Possivelmente o pré-candidato a prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, Fernando Aragão (PP), está vivendo o momento político mais decisivo da sua história e, diferentemente de muitos movimentos feitos no passado, desta vez tem tomado decisões assertivas.

 

Explico: Fernando Aragão é aquele que no passado rompeu quando não deveria ter rompido e permaneceu aliado quando deveria ter se afastado.

 

Em 2019 o registro está sendo diferente. O baixinho vem se agigantando e, por certo, aprendeu a enfrentar os riscos. Pensou, planejou e agiu com estratégia.

 

Poucos personagens políticos conseguiram êxito sem antes provarem o sabor amargo da divisão. Assim se deu o início da era José Augusto Maia e assim ocorreu no início da era Edson Vieira.

Diante de um cenário de incertezas, a aceitação do convite de filiação do Partido Progressista não foi uma mera opção. Foi questão de sobrevivência política.

 

Em seu grupo, a pré-candidatura a prefeito de José Augusto Maia nada mais é do que mera demarcação provisória de espaço. Já o Diogo Moraes aparenta deixar seu nome à deriva. Sem um projeto, sem uma ideia, sem um plano.

 

Mesmo que o cenário mude, 2019 já vai se consolidando como o ano em que a estatura política de Fernando Aragão passa a ser vista com os olhos do absoluto respeito.

 

 

Por Ney Lima

 

 

 

Um assessor da vereadora governista Jéssyca Cavalcanti foi contemplado com uma casa popular no conjunto habitacional Loteamento Cruzeiro, construído pelo Governo Federal em Santa Cruz do Capibaribe. A contemplação final foi feita por sorteio, mas as faixas de grupos prioritários são estabelecidas por pontuação, que preveem características como residentes em áreas de risco, inscritos no programa Bolsa Família, famílias monoparentais, entre outros critérios.

A vereadora Jéssyca Cavalcanti argumentou, em um grupo de Whatsapp, que não há problema que um assessor parlamentar se inscreva e seja sorteado.

“Meus assessores se inscreveram, como todo cidadão e cidadã de Santa Cruz que teve interesse. Qual é o problema?”, questionou.

O vereador Carlinhos da Cohab entrou no debate e disse que a parlamentar terá que dar explicações ao Ministério Público, apontando que o servidor não é casado, não tem filhos e reside com a mãe.

Secretário de Habitação diz que contemplação pode estar dentro dos critérios

 

 

O Blog do Ney Lima conversou por telefone com o secretário de habitação do município, Flávio Dunda. Ele explicou que a queixa envolvendo a contemplação do assessor da vereadora Jéssyca foi apresentada pelo vereador Carlinhos da Cohab, nesta quarta-feira (09) pela manhã, e disse que não há impedimento da participação no sorteio em relação a o cargo que a pessoa ocupa.

O secretário declarou também que vai analisar a documentação apresentada, mas que as normas estabelecidas pela Caixa preveem que 15% das casas sejam sorteadas entre pessoas que obtém até um ponto, conquistado entre os critérios.

05
outubro

 

 

 

Novo Século

Banda em uma de suas apresentações no tradicional evento “Noite dos Filhos Ausentes” – Foto: Thonny Hill (arquivo)

 

Esta sexta-feira (04) é marcada por uma data histórica para Santa Cruz do Capibaribe, que são os 119 anos de fundação da Sociedade Musical Novo Século.

A entidade, que resiste ao tempo, foi fundada em 04 de outubro de 1900, quando o município ainda nem existia no papel, sendo apenas uma pequena vila pertencente a cidade de Taquaritinga do Norte.

.

 

Sociedade Musical Novo Século em 1914.

Sociedade Musical Novo Século em 1914.

Atualmente, a banda filarmônica, uma das últimas existentes na região do Polo de Confecções. A Sociedade Musical Novo Século também é conhecida pela formação de músicos talentosos ao longo de sua história, que continuaram suas carreiras, inclusive ingressando em cursos superiores de música a exemplo dos maestros Rubinaldo Catanha e Wellington Araújo e o trompetista Igor Aleixo.

A Novo Século, que também forma músicos gratuitamente desde a sua fundação em sua sede, situada na Avenida Padre Zuzinha, é mantida por sócios voluntários e também recebe uma subvenção do poder municipal, realizando apresentações não só em Santa Cruz, mas também em diversas cidades pernambucanas e em outros estados.

.

Bom público compareceu para assistir a abertura da temporada de concertos da Novo Século. Fotos: Thonny Hill.

Novo Século

novo seculo

Novo Século Orquestra animou o público ao som do frevo.

Sociedade MUsical Novo Século, em 2013..

Novo Século Orquestra é uma das atrações confirmadas para o evento de Réveillon. Imagem: Arquivo.

Sociedade Musical Novo Século irá se apresnetar na Sessão Solene. Imagem: Arquivo.

Confira o histórico da Sociedade Musical Novo Século, extraído de sua página oficial.

 

Um dia, em fins do século XIX, ou início do século XX, a meninada de Santa Cruz do Capibaribe foi surpreendida pelos acordes de alguns instrumentos musicais lá para as bandas do Serrote, sítio vizinho de onde vinham os sons.

Eram alguns santa-cruzenses, que vindos do estado do Pará, traziam consigo alguns instrumentos de bandas de música e assim queriam entrar em sua vila muito amada e querida. Aqueles rapazes eram: Amaro Vieira Rio Branco, João Viera e Xavier Joaquim. Foram eles os precursores da futura Banda de Música Novo Século.

Iniciou-se o novo século. O sêmen da futura agremiação plantado pelos irmãos Vieira e Xavier Joaquim, começou a germinar.

Em 04 de Outubro de 1900, um grupo de idealistas liderado pelo Tenente Pedro Ferreira Pedrosa, que a generosidade dos santa-cruzenses o promoveu a Capitão, e José Teodoro Aragão, carinhosamente chamado por seus conterrâneos como “Major Negrinho”, fundaram assim a agremiação que se chamou, de início, Sociedade Musical Triunfo Santacruzense.

Há alguns anos, a banda era campo exclusivo de homens. Hoje, meninos e meninas rapazes e moças integram suas fileiras ao lado de alguns veteranos, que ingressaram com a mesma idade dos que agora se iniciam.

É composta de 35 músicos, dos quais 80% jovens entre 15 e 23 anos, tendo a frente o maestro Rubinaldo Marques de Melo (Rubinaldo Catanha) um exemplo de amor a música, o qual muito orgulha os músicos em tê-lo com regente.

O atual presidente é o Sr. Ivo Aragão. Sua diretoria é composta de secretários, tesoureiro, orador e conselho fiscal e possui sua sede própria na Avenida Padre Zuzinha, 341 no centro de Santa Cruz do Capibaribe/PE, é mantida pelos sócios que contribuem com uma quantia de R$ 10,00 (dez reais) por mês e de uma subvenção municipal, dinheiro este que pagamos o salário do maestro, do procurador e damos uma ajuda de custo aos professores que dão aula para crianças e jovens que devido a contribuição social nada pagam  pelas aulas.

A Banda Novo Século, no ano de 2002, conseguiu o maior êxito em sua história que foi a gravação do primeiro CD. Destaca-se nesse trabalho o Sr. David Pereira de Lira que conseguiu durante sua gestão este grande feito que ficará registrado para sempre como um dos melhores acontecimentos da história da Novo Século.

Hoje, a Sociedade Musical Novo Século está entre as melhores bandas de música de Pernambuco. Graças ao trabalho conjunto do presidente, diretoria, do maestro Rubinaldo Catanha e nossos músicos que se esforçam, e estudam, para executar o repertório com toda dinâmica exigida pelo regente, levando assim aos ouvidos do público a maravilhosa qualidade de som que seus músicos emitem em seus instrumentos.

 

 

O pré-candidato a prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, Allan Carneiro, está em processo de escolha da sigla partidária em que pretende disputar a eleição do próximo ano. As possibilidades são PDT, DEM, PSD, PL ou PSL.

Em contato com o blog, Allan afirmou que chegou a receber convite para ingressar no PP, sigla que filiou o também pré-candidato Fernando Aragão esta semana.

Questionado se a presença do deputado Delegado Lessa no ato de filiação de Fernando mudaria seu direcionamento em Santa Cruz, Allan afirmou que não crer nessa possibilidade e que é comum ele participar do ato por fazer parte do partido.

A definição partidária de Allan deve ocorrer no mês de outubro: “Estou procurando uma sigla que me dê garantias jurídicas”, afirmou.

 

O pré-candidato a prefeito Fernando Aragão assinou sua ficha de filiação ao Partido Progressista, presidido no estado pelo deputado federal Eduardo da Fonte. Em Santa Cruz do Capibaribe o ex-vice-prefeito Dimas Dantas é quem dá as cartas no partido.

A adesão aconteceu na noite desta segunda-feira (23) na Capital Pernambucana. A tarde Fernando havia negado a possibilidade de filiação, mas acabou consagrando o ato mais tarde.

A entrada de Fernando no PP ocorre em meio a ameaça de uma candidatura do próprio sobrinho, o deputado estadual Diogo Moraes, que afirmou há poucos dias que o candidato a prefeito pela oposição no município de Santa Cruz será do PSB.

A revelia de Fernando Aragão ao partido de Paulo Câmara pode causar a reação política do palácio, mas o ato assegura a candidatura de Fernando, considerando a inconsistência do PSB pelo seu nome.

O pré-candidato a prefeito de Santa de Santa Cruz do Capibaribe, Fernando Aragão, terá um encontro com o deputado Federal Eduardo da Fonte sobre a conjuntura política para 2020. Mais cedo um signatário do Partido Progressista deu como certo, em contato com o Blog, que Fernando assinaria hoje a carta de filiação ao partido, mas a informação não foi confirmada por Fernando.

Em contato com o Blog do Ney Lima, Fernando confirmou a reunião com Da Fonte, mas ponderou: “Devo voltar a conversar com Diogo, com vereadores, suplentes e demais pessoas antes de decidir pela filiação”, firmou Fernando.

Questionado sobre o encontro que teve com o deputado Diogo Moraes (PSB) na semana passada e sobre a afirmação do deputado de que o candidato a prefeito pela oposição em Santa Cruz do Capibaribe sairia dos quadros do PSB, Fernando afirmou: “Onde está escrito (que o candidato será do PSB)? E se o pessoal me quiser? Somos Taboquinhas. Antes de partido, somos grupo! ”, afirmou.

A denúncia foi apresentada pelo vereador Carlinhos da Cohab

 

O secretário de educação de Santa Cruz do Capibaribe, Joselito Pedro (PSDB), que é pré-candidato a prefeito pelo grupo situacionista é alvo de uma investigação aberta pelo Ministério Público publicada no Diário Oficial.

O inquérito apura suposta promoção pessoal em evento realizado com recursos púbicos, o que pode caracterizar ato de improbidade administrativa, segundo o MP.

A denúncia foi apresentada ao Ministério Público pelo vereador Carlinhos da Cohab que apresentou imagens de copos com a foto de Joselito e a frase “nada vence o trabalho”. Eles teriam sido distribuídos no São João da Educação.

A portaria publicada no Diário Oficial não revela em quanto tempo o inquérito deverá ser concluído.

 

 

O vereador Júnior Gomes confirmou ao Blog do Ney Lima que não tentará renovar o mandato na eleição de 2020. A decisão já estava sendo afirmada nos bastidores. O principal motivo seria familiar, embora no início de sua trajetória política Júnior já teria afirmado que disputaria o máximo de três mandatos de vereador, número alcançado neste mandato.

Ao Blog, Júnior afirmou ainda que não medirá esforços para atuar em prol do deputado Diogo Moraes durante as eleições, mesmo não sendo candidato a vereador.

Nomes como Beto Nunes e o irmão de Júnior Gomes, Diego Gomes, podem ser alçados para a disputa em continuidade ao projeto político de Júnior, mas nenhuma das opções está decidida. Beto Nunes afirmou ao Blog que só aceitaram a disputa caso fosse “um chamado de Diogo Moraes”.

 

 

 

O Vereador Joab Gomes poderá ser suspendo por 30 dias na Câmara de Vereadores de Santa Cruz do Capibaribe. A informação foi obtida pelo Blog do Ney Lima.

O assunto está sendo analisado pela Mesa Diretora da Câmara, que consulta o regimento interno para obtenção dos procedimentos que deverão ser adotado. Caso seja realmente suspenso o parlamentar poderá ficar sem a remuneração do mês.

O motivo é o comportamento do parlamentar, especialmente nos dias de sessão plenária. Após a última reunião, na tarde desta terça-feira (17), Joab teria proferido palavras de baixo calão em direção ao presidente da Câmara Augusto Maia.

 

 

Os “prefeituráveis” Fernando Aragão e Diogo Moraes, ambos do grupo de oposição em Santa Cruz do Capibaribe, estão com um encontro marcado para o final da tarde desta quarta-feira (18). A informação foi obtida com exclusividade pelo Blog do Ney Lima.

 

A conversa pautada nas eleições de 2020 ocorrerá no Recife e servirá para tentar ajustar os propósitos do grupo para o pleito.

 

“O candidato será do PSB”, afirma Diogo

 

O Blog do Ney Lima entrou em contato por telefone com o deputado Diogo Moraes antes da reunião que terá com Fernando Aragão. O deputado afirmou que será uma “conversa de arrumação” e sustentou que o candidato a prefeito em Santa Cruz do Capibaribe pela oposição será do PSB.

 

Questionado sobre as especulações de uma possível filiação de Fernando Aragão ao Partido Progressista (PP), Diogo afirmou que “Se isso correr, vai se filiar sem chapa de vereador”.

Sobre assumir uma pré-candidatura a prefeito, Diogo sustentou que seu nome está sim a disposição, como tantos outros disponíveis e citou vários nomes.

 

“Cada um tem suas características. Partido só vai ter um. Quem souber aglutinar mais e tiver o convencimento da população será o escolhido”, afirmou.

 

Diogo sustentou ainda que o grupo de oposição estará unido para acompanhar o desenvolvimento de uma série de ações voltadas para o município nos próximos meses.

O Blog tentou contato com o pré-candidato a prefeito Fernando Aragão, mas não obteve êxito.

 

 

 

O juiz Moacir Ribeiro da Silva Júnior determinou, na última sexta-feira (13), a suspensão imediata da verba indenizatória do presidente da Câmara de Vereadores de Santa Cruz do Capibaribe, Augusto Maia (AVANTE).

O pagamento é previsto na Lei Municipal nº 2.563/2016 e equivale a 70% do valor do salário de um vereador. Ocorre que a lei que regulamentou o pagamento foi aprovada após o prazo previsto pela Lei de Responsabilidade Fiscal, que deveria ser 180 dias antes da legislatura seguinte.

Atualmente o valor indenizatório que, até então, o presidente da Câmara recebia é de R$ 4.200,00 por mês.

A sentença do juiz Moacir é resultado de mais uma ação do advogado André Tadeu, que provocou a redução dos salários de prefeitos, vice-prefeitos, secretários municipais e vereadores de várias cidades, inclusive da própria Santa Cruz do Capibaribe.

No mesmo processo, André Tadeu pedia que uma verba para pagamento de combustíveis no valor de R$ 1mil para cada vereador fosse também suspensa, mas o juiz não acatou esse pedido, entendendo não haver ilegalidade nos pagamentos.

 

A Câmara de Vereadores de Santa Cruz do Capibaribe ainda não foi comunicada sobre a decisão. Caso a decisão da justiça não seja cumprida, o presidente da Câmara sofrerá uma multa de R$ 100 mil, além de sansões por atos de improbidade administrativa.

 

A Câmara ainda pode recorrer da decisão, embora o Tribunal de Justiça de Pernambuco já tenha pacificado o entendimento quanto a condenações por leis editadas fora do prazo permitido.

 

 

 

A equipe de criativos da Avant Digital participou, entre os dias 11 e 14 deste mês, do Fire Festival, sediado em Belo Horizonte (MG). O evento é considerado um dos mais importantes do pais voltado para o mercado digital.

 

Durante os três dias de imersão no universo digital, os participantes acompanham palestras com autoridades digitais nacionais e internacionais, painéis, debates, além de um grande polo para o networking.

 

Representantes de grandes marcas digitas, como twitter, linkedin e duolingo; produtores de conteúdo, como o youtuber Whindersson Nunes, o cineasta e produtor Kondizilla, e o cartunista Mauricio de Souza; e empresas como Magazine Luíza, Faber Castel e a agência DPZ&T passaram pelos palcos do Fire.

 

 

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

É o segundo processo em menos de uma semana

O prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, Edson Vieira (PSDB), terá que responder a um processo por atos de improbidade administrativa. Nesta terça-feira (10), o promotor de justiça Jefson Romaniuc, ajuizou uma ação onde acusa o prefeito de ter “dolosamente” excedido os gastos com a folha de pagamento.

A ação tem como base um relatório do Tribunal de Contas de Pernambuco que apresentou um relatório em que a Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe, em sucessivos quadrimestres, extrapolou os limites de gastos com pessoal além do que prevê a Lei de Responsabilidade Fiscal.

O relatório coleciona dados apuados entre os anos de 2013 e 2019. O promotor sustenta que o prefeito “não adotou nenhuma medida administrativa para eliminar o excesso de gastos com pessoal”.

O prefeito Edson Vieira ainda não foi comunicado oficialmente sobre a ação. O juiz irá analisar o conteúdo do processo.

“Edson Vieira utilizou-se de bem com destinação pública para fins particulares, enriquecendo-se, consequentemente, às custas da sociedade Santa-Cruzense” conclui promotor após dois anos de investigação

 

 

EXCLUSIVO

O Ministério Público de Pernambuco, através do promotor Jefson Romaniuc, apresentou uma nova denúncia contra o prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, Edson Vieira (PSDB). A ação aponta para o cometimento de atos de improbidade administrativa e é resultado de uma investigação que durou dois anos e revelou o suposto uso indevido de carros pipas para abastecer a residência do prefeito, familiares e amigos, segundo o MPPE.

O assunto veio à tona em novembro de 2016 quando o vereador Ernesto Maia (PT) apresentou, na tribuna na Câmara, fotos que evidenciariam os abastecimentos. Em dezembro do mesmo ano o Blog do Ney Lima publicou com exclusividade uma entrevista com Orlando Pedro, motorista do caminhão pipa que detalhou que o servidor público Teotónio Sobrinho indicava residências particulares para serem abastecidas, entre elas a do próprio prefeito Edson Vieira, dos pais dele e dos secretários Francisquinho e Roberto Soares. Já as investigações do Ministério Público tiveram início em agosto de 2017.

O que apurou o MPPE?

 

 

O Ministério Público ouviu o motorista do caminhão que detalhou no depoimento “com riquezas de detalhes” como se dava o fornecimento ilegal na residência do prefeito. Segundo o motorista, “o abastecimento de água na casa do Prefeito foi realizado por ele aproximadamente pelo período de três anos. Além disso, especificou que referido abastecimento ocorria tanto na casa do gestor como na de seu pai e amigos. Informou ainda que esses abastecimentos ocorriam cerca de uma vez por semana, havendo períodos em que o era realizado duas vezes por semana”, conforme trecho da denúncia.

 

Já os depoimentos apresentados pelo proprietário do caminhão, que é irmão do motorista e pelo servidor público José Teotônio Sobrinho, que também foi ouvido, indicaram que após os caminhões abastecerem nos prédios públicos eles ficavam liberados para se dirigirem à casa dos clientes interessados. O Ministério Público encontrou contradição desses depoimentos considerando que os abastecimentos que foram filmados na casa do prefeito ocorreram nas primeiras horas do dia.

 

“Ora, se o abastecimento inicialmente realizado pelos pipeiros era com água fornecida pela COMPESA e para abastecimento em órgãos públicos, o flagra realizado na filmagem leva à conclusão lógica de que aquela água que abastecia a propriedade privada do gestor era, em verdade, destinada para prédios públicos! ”, diz o MPPE.

 

Relatórios da Compesa apontam que residência do prefeito chegou a ser abastecida até três vezes no mesmo mês. Conta não passava de R$ 43,00.

 

Durante as investigações o Ministério Público ouviu o gerente de Compesa que afirmou que a casa do prefeito Edson Vieira tinha direito a receber água de um caminhão pipa por mês, com 10 mil litros. Mas os relatórios enviados pelo órgão revelam que os abastecimentos na casa do prefeito ocorriam com intervalos irregulares, muitas vezes por meses sem abastecimento. No entanto, no mês de dezembro de 2017, após as denúncias se tornarem públicas, a residência foi abastecida três vezes.

 

“Impressiona, também, a rapidez no atendimento pela Compesa, que muitas vezes forneceu o caminhão-pipa no mesmo dia da sua solicitação pelo gestor. Será que todo consumidor de água neste Município de Santa Cruz do Capibaribe tem sua solicitação tão prontamente atendidas? É abastecido de forma tão célere quanto o réu?

 

Por fim, percebe-se uma dissonância entre o consumo atestado pela própria Companhia Pernambucana de Saneamento, através do fornecimento de carros pipa e as faturas das contas de água do ano de 2016 do atual Prefeito, também colacionadas aos autos por esse órgão. ” Diz o promotor na denúncia.

MPPE pede a suspensão dos direitos políticos e devolução de recursos

 

Na ação apresentada nesta sexta-feira (06), o Ministério Público pede que o prefeito Edson Vieira seja condenado por atos de improbidade administrativa com a perca dos direitos políticos e ressarcimentos aos cofres públicos.

O prefeito Edson Vieira ainda não foi oficializado sobre a ação. Em dezembro de 2016, após reportagem publicada neste blog o prefeito enviou nota considerando que o motorista do caminhão pipa trazia “informações mentirosas”.

RELEMBRE

Confira a entrevista na íntegra veiculada pelo Blog do Ney Lima em 01 de dezembro de 2016:

 

 

 

NOTA ENVIADA PELO PREFEITO EDSON VIEIRA À ÉPOCA

 

“Venho através desta nota informar acerca deste fato que me causa muita estranheza. Um senhor que traz informações mentirosas, querendo colocar meu nome em polêmicas. Este senhor deixou de prestar serviços para a prefeitura municipal desde fevereiro deste ano, e essa questão deixa muitas dúvidas no ar. Um assunto que foi posto pelo denuncismo sem provas da oposição e já foi completamente esclarecido na última semana, e voltou à tona logo após o anúncio pelo Poder Judiciário da condenação à prisão de José Augusto Maia.

É no mínimo também muita coincidência que este depoimento, sem base alguma, saia logo após a divulgação de um plano de ação de enfrentamento da criminalidade que foi muito bem recebido pela população.

Outro ponto que merece ser destacado é que todo abastecimento da minha residência foi feito dentro da legalidade, ao contrário daqueles que me denunciam que não tem moral nem credibilidade alguma para fazer denúncias, agem com essa politicagem de baixo nível, de forma irresponsável e leviana.

Por isso, desafio a quem quer que seja a comprovar que agi de forma não condizente com a legalidade. O povo conhece minha trajetória e conhece a minha família, que vem sofrendo ataques constantes da oposição. Enquanto isso, a população reconhece de longe o perfil daqueles que tentam me atingir. Eles que são capazes de difamar, injuriar e caluniar qualquer cidadão sem provas, mas desde já informo que também estarei tomando providências judiciais, pois a mentira se combate com a verdade.”

 

Edson Vieira – Prefeito de Santa Cruz do Capibaribe

 

A parlamentar argumenta que a distribuição já foi objeto de outra CPI e que o assunto foge da pauta do atual inquérito

A CPI do Calçadão é alvo de uma nova ação judicial, desta vez de autoria da vereadora governista Jessyca Cavalcanti. A parlamentar pede a suspensão de todos os atos que estejam em desacordo com o objeto da CPI, que deveria servir para apurar possíveis atos de má administração e aplicação de recursos na construção.

O entendimento da vereadora Jéssyca é que a distribuição dos boxs e lojas já foi objeto de uma outra CPI, que concluiu que “não havia nada que maculasse o procedimento adotado pelo Governo Municipal”, segundo a parlamentar.

“A presidência passou a se afastar totalmente do objeto da CPI do Calçadão, importando apenas em tentar criar fatos políticos a fim de se beneficiar ao pleito que se avizinha”, argumenta a vereadora na ação.

O juiz ainda não decidiu se concederá ou não a liminar suspendendo parte dos atos da CPI.

A relação contendo os dados de beneficiados com a concessão de boxs, lojas e lanchonetes no Calçadão de Feiras já foi pedido pela CPI através de decisão judicial. Na última quinta-feira (29) uma ação de busca e apreensão recolheu documentos na Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe. Vereadores oposicionistas argumentam que até mesmo com a determinação judicial os dados foram entregues incompletos. Afirmam ainda que a Comissão Parlamentar implantada em 2016 para investigar as concessões nunca teve o seu relatório final divulgado.

10 mil vacinas foram liberadas pelo Governo do Estado para o Município já na manhã desta terça-feira

 

 

 

 

 

O prefeito de Taquaritinga do Norte, Ivanildo Lero, está indo neste momento (15h54m) ao encontro do Governador Paulo Câmara, no Recife. A reunião de emergência ocorre para discutir os efeitos do possível foco de sarampo ocorrido durante o Festival Cultural, que foi realizado entre os dias 11 e 14 de julho.

A reunião será acompanhada pelo secretário de saúde do estado, André Longo e pela secretária de saúde do município, Poliana Santos. O vereador Geovane também faz parte da comitiva.

Em contato com o editor deste Blog, Lero afirmou que solicitou a reunião de emergência com o governador para discutir a crise. De acordo com o prefeito, o Município solicitou 28 mil vacinas contra o sarampo. O Governo do Estado anunciou hoje pela manhã a liberação de 10 mil, segundo o prefeito.

O município de Taquaritinga que soma cinco dos 13 casos já confirmados; criança de 7 meses foi primeira morte pela doença confirmada no estado. Existem dois outros casos em cidade vizinhas — Frei Miguelinho e Santa Cruz do Capibaribe — que também podem ter relação com o evento. A “cadeia de casualidades” está sendo acompanhada pela Secretaria de Saúdo do Estado.

Evento foi realizado em Taquaritinga do Norte, município que soma cinco dos 13 casos já confirmados; criança de 7 meses foi primeira morte pela doença confirmada no estado

.

 

Da Revista Época

 

A progressão do surto de sarampo no estado do Pernambuco pode estar associada a um evento realizado no município de Taquaritinga do Norte, o Festival Café Cultural, apontado como um foco que disseminou a doença.

Esta é a suspeita das autoridades de saúde, que confirmaram nesta segunda (17) a primeira morte causada pela doença, de um bebê de sete meses, que veio a óbito no dia 17 de agosto. Já são 13 casos confirmados no Estado, sendo que cinco pacientes residem em Taquaritinga, incluindo a família do bebê que morreu.

“Uma irmã da criança que morreu de sarampo também esteve no festival. Já confirmamos esta informação. Ela também apresentou sintomas da doença, já fizemos a coleta, mas ainda não temos a confirmação do resultado”, disse Luciana Albuquerque, secretária executiva de Vigilância e Saúde do Estado de Pernambuco. “Todos os cinco casos de Taquaritinga têm alguma conexão com o Festival Café Cultural. Mas tudo isso está sendo investigado para confirmar esta relação”.

Segundo a representante da Secretaria de Saúde de Pernambuco, uma equipe de campo, formada por técnicos do Ministério da Saúde e da Vigilância em Saúde do Estado, está em Taquaritinga para investigar todos os casos e estabelecer esta “cadeia de causalidades”.

O Festival Café Cultural foi realizado entre os dias 11 e 14 de julho. Além dos cinco casos registrados em Taquaritinga, existem dois outros casos em cidade vizinhas — Frei Miguelinho e Santa Cruz do Capibaribe — que também podem ter relação com o evento.

A Secretaria de Saúde do Estado já havia identificado um outro foco, relacionado a um grupo de quatro estudantes de Pernambuco que acabou contaminado pela doença em uma viagem a Porto Seguro, na Bahia. “Eles tiveram contato com um turista de São Paulo que estava com sarampo. Esta foi a primeira cadeia de transmissão que identificamos”, acrescentou Luciana Albuquerque.

Em nota, a Secretaria de Saúde do Estado de Pernambuco afirmou que o Estado tem estoques da vacina tríplice viral, que, além do sarampo, protege contra rubéola e caxumba e é uma das maneiras mais eficazes de evitar a doença.

“Os municípios têm relatado aumento na procura da vacina tríplice viral, principalmente pelo público adulto. Contudo, não podemos esquecer a importância de vacinar crianças , população com mais risco de agravamento do quadro. Elas precisam ter duas doses da vacina para estar devidamente protegidas. Além disso, os meninos e meninas entre 6 meses e 11 meses também devem tomar a dose zero, que foi instituída no Brasil desde o mês de agosto”, afirmou o secretário estadual de Saúde, André Longo, que destacou ainda o empenho do governo em investigar outros casos suspeitos.

 

Os vereadores de Taquaritinga do Norte continuaram com os salários reduzidos de R$ 7,5 mil para R$ 4,5 mil. Foi o que decidiu o desembargador Evio Marques da Silva da Segunda Turma do Tribunal de Justiça de Pernambuco ao negar um recurso apresentado pela Câmara de Vereadores do município.

A decisão alcança também o salário do prefeito que caiu de R$ 20 mil para R$ 10 mil. O salário do vice-prefeito que passou de R$ 10 mil para R$ 5 mil e os salários dos secretários municipais que caíram de R$ 6,5 mil para R$ 2,5 mil. O prefeito Ivanildo Lero optou por não apresentar recurso.

A decisão atende a uma ação popular movida pelo advogado André Tadeu, devido a aprovação de leis municipais fora do período permitido pela Lei de Responsabilidade Fiscal. A Câmara de Vereadores ainda pode apresentar novos recursos, mas a decisão tem sido pacificada no TJPE em relação a outras cidades.

Documentos foram solicitados por CPI e se referem a listagem detalhada de beneficiados no Calçadão de Feira

O juiz Moacir Ribeiro da Silva Júnior determinou, nesta quinta-feira (29), que seja realizada uma ação de busca e apreensão na Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe. O objetivo é obter, através de um oficial de justiça, a identificação de pessoas que foram beneficiadas com as concessões de boxs, restaurantes e lanchonetes no Calçadão de Feiras Miguel Arraes de Alencar.

A obra foi construída em recursos do Governo do Estado em parceria com o Município e é alvo de uma CPI na Câmara de Vereadores, o que originalizou o pedido da justiça.

A Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe já havia entregue uma lista nominal, mas as informações são insuficientes, conforme argumenta o presidente da CPI, vereador Marlos da Cohab.

Na decisão o juiz cita que “o requerido (a Prefeitura) deveria apresentar uma listagem nominal, acompanhada da identificação dos concessionários, das lojas, box, restaurantes e lanchonetes do calçadão.

Policiais do 24º Batalhão da Polícia Militar de Pernambuco prenderam na madrugada deste domingo (25), Claudiano Silva Santos, mais conhecido por “Cacau” (23 anos), acusado de ser o executor do radialista Claudemir Nunes. O crime ocorreu em 21 de março deste ano.

Policiais receberam informações que o acusado estaria em um bar localizado às margens da BR-104. Ao chegar no local, Claudiano tentou fugir pulando o muro do estabelecimento, mas foi impedido pelo efetivo policial que fez o cerco e foi necessário também efetuar alguns disparos de arma de fogo para evitar a fuga do elemento.

Após ser capturado, ele foi conduzido para a delegacia de Santa Cruz do Capibaribe, onde foram feitos os procedimentos necessários e em seguida encaminhado ao presídio local. Claudiano estava foragido e teve seu nome divulgado pela Polícia Civil no último mês de abril, quando houve a prisão de Jeová Fortunato Gomes, apontado como mandante do crime.

Durante entrevista ao Santa Cruz Online, ele afirma que após descobrir que estava sendo procurado, preferiu fugir para o estado de Sergipe, onde permaneceu por alguns meses. Na entrevista, ele relata que acredita que o seu irmão foi quem o denunciou.

Confira a coletiva completa:

Ex-prefeito Toinho, Dr. Nanau e o ex-secretário de saúde David Muniz são alvos no processo

 

 

 

 

O atual vereador e ex-prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, Toinho do Pará (PSB), o atual secretário de saúde Dr. Nanau (PSDB), e o ex-secretário de saúde David Muniz são alvos de uma ação do Ministério Público de Pernambuco que apurou suposto superfaturamento no aluguel do Hospital Materno Infantil. A ação é fruto de uma denúncia apresentada há alguns anos pelo vereador Júnior Gomes (PSB).

O Ministério Público concluiu que os contratos celebrados pela Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe a partir do ano de 2009 estavam superfaturados em R$ 370.737,87, valor obtido a partir de laudo pericial que atestou o dano ao erário público, segundo o MP.

O Ministério Público também relaciona o fato de Dr. Nanau, que é sócio administrador do empreendimento, ter sido vereador a época dos fatos, mas considera que supostos atos de improbidade administrativa estariam prescritos.

Um aspecto que pode ter caracterizado ainda mais o excesso de gastos na época do Governo Toinho do Pará é que a locação do hospital diminuiu no governo seguinte. Os valores caíram de R$ 30 mil (Governo Toinho) para R$ 18 mil (Governo Edson). A denúncia o Ministério Público afirma que “ao longo dos anos, esse valor (do aluguel) diminuiu significativamente, conforme demonstrado em perícia”.

Os acusados ainda não foram notificados sobre a ação.

 

O que diz Dr. Nanau:

 

O Blog do Ney Lima conversou por telefone com o Dr. Nanau que explicou que o valor do aluguel pelo Hospital Materno Infantil diminuiu ao longo dos anos porque os objetos e patrimônios locados também diminuíram.

Nanau detalhou que durante o Governo Toinho do Pará o aluguel incluía um aparelho de Raios-X, um laboratório e uma ambulância que foram retirados do contrato no início do primeiro governo de Edson Vieira.

O Blog tentou, mas não conseguiu falar com o ex-prefeito e atual vereador Toinho do Pará. O Blog não conseguiu obter o contato do ex-secretário David Muniz.

EXCLUSIVO

 

 

 

 

 

 

O vereador Klemerson Pipoca (PSDB) está sendo denunciado pelo Ministério Público de Pernambuco em uma ação que apura supostos atos de improbidade administrativa. A ação foi protocolada nesta quinta-feira (01). Caso seja condenado, Pipoca poderá perder o mandato de vereador e ter os direitos políticos cassados.

 

Pipoca usava assessora parlamentar fantasma e ficava com parte do salário, diz MPPE

 

As investigações do Ministério Publico tiveram início em 08 de novembro de 2016, quando uma denúncia foi levada a conhecimento da ouvidoria do órgão. A alegação é de que o vereador de Santa Cruz do Capibaribe, Klemerson Pipoca, estaria cometendo uma suposta apropriação ilegal de grande parte do salário da assessora parlamentar Inácia Mayne Alves da Silva.

 

“Conforme foi denunciado, a Sra. INÁCIA fora nomeada em abril de 2016 para ser assessora do parlamentar supracitado, e, em razão de seu cargo, deveria receber o quantitativo de pouco mais de R$ 1.200,00 (mil e duzentos reais) mensais, a título de remuneração.

Ocorre que, por meio de acordo prévio com o vereador, a referida servidora deveria repassar uma parte de seu salário, a depender do horário que permanecesse trabalhando. Se a referida servidora optasse por dar expediente diário de 8h até as 13h, receberia apenas R$ 500,00 por mês de salário, repassando o restante ao parlamentar. Por sua vez, caso escolhesse não dar o expediente diário, poderia a Sra. INÁCIA simplesmente receber R$ 200,00 para bater o ponto apenas uma vez no mês, ocasião em que ela receberia o cheque do salário de assessora, tiraria sua parte e repassaria o restante para as mãos do parlamentar. Todo esquema fraudulento fora denunciado por meio do sistema da Ouvidoria do MPPE em 08.11.2016”, diz o trecho da denúncia.

 

 

Gravação que pode comprovar o suposto esquema foi levada a tribuna da Câmara pelo vereador Ernesto Maia em 2016

 

 

 

 

 

 

 

Cinco dias antes da denúncia envolvendo o vereador Pipoca ser apresentada a ouvidoria do MP, o vereador Ernesto Maia (PT) já havia revelado a existência de uma gravação onde a servidora Inácia Mayne admitia repassar devolver a maior parte do seu salário ao vereador Pipoca e revelou que não dava expediente na Câmara.

 

De acordo com as investigações do Ministério Público, as gravações foram repassadas ao vereador Ernesto Maia pelo ex-vereador Rui Medeiros e foram produzidas por uma agente de saúde que reside vizinho a suposta servidora Inácia Mayne, em São Domingos, distrito de Brejo da Madre de Deus. Rui Medeiros é apontado como testemunha na ação do Ministério Público.

A gravação em que o suposto esquema foi revelado foi publicada na mesma semana pelo Blog do Ney Lima.

Confira:

 

 

 

Degravação utilizando-se o termo MNI (Mulher Não Identificada)

 

 

M.N.I.: Foi quem que fez acordo?

Inácia: Marinaldo.

M.N.I.: Mas quem foi que te chamou lá pra conversar, foi Pipoca ou Marinaldo?

Inácia: Pipoca.

M.N.I.: Em?!

Inácia: Pipoca.

M.N.I.: E porque tu não pediu mais dinheiro a ele?

Inácia: Porque se ele fosse me pagar a mais, [fala inaudível] R$ 500 (quinhentos) por mês, eu ia ter que ir pra lá ficar até 01 (uma) hora da tarde. Num tem? O cara pegar de 08 (oito) até 01 (uma), ai não dá pra mim ganhar só R$ 500 (quinhentos), tá entendendo?

M.N.I.: Mas ele chamou tu pra ficar no lugar de Marinaldo, Marivaldo?

Inácia: Foi… Enquanto… É… Até, até novembro.

M.N.I.: Ai tu só assina?

Inácia: É… Porque se for pra eu ficar lá, tinha que ficar até 01 (uma) hora da tarde pra ganhar R$ 500 (quinhentos), ai não dá pra mim, né? Pra eu ficar de 08 (oito) até 01 (uma), ai chegar em casa, fazer comida, limpar a casa, ai vai adiantar de quê? Não vai dá tempo de eu costurar nada! E eu pelo menos, só ganhando R$ 200 (duzentos), eu vou lá, assino o cheque e vou no banco e tiro o dinheiro.

M.N.I.: E entrega?

Inácia: É, a ele.

M.N.I.: E quando tu chega lá na fila, Marivaldo já tá, é?

Inácia: Quem? Não… É que eu pego a ficha e vou lá no banco, ai entrega a coisa, a Pipoca o dinheiro. Porque se fosse pra eu… eu ganhar, ele me pagava um salário, só que eu tinha que ficar até… pra mim pagar R$ 400 (quatrocentos) e pouco como voluntária, tá entendendo? Pra eu ficar na Câmara até 01 (uma) hora, igual mãe.

M.N.I.: Mas não ganhou nem 01 (um) salário…

Inácia: E ele mesmo já disse que já era pra ter aumento pra o povo da Câmara já ter aumentado o dinheiro de mãe, e mãe faz muita coisa lá. Aí tão ajeitando pra aumentar o ganho dela.

M.N.I.: Pipoca é sabido! Ele tá… aí ele bota…

Inácia: Aí pronto. Aí ele disse que quando fosse em janeiro, me dava um emprego se Edson Vieira ganhando. Ele disse:” Edson Vieira vai ganhar, aí seu emprego é garantido, mas por enquanto eu não posso pagar um salário.” Aí eu vou esperar, né? Se sair um emprego é bom.

M.N.I.: Agora, será que tu tá como secretária dele? Como é?!

Inácia: É! Tipo, secretária. Aí eu só vou lá de vem em quando pra “tapear”, porque ele não “vévi” lá, ele vai 01 (uma) vez na semana lá, aí eu vou lá, só “tapeio” , e vou embora… Aí o povo, né? Sabe que ele não “vévi” lá.

 

 

 

“O áudio demonstra de maneira clara o esquema montado pelo parlamentar em conluio com a servidora: acordou-se que a Sra. INÁCIA não precisaria ir à Câmara dos Vereadores, limitando-se a receber o salário por meio de CHEQUE, SACANDO no banco toda remuneração, recolhendo a importância de R$ 200,00 e repassando imediatamente todo restante ao parlamentar.”, diz parta da denúncia do MPPE

 

 

 

O Ministério Público afirma que os detalhes demonstrados na gravação se confirmaram ao longo das investigações, que duraram quase três anos. Entre os pontos estão a existência do assessor Marivaldo Andrade e o detalhe de que a mãe Inácia Mayne trabalhava efetivamente na Câmara.

 

 

Depoimentos de servidoras confirmaram que assessora nomeada por Pipoca não frequentava a Câmara

 

 

Durante as investigações, o Ministério Público colheu o depoimento de duas servidoras frequentes na Câmara de Vereadores de Santa Cruz. Uma ocupava a função de recepcionista na época dos fatos e a outra era servidora do protocolo da Câmara.

 

Nos depoimentos, o promotor de justiça mostrou uma foto de Inácia Mayne Alves da Silva, assessora do vereador Pipoca. As duas servidoras disseram que não se recordavam de já terem visto a Inácia Mayne na Câmara de Vereadores.

 

 

Pedido de perda do mandato e dos direitos políticos

 

 

No processo apresentado nesta quinta-feira (01), o Ministério Público pede a condenação do vereador Klemerson Pipoca por improbidade administrativa e em consequência, a perda do mandato de vereador e a suspensão dos direitos políticos, além de ressarcimento aos cofres públicos.

 

O juiz ainda não analisou o processo. O vereador Klémerson Pipoca ainda não foi notificado.

 

 

 

A justiça condenou o ex-prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, José Augusto Maia (Avante), por atos de improbidade administrativa. A decisão foi confirmada nesta quarta-feira (31) pelo juiz Moacir Ribeiro Da Silva Júnior.

Os fatos narrados no processo dizem respeito principalmente ao fracionamento indevido de despesas sem processo licitatório durante o exercício de 2007, quando ele era prefeito. No mesmo ano, José Augusto teria realizado ainda várias despesas através de tomada de preço, quando deveria ter procedido com a modalidade de concorrência pública.

Na decisão desta quarta-feira (31), o juiz determinou a “perda dos direitos políticos por três anos contados do trânsito em julgado”, multa correspondente a 10 vezes o valor da remuneração percebida por José Augusto à época da prática da conduta de improbidade (ano de 2007) e proibição de contratações ou de receber benefícios do poder público.

O ex-prefeito e ex-deputado José Augusto Maia ainda poderá recorrer da decisão.

 

 

 

O advogado André Tadeu conseguiu emplacar mais uma decisão judicial para diminuir salários de políticos dos poderes Executivo e Legislativo em mais uma cidade. Desta vez o município de Vertentes terá os salários dos vereadores reduzidos dos atuais R$ 7.500,00 para R$ 6.000,00. A verba indenizatória do presidente da Câmara, que atualmente é de R$ 7.500,00, foi totalmente suspensa.

 

A redução é feito de uma série de ações populares em vários municípios motivadas pelas falhas das câmaras legislativas que editaram a leis de ajuste dos salários do Executivo e Legislativo fora do prazo permitido pela Lei de Responsabilidade Fiscal.

 

A questão foi pacificada no entendimento dos desembargadores do Tribunal de Justiça de Pernambuco e vem causado a redução nos salários de políticos de várias cidades.

 

Em Vertentes a decisão do juiz Solon Otávio de França suspende os efeitos financeiros das leis municipais 836/2016, 837/2016 e 838/2019, ficando os salários conforme os valores previstos em uma lei municipal editada em 2012.

 

 

 

Salários do prefeito, vice-prefeito e secretários também sofrerão redução

 

 

Os salários do prefeito, do vice-prefeito e dos secretários municipais também sofrerão redução. O prefeito Romero Leal atualmente recebe R$ 15.000,00 de salário. O vice José Helder recebe R$ 7.800,00 e os secretários municipais têm salários de R$ 5.200,00.

Os valores deverão ser reduzidos para R$ 12 mil (prefeito), R$ 6 mil (vice-prefeito) e R$ 4 mil (secretários), mas as reduções no Poder Executivo só serão confirmadas após a Câmara de Vereadores informar em juízo se esses valores estão previstos na lei editada em 2012. A informação deverá ser prestada 24 horas após o recebimento da notificação judicial.

 

 

 

O ex-prefeito de Brejo da Madre de Deus, Edson Souza, é alvo de uma ação com a acusação de atos de improbidade administrativa e poderá ter os bens bloqueados pela Justiça. O processo com pedido de liminar foi apresentado nesta semana.

O Ministério Público de Pernambuco, autor da ação, aponta em 2015 o na época prefeito deixou de repassar mais de quase R$ 1 milhão em recolhimentos previdenciários, tanto em partes patronais quanto em recolhimento descontados dos servidores municipais.

No pedido de liminar, o Ministério Público pede a indisponibilidade de bens de Dr. Edson como medida cautelar, até que o processo seja julgado. A justiça de Brejo da Madre de Deus ainda não analisou o pedido.

O Blog do Ney Lima entrou em contato por telefone com o ex-prefeito Dr. Edson, que atualmente é secretário de saúde do município. Ele informou que ainda não foi notificado sobre a ação e deverá se pronunciar em breve.

Vereador Júnior Gomes vem sendo acusado de atuar para “travar” o governo

 

 

 

O secretário de saúde de Santa Cruz do Capibaribe, Dr. Nanau, alertou durante o programa político A Hora do Povo, neste sábado (14), que os serviços da pasta poderão ser paralisados a partir desta segunda-feira (15), caso a Câmara de Vereadores não aprove um projeto de suplementação orçamentária apresentado pelo poder executivo desde o dia 12 de junho, que deveria tramitar em regime de urgência.

O secretário afirma que aponta que existem recursos disponíveis no governo para suprir gastos com a compra de insumos e medicamentos, peças e oficinas para o concerto de ambulâncias, entre outras despesas que seriam essenciais para o funcionamento de toda a rede municipal de saúde, mas os recursos precisam ser realocados de outras áreas. A suplementação só pode ser feita pela Prefeitura com autorização da Câmara. O projeto passou por duas comissões e será analisado pelo Plenário na próxima segunda-feira (15).

Nanau alertou que poderá ingressar na justiça, caso o projeto sofra pedido de vistas ou venha a ser reprovado pelos vereadores, considerando “o risco de percas de vidas”, segundo o secretário.

Vereadora Jéssyca pedirá na justiça destituição de Júnior Gomes de comissão da Câmara

 

Foto: ASCOM CÂMARA

 

Em meio a conturbada tramitação do projeto de suplementação, a vereadora governista Jéssyca Cavalcanti vem acusando o vereador Júnior Gomes de tentar “travar” o governo.

O motivo seria movimentos como os que houveram na última quinta-feira (11), quando servidores da saúde foram convidados para participar da reunião da comissão de finanças e orçamento, presidida por Júnior.

A participação dos servidores estava relacionada a assuntos que não estavam na pauta, o que fez com que o secretário Dr. Nanau e a vereadora Jéssyca se retiraram da reunião.

Outro ponto exemplificado pela vereadora foi que Júnior Gomes conduziu uma reunião da mesma comissão na sexta-feira (12) sem a sua convocação por escrito, o que segundo Jéssyca, estaria previsto no regimento da Câmara.

O Blog tentou contato com o vereador Júnior Gomes para comentar o assunto na manhã deste domingo (14), mas não conseguiu.

 

 

Ficou estranho perceber que o prefeito de Coltina (ES), Sérgio Meneguelli (sem partido), não sabia que o seu “anfitrião” em Santa Cruz do Capibaribe, o empresário Allan Carneiro, é pré-candidato a prefeito na cidade. A descoberta ocorreu por meio de comentários dos debatedores do Programa Rádio Debate, durante o intervalo de sua participação na Rádio Polo FM, nesta quinta-feira (11). Sérgio demostrou surpresa com a informação. O pré-candidato Allan comentou nos bastidores que não estava acompanhando o prefeito Sérgio em Santa Cruz pelo fato de ser pré-candidato.

Após o intervalo, já no ar, Sérgio comentou a revelação que ficou sabendo pelos participantes do programa e disse que não pediria votos para Alan em Santa Cruz porque não o conhece e nem vota na cidade, mas completou: “Que bom, um cara com 32 anos bem-sucedido querendo entrar. Porque cada pessoa de bem que entra na política é menos um pilantra”.

 

 

 

“O nome de consenso do grupo”. Esse pode ser o mote principal para justificar uma candidatura a prefeito de Diogo Moraes (PSB) em Santa Cruz do Capibaribe na próxima eleição, algo que até então só tem sido especulado nos bastidores políticos.

O deputado estadual Diogo Moraes tem sustentado que não tem pretensão para a disputa. No entanto, seu discurso tem se tornado mais ameno com o passar dos meses, vez por outra sinalizando estar à disposição do grupo.

Jovem, mas com ampla experiência em campanhas políticas, Diogo detém a maior musculatura para o pleito de 2020. Reúne uma bagagem de conquistas, alçadas pelo Governo do Estado, mas terá que responder igualmente pelos déficits nos serviços estaduais, que não são poucos.

Fernando Aragão

A oposição em Santa Cruz do Capibaribe saiu forte e unificada das urnas de 2016. O nome de Fernando Aragão (PTB), derrotado naquela eleição por uma margem estreita, foi prontamente alçado para 2020, mas perdeu força e apoios importantes dentro do grupo. Sua defesa entre os políticos de mandato foi resumida a um ou dois vereadores, apesar de ainda obter um importante apego popular.

Helinho Aragão

Fragilizado desde que foi surrupiado pelos próprios pares no processo de escolha da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores, Helinho Aragão (PTB) chegou a ensaiar uma saída do grupo Taboquinha, mas decidiu ficar, mantendo-se no páreo para a composição majoritária, mas o cenário que ficou torna inimaginável uma aglutinação política entono do nome de Helinho.

José Augusto Maia

O ex-prefeito e ex-deputado federal José Augusto Maia (AVANTE) é o “mandante de campo” no grupo Taboquinha. A história mostra que uma campanha eleitoral municipal, no âmbito do seu grupo, sem o seu envolvimento é fadada ao fracasso. Essa realidade parece ainda não ter mudado.

Zé está lançando seu nome para uma candidatura a prefeito, mas a hipótese é vista com dúvidas e inúmeras ressalvas até pelos seus próprios apoiadores, como aconteceu nos momentos que anteviram os processos recentes processos eleitorais. E falando em processos, sua situação legal é contestável.

O cenário

Fernando Aragão agrega um conceito de credibilidade importante para o atual momento.

Helinho Aragão detém o aspecto novo.

José Augusto Maia aglutina votos de forma incontestável.

Mas, em meio ao litígio, o recado que foi dado em afirmações ainda em 2018 poderá prevalecer em 2020, sendo Diogo Moraes o nome de consenso.

Esse é o jogo que está sendo jogado!

 

Por Ney Lima

O ex-síndico do Moda Center, Alan Carneiro, recebeu, na noite desta quinta-feira (27), o título de cidadão santa-cruzense. O projeto de resolução tem a autoria do vereador Ronaldo Pacas e contou com a aprovação de todos os pares.

Alan é natural de São Bento, na Paraíba, mas se destacou em Santa Cruz do Capibaribe no ramo da confecção, com destaque para sua passagem a frente do Moda Center Santa Cruz por quatro anos.

A solenidade de entrega no título de cidadão contou com a presença de diversos políticos, empresários e personalidades locais. O prefeito de Toritama, Edilson Tavares também compareceu ao ato.

Alan Carneiro vem se preparando para disputar o cargo de prefeito de Santa Cruz do Capibaribe nas eleições de 2020. Ao final da cerimônia, Alan concedeu entrevistas e confirmou a pré-candidatura, conforme já havia sido antecipado pelo Blog do Ney Lima.

Notícias Anteriores