31
março

Coluna


As curtinhas do Romenyck Stiffen

 

Eleitoreiro? – O secretário municipal de Articulação Política, Gilson Julião, abordou em sua página do Facebook que, apesar de ser favorável as manifestações populares, duvidava que o protesto da PE 160 fosse um movimento genuinamente popular, mas sim “político eleitoral”.

 

O recado (I) – O principal recado que o secretário da fazenda Paulo Câmara (PSB) tentou passar para população do Polo de Confecções foi a de que não é o “inimigo dos sulanqueiros”. Em pleno ano eleitoral ele trouxe, em seu pacote de muitas bondades, o projeto de isenção do ICMS.

 

O recado (II) – Outro recado é de que agora sim, “em pleno ano eleitoral”, a PE-160 será duplicada e que as máquinas estarão trabalhando a partir de maio.

 

Esperar – Agora não a mais nada a fazer a não ser esperar os prazos. Os projetos anunciados pelo secretário Paulo Câmara (PSB) são todos importantes e a torcida é que, de fato, saiam do papel para que a população não pense que os anúncios sejam apenas de cunho “político eleitoral”.

 

Vai mexer (I) – O prefeito Edson Vieira (PSDB) terá que mexer em sua equipe após o dia 4 de abril e um dos motivos será à saída de Alessandra Vieira (PSB) da secretaria de Ação Social para disputar uma vaga a Câmara Federal. Nos bastidores, as pessoas mais cotadas são Claudenice Dias e Gilson Julião, contudo, é dada como certa a ida de Julião para a equipe de campanha de Alessandra nas Eleições 2014.

 

Será que mexe? – Apesar de afirmar que não será candidato a deputado estadual, o vice-prefeito Dimas Dantas (PP) ainda tem essa semana de prazo para sair da Secretaria de Educação para disputar uma vaga a ALEPE. Contudo, mesmo Dantas não saindo por vontade própria, os bastidores políticos dão como certa a possibilidade do prefeito pedir o cargo.

 

Acabou – O suposto prazo dado pelo ex-prefeito Toinho do Pará (PHS) ao deputado federal José Augusto Maia (PROS), sobre a questão de apoiar apenas um candidato a estadual, acabou. As perguntas que ficam são: “A resposta, será que foi dada?” e se tiver sido dada, “Qual resposta seria?”.

.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade em seu idealizador e não refletem, necessariamente, a opinião deste veículo de comunicação.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Notícias Anteriores