CICLO – E assim, chegamos ao fim de mais um ciclo. Como disseram no filme Sr. e Sr.ª Smith, “perto do fim a gente começa a pensar no início”. Foram duzentas e seis edições do Resumório desde aquele dia 09-12-2015, dia da estreia do resumo semanal do que acontece na política de forma bem-humorada no Blog do Ney Lima, a quem agradeço o convite, a parceria e o reconhecimento pelo meu trabalho.

AQUELE ABRAÇO – Nunca me queiram mal. Apenas reflitam sobre isso, enquanto lhes digo que fica o acontecido para ser rido e lido em outro local. Aquele abraço!

21
junho

As Curtinhas do Romenyck Stiffen

Duelo dos PRÉ das PRÉ

 

Dois duelos: Está muito claro nas redes sociais e nos programas políticos (dos Políticos) que existe dois duelos específicos entre as quatro pré-candidaturas postas em Santa Cruz do Capibaribe.

Fernando x Helinho: A novela Taboquinha ganhou novos contornos após o presidente estadual do PSB de Pernambuco, Sileno Guedes, em entrevista ao comunicador Alberes Xavier, afirmar que a executiva estadual do partido irá definir a situação da sigla em Santa Cruz do Capibaribe.

Desautorizou: A fala de Sileno Guedes foi interpretada, por muitos, como uma desautorização de falas ou definições do PSB no município, ou seja, nenhuma “decisão” do diretório municipal em relação à candidatura será tomada sem o crivo do diretório estadual.

Desmentiu: Sileno, nas entrelinhas, ainda acabou desmentindo as duas versões dadas em relação ao PSB na cidade, ou seja, ainda não é certo se o PSB terá candidatura própria, Helinho Aragão, ou se apoiará o pré-candidato do PP, Fernando Aragão.

Aposta: Posso está enganado, mas a única aposta que faço no momento é que independente da posição do PSB, o grupo Taboquinha terá duas candidaturas. Pois mesmo que Helinho não consiga confirmar sua candidatura, José Augusto Maia já demonstrou que não tem interesse de apoiar Fernando, além de ter o PRB para chamar de seu.

Alan x Dida: Outro duelo que esquenta a cada dia os bastidores da politica santa-cruzense é entre os Pré-candidatos Alan Carneiro (PSD) e Dida de Nan (PSDB), na verdade o conflito direto vem sendo travado entre Alan e o prefeito Edson Vieira (PSDB). Mas se engana quem acha que o clima esquentou devido aos “questionamentos” feitos entrem ambos em suas respectivas gestões, ou seja, As gestões de Alan no Moda Center e Edson na Prefeitura. Os questionamentos são apenas ingredientes, na verdade, o duelo é espelhado em números internos.

Aumentou o tom: Parece que o pré-candidato Dida percebeu que estaria como mero coadjuvante nesse duelo e resolveu aumentar o tom em relação a Alan, no programa a Hora do Povo do último sábado, 20/06. Contudo, ainda muito distante do ideal para o protagonismo desejado.

19
junho

Artigo – Por Adriano Oliveira

BOLSONARO CEDE

 

Quando candidato, o ex-presidente Lula condenava a classe política. Em 2003, ao assumir o mandato, o então presidente rejeitou o PMDB. Partido de suma importância para a formação do presidencialismo de coalizão. Em 2005, o escândalo do mensalão vem à tona.  A popularidade do ex-presidente Lula declina. O impeachment passa a ser agenda do Congresso. A sabedoria de Lula, o crescimento econômico e a política salvam o ex-presidente do impedimento e ele é reeleito.

No segundo mandato, Lula não despreza o PMDB, como qualquer outra força política. Exerce com maestria a articulação. Em alguns momentos, confronta a imprensa. Mas o bom governo possibilita que a sua popularidade cresça consideravelmente. Em 2010, Lula elege Dilma Rousseff para presidente. E deixa o governo sob aplausos de todos.

Dilma era a antítese de Lula. Tinha dificuldade de fazer política. Dialogar. Mas, por várias vezes, cedeu aos partidos. Distribuiu cargos. Dividiu o poder. Em razão da pujança econômica, herança de Lula, a ex-presidente governou com tranquilidade até junho de 2013. Neste mês, manifestações explodiram em todos os cantos do país. Em 2014, a ex-presidente é reeleita e a Operação Lava Jato expõe o sistema produtivo da política. A Lava Jato anuncia para todos os cantos do mundo que o “toma lá dá cá” e a corrupção sumiriam da política. A economia perdeu pujança. Manifestantes foram pra ruas. A ressaca eleitoral para com o PT existia. Os partidos abandonaram Dilma. Ela sofre impeachment.

Embalado pela Lava Jato, o candidato Bolsonaro aparece como o novo. O presidente que fará tudo diferente. Partidos para ele eram representações da má política. A expressão “toma lá dá cá” não existiria em seu governo. Bolsonaro é eleito. Com Bolsonaro no poder, as “mamatas” dos políticos acabariam. Distribuição de cargo, nem pensar!

Durante um ano, o presidente Bolsonaro relega os políticos. Não distribui cargos. E segue em frente condenando a política. Chega 2020. Crescimento econômico pífio em 2019. Popularidade estável. Um cisne negro surge, a Covid-19. O STF reage enfrentando as fakes news. Crises sanitária, política e econômica. Confronto com a imprensa. O presidente cede ao sistema político. Convoca os partidos. Distribui cargos. Tardiamente, o presidente acorda para a realidade. Descobre que o sistema produtivo da política é antifrágil. Sofre estresse, mas não quebra. E que para governar, é preciso ceder, fazer acordos, distribuir poder. Caso não, o seu mandato pode ser encurtado.

;

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

15
junho

As Curtinhas do Romenyck Stiffen

Capítulos Finais

 

É novela?: Se for novela que vocês querem, os taboquinhas têm pra dá e vender. Na última semana afirmamos que com os prazos mantidos, principalmente em relação aos registros de candidaturas, as perspectivas são de que as novelas de alguns grupos políticos de nossa região cheguem ao fim no próximo mês ou até antes.

Aproveitando os capítulos: Nesse contexto, as alas do grupo Taboquinha, seja ela a de apoio a Helinho ou Fernando, querem aproveitar cada capítulo dessa novela e nos últimos dias os bastidores políticos do grupo estão fervendo, cada um traçando um roteiro final para respectiva novela.

Capítulo Final (I): Ainda nas curtinhas da semana passada, trouxemos um tópico intitulado “A fala”, onde apontávamos que nos bastidores políticos do grupo denominado Taboquinha, apoiadores da pré-campanha de Helinho Aragão (PSB) estão animados para que a novela do PSB termine de vez. Segundo alguns membros da ala Maia/Moraes, nos confirmaram em off, que nos próximos dias uma fala de um nome importante do PSB estadual irá por um fim nessa novela e o capítulo final será em favor do vereador Helinho Aragão.

Capítulo Final (II): Dentro desse contexto, também apontamos que o poder de articulação do deputado federal Eduardo da Fonte (PP), em conseguir o apoio do PSB para o palanque de Fernando Aragão (PP), estava sendo colocando em cheque pela ala Maia/Moraes. Contudo, o pré-candidato Fernando Aragão, em entrevista ao programa Estúdio 1, na Polo FM, afirmou que os Deputados Federais Eduardo da Fonte (PP) e João Campos (PSB) conversaram recentemente e que, segundo Da Fonte, teriam “Resolvido”.

Acredita: Fernando ainda afirmou acreditar que nas próximas semanas um membro da cúpula estadual do PSB irá falar publicamente, em emissoras de rádios da cidade, apontando o direcionamento do PSB em Santa Cruz do Capibaribe. O pré-candidato ainda demostrou acreditar que o pronunciamento do PSB será em apoio ao seu nome.

Continuam: Podemos observar que as alas Taboquinhas continuam com perspectivas diferentes sobre o mesmo tema. Nesse contexto, só nos resta esperar para saber qual será o real capítulo final dessa novela. Quais personagens terão finais felizes e quais irão amargar um final ruim?

08
junho

As Curtinhas do Romenyck Stiffen

Novelas acabando?

 

Mantido: Na última semana, por unanimidade de votos, o Plenário do Tribunal Superior Eleitoral confirmou a possibilidade de os partidos políticos realizarem convenções partidárias por meio virtual para a escolha dos candidatos que disputarão as Eleições 2020. Nesse contexto, os prazos das eleições municipais continuam mantidos.

Novelas acabando?: Com os prazos mantidos, principalmente em relação aos registros de candidaturas, as perspectivas são de que as novelas de alguns grupos políticos de nossa região cheguem ao fim no próximo mês ou até antes.

A fala: Nos bastidores políticos do grupo denominado Taboquinha, apoiadores da pré-campanha de Helinho Aragão (PSB) estão animados para que a novela do PSB termine de vez. Segundo alguns membros da ala Maia/Moraes, nos confirmaram em off, que nos próximos dias uma fala de um nome importante do PSB estadual irá por um fim nessa novela e o capítulo final será em favor do vereador Helinho Aragão.

Reagindo: Após perder espaço no campo das oposições, no quesito repercussão, o pré-candidato Helinho Aragão vem tentando reagir nesses últimos dias nas redes sociais, reformulou suas plataformas digitais e arregimentou sua militância virtual. Toda essa movimentação, conseguir ser atrelada a uma fala de quem de fato tome as decisões do PSB estadual, podemos, de fato, ver Helinho entrar em um jogo onde até agora está como coadjuvante. Resta-nos, esperar as cenas dos próximos capítulos.

Em cheque: Nesse momento, o poder de articulação do deputado federal Eduardo da Fonte (PP), em conseguir o apoio do PSB para o palanque de Fernando Aragão (PP), está sendo colocando em cheque pela ala Maia/Moraes.

Vereador?: Após surgir burburinhos que o ex-prefeito de Taquaritinga do Norte, Evilásio Araújo, poderia disputar um cargo de vereador, o mesmo afastou a possibilidade. Pessoas próximas a Evilásio apontam que o mesmo continua de olho na majoritária, acredito que o prefeito Lero (PSB) torce que esse olho esteja mirando a vice e acabe a novela Calabar.

Não saiu: Informações dão conta que o ex-prefeito de Brejo da Madre de Deus permanece no cargo de Secretário de Saúde, o que impossibilita do mesmo disputar as eleições municipais de 2020. Outro que também ainda não teria deixado o cargo assessor especial foi o Frailan Mota, contudo existe o entendimento que o prazo para o mesmo deixar o cargo seria no próximo 4 de julho, ou seja, a novela do grupo de situação em Brejo da Madre de Deus continua.

Assumiu: Após muita polêmica, o vice-prefeito de Brejo da Madre de Deus, Josevaldo Lopes, assumiu de forma interina a prefeitura devido o problema de saúde que o prefeito Hilário Paulo está passando. Um ponto a destacar, Josevaldo e Hilário romperam politicamente já faz um bom tempo.

E o clima?: Alguns secretários e servidores da Gestão Hilário entraram com duas ações populares na tentativa de impedir a posse de Josevaldo. Fico a imaginar como ficará o clima entre prefeito interino e secretários durante esse período.

03
junho

Resumório – A Coluna do Professor Tenório

RESUMÓRIO

 

COM MÁSCARA – O São João da Moda este ano será cheio de novidades, começando pela abertura do Festival Biu & Gogó de Quadrilhas de Rua. Uma das principais novidades não foi a quadrilha virtual, foi cantar forró usando máscara. Eu não tinha visto ainda em lugar nenhum alguém cantando de máscara e olhe que teve live até umas horas. A observação foi de um leitor do Resumório, que achou diferente e digno de registro aqui.

CIDADE DOS CONTRÁRIOS – É o povo nas malas sem máscara, o povo na rua sem máscara ou com a máscara no queixo e um artista se apresentando num evento oficial da prefeitura cantando com máscara, usando bem direitinho.

POLÊMICAS – E para acabar com a polêmica das pias faraônicas e dos 5 milhões que o vereador Joab disse que as igrejas católicas e evangélicas receberam para suas festividades, só mesmo a polêmica de aluguel de geradores. Allan Carneiro acha que o prefeito alugou dois geradores por um valor alto e o prefeito acha que quem alugou gerador caro foi Allan, quando era síndico do Moda Center. Conversa vai, conversa vem, explicação vai, explicação vem e muita gente ficou sem entender foi nada. Só sei que a polêmica saiu da discussão financeira para o campo político. Afinal, é ano eleitoral.

A SAÍDA – Amanhã (4), Joselito Pedro deixará a Secretaria de Educação para, segundo ele, novos projetos. Conversou com o prefeito, com a família e amigos. Esqueceu de dizer que conversou com Dida de Nan, se é que conversou. Como a saída da pasta é exatamente na data limite de desincompatibilização para concorrer a cargo eletivo na majoritária, Joselito provavelmente será pré-candidato a vice na chapa com Dida de Nan.

A TROCA – Nas malas virtuais, se comenta a possibilidade de Joselito ser o pré-candidato a prefeito no lugar de Dida. Esses comentários sobre possível troca na chapa Boca Preta são tão estranhos quanto os nomes das operações da Polícia Federal, mas pesquisando um pouco a gente acaba encontrando algum sentindo. Alguns políticos do clã azul já afirmaram e garantiram que essa possibilidade de troca não existe, mas palavra de político e eficácia da cloroquina no tratamento de coronavírus não é todo mundo que acredita.

PROMOÇÃO DA SEMANA – Todas às quartas, o pré-candidato Fernando Aragão faz uma live que geralmente pede esclarecimentos sobre o emprego dos recursos públicos, questionando compra de materiais ou serviços com valores supostamente acima do valor de mercado. Ao que tudo indica, a promoção da semana será adiada porque não está fácil conseguir informações de outras prefeituras. Mas o item a ser questionado já está na agulha.

NOS OLHOS DOS OUTROS É REFRESCO – Todos os bairros da cidade estão infestados de muriçocas. Para ilustrar essa afirmação, trago o relato de um colega que estava na rua e entrou um cisco no seu olho. Lavou com soro, perdeu noite de sono e não conseguiu trabalhar. Quando foi ao oftalmologista, para sua surpresa, o cisco que veio voando no ar era a perna de uma muriçoca. Parece brincadeira, mas foi sério. Perna  de muriçoca nos olhos dos outros é refresco.

TBT – A oposição de Santa Cruz aparentemente já não é mais a mesma de outros tempos. Estão muito animados com um TBT de denúncia. Houve movimentação na denúncia do coffee break lá de 2015 e eles estão numa alegria que não tem tamanho.

AQUI SE FAZ, AQUI SE PAGA – Assim que os principais blogues da cidade publicaram a matéria sobre a instauração de procedimento para apurar a denúncia do coffe break, o ex-prefeito José Augusto Maia disse em redes sociais que os que tanto o condenavam estão pagando caro. Não ficou muito claro, mas provavelmente deve ter sido uma alusão à acusação que sofreu no caso da merenda.

ADIOGADO – Zé foi o criador do termo “adiogado”, que acabou significando alguém que pouco aparece, ausente. Isso quando não era aliado do Deputado Diogo Moraes. Por ironia do destino, hoje Zé está aliado a Diogo e apoiando um pré-candidato que, segundo alguns comentários nas redes sociais, está adiogado.

;

 “Não me queiram mal. Apenas pensem nisso, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido.”

02
junho

Artigo – Por Adriano Oliveira

A PRORROGAÇÃO DOS MANDATOS

 

A epidemia da Covid-19 proporciona o adiamento da eleição. Mas não permite a prorrogação dos mandatos. A curva do número de vítimas da Covid-19 continua a crescer no Brasil. Em alguns locais, declínio ou estabilidade de vítimas é observado. Em outros, o crescimento continua. O Instituto de Métrica da Universidade de Washington projeta para o Brasil 88.305 mil mortes por Covid-19 até 04 de agosto.

Só existe uma justificativa para a prorrogação dos mandatos de prefeitos e vereadores: o descontrole da epidemia do coronavirus. Não ocorrendo tal fato, a prorrogação dos mandatos terá consequência na mente dos eleitores e na disputa eleitoral de 2022. Ir votar é um hábito que precisa ser preservado na democracia. O enfraquecimento desse hábito, apesar de parcela do eleitorado reclamar da obrigatoriedade do voto, enfraquece a democracia eleitoral.

Pesquisas qualitativas e quantitativas da Cenário Inteligência têm mostrado que os eleitores, em sua maioria, desejam o adiamento da eleição municipal. Porém, dois dados relevantes detectados pelas pesquisas merecem atenção:

1) Quanto maior a rejeição do prefeito, menor o desejo do adiamento da eleição; 2) Vários eleitores defendem o adiamento, mas salientam, na pesquisa qualitativa, que querem ter a chance de fazer a mudança ou escolher um novo prefeito. Portanto, por que os mandatos devem ser prorrogados?

O presidente Jair Bolsonaro tem mostrado inquietação com as críticas da imprensa e as ações das instituições. Jair Bolsonaro, em razão do impacto da Covid-19 na economia, pode não chegar em 2022 como favorito. Neste cenário, é crível especular que o presidente não aceite possível derrota e apresente o seguinte argumento: “Se em 2020, os mandatos dos prefeitos foram prorrogados, defendo também a prorrogação do meu mandato até 2026”.

A justificativa de Jair Bolsonaro será plausível, pois existe jurisprudência. Por outro lado, alguém dirá ao presidente: “Em 2020 existia a Covid-19. Em 2022, não tem Covid-19”. Argumento frágil. Pois graves crises política e econômica em 2022 têm o poder de justificar o argumento do presidente. A implantação de um Plano Econômico que esteja trazendo resultados benéficos para a economia também é outra justificativa. Numa democracia, o eleitor deve ter o direito de não ir votar. Mas não deve ser impedido de trocar o prefeito, o governador ou o presidente.

/

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

01
junho

As Curtinhas do Romenyck Stiffen

Protagonistas e coadjuvantes

 

Esquentou: Mesmo com a pandemia, a política de Santa Cruz do Capibaribe esquentou nas duas últimas semanas. E caso a pisada continue dessa forma, observamos quem será os protagonistas e coadjuvantes de cada grupo politico, nessas eleições de 2020, e o desafio de cada um dos pré-candidatos prefeito.

Protagonizaram: Nas duas últimas semanas, o prefeito Edson Vieira (PSDB), Alan Carneiro (PSD) e Fernando Aragão (PP) estão protagonizando verdadeiros embates políticos na cidade, graças às repercussões geradas através dos questionamentos feitos em lives realizadas pelos dois pré-candidatos a prefeito, acima citados.

São quatro: Como todos sabem, Santa Cruz tem hoje quatro pré-candidatos a prefeito, são eles: o pré-candidato do grupo de situação, Dida de Nan (PSDB), e os pré-candidatos dos grupos de oposição Alan Carneiro, Fernando Aragão e Helinho Aragão (PSB).

Dida de Nan: O pré-candidato tem o desafio de construir uma identidade política de protagonismo nessa eleição, mantendo um discurso alinhado ao do prefeito Edson Vieira. Contudo, o mesmo não vem demostrando essa habilidade nas entrevistas concedida até o momento, colocando, por vezes, o governo em verdadeira “saia justa”, além de ter suas aparições engolidas pelo forte protagonismo do prefeito Edson Vieira. Por enquanto, Dida não passa de um coadjuvante nessa pré-campanha.

Alan Carneiro: O pré-candidato vem conseguindo protagonismo no campo das oposições com seus questionamentos contundentes. Contudo, o que para muitos poderia ser um trampolim político para as eleições municipais de 2020, sua gestão no Moda Center vem sendo transformada, principalmente pelo prefeito Edson Vieira, em um verdadeiro calcanhar de Aquiles. Carneiro ainda tem o desafio de tentar manter as ideologias extremas em seu palanque, após as diversas cobranças de posicionamento mais contundentes em relação a politica nacional.

Fernando Aragão: Não é segredo pra ninguém e está muito perceptível que Fernando Aragão tem como principal desafio conquistar partidos para o seu palanque, assim como aguentar o “rolo compressor” que nomes importantes do grupo politico taboquinha, do qual ainda se diz fazer parte, direcionou contra o mesmo. Contudo, mesmo com tantas adversidades, conseguiu manter o protagonismo no campo das oposições e esquentou a política nos últimos dias, após fazer os questionamentos sobre os valores das 20 pias adquiridas pela prefeitura. O mesmo conseguiu a notoriedade de que estaria de fato fazendo oposição, em um período que as oposições vinham sendo muito questionada em sua atuação e o prefeito em alta em sua postura ao combate a COVID 19.

Helinho Aragão: Assim como o pré-candidato da situação, Dida de Nan, Helinho tem tudo para ter uma das melhores estruturas de campanhas, partidos robustos, nomes importantes da história política do grupo taboquinha ao seu lado. Contudo, consegue mergulhar como ninguém em momentos importantes, passando, assim como Dida, a ser um mero coadjuvante do grupo que o coloca como pré-candidato, ficando atrás de uma muralha liderada pela família Maia. Helinho, assim como Dida, precisa construir uma identidade política de protagonismo nessa eleição ou não conquistará o protagonismo no campo das oposições.

Cedo: Contudo, reconhecemos que ainda é cedo pra dizer quem serão os verdadeiros protagonistas e coadjuvantes das eleições municipais de 2020. Estamos, apenas, trazendo o nosso ponto de vista de momento e os desafios perceptíveis para os nossos pré-candidatos a prefeito.

25
maio

As Curtinhas do Romenyck Stiffen

Altos e baixos

.

Altos e baixos: Comum os altos e baixos da política, por diversas vezes, por exemplo, tratamos em nossa coluna da montanha russa que o prefeito Edson Vieira (PSDB) passou e passa em suas duas gestões, não seria diferente no último ano.

A subida: Por falar no prefeito Edson Vieira e em sua montanha russa, o mesmo estava com uma imagem cada vez mais positiva no que diz respeito à COVID 19, observando principalmente o desgaste do adversário que atrevesse criticar tal postura.

A descida: Contudo, o questionamento levantado pelo ex-vereador e pré-candidato a prefeito, Fernando Aragão (PP), em relação aos valores gastos nas 20 pias, 2.500 reais cada uma, distribuídas em pontos estratégicos na cidade, acertaram em cheio a imagem do prefeito.

Em baixa: Por falar em Fernando Aragão, o mesmo vinha em baixa politicamente, sendo publicamente massacrado pela ala Taboquinha que tem a frente à liderança do ex-prefeito José Augusto Maia (PRB) e o Deputado Estadual Diogo Moraes (PSB), principalmente no que diz respeito à quebra de braço em busca do apoio da sigla PSB.

Em alta: Momento ruim de um, pode ocasionar o bom momento de outro. Nesse contexto, o questionamento feito por Fernando Aragão em relação às referidas pias, lhe trouxe notoriedade política no atual cenário, assim como a polarização no debate com o prefeito Edson Vieira.

A polarização: O prefeito Edson Vieira e o pré-candidato Fernando Aragão, polarizaram um valoroso tempo de mídia, nos últimos dias, para debaterem as referidas pias. Obvio que cada um conquistou repercussão diferente diante da discussão.

 
 

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

20
maio

Resumório – A Coluna do Professor Tenório

RESUMÓRIO

 

A FAVOR DO CONTRA – O que mais repercutiu na semana foi, sem dúvidas, a aparição dos vereadores Joab do Oscarzão e Carlinhos da Cohab numa mala política sem máscaras em plena Avenida 29 de Dezembro. A ironia é que ambos votaram recentemente a favor de um projeto de lei que torna obrigatório o uso de máscaras em locais públicos. É um clássico exemplo da frase faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço.

EM COMUM – E para mostrar que os vereadores Joab e Carlinhos têm mais em comum do que carregarem consigo os nomes de seus bairros, mandaram praticamente a mesma justificativa para o descuprimento da lei que eles votaram e péssimo exemplo para população que já não tem um bom índice de respeito ao distancimanto social. Ambos disseram que pararam só para comer um munguzá por um minuto.

INDIGESTO – Há quem não acredite na justificativa dos vereadores, há quem os defenda. Se o munguzá estava gostoso não sei, só sei que foi bem indigesto. Após o episódio, com direito à aparição na TV, os vereadores aparentemente deram uma breve sumida das redes sociais. Será que foram para os açudes e jogos de futebol na zona rural? Soube que por lá o povo também se comporta como se não existisse coronavírus.

USO DE MÁSCARAS – Segundo uma ouvinte do Programa Rádio Debate da Polo FM, ou o fumacê de Santa Cruz está muito fraco ou as muriçocas estão usando máscaras. Sendo assim, elas são mais conscientes do que Joab e Carlinhos, porque além de usarem máscaras estão todas aqui respeitando a recomendação de ficar em casa. Só não estão respeitando a proibição de aglomeção, tem que é uma beleza.

MURIÇOCAS – Se a aglomeração das muriçocas fosse combatida feito a aglomeração de ciclistas estaríamos todos tranquilos. Mesmo Santa Cruz sendo a única cidade pernambucana que Bolsonaro venceu, acredito que aqui se vende mais repelente nas farmácias do que cloroquina.

ESQUECERAM DE NÓS – Outro assunto que também repercutiu bastante foi o esquecimento de duas agentes de saúde deixadas meia noite na barreira sanitária do Moda Center sem transporte para voltarem para casa. Uma boa explicação ou pedido de desculpa, até agora não se tem notícia.

BANHEIRO, ÁGUA E TRANSPORTE – Como se não bastasse trabalhar por horas sem um banheiro e, segundo relatos, até faltando água para beber, voltar a pé essa hora da noite não é fácil. Se gasta horrores com transporte nessa cidade, não acredito que não dá para garantir o traslado desses profissionais tão importantes e evitar o constrangimento para elas e para o governo.

PROMOÇÃO DA SEMANA – E na loja de de núncias da oposição já teve promoção de calçamento, torneio de futebol e publicidade. A promoção da semana é de lavatórios. “Pia” mesmo, em tempos de pandemia estava faltando uma zuada dessas relacionada ao gasto no combate ao coronavírus.

AUSENTE – O deputado Diogo Moraes volta e meia vira pauta na cidade, tanto nas aparições quanto na ausência. Ontem ele estava agendado para participar do Programa Independente e não compareceu, alegando recomendação médica. Deixou esperando a produção, entrevistadores, ouvintes e os aliados Zé Augusto e Helinho Aragão. Galego de Mourinha, convidado de hoje do programa, sabe muito bem como é esperar por Diogo. Ex-aliados tambem sabem, os atuais aliados sabem, mas não admitem. Espero que Diogo esteja bem e apareça antes da próxima live de Bell.

IDIOTICE CONTAGIOSA – Parece que nem só a covid-19 é estremamente contagiosa, a idiotice também. Na ânsia de criticar o governo federal, o ex-presidente Lula andou falando bobagens sobre a situação do país e o coronavírus. Habilidade e competência para enfrentar a situação não é para qualquer um.

 

“Não me queiram mal. Apenas pensem nisso, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido.”

13
maio

Resumório – A Coluna do Professor Tenório

​RESUMÓRIO

 

PARECIDOS – O presidente Jair Messias Bolsonaro está parecendo o governo municipal de Santa Cruz do Capibaribe na época da CPI do Calçadão, não quer entregar as coisas e, com decisão judicial, acaba entregando tudo. O presidente não queria entregar os seus exames com o resultado da covid-19, nem o vídeo da reunião ministerial citada por Moro. Outra semelhança é que, aparentemente, isso tudo não vai dar em nada.

DOAÇÕES – Circulou nas redes sociais uma lista de vários municípios pernambucanos contemplados com emendas do senador Humberto Costa para o reforço na saúde. O detalhe é que Santa Cruz do Capibaribe não apareceu nessa lista de cidades. Parece que o senador andou acompanhando as doações generosas em lives dos filhos da terra e concluiu que Santa Cruz não está tão precisada assim.

JUVENTUDE E PODER – No início da pandemia, um meme profetizava que Bolsonaro cairia, Amilton Mourão assumiria a presidência, Sérgio Moro voltaria a ser ministro da justiça e Mourinho seria o novo técnico da seleção brasileira de futebol no lugar do Tite. A postagem dizia que nós teríamos Moro, Morinho e Morão e seríamos hexa.  Pode parecer absurdo, mas em Santa Cruz nós temos um menino na prefeitura, Menininho na direção do Moda Center e um garoto na presidência da Câmara de Vereadores. Se tudo está sendo bem ou mal administrado eu não sei, deixo essa avaliação para vocês. Só sei que tem mais um jovem querendo assumir a prefeitura.

É OU NÃO É? – Algumas pessoas dizem que Helinho Aragão não será candidato a prefeito na eleição de 2020 outras dizem que sim. Comenta-se nos bastidores a possibilidade de uma ingerência que o tiraria do páreo, falou-se num vídeo de alguma liderança estadual do PSB confirmando essa pré-candidatura que nunca apareceu. O próprio Helinho diz que é pré-candidato e seus apoiadores dizem que a garantia é a ficha de filiação ao PSB. Se for só isso, então, é garantido feito um cheque pré-datado da Baixa dos Sapateiros em tempos de pandemia. Quem é sulanqueiro raiz sabe o que estou dizendo.

ESTÁ CRESCENDO – Os apoiadores de Helinho Aragão vivem dizendo que sua pré-campanha está crescendo e por isso está incomodando adversários. Pode até ser, só não sei como danado estão aferindo esse crescimento sem movimentações políticas, sem malas, sem pesquisa e a cidade em quarentena. Só se estiverem consultando o povo nas filas dos supermercados ou nas farmácias.

NAS FILAS – O prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, Edson Vieira, justificou que os professores que tiveram seus contratos suspensos ainda não receberam o auxílio de trezentos reais, conforme prometido, porque estão averiguando quem recebeu ajuda do governo federal. Pelo que entendi, quem recebeu o auxílio emergencial do governo federal não receberá o do município. Só não sei como eles vão fazer para detectar quem recebeu, quem ainda está em análise e quem teve o pedido indeferido. Será que vão tocaiar os professores nas filas das agências da Caixa? Se for, pelo menos agora tem cadeiras e tendas para proteger todos do sol e da chuva.

A PELEJA CONTINUA – Militantes do grupo Taboquinha passaram a semana naquela velha peleja de sempre, trocando farpas entre si. Parece que nem se houvesse um decreto de seus líderes os defensores do projeto de Fernando e os defensores do projeto de Helinho acabariam com a aglomeração de provocações.

PERIGO – Santa Cruz, Jataúba e cidades da região disparam os casos de coronavírus. Nunca antes na história desse país um dominó na praça foi tão perigoso quanto nos tempos atuais. É gente se contaminando e morrendo em todo lugar e alguns defendendo a abertura de tudo.

BELEZA É FUNDAMENTAL – O presidente Bolsonaro constrangeu seu Ministro da Saúde ao decidir, sem avisá-lo, que colocaria salões de beleza e academias na lista de serviços essenciais. Deu para perceber que a falta de sintonia não era exclusividade do Mandetta e que para o presidente, beleza é fundamental. 

 

“Não me queiram mal. Apenas pensem nisso, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido.”

11
maio

As Curtinhas do Romenyck Stiffen

Sensibilidade insensível

 

O momento: A COVID 19 basicamente parou o mundo e no Brasil não foi diferente, o número de pessoas com o referido vírus só aumenta, assim como os óbitos. Assistimos nos últimos dias uma crise no sistema de saúde, no social, na economia, educação, entre tantas outras áreas.

Mantém: Apesar de vários eventos parados, assim como o nosso comércio se arrastando, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) vem mantendo os prazos das eleições 2020, a reboque a previsão de aproximadamente 12 bilhões de gastos.

No contexto: Com os prazos eleitorais mantidos, observamos, também, diversas novelas politicas e acirradas em nossa região, sem expectativas positivas para seus desfechos, vejamos.

Brejo da Madre de Deus: Já é certo que o grupo de oposição não chegará a um consenso e terá mais de uma candidatura. Contudo, no grupo de situação também não existe nem um mar de flores e o clima azeda a cada dia entre o prefeito Hilário Paulo e o ex-prefeito e secretário de saúde, Dr. Edson. Entre a mais recente treta entre ambos, está um trecho de uma música rolando nos grupos de WhatsApp, pois segundo interpretações de alguns, exalta o nome do pupilo político de Dr. Edson, Frailan Mota.

Taquaritinga: Não muito diferente de Brejo, em Taquaritinga o prefeito Lero tem, além da preocupação da COVID19, também um problema político a resolver com o ex-prefeito, Evilásio Araújo. Até o momento, os ponteiros não foram sincronizados.

Jataúba: A expectativa em Jataúba está na chapa do grupo de Situação, pois apesar de Antônio de Roque ser absoluto na condução do processo, o mesmo demonstra ter dor de cabeça em montar a chapa que representará o projeto de continuidade.

Santa Cruz: Em nosso município, continuamos esperando o desfecho da novela Taboquinha. Pois para Alan Carneiro e Dida de Nan falta apenas definir o vice de suas respectivas chapas.

;

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

06
maio

Resumório – A Coluna do Professor Tenório

RESUMÓRIO

 

FIM DO DISTANCIAMENTO SOCIAL 2 – Já imaginaram se o distanciamento social só acabasse quando um outro time pernambucano conseguisse ser hexa? Ou quando construíssem uma nova rodoviária em Santa Cruz? Ou a nova velha agência do INSS começasse atender a população? Pior do que isso, já imaginaram se esse distanciamento social só acabasse quando acabassem os buracos e as muriçocas de nossa cidade? Melhor nem imaginar, afinal, quase tudo um dia acaba…

EXEMPLOS – Muita gente ainda é contra o distanciamento social, mas ainda é a medida recomendada e mais adotada no mundo inteiro para controlar a disseminação do coronavírus. Só sei que se fossemos seguir os exemplos do presidente Jair Bolsonaro, de um programa político que acontece aos sábados numa rádio da cidade e da movimentação no recém-inaugurado hospital de campanha, estaríamos numa situação bem pior do que a atual.

INAUGURA E FECHA – Vejam as coisas como são, quando inauguraram a Academia da Saúde no acesso ao Santo Agostinho, todos queríamos que o equipamento público fosse amplamente usado e nunca foi, constituindo um genuíno caso do que eu costumo chamar de “inaugura e fecha”. Agora, inauguraram um hospital de campanha e todos queremos que não seja usado e, ao que tudo indica, será.

INAUGURADO – Finalmente foi inaugurado o tão falado hospital de campanha de Santa Cruz do Capibaribe, devidamente equipado para ajudar no combate ao coronavírus. As críticas ficaram por conta da visitação de comitivas de imprensa, vereadores e servidores públicos antes da inauguração e da inauguração com direito a discurso e banda musical. Há quem diga que inauguração de um hospital de campanha assim, só se viu na terra das gameleiras, porém o mais importante é que o equipamento público está pronto para ser usado, caso necessário.

AGLOMERAÇÕES – É aglomeração para entregar peixe, para entregar mercadoria, para receber auxílio emergencial, para pedir volta da ditadura, pra tudo. Só não pode aglomerar para o pessoal trabalhar, mesmo seguindo todas as recomendações que estão sendo violadas diariamente por boa parte da população. Daqui a pouco o pessoal se revolta e com certa razão.

SURPRESAS – É o governo municipal surpreso com a feira que se formou nas margens da PE 160, José Augusto Maia surpreso com o apoio do deputado Ricardo Teobaldo ao projeto político do Dida de Nam e a gente surpreso com a supresa deles. Parem que está ficando feio. Nos surpreendam com ações nesses tempos difíceis e não com enrolações.

COMO A VALE DE OUTRORA – Segundo alguém que não lembro quem, se a Rede Globo continuar com a linha editorial e a quebra de braço com o presidente Jair Bolsonaro, vai ficar parecendo a Rádio Vale das décadas de oitenta e noventa contra os Taboquinhas.

NOVO POINT – Sem o banheiro do Teike, a moda agora é postar uma foto nas redes sociais no sangradouro do açude de machados, no Bandeira. Duvido você não ter visto na sua timeline pelo menos uma foto de alguém se refrescando lá.

DOIS PESOS E DUAS MEDIDAS – O pré-candidato Alan Carneiro foi duramente criticado pelo prefeito Edson Vieira e apoiadores por ter feito um empréstimo para pagar o décimo terceiro dos servidores do Moda Center. Quando questionado sobre o destino dos três milhões e oitocentos mil da venda da folha dos servidores municipais ao Bradesco, o prefeito disse que usou dois milhões para pagar o décimo terceiro. Um foi falta de planejamento, o outro, habilidade para gerir em tempos de crise e queda de receita. Pau que dá em carneiro não dá em tucano.

O MAIS VOTADO – Muita gente já começa aDEMIRtir que o recordista de votos para vereador na próxima eleição já tem nome e segmento. Não será nenhum dos vereadores em exercício, porém será mais uma vez   alguém que milita na área da saúde. Essa história de já está eleito já lascou muita gente. Voto e saúde quanto mais, melhor.

 

“Não me queiram mal. Apenas pensem nisso, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido.”

04
maio

As Curtinhas do Romenyck Stiffen

A disputa continua

 

A salada mista: Em nossas últimas curtinhas, destacamos os partidos que provavelmente farão parte das coligações que terão a frente o pré-candidato da situação, Dida de Nan (PSDB), assim como os pré-candidatos das oposições: Allan Carneiro (PSD), Fernando Aragão (PP) e Helinho Aragão (PSB). Ainda apontamos a verdadeira salada mista de partidos presentes nessas futuras coligações.

Uma fruta: Apontamos que uma das situações mais complicadas nas costuras das coligações seria a do pré-candidato Fernando Aragão, pois até o momento o mesmo só havia apresentado o PP em seu referido projeto. Contudo, apontávamos que até as convenções muita coisa poderia acontecer e alterações nas coligações são comuns, onde partidos as vésperas mudam de projetos após “boas conversas” em Recife ou Brasília.

Conversando: Em entrevista concedida aos componentes do programa Rádio Debate, na Rádio Polo FM, na última quarta-feira, 31/04, questionamos ao pré-candidato Fernando Aragão sobre a dificuldade em apresentar partidos além do PP. Na ocasião, o mesmo afirmou que conversas estão ocorrendo entre membros a nível estadual do PP, PSB, PCdoB e PT, onde pode influenciar nas conjunturas de Santa Cruz do Capibaribe.

Informações: Durante o final de semana, blogs do nosso estado trouxeram a informação que o deputado estadual Romero Albuquerque (PP), condicionou o apoio dos progressistas ao PCdoB em Olinda, caso os comunistas apoiem Fernando Aragão em Santa Cruz do Capibaribe.

Sem possibilidade: Presidente do Diretório Municipal do PCdoB em Santa Cruz do Capibaribe, Paulinho Coelho, afastou tal possibilidade afirmando em nota que “Os diretórios municipais do partido não são moeda de troca entre si, não construímos nossas alianças com base em barganhas ou ameaças. Em Santa Cruz do Capibaribe, o PCdoB está construindo uma chapa para a disputa das eleições proporcionais ampla, plural e comprometida com o município, que compreende que o melhor caminho é o apoio à pré-candidatura de Helinho Aragão e a composição com o PSB, nosso aliado histórico”.

Na política…: Apesar do respeito que temos na fala do presidente do diretório municipal do PCdoB, necessário apontar que já vimos ocorrer de tudo na política. Nesse contexto, vamos aguardar os próximos capítulos dessa novela.

Mestre: O PP não é do nada uma das maiores bancadas na ALEPE e no Congresso, seus líderes sabem negociar como ninguém. O PP tem um tempo de guia invejável, mas por outro lado, sozinho em uma cidade feito Santa Cruz terá muita dificuldade. Por tanto, vamos ver até onde essas articulações do PP irão conseguir chegar e beneficiar seu pré-candidato na cidade.

Notícias Anteriores


 




error: Copiando nosso texto?