02
maio

Pegou mal para os deputados


IV Bregaribe foi sucesso, mas políticos puxaram “Comício” fora de época


Do Blog Sulanca News

 

Apesar da bela festa realizada na noite de ontem e madrugada de hoje pela HB Produções, onde mais de 10 mil pessoas foram curtir uma noite de brega e seus ídolos como Fernando Mendes, José Ribeiro e Bartol Galeno, entre outros, a política comeu no centro.

 

A presença da “Senhora de Engenho” era nítida.

 

Tudo começou quando o presidente da câmara Francisco Ricardo que é parceiro do projeto foi falar. Ele chegou acompanhado do deputado estadual Diogo Moraes e do vereador Júnior Gomes. Mesmo diante do prefeito, o vereador o abraçou e disse em alto e bom som que a cidade precisava “avançar”, dando um clima político ao discurso diante do grande público e iniciando um comício fora de época.

 

Quando o presidente da Câmara falava, o deputado federal José Augusto Maia chegou ao palco e foi um verdadeiro levante do público presente. Ele foi ovacionado. A esta altura o clima era de política na festa, embora a organização do evento tivesse feito de tudo para que não houvesse política dentro da programação.

 

Ao final do discurso do deputado federal, o deputado estadual Diogo Moraes foi chamado para falar ao povo.

 

Mesmo diante do prefeito o deputado disse que a cidade precisava de “mudança”, e repetiu várias vezes, quando uma vaia começou a ser formada e gestos do povo de negação. A vaia foi crescendo ao ponto de interromper seu discurso duas vezes. Um clima que gerou muita confusão. Diretores do Moda Center que estavam no palco e que não tinham nada a ver com o acontecimento, se retiraram.

 

Último a discursar, o prefeito Toinho do Pará, desabafou dizendo que o Bregaribe não era um palanque político, e mandou um recado direto ao deputado Diogo Moraes: “Isto aqui não é um palanque, política a gente discute daqui a quatro meses, vamos ver Diogo… quem é bom, aí sim…”.

 

Em seguida o apresentador do evento, Hamilton França, lembrou ao público que os três deputados da cidade (Edson Vieira, Diogo Moraes e José Augusto Maia), deveriam ir atrás de recursos para o evento.

 

Depois o Bregaribe seguiu com muito brega para alegria do povão que lotou o pátio de eventos.

10 Comentários

  1. Janielson !J'son) disse:

    Eles Não Aprendem Mesmo… Diguinos de Vaias, Todos os 3.

  2. Jairo disse:

    Sou a favor do teste de bafômetro antes dos discursos políticos. Deu a impressão que Francisquinho e Diogo estavam com o grau etílico elevado.
    Tirando isso o Bregaribe foi muito bom.

  3. Jânio disse:

    que alguns políticos podem ter sido infelizes em politizar eventos populares tudo bem pode ser, mas, a questão de vaias a gente sabe bem quem é forte em arquitetar vaias como foi lá na cohab e que o filizardo de sofrer as vaias foi o prefeito Toinho pará.
    ainda não é hora de montar palanques até porque se espera o anuncio do candidato taboquinha, sabe-se lá quando mas, um dia vai ser anunciado, ai sim pode começar a montar os palanques.

    e deixa ver o que vai dar!!

  4. Walter Vitti disse:

    Lamentável como as pessoas que frequentam esses eventos conseguem se deixar levar pela politicagem de ambos os lados. Sabemos que tem políticos com pendência com a justiça, e ainda assim, as pessoas fingem não enxergar. Ovacionar, vaiar? A gente só deve fazer isso quando o sujeito merece! Posso afirmar sem medo algum, nossa cidade não irá pra frente nunca; graças à mentalidade provinciana. “O povo tem o político que merece”. Como essa frase é recheada de verdade! Vez ou outra me pego lendo a peça teatral A ELEIÇÃO da escritora Lourdes Ramalho, e que montei juntamente com a Cia. di Projectus Cenicus alguns anos atrás. O texto reflete o modo interiorano das pessoas e as artimanhas durante época de pleito. Quanto mais se pede pra população pensar, pensar, pensar, não adianta. Uma pena que a paixão cega só aumente! Eu mesmo não consigo enxergar nem a curto nem a longo prazo uma população santa-cruzense politizada. E sim, um povo politiqueiro que sente prazer em ficar recanteado. Depois reclamam que Caruaru recebe políticas públicas, obras, investimentos e Santa Cruz não é vista com bons olhos. Por que será? Pensem, ou pelo menos façam um esforço!

  5. infelismente as pessoas de santa cruz ultimamente esta sendo comprada por uma festa qualquer em meios a obras de muitas das vezes poderias beneficiar a sociedade santacrusense.

  6. povo de santa cruz, acordem… enquanto estao fazendo fazendo festa e deixamos de cobra ou ate mesmo deixamos passar despercebido coisas em nossa cidade. ex foi a inauguração de um farol foi gasto com uma banda de forró. nao sei porque voces ainda aceitam isso.

  7. Marcio jose vaqueiro disse:

    nada mais do que sao os nossos reprsentantes, infelismente e isso!!!!

  8. warlla disse:

    realmente alí nao era o momento… mais é disso que o povo gosta é isso que o povo quer…Tem gente q nao sabe nem o que falar e acaba se saindo mau que sirva de liçao e que nao acontença mais e se aconteçer…maiis vaiiiia..rsrs

  9. Diego Pepi disse:

    Como é que o deputado Diogo Moraes com o seu grupo só fala em mudança se ao subir em um palco de uma festa tradicional como o Bregaribe faz um discurso completamente alterado, que exemplo ele está dando. E da próxima vez ele me chame pra nós tomarmos uma. Diga a ele que eu levo o caju.

  10. Walter Vitti disse:

    Não esqueçamos que em matéria de fazer a política “Panis et Circenses” [a política do pão e circo iniciada na Roma antiga] Santa Cruz é mestre nessa área. Aqui tudo é motivo para inaugurar com farra e folia. Fica claro então, que o modo de fazer política dos romanos antigos ainda hoje perpetua-se: festa para o povo e pronto! Engana-se o povo, aliena-os e assim os votos vão surgindo. O que o povão quer na verdade é isso, e depois não tem o menor direito de reivindicar. Na Roma antiga promovia-se os espetáculos dos gladiadores em detrimento da diversão do povo, em nossa cidade contrata-se bandas para animar a massa, e assim caminha a terra das gameleiras. Quando esse quadro vai mudar? Sinto muito em desanimar as pessoas com um nível de conteúdo. Mas contentem-se com o atual cenário. Pois muito dificilmente nós veremos esta cidade com uma mentalidade vanguardista. O povo sente prazer é no atraso. A verdade é esta. Não adianta fingirmos que a população vai mudar. Ela não vai! No mais, basta às pessoas de mentalidade mais robusta, assistir de camarote o show no picadeiro. Ah, e analisando, à luz da teoria do discurso de Baktin, os discursos proferidos na festa que terminou em comício [repito: Santa Cruz é mestre nisso] é perceptível que a politicagem começou, e forte! Cuidado: a partir de agora tudo é motivo pra montar um palanque, fazer discurso pejorativo com palavras de nível meio duvidoso e colocar o povo pra beber e dançar! Isso é mais grave do que se pensa! Sei que alguns comungam do meu pensamento, outros não, mas é natural. Estamos debatendo em um blog, onde toda e boa argumentação, é bem vinda!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Notícias Anteriores


 

error: Copiando nosso texto?