30
agosto

Artigo – Por Adriano Oliveira


OS MINISTROS PERNAMBUCANOS

 

A importância política e econômica de um Estado em dado período pode ser verificado por dois indicadores: 1) Quantidade de ministros originários de um Estado específico no gabinete presidencial; 2) Verbas liberadas pelo presidente da República para dado Estado. Por exemplo: Quantos políticos pernambucanos estão no gabinete do presidente Michel Temer? Qual a quantidade de recursos liberados pelo governo Temer para Pernambuco?

Existem quatro ministros pernambucanos no governo do atual presidente. Considerando apenas esta variável, afirmo que Pernambuco ganhou espaço político no governo Temer. Diante desta simples constatação, qual é o desempenho dos ministros pernambucanos no atual gabinete presidencial? A resposta desta pergunta sugere a dimensão política dos ministros pernambucanos em seu Estado e no todo da federação. Dimensão política significa espaço na mídia e, por consequência, na mente dos eleitores.

Mendonça Filho, ministro da Educação, realizou a reforma do ensino médio. Tal reforma dormia no Parlamento. Entretanto, o referido ministro mostrou disposição política e a realizou. A reforma possibilitou que Mendonça conquistasse dimensão política em Pernambuco e no país. Raul Jungmann, ministro da Defesa, diante da demanda da sociedade, especificamente no Rio de Janeiro, convenceu o presidente da República a colocar as Forças Armadas nas ruas da capital fluminense. Um ato que trouxe dimensão política para o ministro pernambucano.

Bruno Araújo, ministro das Cidades, desconsiderou a paternidade do programa Minha Casa Minha Vida, e o manteve. Percorre o Brasil anunciando a construção de casas para famílias de baixa renda. Esta ação lhe trouxe dimensão política. Recentemente, o ministro das Minas de Energia, Fernando Filho, anunciou a privatização da Eletrobrás. Medida polêmica, mas que trouxe dimensão política para ele.

Todos os ministros pernambucanos realizam as suas tarefas com mérito. Por isto, conseguiram dimensão política. Qual será a escolha deles na eleição vindoura? A minha curiosidade parte da seguinte indagação: dimensão política permite a conquista de eleitores? Se sim, os referidos ministros serão atores estratégicos na disputa eleitoral de 2018 em Pernambuco. E terão a sua posição estratégica reforçada, caso o governo Temer conquiste popularidade.

 

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Notícias Anteriores


 


error: Copiando nosso texto?