29
novembro

‘Tanto faz’ – Vereadores ligados a Zé Augusto não têm objeções para compor em eleição de presidência da Câmara


Fotos: Janielson Santos.

Ratificando intenção em lançar candidatura para presidência da Câmara de Vereadores de Santa Cruz do Capibaribe, os vereadores ligados ao ex-deputado federal José Augusto Maia (Capilé, Augusto e Helinho) participaram do Programa Rádio Debate, na tarde desta quinta-feira (29).

Os vereadores afirmam que podem compor e receber o apoio de qualquer uma das outras bancadas (ligadas ao prefeito Edson Vieira ou ao deputado Diogo Moraes), contanto que o presidente seja um deles três.

Atualmente a bancada do prefeito conta com seis parlamentares, enquanto os apoiadores de Diogo soma oito. Uma junção entre as bancadas de Zé e Edson seria, nesse momento, suficiente para eleger o presidente.

“O voto pode vim de onde for. Da mesma forma que votamos em Zé Minhoca, na eleição passada”, disse Capilé, que completa que não tem preferência. “Se o voto vier da bancada de Edson, a gente cede essa outra vaga tranquilamente”.

A outra vaga diz respeito à composição da Mesa Diretora uma vez que, próximo ano, quatro vereadores estarão na mesa principal da Casa (Presidente, vice, 1° e 2° secretários).

Mesmo com a possibilidade de receber votos de apoiadores do prefeito, eles fazem questão de expor que continuarão em oposição à gestão municipal e estadual.

“Se um desses três (vereadores) vencerem, o nosso compromisso de oposição continua, a Edson e a Paulo Câmara”, disse Zé Augusto, completando que faz parte dos ‘legítimos taboquinhas’.

“Um governo péssimo”, afirmou categoricamente Capilé ao falar sobre o governo municipal.

Elos

Helinho Aragão (PTB) revelou quem são os personagens que buscaram aproximação, por partes das duas bancadas: vereador Júnior Gomes e o secretário de saúde, Dr. Nanau.  Ele informou que uma reunião foi realizada na residência do primeiro e telefonemas foram feitos com o segundo, tratando sobre o tema.

Afastamento

Para o trio, o vereador Ernesto Maia (PT) foi responsável por ‘quebrar o diálogo’ durante as articulações com o grupo de Diogo, ao lançar sua candidatura. Helinho Aragão entende que Ernesto não ‘deixou espaço’ para o possível apoio que eles pretendem.

Augusto Maia complementou em outro momento que, ainda ontem, Ernesto teria lhe dito que ‘preferia perder com os oito votos, do que apoiar um do trio’.

Intenção inicial

Assíduo nesse momento de articulação, José Augusto afirmou que sua intenção, de início, seria compor com a bancada de Diogo (que também representa oposição na cidade). No entanto, caso isso não seja possível, afirma que é ‘legítimo e salutar’ a busca da presidência com outros apoios.

Ele lembrou que não obteve o apoio que queria para o filho Tallys Maia, na eleição deste ano, e que os votos nesse momento, seria um gesto pela ‘união’ das oposições.

Se não houver alteração, a eleição para presidência deve ocorrer na próxima terça-feira (04).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Notícias Anteriores