29
janeiro

Ministério Público recomenda demissão de servidor e abre inquérito para investigar supostos casos de nepotismo na Câmara de Santa Cruz


 

EXCLUSIVO

 

 

O promotor de justiça Jefson Romaniuc recomendou a exoneração imediata do servidor João Ricardo Feitosa Maia por entender haver vínculo de parentesco proibido na Câmara de Vereadores de Santa Cruz do Capibaribe.

O entendimento se estende a todo servidor “na mesma situação de investidura sem concurso ou função gratificada ou com a autoridade nomeante até terceiro grau”, diz o trecho da recomendação.

O servidor em questão é sobrinho do vereador Ernesto Maia (PT), e primo de segundo grau do presidente da Câmara, Augusto Maia (Avante).

Em contato com o Blog o presidente da Câmara afirmou que a recomendação do Ministério Público está sendo atendida e que já teria tratado pessoalmente com o promotor de justiça aceitando em comum acordo a recomendação.

 

Inquérito

Além de recomendar o afastamento do servidor, o Ministério Público em Santa Cruz do Capibaribe instaurou um inquérito civil para apurar supostas práticas de nomeação de parentes para cargos públicos.

O promotor solicitou que a Câmara informasse quais os servidores que mantém vínculos de parentesco em até terceiro grau com vereadores. Em 2019 a filha do vereador Marlos da Cohab, Marilia Melo era funcionária da Câmara. Ela deixou o cargo para disputar uma vaga no Conselho Tutelar da cidade e foi eleita.

 

Um Comentário

  1. Francisco disse:

    Seria bom que o ministério público obrigasse ao gestor convocar o aprovado no concurso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Notícias Anteriores


 

error: Copiando nosso texto?