22
outubro

“Espero que numa decisão final eu não seja injustiçado” – diz Zezim Buxim ao falar sobre condenação na justiça


O vereador Zezin Buxim (MDB) na quinta-feira (21) uso o seu discurso na tribuna da Câmara de Vereadores de Santa Cruz do Capibaribe, para falar sobre a sua condenação em primeira instância por atos de improbidade administrativa, após decisão de juiz Moacir Ribeiro, atendendo a denúncia do Ministério Público de Pernambuco.

O processo corria na Justiça desde 2013, quando Zezin foi acusado de ter nomeador Laercio Silva Lima para exercer a função de assistente legislativo, na Câmara de Vereadores, mas o assessor, “na verdade, realizava a condução/transporte de pessoas de Santa Cruz para Campina Grande/PB

“Há um tempo atrás um assessor meu com a intenção de me ferrar, me denunciou e agora veio o resultado. Esse assessor era meu amigo e há um tempo atrás ligou para mim dizendo que estava numa situação muito difícil, eu penalizado com ele, chamei para trabalhar comigo e ele resolveu me dar o troco numa época que eu estava num auge, e muito bom politicamente falando” – disse.

O vereador revelou que ao ser denunciado na época, se sentiu muito magoado e tendo até depressão.

“Mexe muito comigo, tive depressão por causa disso, mas a minha preocupação não é política não é com a questão moral, aí sim, dói muito e dói demais, espero que numa decisão final eu não seja injustiçado, mas eu me tranquilizo porque as pessoas que me conhecem sabem da minha índole” – completou.

Zezim Buxim pontuou que caso a pessoa que lhe denunciou precise de algo, ele estará disponível.

“A pessoa que me denunciou se tiver me ouvindo, só quero lhe dizer uma coisa, precisou de mim várias e eu servir, e se precisar de novo eu não vou virar as costas” – finalizou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Notícias Anteriores


 


Meses Anteriores

error: Copiando nosso texto?