28
novembro

Em Taquaritinga – Moradores de casas previstas para demolição voltam a interditar trecho de duplicação da PE-160


Área foi fechada dos dois lados com bancas de feira – Fotos: Thonny Hill e Alberes Xavier

Nesta terça-feira (28) um grupo de moradores e proprietários de sete imóveis que ficam bem próximos a um dos trechos da PE-160 que passam pela duplicação, no distrito de Pão de Açúcar (de Taquaritinga), interditaram mais uma vez parte do local das obras.

Os imóveis fazem parte das propriedades que devem ser demolidas para a continuidade dos trabalhos, porém de acordo com eles, a nova interdição foi motivada pelo temor do não pagamento de indenizações prometidas por parte do Governo do Estado.

Asfalto já começa a chegar próximo as casas

 

De acordo com esses moradores, os valores a serem pagos pelas propriedades ultrapassa pouco mais de R$ 200 mil e que estes já deveriam ter sido pagos desde o começo do mês de setembro.

O prazo alegado por eles, de até 60 dias, teria sido prometido após uma reunião realizada em Recife com representantes do Departamento Estadual de Rodovias (DER-PE) na data de 06 de julho deste ano, mas que até o momento, os valores das indenizações não teriam sido pagos. As obras chegam a passar a poucos centímetros dos imóveis, boa parte deles ainda ocupados.

 

Jovem que alegou morar em um dos imóveis improvisa na hora de sair ou de entrar de casa.

 

Nossa equipe de reportagem conversou com moradores e dois deles, José Pereira da Silva e Ivan Leonardo da Silva, nos apresentaram termos de aceitação, emitidos pelo DER e por eles assinados, dos valores a serem pagos por cada imóvel.

Os dois termos estão com a data de 06 de julho e ambos falaram da insatisfação de não ter recebido o dinheiro.

“Entramos em dois acordos que eles queriam e, até agora, nada aconteceu. Já fazem 145 dias que era já para ter resolvido isso e estamos nesse tempo todo sem qualquer solução. Um dos fiscais do DER levou um ofício a polícia dizendo que estávamos interditando a obra, mas não nos perguntaram porquê. Eles chegaram e viram que não era como o DER disse. Disseram que iam agilizar, mas até agora nada. O asfalto está chegando e estamos com medo das obras terminarem e não sermos indenizados” – frisou José Pereira.

“Quando a mulher do DER veio aqui medir, de lá do Recife, me disse que seria rápido para que eu recebesse; desmanchavam e pagavam. Liguei para lá mas ficam passando de um para outro e que só podem pagar quando a Secretaria da fazenda liberar o dinheiro. Pergunto se tem uma previsão, mas eles nos dizem que não tem” – desabafou Ivan.

Nossa equipe chegou a falar com um dos encarregados pelas obras, que são realizadas pela empresa SVC Construções LTDA. O encarregado não quis gravar entrevista, mas citou que a empresa iria aguardar uma posição por parte do Governo Estadual quanto ao impasse.

Também tentamos o contato, via telefone disponibilizado na internet, com a assessoria de imprensa do DER para obter respostas sobre o caso, mas nenhuma das duas ligações efetuadas foram atendidas.

.

Termos de aceitação mostram valores de indenização devidos de dois dos sete imóveis alegados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Notícias Anteriores


 

error: Copiando nosso texto?