02
novembro

Surto de virose em Santa Cruz do Capibaribe


Surto de Zika sobrecarrega Hospital Materno Infantil em Santa Cruz do Capibaribe

Mães de diversas localidades aguardavam entre 40 minutos e uma hora para ser atendidas devido a demanda. Fotos: Thonny Hill

Mães de diversas localidades aguardavam entre 40 minutos e uma hora para ser atendidas devido a demanda. Fotos: Thonny Hill

A tarde desta segunda-feira (02) foi de muito movimento no Hospital Materno Infantil, que teve a recepção e muitos de seus leitos ocupados em virtude do surto de virose.

 

Na maioria dos casos que a equipe do blog acompanhou, a reclamação de mães e pais é que seus filhos apresentam sintomas como febre, dor pelo corpo, náuseas, diarreia, coceira e também manchas vermelhas.

.

Maioria das crianças apresentava sintomas semelhantes

Maioria das crianças apresentava sintomas semelhantes

Conversamos com a diretora da unidade, Joselma Bezerra, e nos foi relatado que o surto, possivelmente, é causado pelo Zika Vírus.  De acordo com Joselma, a demanda em excesso na unidade se deve, segundo a ela, a crise enfrentada pelas cidades vizinhas, crise quer faz com que pacientes, segundo ela, procurem por melhores condições de atendimento e acabam sobrecarregando a demanda.

 

Dois médicos atendiam na unidade hospitalar (quantidade corriqueira segundo ela) no momento da visita de nossa equipe e prestavam atendimentos as crianças vindas não só de Santa Cruz, mas também do distrito de São Domingos e também de municípios vizinhos como Taquaritinga, Jataúba, Surubim e Vertentes.

.

Espera se estendia pelos corredores

Nossa equipe também verificou a denúncia de que estariam faltando medicamentos na unidade, fator que não foi comprovado. Na farmácia da unidade, que foi mostrada por Joselma, havia diversos tipos de medicamento para febre, dor de cabeça, combate a pneumonia, antibióticos entre outros, que são destinados aos pacientes que ficam internos.

 

O tempo médio de espera era de 40 minutos a uma hora no momento em que nossa equipe esteve na unidade, mas algumas mães nos relataram que, em determinados momentos, a espera podia chegar a quase duas horas.

 

A reclamação dos pais se focou na demora do atendimento, mas não a conduta adotada pelos profissionais de saúde e funcionários.

 

O surto acontece em grande parte das cidades pernambucanas e se alastra rapidamente já que o Zika Vírus tem a mesma forma de transmissão do vírus da dengue.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Notícias Anteriores


 

error: Copiando nosso texto?