04
agosto

“Vou atirar na tua boca agora; e ele fez isso”– relata empresário santa-cruzense que viu bandido matar seu funcionário durante assalto


Nesta sexta-feira (04) foi veiculada as entrevistas, na Rádio Polo FM, do empresário José Cristóvão da Silva (27 anos) e também de seu colaborador, Eliandro José de Oliveira (35 anos).

Os dois, que vinham da cidade de Quipapá, são sobreviventes de momentos de terror vivenciados ainda no fim da noite de quarta-feira (02) quando foram vítimas de um assalto na BR-104, que terminou na execução de um jovem de 19 anos, Carlos Alberto de Moura (foto).

Além de terem sido assaltados e verem de perto a morte do jovem, os dois também foram espancados pelos bandidos por várias vezes.

“Quando saímos de lá, eram por volta de 20h e (o assalto) aconteceu por volta de 21h30, quando vínhamos no caminho. Foi muita covardia. Tudo o que eles (os bandidos) mandavam fazer, nós fazíamos. Se mandavam abaixar a cabeça, abaixávamos” – disse e completou, falando sobre o momento do tiro: “O carro estava em movimento. Na hora que ele atirou nele, ele (Carlos) arriou e foi morrendo. Quando atirou, eles (os bandidos) pegaram um desvio, jogaram a gente num desvio, dentro da lama, numa estrada vicinal abandonada. Só não nos mataram por sorte. Nasci de novo” – frisou Eliandro.

Já o empresário, contou os detalhes de como aconteceu o assalto e também sobre a execução do jovem.

“Quando passávamos de Cupira, esse carro começou a se aproximar ainda mais. Os elementos se aproximaram do carro e já foram disparando na porta que o vidro ia aberto. Só não me atingiu porque pegou no vidro. Só escutei o estouro. Eles abriram as portas e já caíram dentro do carro da gente. Colocaram o Carlos, que foi assassinado cruelmente e aí me colocaram no banco do passageiro, ao lado deles, e mandaram abaixar, xingando muito a gente. Começaram a dar muitas coronhadas na gente, ele (um dos bandidos) ficou no meio do assento do carro, batia na minha cabeça com o cabo do revólver e, no mesmo instante, já virava e começava a bater nos dois dizendo que ia matar todo mundo” – frisou, falando sobre momentos antes da execução.

“Chegando no percurso lá, depois da cidade de Panelas, eles anunciaram (o assalto) e pediram o celular. Eliandro entregou, eu entreguei o meu também e pediu a Carlos o celular. Ele não estava com o celular e daí ele (o bandido) disse: ‘Vou atirar na tua boca agora’ e ele fez isso: só escutei o pipoco” – disse.

Segundo o empresário, Carlos, que residia no bairro Santo Agostinho (também em Santa Cruz) estava na empresa há quatro anos e falou sobre o mesmo.

“Perdi um amigo, um filho; me ajudava demais. Um excelente funcionário, uma excelente pessoa” – pontuou, frisando que os bandidos estariam, possivelmente, sob efeito de drogas.

2 Comentários

  1. Michele disse:

    Onde vamos parar??? Hoje não se pode sair de casa nem pra trabalhar! País de vergonha, onde os favorecidos são os políticos nojentos q governam esse país, E os bandidos miseráveis q estão a destruir famílias. Sem dó e compaixao.
    Esse jovem q perdeu a vida é primo do meu esposo. A família está sem chão! 😭😭

  2. Almeida disse:

    Q mundo e esse!!!!!
    Uma pessoa tão boa, generosa,humilde
    Hj estamos todos nós familia dele sentindo falta desse anjo
    O desespero e grande pq a dor e maior ainda

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Notícias Anteriores


 


Meses Anteriores

error: Copiando nosso texto?