31
julho

Repercussão


Denúncia de compra de apoio pelo PSB segue para Brasília

Ex-presidente do PROS em Pernambuco, José Augusto Maia denunciou oferta de “vantagem financeira” para apoiar Paulo Câmara, do PSB. Foto: Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados

A Procuradoria-Regional Eleitoral em Pernambuco (PRE-PE) decidiu remeter para a Procuradoria-Geral Eleitoral (PGE), em Brasília, a denúncia de que o deputado federal Eduardo da Fonte (PP) e o presidente nacional do PROS, Eurípedes Junior, teriam tentado comprar o apoio político do deputado federal José Augusto Maia (PROS) para a campanha do ex-secretário da Fazenda Paulo Câmara (PSB).

.

Maia foi destituído da presidência do PROS em Pernambuco no dia 12 de junho por permanecer ao lado da candidatura do senador Armando Monteiro Neto (PTB). A investigação foi remetida para Brasília por causa do foro privilegiado a que Eduardo da Fonte tem direito.

.

A coligação de Armando, “Pernambuco vai Mais Longe”, propôs uma representação à PRE a partir da denúncia de Augusto Maia, feita ao jornal Folha de S. Paulo, de que teria recebido e recusado “vantagem financeira” para votar na chapa socialista. A representação pede investigação quanto à dupla pelos crimes de corrupção eleitoral, abuso de poder político e econômico e compra de votos.

.

No despacho, o procurador-Regional Eleitoral, João Bosco Araújo Fontes Júnior afirma que não pode ser identificado o abuso de poder político e de autoridade porque a denúncia trata de vantagem financeira. Ele também diz que o mandato não foi contaminado pelas ilegalidades citadas.

.

O procurador também rejeita a tese de compra de votos porque o que houve foi a “tentativa de compra de apoio político”. Ele também diz que a compra de voto ocorre quando a promessa de benefício financeiro é realizada ao eleitor.

.

Por fim, João Bosco afirma ainda que o abuso de poder econômico não se concretiza porque não houve recebimento da oferta financeira.

.

Tanto Eduardo da Fonte, quanto Eurípedes Junior e Paulo Câmara negaram ter oferecido qualquer vantagem pelo apoio político de Augusto Maia e chegaram a considerar processá-lo. O PSB também briga na Justiça para ter o direito de resposta publicado na Folha de S. Paulo.

 

Confira o despaçho na íntegra:

.


Fonte: Blog de Jamildo.

 

Um Comentário

  1. Mais um episódio lamentável e que ilustra bem a necessidade de reforma desse modelo político falido que infelizmente impera em nosso país!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Notícias Anteriores


 

error: Copiando nosso texto?