14
maio

Despejo


Caixa Econômica consegue na justiça retomar casas invadidas do Loteamento Jaçanã

Polícia Federal apresentou termos de reintegração de posse que determinou despejo dos invasores

 

 

 

Na manhã desta quinta-feira (14) oficiais da Justiça Federal cumpriram 11 autos de reintegração de posse no Loteamento Jaçanã, mais especificamente nas casas integrantes do projeto Minha Casa Minha Vida do Governo Federal e Caixa Econômica que foram invadidas em novembro de 2013.

 

Confira a matéria de 07 de novembro de 2013

 

 

A Caixa Econômica Federal que financia as residências do programa de habitação ingressou com um pedido de reintegração, este foi determinado nesta quinta-feira contra 11 das famílias que residiam em imóvel invadido.

 

A Polícia Federal foi até o local e obrigou os invasores a deixaram as propriedades. Um caminhão foi disponibilizado para retirar os pertences.

 

 

De acordo com dona de casa Edcleide, uma dos invasores, o imóvel que ela se apropriou estava desocupado e a pessoa que havia sido contemplada tinha residência própria e queria fornecer a casa para um cunhado, o que não seria permitido para casas do programa Minha Casa Minha Vida. Com a determinação da justiça ela terá que procurar um lugar para ficar, mesmo sem ter condições de trabalhar para pagar um aluguel por está recém-operada e com um filho recém-nascido.

 

Edcleide é uma das invasoras. Ela passou por uma cirurgia cesariana a pouco tempo e alega não ter condições de pagar um aluguel

 

“Tiveram um prazo para entrar na casa e não entraram, quando eu vim pra cá no outro dia o dono veio com a polícia e queria colocar o cunhado. Eu acho que essas casas são pra quem realmente precisa e não pra quem tem casa própria. A gente que precisa agora vai pra rua e eles que tem não querem morar” disse.

 

O vereador oposicionista, Deomedes Brito (PT), acompanhou o despejo dos invasores e afirmou ter entrado em contato com o Governo Municipal para que seja arranjado um local para as famílias despejadas.

 

Vereador de oposição acusa a prefeitura de ter retirado pessoas necessitadas das lista em benefício de outras mais favorecidas

 

“Esse pessoal estava na lista, foram tirados e vieram muitas pessoas que tinham condições financeiras. Eu já entrei em contato com o pessoal da prefeitura e espero que arranjem um canto digno pra eles ficarem porque são famílias, têm crianças, senhoras grávidas e não podem ficar abandonadas. Chegou a hora de o prefeito ter sua responsabilidade e colocar esse pessoal em algum lugar” disse o vereador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Notícias Anteriores