30
setembro

Sem previsão para início das obras


Ministério Público recomenda embargo de terreno para construção do novo Parque de Feiras de Caruaru

Prejuízo ambiental compreende uma área de 52 hectares de acordo com o MPPE. Foto: Blog do Mário Flávio.

Na segunda-feira (29), integrantes do Ministério Público em Caruaru realizaram mais uma vistoria no terreno destinado a construção do novo Parque de Feiras de Caruaru, que fica localizado as margens da BR-104.

 

Entre as irregularidades apontadas por fiscais florestais da CPRH em junho deste ano, estão o desmatamento feito, sem autorização, em uma área com o dobro daquela que foi permitida, fator que foi reafirmado com a entrega do relatório ao MP na semana passada.

 

A promotora do MP no município, Gilka Miranda, recomendou o embargo da obra que, segundo ela, causou prejuízo ambiental a uma área de 52 hectares. O embargo foi decidido em uma audiência realizada hoje (30) naquele município.

 

A prefeitura de Caruaru refuta o relatório entregue ao MP, afirmando que os critérios que foram adotados como as datas e as quantidades de área desmatada não são os apontados pelos fiscais florestais.

 

Para tentar reverter à recomendação do Ministério Público, a prefeitura irá reunir novas provas, através de seus técnicos.

 

Novo fator pode dificultar ainda mais a viabilidade da obra

 

Em entrevista concedida a TV Asa Branca, a promotora Gilka Miranda afirmou que a fiscalização ambiental, que era feita antes pela prefeitura, sejam retomadas pela CPRH já que, segundo ela, não faria sentido que a prefeitura fiscalizasse uma obra que ela mesmo irá  realizar.

 

Segundo ela, a área degradada terá que ser restaurada o mais rapidamente possível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Notícias Anteriores