10
outubro

Conflitos na 2ª Igreja Vale da Benção viram casos de polícia e ações judiciais


Blog do Ney Lima ouviu as partes envolvidas

Uma das igrejas mais tradicionais de Santa Cruz do Capibaribe tem sido palco de diversos conflitos de interesses, especialmente neste ano de 2021. Os impasses entre os membros, que deveriam ser resolvidos internamente, extrapolaram os limites do templo e foram parar nos tribunais de justiça.

Recentemente um inquérito da Delegacia de Crimes Cibernéticos apontou que houveram disparos de fake news. O falso conteúdo vitimou os pastores Mauro Simões, Joab Lira e mais dois membros da igreja. As investigações concluíram que o disparo das notícias falsas teria partido de Poli Bezerra Lagos, um dos membros que tem manifestado divergência com o atual pastor líder.

A conclusão do inquérito ocorre no mesmo momento em que a Justiça decidiu, através de decisão liminar, obrigar a direção da igreja a realizar uma assembleia, reunião que há muito tempo era pretendida por membros que são contrários a permanência do pastor Mauro Simões na presidência da instituição religiosa. A juíza negou o pedido de afastamento do pastor da direção da igreja, opção pretendida pelos membros no mesmo processo.

Para tentar entender os motivos, o Blog do Ney Lima ouviu Poli Lagos, membro da 2ª Igreja Vale da Benção há 24 anos, sendo neste momento um dos principais líderes do grupo de fiéis contrários a permanência do pastor Mauro Simões.

O Blog ouviu também o pastor Manassés Simões, filho de Mauro. Uma suposta possiblidade de que Manassés viesse a ocupar o lugar do pai à frente da Congregação é um dos principais motivos das divergências entre os membros. Manassés negou a pretensão para o cargo.

Assista as duas entrevistas completas abaixo:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Notícias Anteriores


 


error: Copiando nosso texto?