10
setembro

Troca de acusações em Santa Cruz do Capibaribe


 José Augusto Maia acusa prefeito Edson Vieira de promover armação para esconder inadimplência no CAUC

 

Fotos: Arquivo

Em nota publicada em redes sociais e destinada aos meios de imprensa, o ex-deputado federal José Augusto Maia (PROS) acusa o prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, Edson Vieira (PSDB), de promover uma armação para esconder que o município estaria inadimplente no Cadastro Único de Convênios com a União – CAUC.

 

Para quem não conhece, o CAUC funciona como uma espécie de “SPC das prefeituras” e quem está inadimplente fica impedido de realizar convênios com o Governo Federal.

 

Recentemente, o ex-deputado havia sido solicitado, em ofício emitido pela Controladoria Geral do Município, a pagar uma dívida no valor de R$ 25 mil, equivalente ao não pagamento de um convênio com o Ministério do Turismo para os festejos juninos de 2007, quando o mesmo estava em seu segundo mandato como prefeito.

 

De acordo com a controladoria, o não pagamento do valor colocaria o município em situação de inadimplência no cadastro e, no dia seguinte a notificação, o ex-deputado apresentou um comprovante mostrando que o valor solicitado havia sido pago para, segundo ele, não prejudicar o município.

 

O que diz a nota de José Augusto Maia

 

Em um dos trechos da nota, o ex-deputado afirma que, mesmo com o pagamento dos R$ 25 mil, a prefeitura continuou com a situação de inadimplência.

 

O novo débito, desta vez, seria com a Receita Federal e que o município estaria inadimplente no CAUC desde o dia 13 de agosto deste ano e não somente por conta da dívida do ex-deputado com o Ministério do Turismo. A nova dívida seria de pouco mais de R$ 12 mil.

 

“Veja abaixo o documento da pesquisa oficial no SIAFI (Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal), realizada no dia de hoje, 09 de setembro, às 16h27, que comprova a farsa: .

“Prefeito, não seja rápido apenas para denunciar ou tentar esconder seus erros, me jogando contra o povo. Faça como eu, seja rápido para resolver suas pendências. Não deixe a cidade com o nome sujo no cadastro nacional. O Sr. já fez Santa Cruz perder a Usina Asfáltica, a Máquina de Perfurar Poços Artesianos, o Centro de Imagem, a Policlínica e agora pode perder as Pavimentações. Quando Santa Cruz perde, todos são prejudicados.” – disse.

 

O ex-deputado entrou ao vivo no programa Opinião, da Rádio Comunidade FM, e falou sobre a nota sobre o assunto.

 

“Eu paguei. Disseram que estava no CAUC porque eu precisava pagar. Eu cumpri e a Prefeitura continuou no débito. Eu acho que não deveria acontecer e ficou feio para a Prefeitura Municipal.” – Frisou.

 

“Ele quer aparecer politicamente na mídia quando todos sabem que ele foi um deputado muito ruim para a região.” – dispara prefeito

 

 

.

Poucos minutos depois, o prefeito Edson Vieira deu sua versão do caso. O prefeito citou que as informações colocadas pelo ex-deputado foram de forma irresponsável, que o mesmo queria “aparecer na mídia” e que, por falta de informações mais concertas, teria distorcido os fatos.

 

“Não tem nada a ver com aquela questão do ex-deputado José Augusto com o CAUC. Essa questão de CNPJ é o CNPJ dos municípios, que está relacionada com outra ação, que isso já foi efetivamente concretizado pelo município e que não se tem nada a ver com isso. No afã de querer aparecer, de querer a todo instante distorcer os fatos, ele quer aparecer politicamente na mídia quando todos sabem que ele foi um deputado muito ruim para a região.” – Disse.

 

Edson Vieira questionou José Augusto a falar sobre os trabalhos que estão sendo desempenhados pelo consórcio de municípios Coninder e também em João Alfredo quanto a usina asfáltica (que não está em operação), a crise e a redução de repasses do Governo Federal para a saúde e outras áreas.

 

Já em participação anterior a ambos no mesmo programa, o Controlador do município, Bergue Alves, confirmou a existência da dívida, rebateu as afirmações do ex-deputado quanto as acusações de armação e disse que o valor de R$ 12 mil seria uma dívida de um parcelamento de débitos previdenciários anteriores a atual gestão.

 

O controlador citou que a dívida seria paga nesta quinta ou sexta-feira (11).

Um Comentário

  1. jean disse:

    BOM FOI TU EDIM RUIM TRAZENDO A QUELA GRANDIOSA OBRA UM PRESIDIO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Notícias Anteriores