09
outubro

Crise


“É melhor se calar do que estar falando o que não deve”, afirma Toinho do Pará sobre denúncias de Ernesto Maia

Foto: Elivaldo Araújo: Arquivo.

Em entrevista concedida por telefone no programa Estúdio 1, veiculado pela Polo FM, o ex-prefeito Toinho do Pará (PHS) falou sobre as recentes denúncias feitas pelo vereador Ernesto Maia (PSL).

 

Relembre o caso

 

A denúncia foi feita na tribuna da Câmara na última terça-feira (07) onde Ernesto, que também disputou com Toinho as eleições, ambos como candidatos a deputado estadual, alegou que uma fonte de sua confiança teria relatado que, nos primeiros dias de campanha, uma reunião teria sido realizada entre o empresário Tão Figueiroa, Toinho, Dimas Dantas (PP) e José Augusto Maia (PROS) no Recife.

 

Ernesto citou que essa pessoa teria lhe relatado que Tão Figueiroa (que é irmão de Toinho) teria feito um acordo financeiro para que José Augusto Maia direcionasse maior parte de seu apoio a Toinho do Pará especialmente nas visitas porta a porta e com sua voz pedindo votos a ele nos carros de som.

 

O vereador chegou a relatar que a estrutura de política do deputado federal Eduardo da Fonte (PP) na Região Metropolitana, que serviria para pedir votos a Dimas, seria colocada a disposição de Toinho e, em troca, Dimas recuaria sua campanha e seria colocado como candidato a majoritária pelo grupo taboquinha nas eleições de 2016.

 

A resposta de Toinho

 

Sobre a polêmica, Toinho não quis aprofundar maiores conflitos com as duas lideranças, mas alfinetou Ernesto e deu seu recado sobre o viés político do que deve ser feito no grupo taboquinha.

 

“Foi uma informação errada que Ernesto teve. É gente que tenta jogar lenha na fogueira. O problema de José Augusto com Ernesto, eu não posso colocar a mão. Eles dois são pessoas idôneas e tem que resolver isso entre eles, até porque eles são família. Politicamente falando, eu espero que cada um possa… Eu mesmo tenho recuado algumas vezes, tenho dado a mão a palmatória, tenho ficado calado muitas vezes, porque as vezes é melhor se calar do que estar falando o que não deve”, frisou.

 

Toinho completou que, mesmo com as derrotas, ainda há condições do seu grupo político superar o que, para muitos, é considerado o maior momento de declínio.

“O grupo tem todas as condições de passar uma borracha no que passou, de juntar os pedacinhos, bater a poeira da bunda e se organizar, se reerguer para 2016 e 2018. Outras políticas virão, novos nomes irão surgir e a gente pode continuar contribuindo por Santa Cruz do Capibaribe e com o Polo de Confecções”.

 

Sobre seu futuro político, Toinho espera ouvir seus eleitores e correligionários para se posicionar sobre essa questão, mas não precisou data de quando essa resposta será dada.

Um Comentário

  1. LUIZ BEZERRA (LULU) disse:

    Foi o que ganhaste te coligando com essa gente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Notícias Anteriores


 

error: Copiando nosso texto?