11
novembro

Exclusivo! – Acusado de homicídio e três tentativas em Santa Cruz é condenado a quase 60 anos de prisão


img_7325
Fotos: Thonny Hill

O blog do Ney Lima acompanhou, com exclusividade, parte de mais um júri popular realizado em Santa Cruz do Capibaribe. Desta vez, o réu, identificado como Jackson Severino da Silva (28 anos, conhecido por “Jaquim”), é acusado de cometer um homicídio e também três tentativas de homicídio em Santa Cruz do Capibaribe.

De acordo com a denúncia apresentada no processo, os crimes aconteceram em 13 de novembro de 2011 quando, ao estar participando de uma festa realizada em uma casa de shows do município conhecida como “Fest Hall” (localizada a época a Rua José Francisco Barbosa, bairro Novo) teria se envolvido em uma confusão no local, sendo expulso por seguranças.

O mesmo, após a confusão, teria ido a outro local e, minutos depois, acabou voltando, desta vez armado, onde efetuou vários disparos de arma de fogo.

img_7322

Promotor Dr. Iron Miranda dos Anjos no debate entre defesa X acusação

Os tiros transpassaram o portão metálico da casa de shows e acabaram atingindo três seguranças (nos braços) e matando um popular que não tinha nada a ver com a confusão, um homem identificado como Ivanildo Francisco da Silva (35 anos, conhecido por “Vampeta”), este atingido com um tiro na altura do coração.

Passados os debates de defesa e acusação, a maioria do júri decidiu pela condenação do acusado pela prática dos crimes citados, onde as penas aplicadas pelo Juiz Dr. Danilo Félix de Azevedo totalizaram 58 anos e dois meses de prisão, em regime fechado.

Vale salientar que Jackson tem passagens pela polícia, entre elas porte ilegal de arma de fogo. Um fato que chamou a atenção na sentença do acusado é o perfil de personalidade descrito do mesmo, mostrando o grau de periculosidade avaliado pela Justiça.

“A personalidade do acusado, é agressiva, hostil, direta, com declínio para o cometimento de crimes, vez que oito dias após ter sido posto em liberdade mediante concessão de liberdade provisória, podendo ter aproveitado o encarceramento para refletir acerca de seus atos, bem como ressocializar-se dentro do sistema penitenciário, o que se observa é que o acusado não conteve sua sanha criminosa, cometendo a conduta delituosa descrita nos presentes autos, tudo a demonstrar que se solto voltará a delinquir, demonstrando que a finalidade preventiva especial da pena não logrou êxito, razão pela qual, reafirmo ter o acusado a personalidade voltada para o crime”.

O mesmo foi encaminhado ao presídio local. O julgamento foi realizado na última quarta-feira (09). Confira as penas aplicadas por cada um dos crimes:

* Homicídio contra Ivanildo Francisco: 19 anos e cinco meses de reclusão

* 03 Tentativas de homicídio: 12 anos e 11 meses de reclusão por cada uma

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Notícias Anteriores