25
julho

Afrânio Marques comenta polêmicas, auxílio-alimentação e governo Vieira


Fotos: Thonny Hill.

O ex-vereador professor Afrânio Marques (PDT) foi sabatinado, na manhã desta terça-feira (25) no Programa Rádio Debate da Rádio Polo FM. Ele falou sobre os possíveis motivos para o insucesso do último pleito, governo municipal e atuais polêmicas no legislativo local.

Para Afrânio, o assistencialismo praticado na política e o poder financeiro foram peças fundamentais para que não conseguisse mais um mandato na Casa José Vieira de Araújo. Ele acredita também que seu posicionamento favorável, em relação à criação do Santa Cruz Prev, foi mal compreendido pela população, destacando que foi o único vereador que chamou as classes para o debate, antes da aprovação do projeto.

Afrânio faz sérias críticas à forma que muitos políticos conquistam seus objetivos, criticou a aprovação do auxílio-alimentação na Câmara, avaliou o governo Edson Vieira e assegurou que não vota mais em Bruno Araújo e parlamentares favoráveis à reforma trabalhista.

Por fim, o professor falou sobre futuro político, possível terceira via e se disse preocupado com a falta de planejamento no município.

“Tenho preocupação com o planejamento dessa cidade. Entra governo, sai governo e nada” diz, acrescentado que, no início da administração Vieira em 2013, houve um esboço, mas sem prosseguimento.

Contra – Assim como foi contra o aumento dos subsídios, na legislatura passada, Afrânio também se coloca contra o auxílio aprovado recentemente na Casa José Vieira de Araújo. Para ele, o ‘momento não é propício para nenhum aumento’.

KMC/CPI – Quanto às denúncias envolvendo a gestão Vieira, Afrânio sustenta que nunca defendeu a empresa KMC e que, pelo que analisou, toda a documentação da firma de locação de veículos estava legal. Ele ainda sustenta que nunca barrou investigação proposta pela oposição, repassando que deveriam investigar e denunciar o que achassem incorreto, ao Ministério Público, como ele mesmo fez, em oportunidades que achou necessário.

Convite – Afrânio revelou conversa e convite do também ex-vereador Luciano Bezerra (Rede) para ingressar nos quadros do partido. No entanto, respondeu que, por enquanto, não teria interesse.

Avanço e lentidão – Ele evitou fazer avaliação mais minuciosa do governo municipal, preferindo resumir que “o primeiro mandato foi melhor do que está sendo o segundo” e que “houve avanços nos primeiros quatro anos e agora está ‘lento’.

Alinhado politicamente? – Deixando claro que está fora do governo, explicou que após a eleição, reuniu os apoiadores e os deixou à vontade para fazer parte da gestão ou não. Mais à frente disse que fará uma avaliação da conjuntura política.

Paulo Ruben – Afrânio também fez questão de destacar o trabalho do parlamentar. Segundo ele, de R$ 2,5 mi em investimentos direcionados para Santa cruz do Capibaribe, apenas R$ 60 mil foram aproveitados. Todo o resto teria sido perdido por irresponsabilidade de funcionários integrantes da pasta de licitação.

Bruno Araújo – Não vota. Afrânio é claro quando evidencia sua insatisfação com o deputado federal e atual Ministro das Cidades. O posicionamento favorável do parlamentar às reformas propostas no governo Temer é a causa. Isso se estenderia a outros nomes com o mesmo pensamento.

Diogo Moraes – Quanto ao apoio ao deputado estadual do grupo de situação, ele resumiu “Caso pra se pensar”.

Futuro – O ex-vereador afirmou que ainda deve fazer uma reavaliação da configuração política e viabilizar ou não, mais uma campanha para mandato público. Após a eleição de 2016, Afrânio retornou à sala de aula.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Notícias Anteriores


 


Meses Anteriores

error: Copiando nosso texto?