11
outubro

Uma história de tirar o folêgo! Deus marca um encontro com o africano!


Claudionor Bezerra é Bacharel em Teologia e Especialista em Teologia e o Pensamento Religioso; pastor evangélico congregacional; Contador Especialista em Controladoria atuando como Analista Fiscal na COMPESA e Professor no curso de Ciências Contábeis na Faculdade de Ciências Humanas de Olinda (FACHO). Consultor e sócio na BEZERRA & ASSOCIADOS ASSESSORIA CONTÁBIL.  Casado com Mônica Vilazaro e pai de Miguel Vilazaro Bezerra. 

A NARRATIVA bíblica que aponta para o sentido da existência humana, as causas do seu fracasso e o plano de sua SALVAÇÃO é melhor compreendida quando vista como uma GRANDE HISTÓRIA. No centro dessa história, obviamente, está o FILHO DE DEUS e aquilo que Ele realizou. Portanto, não se compreende a vida corretamente sem isso. Ocorre que essa GRANDE HISTÓRIA inclui diversos pequenos relatos, micro histórias e breves biografias.

O mais fascinante é que essa GRANDE HISTÓRIA ainda não é conclusa, aqueles que respondem com fé ao chamado da GRAÇA se tornam partes desse grande drama, assim sendo, eles mesmos são incluídos no enredo da salvação do mundo.

Entre os tantos personagens no grande drama da salvação do mundo, o livro de Atos dos Apóstolos, no capítulo 8, nos apresenta uma figura inusitada. O cenário é uma estrada deserta, distante de Jerusalém cerca de 100Km e o nome nos é familiar: Gaza. É nesse lugar inóspito (hoje um lugar de tantos conflitos conhecido como ‘a faixa de Gaza’), em direção ao norte da África, onde acontece uma pequena história de um africano etíope. Aliás, a Bíblia é cheia de histórias improváveis, o que torna o seu registro ainda mais espetacular.

Um africano, negro, eunuco (ou seja, castrado, alguém de quem não se esperava contato íntimo com mulheres, razão porque esse era o perfil para servir em função de confiança à mulheres em lugar de poder, como a Rainha dos Etíopes)… repetindo: africano, negro, eunuco (e ainda: incapaz de ser circuncidado e assim receber o sinal de pertencimento do povo de Deus segundo a Lei). Portanto, de novo: africano, negro, EUNUCO e voltando de Jerusalém porque havia participado de alguma das festas peregrinas em Israel e agora lia no caminho de retorno o profeta Isaías! Que cena improvável!

O final dessa história não poderia ser mais arrebatador, o etíope descendo de sua carruagem e recebendo o batismo, o SINAL de pertencimento do povo da NOVA ALIANÇA em Cristo Jesus. Isso depois de ter recebido a pregação das boas novas através de Filipe (aqui já tem outra história impressionante) por meio da explicação do texto de Isaías que dizia: “Ele foi levado como ovelha para o matadouro, e como cordeiro mudo diante do tosquiador, ele não abriu a sua boca. Em sua humilhação foi privado de justiça. Quem pode falar dos seus descendentes? Pois a sua vida foi tirada da terra”. (Atos 8:32,33).

A história segue sua marcha. Ou melhor: Deus segue TRABALHANDO na história. Coisas improváveis podem acontecer, lugares inesperados podem ser palco dos atos de Deus e pessoas jamais esperadas são convidados para fazerem parte do enredo. Glória a Deus por isso e bem aventurado é aquele que já se sente no fluxo dos eventos que estão mudando o mundo e tem o CORDEIRO DE DEUS como aquele que confere sentido e significado a existência.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Notícias Anteriores


 


error: Copiando nosso texto?