27
maio

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Romenyck Stiffen

Eficiente – O vereador de Oposição e pré-candidato a prefeito pelo grupo “Taboquinha”, Fernando Aragão (PTB) está utilizando uma estratégia simples, sem custo e eficiente. Aragão está proferindo “palestras” em diversos fabricos e fábricas do município.

Oportunidade – A campanha municipal de 2016 será curtíssima, o que favorece ainda mais o já favorito para o pleito das eleições de Santa Cruz, o prefeito Edson Vieira (PSDB). Nesse Contexto, as palestras de Fernando Aragão é uma oportunidade para mostrar suas ideias, se tornar mais conhecido e ter mais contato com o povo.

Profissionalismo – Mesmo com a saída do marqueteiro Fernando Veloso, Aragão montou uma excelente estratégia, isso e inegável. Contudo, é necessário o pré-candidato fortalecer o profissionalismo de sua equipe, pois o mesmo irá concorrer com o que a de melhor no marketing político do estado. Edson já mostrou que profissionalismo é o forte de suas campanhas, ganhando ou perdendo, o que ficou claro nas eleições municipais de 2008 e 2012.

Já faz – Por falar em palestras em fábricas e fabricos, essa estratégia vem sendo utilizada também por um empresário há muito tempo: um dos pré-candidatos a prefeito pela oposição de Toritama, Edilson Tavares.

Quebrar – Tavares enxergou nas palestras uma forma de tentar quebrar a polarização política da cidade, além da oportunidade para mostrar suas ideias, se tornar mais conhecido e ter mais contato com o povo. O pré-candidato já afirmou por algumas vezes que vem sentindo efeito nas palestras.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

25
maio

Resumório – Por Professor Tenório

RESUMÓRIO

 Professor Tenório OK

REUNIÃO FISCAL – Aconteceu segunda (23), mais uma de uma série de reuniões para discutir a polêmica que envolve a fiscalização da SEFAZ na região do Polo de Confecções. O protesto na PE-160 abriu as portas para nossa velha e conhecida politicagem. A paixão política tem causado mais danos a nossa cidade que a informalidade e as intervenções da SEFAZ. Queria ver um protesto e meia dúzia de reuniões contra essa Paixão… Como disse um amigo nos grupos de whatsapp: Aqui SEFAZ, aqui SE PAGA.

MAIA INVISÍVEL – A falada reunião da segunda-feira contou com a presença de Tallys Maia, que não saiu em nenhuma foto e teve participação contundente nas grandes polêmicas, pós reunião. Há quem diga que ele não saiu nas fotos por boicote e há quem diga que não saiu por estar postando informações da reunião antes mesmo dela acabar e eu, eu não digo é nada. A fruta não cai longe do pé.

O TOMBO DE ZÉ – Após mais uma participação polêmica de Zé envolvendo a fiscalização da SEFAZ e já que Zé está presente na pauta de todas as malas da cidade e fala de si mesmo em terceira pessoa, a partir de hoje escreverei o pronome “Ele”, me referindo a Zé Augusto, com letra maiúscula. Ainda proponho tombar José Augusto Maia como patrimônio imaterial de nossa política. Definitivamente, a política de Santa Cruz não seria a mesma sem Ele.

A FORÇA DA MALA – Integrantes da famosa Mala da 29 discordam da escolha de um Maia para compor a chapa com Fernando e acham que deveriam ser mais ouvidos. Um Maia, de “ele” minúsculo, disse que a mala é quem desune o partido. Outra pessoa próxima dos Maias disse que eram um monte de desocupados. Será que a consolidada Mala tem força para interferir na escolha do vice?

BOMBA A VISTA – Aproveitando a proximidade do período junino, adianto que, segundo uma fonte segura, mais uma bomba está prestes a estourar no ninho vermelho. Deixo essa informação para a polêmica coluna de domingo, veiculada neste Blog e escrita por Ney Marinho. Não vai “demourar” pra acontecer.

VICES NA TV – Correspondentes da HBO e Netflix estiveram em Santa Cruz do Capibaribe a procura das principais lideranças políticas dos dois maiores partidos. O suspense para escolha dos vices nos dois grupos pode virar série de TV.

FUGA DO VICE – Os principais líderes e responsáveis diretos pela escolha dos vices, ao serem perguntados pelos nomes ou alguma pista, fogem do assunto como o Papa léguas foge do Coiote e como Fernando dos discursos de Júnior Gomes.

UM BOM VICE – Tallys, Flávio Pontes, Dida e Joselito estão estudando toda a história do Vasco para saberem como ser um bom vice, caso sejam escolhidos. Enquanto isso, os eleitores mais apaixonados já pensam em fazer um protesto na PE-160 para acelerar a escolha dos vices. Com a SEFAZ foi tiro e queda.

CANDIDATO NA RUA – Ernesto Maia é visto visitando eleitores e frequentando ambientes públicos em busca de votos e preocupa familiares. Segundo pessoas mais próximas, o comportamento estranho começou depois de uma reflexão sobre a influência da candidatura de um Maia na chapinha e os altos índices de Carlinhos da Cohab em pesquisas internas. Ele nunca foi disso, comentou um amigo próximo.

HALLS ARAÚJO – Na inauguração do Núcleo Integrado de Saúde e Cidadania na Malhadinha, nos discursos, toda vez que se falava o nome do Ministro das Cidades Bruno Araújo, um militante rangia os dentes, parecendo que estava chupando uma pastilha Halls.

(IN) SEGURANÇA – Assaltantes estão perdendo tempo em abordagens a vítimas que já foram assaltadas no mesmo dia. Revoltados, já estudam a implantação de um sindicato. Existe também a proposta de trabalharem em sistema de rodízio para que nenhum profissional do crime saia prejudicado. A ideia é agilizar esse processo para que não fique só na teoria, feito uma tal de sensação de segurança que foi tão falada.

 

 “Não me queiram mal. Apenas pensem nisso, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido.”

 

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

24
maio

Artigo – Por Adriano Oliveira

O treze e o quinze

adriano oliveira

Existe forte preocupação com o desempenho do PT na eleição municipal vindoura. Preocupação recorrente, já que pesquisas diversas mostram que a marca PT perdeu adeptos entre os eleitores. Apesar de que outras agremiações partidárias não tenham conquistado admiradores em razão do declínio do petismo. A era Dilma e as denúncias de corrupção possibilitaram o declínio do PT.

Contudo, não desprezo dois pontos cruciais quando opto por prever o desempenho do PT na eleição municipal vindoura. Em primeiro lugar, é importante frisar que a eleição brasileira é caracterizada pelo personalismo. Deste modo, prefeitos petistas bem avaliados podem ser reeleitos. Não descarto outra possibilidade: o fracasso do governo Temer vitimiza o PT em parte dos eleitores. Com isto, candidatos do PT ao cargo de prefeito serão beneficiados.

E se o governo Temer não fracassar? Os eleitores orientam as suas escolhas considerando fortemente os competidores. Mas não devemos, de modo algum, desprezar a força da conjuntura, onde nesta, uma dada agremiação partidária poderá atrair a atenção dos eleitores. Sendo assim, não desprezo a seguinte possibilidade: o sucesso do governo Temer influenciará a escolha dos eleitores na vindoura eleição municipal.

Se tal possibilidade ocorrer, os prefeituráveis do PMDB disputarão a eleição em conjuntura favorável. Neste caso, o seguinte mecanismo causal tende a ocorrer na eleição municipal caso o governo Temer anime o eleitor em meados de agosto e setembro: Os eleitores serão incentivados a votarem em candidatos do PMDB para o cargo de prefeito em razão do sucesso do governo Temer. Com isto, eles irão às urnas dispostos a escolherem o número quinze.

Eleitores escolhem o candidato. O partido é escolha secundária, isto é, exerce fraca influência sobre os eleitores. Porém, as intrigas sociais recentes e eventos futuros poderão transformar as agremiações partidárias em incentivos para os eleitores.   Portanto, os desempenhos do treze e do quinze na eleição deste ano me provocam ansiedade, pois o sucesso de um poderá representar a derrocada do outro em dados contextos eleitorais.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

23
maio

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Romenyck Stiffen

Da Câmara: Durante a semana, conversamos de forma reservada com alguns nomes da bancada de situação de Santa Cruz. Todos foram unânimes em dizer que o vice sairá da Câmara de vereadores e que o processo está afunilando em dois nomes.

Não acreditam?: Os vereadores não acreditam, em minha percepção não aceitam, na possibilidade de um nome que não faça parte da bancada de situação na chapa do prefeito Edson Vieira (PSDB), seja Joselito Pedro ou qualquer outro.

O favorito: Apesar dos parlamentares que conversamos afirmar que a escolha está afunilada em dois nomes, os mesmos afirmaram que o vereador Dida de Nan (PSB) levaria certa vantagem nesse momento, mas que a única coisa que poderia colocar como certa seria que o vice sairia da bancada de situação.

Grupos: A dor de cabeça para o prefeito Edson Vieira (PSDB) são os grupos que estão se formando na bancada, perceptível nos bastidores, mas que de forma muito cautelosa não está sendo estendida para o grande público.

Dois Zé: Dois parlamentares já declararam suas preferências a possível candidatura de Dida de Nan a vice-prefeito de Edson, são eles: Zé Elias (PSDB) e Zé Minhoca (PSDB). Segundo informações, após a declaração dos dois Zé, o prefeito teria pedido aos demais vereadores e secretários que não externassem suas preferências à imprensa, justamente para não expor uma situação de subgrupos.

Proteção?: Na sessão da Câmara, 19/05, o vereador Júnior Gomes (PSB) usou o seu discurso para destacar projetos dos vereadores Ronaldo Pacas (PR) e Pipoca (PSDB). Nos Bastidores, o discurso teve duas interpretações: A primeira, é que os vereadores irão usar a tribuna para proteger o chapão, pois, devido a chapinha nem todos voltarão a casa em 2017. A segunda, de que a corrida por apoio para se fortalecer na disputa de vice está a todo vapor na situação.

Real disputa: É notório que os vereadores querem que o vice venha a ser escolhido da bancada, pois existe uma necessidade de desafogar o chapão. Contudo, se a bancada não for um critério a disputa estaria entre Dida de Nan e Joselito Pedro, mas caso a bancada seja um critério o principal concorrente de Dida seria, em minha opinião, o vereador Luciano Bezerra (REDE).

É no forró: Informações de bastidores geram expectativas de que Edson irá anunciar o seu vice no tradicional São João do Menino dia 12/06.

Enquanto isso: No grupo Taboquinha se espera a decisão do ex-deputado José Augusto Maia (PTN) para escolha do companheiro de chapa de Fernando Aragão (PTB). Segundo informações de bastidores o nome também será escolhido antes dos festejos juninos.

Os favoritos: Nos bastidores, os nomes mais cotados são o do empresário Flávio Pontes (PTB) e do advogado Tallys Maia (PTN), ambos veemente defendidos pela as duas alas existentes no grupo Taboquinha, Flávio pelos denominados Fernandistas e Tallys pelos Zeístas.

.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

20
maio

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Romenyck Stiffen

Dívida: Nossos representantes políticos estão em dívida com o nosso município, principalmente quando falamos em segurança e abastecimento de água.

Esgotados: Já faz tempo que estamos sofrendo com a seca e a falta de segurança em Santa Cruz do Capibaribe, audiências foram realizadas de forma especifica para as duas áreas, reunião para marcar reunião estão registradas nos arquivos de rádios e blogs do município. Contudo todos os prazos foram esgotados.

 A sensação: No decorrer dos últimos meses a única sensação que temos é que estamos sendo enrolados, além de termos a sensação que os políticos de nossa cidade: prefeito, deputado e vereadores (azuis e vermelhos) não têm força pra nada, apesar de apresentarem muita disposição para se postar para uma fotografia.

Novo prazo: Soluções foram encontradas e temos um novo prazo para mesma ser apresentada a sociedade. Essas soluções estarão à disposição da população no próximo semestre, quando nossa cidade será verdadeiramente transformada, pois as eleições iniciarão e seremos hipnotizados pelos paredões de som e muita produção.

O que fazer?: Sinceramente não é reposta fácil, mas vamos tentar se desligar dos paredões, deixar de ser o gado arrastado em massa, pararmos de nos corromper do saco de cimento ás promessas temporárias de emprego e quem sabe pensar de verdade na coletividade analisando o seria “melhor” para o município.

 

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

18
maio

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Romenyck Stiffen

Distante – Devido aos supostos escândalos (a exemplo da KMC) a algumas ações impopulares (a exemplo do parcelamento da dívida da previdência) e ao desgaste natural de uma gestão, o prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, Edson Vieira (PSDB), está distante da super aprovação que tinha em seus primeiros anos de governo e que eram esbanjadas nas pesquisas.

Passos largos – Contudo, a desarticulação do grupo Taboquinha versus o poder de articulação do prefeito, somada com agenda positiva que o mesmo vem dando ritmo, Edson está a passos largos em seu favoritismo para as eleições municipais de 2016.

Projetos – Conversando com um tucano municipal de alta plumagem, o mesmo nos confidenciou que um dos principais focos do grupo Boca Preta nessa eleição será a Câmara de Vereadores.

Difícil – O tucano nos afirmou que o projeto é fragilizar a Oposição em um possível segundo governo Vieira, conseguindo nas Eleições 2016 dois terços das vagas na Câmara de Vereadores. O mesmo reconhece que o projeto é difícil, mas que não está distante de alcançar.

Estratégias – A fórmula continuará sendo uma chapinha e um chapão, contudo, as mesmas serão compostas com mais nomes de potencial eleitoral que a última eleição. A meta seria oito eleitos no chapão e quatro na chapinha.

Facilidades – Caso o prefeito confirme seu favoritismo nas urnas e alcance o objetivo na câmara, o mesmo teria em sua bancada os votos suficientes para aprovação de projetos polêmicos e reverter situações adversas, a exemplo de contas rejeitadas.

Urna – Sabemos que voto se confirma nas urnas, assim como em eleição a nuvem de hoje não é a mesma de amanhã. Mas caso o grupo de oposição não acorde até as eleições o resultado pode ser desastroso para o mesmo.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

16
maio

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Romenyck Stiffen

 

Mais já?! – Apesar do vereador e pré-candidato pela oposição, Fernando Aragão (PTB), não ter ainda o companheiro de chapa para eleições municipais 2016, sua assessoria já divulgou o possível secretário de segurança da cidade. Trata-se do Coronel Vareda.

Experiência – O Coronel Vareda foi Secretário de Defesa Social em 2004 na gestão de José Augusto Maia. Na ocasião, o município passou por dos seus melhores momentos em relação a segurança pública.

Recado – O vereador Junior Gomes (PSB), no programa Cidade em Foco (da rádio Filadélfia FM), mandou o recado. Ele afirmou que não se filiou ao PSB por conveniência para uma possível Vice: “Eu e a vereadora Narah fomos eleitos pelo PSB. Não estamos no PSB por conveniência. Então, se a indicação parte do PSB, é evidente que eu e a vereadora Narah precisamos estar colocados. Eu não vou dizer como prioridade, mas colocados dessa maneira: de que fomos eleitos pelo PSB e estamos lá na Câmara”.

União – O ex-prefeito José Augusto Maia afirmou que, se o grupo Taboquinha estiver unido de fato, não haverá problemas na escolha do Vice. Apesar de o ex-deputado pregar que o candidato do grupo deve se chamar união, Zé não está tão confiante assim na mesma.

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador  

16
maio

Artigo – Por Adriano Oliveira

O futuro do PSDB

 

adriano oliveira

Qual é o futuro do PSDB? Esta indagação é necessária em razão de que desde 1994, PT e PSDB travam disputa eleitoral pela conquista do espaço presidencial. Até o instante, o PT leva vantagem, pois venceu o PSDB em quatro eleições presidenciais. O PSDB superou o PT em duas eleições para a presidência da República.

Em 1994, FHC vence a eleição presidencial. Como bem mostra diversos trabalhos acadêmicos, o Plano Real, o qual possibilitou a redução e o controle da inflação, permitiu o sucesso eleitoral de FHC. O ex-presidente aplicou no Brasil agenda reformista. Privatizações, controle do gasto público e da inflação caracterizaram o governo FHC. O ex-presidente Lula substituiu FHC. Ao assumir o governo, Lula manteve a matriz fiscal do governo do PSDB. A inclusão social marcou o governo Lula.

Nas eleições de 2010 e 2014, PT e PSDB continuaram a disputar eleitores. Nestas duas eleições, era visível os descontentes com o petismo e o ressurgimento da força do PSDB. Contudo, nas duas últimas eleições presidenciais, o lulismo e o medo de parte dos eleitores possibilitaram o sucesso de Dilma Rousseff. Mas isto não significa que o PSDB não tenha cometido erros.

O primeiro erro estratégico do PSDB foi não ter mostrado ao eleitor que a expansão do consumo começou com as privatizações realizadas por FHC. O PSDB não defendeu as reformas no âmbito do Estado realizadas na era FHC. Neste caso, o erro estratégico foi não ter construído uma narrativa mostrando que as reformas eram vitais para a construção do Brasil do futuro. E por fim, o PSDB desconsiderou a pauta da inclusão social. Optou por ser um partido tipicamente de classe média, mas desconsiderando as demandas de parte desta classe, as quais foram atendidas, em dado instante, pelo lulismo.

Neste instante, o PSDB opta por participar do governo Temer. O risco está posto. Se o governo Temer não obter sucesso, o PSDB terá dificuldades em 2018. E se for um sucesso também. O PSDB foi, sem intenção, produtor do lulismo. Pois sem as reformas realizadas por FHC, o lulismo poderia não ter existido. E o PSDB poderá produzir, sem intencionalidade, a ruptura da polarização histórica entre PT e PSDB. Ou seja: o sucesso do governo Temer poderá conduzir o PMDB a ser o ator principal na disputa presidencial vindoura.

.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

13
maio

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Romenyck Stiffen

Incoerências – A sessão ordinária da Câmara de Santa Cruz do Capibaribe da última quinta-feira (12) foi um show de incoerências por parte de integrantes das bancadas de Situação e Oposição.

Politizado (I) – A vereadora Narah Leandro (PSB) afirmou, em um discurso forte, que o voto era político e que o ex-prefeito José Augusto Maia (PTN) não esperasse os votos da bancada de Situação o voto que precisasse.

Politizado (II) – A fala de Narah Leandro me fez lembrar do discurso do vereador Zezin Buxin na sessão de 07 de novembro de 2013, onde na ocasião seriam votadas as contas do exercício de 2011 do ex-prefeito Toinho do Pará (PSB) e o TCE recomendava a aprovação com ressalvas.

O discurso – Naquela ocasião Zezin afirmou que: “Não vou generalizar, mas tem vereadores que podem não querer admitir, mas fariam a mesma coisa nesta questão do voto politizado. Os vereadores que mais falam e que mais criticam também mudam de argumentos e procedimentos. É complicado fazer esse tipo de crítica e isso pode acontecer sempre devido a questão política”.

Contra o TCE – No dia 07 de novembro de 2013, a bancada de Situação, com exceção do vereador Afrânio Marques (PDT), votou contra o parecer do Tribunal de Contas do Estado, simplesmente, por ver Toinho do Pará um adversário político.

Mas cobrou – Ontem, diversos vereadores de Situação criticaram, veementemente, os vereadores de Oposição por não seguirem o parecer do TCE. Um fato me chamou a atenção: Zezin não usou a tribuna e não justificou seu voto; talvez lembrasse seu discurso de 2013.

Previdência – E a Oposição? Criticaram e criticam, nos últimos meses e de forma veemente, o parcelamento em míseros 48 meses a bagatela de mais de dois milhões de reais a dívida da previdência própria pelo prefeito e os vereadores de situação.

O mesmo – E não é que se assemelharam em atitudes ao votar contra o parecer do Tribunal de Contas, que apontam dívidas com a previdência no exercício de 2008, do ex-prefeito José Augusto Maia.

A surpresa – O vereador Vânio Vieira (PTB) foi à grata surpresa, pois mostrou que, apesar de aderir ao grupo denominado Taboquinha, apontou o voto da moralidade e da ética que pregaram nos últimos dias. Já os demais da bancada preferiram o voto politizado, pregado por Narah nos dias atuais e Zezin em 2013.

E o real? – Alguns membros da Oposição têm que escolher se o TCE é um órgão jurídico ou politizado, pois em um momento se critica quando convém e, em outro, heroiciza quando julgam necessário.

Reflexo – O pior é que toda incoerência política de nossos representantes se torna reflexo de um gama de eleitores apaixonados, que vaiavam e aplaudiam não por estarem preocupados com o conteúdo apontado pelo Tribunal de Contas do Estado, mas simplesmente em busca de uma vitória ou derrota do seu grupo político.

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

11
maio

Resumório – Por Professor Tenório

RESUMÓRIO

Professor Tenório OK 

EFEITO GALEGO II – Tem Base? Após a desistência de Galego da pré-candidatura a vice e a polêmica declaração de que a união que todo mundo dizia que existia no grupo taboquinha não estava existindo, descobriu-se que a união que existia entre alguns integrantes de banda de rock santa-cruzense também era, no mínimo, questionável.

AMIGO DA ONÇA – Já que a credibilidade da premiação da Educação foi pauta durante a semana, seria bom elegermos o vencedor do Prêmio Amigo da Onça 2016, entre nossas personalidades políticas. Na categoria majoritária concorrem Edson, Diogo e Toinho de um lado e Zé, Galego e Fernando do outro. Na proporcional, teremos Jéssyca e Narah, Vânio e Capilé, Carlinhos e o filho de Zé, Afrânio e Luciano Bezerra ou Júnior Gomes, entre outros.

BIS – Waldir Maranhão, presidente interino da Câmara Federal, parece que gostou das performances dos deputados na votação para o processo do impeachment. Ele anulou a votação anterior e haveria uma nova votação, cinco sessões depois. Mas assim como acontece com o whatsapp, essas coisas só duram o tempo de fazermos algumas poucas piadas. Ele anulou a própria anulação.

PIADA PRONTA? – Com a revogação da própria ação de anular a votação, Waldir Maranhão retirou o título de país da piada pronta do Brasil e nos elevou à categoria de país da piada improvisada. A gente vai dormir e a situação é uma, quando acordamos já é outra. Precisamos de políticos sérios que tomem decisões que durem mais que o tempo de um cafezinho…

OS ESQUECIDOS – A justificativa mais plausível para o cancelamento foi o esquecimento de alguns deputados de mencionar filho, sogras e financiadores de campanha. Marcelo Álvaro Antônio (PR-MG), que esqueceu de mencionar o filho no voto, foi o mais empolgado com o impeatchment do impeatchment do impeachtment para poder se retratar em rede nacional.

MIX MARANHÃO – Segundo internautas, Waldir Maranhão parece uma mistura de Tiririca com Deomedes e Odon. Tiririca já cuidou de tirar o bigode para não ser confundido e para não manchar a sua íntegra imagem de palhaço.

A FRASE – A frase da semana, como não poderia ser diferente, foi justamente atribuída ao presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão: “Quer conhecer o caráter de uma pessoa? Coloque-o como interino. ”

TRANQUILO E FAVORÁVEL – A votação do processo de impeatchment no senado seguiu sem maiores polêmicas. Definitivamente, no Brasil, tirar um chefe de estado por meios questionáveis é encarado com relativa naturalidade. Só não mexam no whatsapp.

CALENDÁRIOS – Compesa lança calendário de abastecimento inspirado nos calendários de borracharia, ou seja, com as principais áreas descobertas. Apesar de não ser tratado com a devida importância, o assunto é mais desesperador do que viajar e descobrir que esqueceu o carregador do celular.

FAZ DE CONTA (S) – A reunião da Câmara de Vereadores deste dia 12-05-16 promete ser quente com a votação das contas do ex- um monte de coisa, Zé Augusto. Ao que tudo indica, haverá certa semelhança com a votação do parcelamento da dívida da prefeitura com o Santa Cruz Prev. Uma bancada, mais uma vez, fará igual ao que se faz com licença de software: nunca lê, ignora as informações e concorda com tudo. Ou não…

PAUSA E PLAY – Assim foi definida a decisão de Zé Augusto ao dizer que iria para Europa e só decidiria a situação do vice quando voltasse. Ele apertou a pausa e só pós viagem apertaria o play para iniciar a discussão do substituto de Galego. Nem todos do grupo concordam o DJ Zé. Dizem que não é bem assim que a banda deve tocar.

BRASÍLIA DA PRESSÃO – Prefeito e primeira Dama de Santa Cruz vão à Capital Federal para participar da XIX Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios e deixam seus fiéis seguidores meio depressivos, sem saber o que fazer, pra onde ir… A sensação de estar sem eles por quatro dias tem sido pior que a sensação de encontrar dois de moto nas ruas escuras da cidade.

.

 “Não me queiram mal. Apenas pensem nisso, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido.”

11
maio

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Romenyck Stiffen

Boca de Fogo: O vereador Calinhos da COHAB (PTB) demonstra a cada dia que não tem freios em suas atitudes, sendo detentor de algumas frases infelizes nos últimos anos da política de Santa Cruz. A última foi proferida em mais um programa “Oposição em Ação”, no último sábado, 07/05, e sua vítima foi o ex-prefeito Toinho do Pará (PSB).

O apaixonado: As atitudes de Carlinhos o fazem crescer a cada dia no eleitor apaixonado pelo seu grupo, mas lhe deixa em um grande abismo para pretensões mais altas. O populismo barato não faz bem a sociedade, o respeito é um bem necessário.

Reação: O sobrinho de Toinho do Pará, Léo Figueiroa, reagiu nas redes sociais em relação atitude de Carlinhos. Léo afirmou ter “pena de uma cidade do porte como a nossa, ter como um representante do povo um vereador como Carlinhos da COHAB. Nobre vereador (se é que posso lhe chamar assim) devido sua falta de respeito com a população santa-cruzense. Tenha mais coerência antes de abrir a boca para falar, um conselho que lhe dou é que, pare e pense duas vezes antes de jogar palavras soltas e sem fundamentos”.

Fogo Amigo: Léo ainda citou o ‘fogo amigo’ ao qual Toinho teria passado enquanto esteve no grupo Taboquinha: “Passar o fogo amigo que Antônio Figueiroa passou e ainda aguentar calado por tanto tempo, sinceramente não sei se qualquer um aguentaria”.

Verdade: Santa Cruz é testemunha do “fogo amigo” que Toinho passou no denominado grupo Taboquinha sendo vereador, vice-prefeito, deputado e prefeito. Contudo, realmente é difícil imaginar o quanto Toinho consegue aguentar calado por tanto tempo o danado do fogo amigo, pois ele saiu de uma faísca para um verdadeiro incêndio.

Contas: Toinho foi para um grupo em que a bancada votou contra uma de suas contas, mesmo o TCE recomendando a aprovação com ressalva.

Auditoria: Toinho foi para um grupo que ao assumir o poder fez uma auditoria, com toda razão, sobre o último ano de sua gestão como prefeito e encontrou mais de R$ 50 milhões de ‘rombo’.

Comparação: Toinho foi para um grupo que de forma constante faz comparações negativas, com toda razão, a exemplo de que foram deixadas dívidas (verdade), cadeado fechado no hospital (verdade), entre tantas outras coisas (muitas verdades).

Defesa: Toinho foi para um grupo em que sua gestão é usada como álibi para defesa de outra, vejamos alguns termos utilizados na defesa das contas de 2013 do prefeito de Edson Vieira (PSDB): “a gestão anterior negou-se, ‘deliberada e dolosamente’ a repassar informações”, “Caos administrativo encontrado na prefeitura”.

Improbidade: Dentro desse contexto, com toda razão, Toinho do Pará foi para um grupo que impetrou três ações de Improbidade administrativa ao mesmo, solicitação da devolução de mais de R$ 800 mil e suspensão dos direitos políticos.

As ações: As principais ações são referentes aos não recolhimentos de tributos federais, em especial o PIS/PASEP; despesas contraídas nos dois últimos quadrimestres da gestão e que não teriam sido honrados (a exemplo da dívida com o SESI); ausência  do pagamento do salário dos professores de dezembro de 2012, assim como o terço de férias.

Documentos: Temos em posse todos os documentos que comprovam o que relatamos em nossas curtinhas, afirmamos ainda que Toinho do Pará se defendeu das diversas situações, alegamos ainda que a defesa do mesmo foi amplamente contestada pelo jurídico da gestão do prefeito Edson Vieira.

Opinião: É necessário afirmar que o jurídico da gestão Vieira tem total razão, se comprovado os problemas alegados, de cobrar todas essas ações contra o ex-prefeito Toinho do Pará. Contudo, uma coisa é certa, é difícil saber como aguentar tanto “fogo amigo”.

.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

09
maio

Artigo – Por Adriano Oliveira

Os troféus

adriano oliveira

A Operação Lava Jato sugere que as instituições estão funcionando. Contudo, é possível desconfiar da presença da seletividade institucional no âmbito da Lava Jato. A desconfiança não retira o mérito da Lava Jato. A atuação do STF sugere também que as instituições estão agindo. Embora, o afastamento de Eduardo Cunha da presidência da Câmara dos Deputados possa ser avaliado como tardio.

A especulação faz parte do raciocínio humano. Portanto, não a condeno. Opto, contudo, por considerar que o STF e a Operação Lava Jato têm atuado para modificar o comportamento da classe política. A atuação de ambos gera incerteza no comportamento dos políticos e de todos os atores que desejam obter vantagens ilícitas. A incerteza observada não me proíbe de especular quanto ao desfecho das crises política e econômica.

Em diversos artigos sugeri que apenas um “acordão” entre diversos atores poderiam por fim as crises. Com o “acordão”, o Brasil sairia do jogo de soma-zero, o qual só tem um vencedor, para outro jogo, o qual tem início com a era Temer. A oposição e outros atores venceram o primeiro jogo. Os derrotados foram a presidente Dilma, parte do PT e Eduardo Cunha. No novo jogo, não existe, inicialmente, vencedores. Todos partem com as mesmas condições.

O PT estará na oposição sob a liderança do ex-presidente Lula no novo jogo. Os partidos menores serão acomodados no governo Temer. O PSDB será observador do novo governo, pois receia o sucesso ou o insucesso dele. O sucesso e o insucesso de Temer pode inibir a vitória do PSDB na eleição presidencial de 2018. O PSDB no novo jogo está numa encruzilhada.

Considerando que a presidente Dilma e o deputado Eduardo Cunha são produtores das crises política e econômica, o afastamento de ambos poderá representar o fim das crises. Portanto, ambos são os troféus que serão entregues pelas instituições à opinião pública. Por consequência, os eleitores terão o sentimento de que os causadores do desemprego e da corrupção saíram de cena e uma nova era começa, qual seja: a era Temer.

E o ex-presidente Lula será um troféu esquecido? Resta a dúvida. Contudo, o impeachment da presidente Dilma já pode ter sido um troféu satisfatório que garantiu a salvação do ex-presidente das garras das instituições.

09
maio

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Romenyck Stiffen

Semana difícil: O Grupo denominado Taboquinha terá uma semana muito difícil pela frente, em especial para o seu líder José Augusto Maia (PTN).

O fantasma: No último domingo, 8 de maio de 2016, o blog do Ney Lima obteve com exclusividade acesso as alegações finais apresentadas pelo Ministério Público sobre o caso que ficou conhecido como “Escândalo da merenda”, um fantasma que insiste em arrastar as correntes próximas a Zé Augusto.

Entendeu: No entendimento dos promotores, o ex-prefeito José Augusto Maia deve ser condenado duplamente pelo crime de fraude em procedimento licitatório. Quem também faz parte do processo é o vereador, na época do vice-prefeito, Zé Elias (PSDB), o MP também pede a condenação do parlamentar.

Tem mais: Durante a semana, José Augusto Maia caminhará para mais uma derrota, desta feita na Câmara de vereadores, onde terá suas contas do exercício de 2008 rejeitadas. Vale lembrar que o Tribunal de Contas do Estado solicitou a rejeição da mesma.

Acabou: A aparente calmaria por qual passava o grupo Taboquinha de fato acabou. As turbulências estão só iniciando em um cenário de incertezas nos bastidores políticos.

.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

04
maio

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Romenyck Stiffen

Cadeira cativa: Acompanhando semanalmente os programas radiofônicos liderados pelo prefeito Edson Vieira (PSDB), podemos observar que duas pessoas são cadeiras cativas nos mesmos, são elas: Jéssica Cavalcante (PSDB) e Joselito Pedro (PSB).

Reflexo: A participação garantida de Jéssica e Joselito pode estar ligada às diversas provas de lealdades dos mesmos a atual gestão do prefeito Edson Vieira. Lealdade é uma das palavras chaves para uma possível nova gestão de Edson, nesse contexto os dois professores podem ser o reflexo da preferência de Vieira na Câmara e na vice.

Ciumeira: A verdade é que essas cadeiras cativas vêm ocasionando muitos ciúmes no pomposo ninho boca pretas, vários vereadores e pré-candidatos estão reclamando do pouco ou quase nenhum espaço na mídia do grupo, lembrando que esse ano os pré-candidatos a vereadores vão ter que se virar para divulgar os nomes, número e trabalho.

Torre de Babel (I): Enquanto os programas do prefeito Edson Vieira têm uma linha em comum e seus nomes preferenciais, a oposição tem três programas que o único ponto em comum é fechar os olhos e soltar a ripa na administração. No entanto, não existe uma linguagem que identifique a unidade do grupo, mas sim as alas dentro do mesmo.

Torre de Babel (II): Durante a semana podemos observar “o programa José Augusto Maia – Comando Geral”, a chapinha do PTN, ao sábado o programa do “Oposição em Ação”, o chapão, e o “Falando Honestamente”, e que honestamente Fernando Aragão tem muito trabalho pela frente em grupo extremamente desarticulado.

Escancarou: A desistência do vereador Galego de Mourinha (PTB), de compor a majoritária do grupo Taboquinha nas eleições de 2016, escancarou a fragilidade do grupo que ainda se encontra em uma crise sem precedentes, em um cenário de incertezas, com pouco tempo para se organizar.

Cuba: Ao ser questionado, pelo blogueiro Alisson Torres, sobre a possibilidade de o prefeito de Brejo da Madre de Deus, Dr. Edson (PTB), ser candidato para um terceiro mandato consecutivo, Roberto Asfora ironizou afirmando que essa possibilidade seria viável em Cuba, já que se trata de uma ditadura.

.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

03
maio

Artigo – Por Adriano Oliveira

O futuro do PT

adriano oliveira

Luis Inácio Lula da Silva foi eleito presidente da República em 2002 após três derrotas seguidas. Não existia, naquela época, a expectativa de que o lulismo viesse a existir. Aliás, estava presente na mente dos eleitores a desconfiança e a esperança. No mercado financeiro e no setor produtivo a desconfiança existia. Com o objetivo de tranquilizar estes setores, o então candidato Lula divulga a Carta aos Brasileiros.

O Partido dos Trabalhadores nasce como grife em 1989. O PT representava para parte dos eleitores a esperança de um Brasil mais justo socialmente e livre da corrupção. O Lula era o principal líder do PT. Nesta época, em razão da não existência do lulismo, não estava claro se o PT alavancava Lula ou o Lula alavancava o PT. No ano de 2006, quando Lula disputa a reeleição, identifiquei que o Lula que alavancava o PT. Pois o lulismo representava um consenso entre a maioria dos eleitores brasileiros. Ao contrário do petismo.

Na eleição de 2010, a força do lulismo ficou evidente. Na era Lula, o poder simbólico do lulismo foi construído. Lula era a esperança dos pobres. Tinha a desconfiança da classe média, mas representava para ela o instrumento mais seguro para a expansão ou manutenção do bem-estar. Nas classes mais abastardas, o Lula não agradava. Já era visível o surgimento da rejeição a ele nas classes A. O mercado e o setor financeiro chegaram a amar o Lula. Mas em 2010, inquietações eram observadas nestes setores.

Em meados de 2005, o PT e o Lula passam a conviver com denúncias de corrupção. A partir de 2013, fortes e frequentes acusações atingem ambos. A admiração dos brasileiros para com o PT e para com o Lula declina fortemente. Petismo e lulismo perdem força entre os eleitores. Contudo, até o instante, nenhum ator político e agremiação partidária conseguiram superá-los na admiração dos eleitores.

Qual é o futuro do PT? O futuro do PT está atrelado ao futuro do lulismo. Neste instante, o lulismo ainda vive, apesar de está enfraquecido. Mas poderá readquirir força. Para isto ocorrer, basta que o governo do futuro presidente Michel Temer decepcione. Mas caso não decepcione, o lulismo tem adeptos no ambiente formado por eleitores que admiram o Estado, defendem políticas sociais e têm o Lula como o melhor presidente do Brasil. Portanto, a reconstrução do petismo em curto prazo depende fortemente da recuperação do lulismo.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

02
maio

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Romenyck Stiffen

Dois e meio: Durante o programa “Oposição em Ação” do último sábado, 30/04, o vereador Ernesto Maia (PT) garantiu que teria documentos comprovando que o prefeito deixou de repassar mais de dois milhões e meio ao Santa Cruz Prev e não, um milhão e setecentos mil como foi anunciado.

Reação: A aprovação do projeto que parcelou a dívida da Prefeitura com o Santa Cruz Prev em 48 vezes, causou reações negativas ao prefeito Edson vieira (PSDB) e a bancada de situação. Servidores públicos estamparam fotos do prefeito e dos parlamentares com a legenda “inimigos dos servidores”. Durante o Bregaribe, o vereador Afrânio Marques e o prefeito Edson Vieira foram recepcionados por vaias, por uma parte do público presente.

Confronto: Nos últimos dias, a prefeitura de Brejo da Madre de Deus está em uma verdadeira quebra de braço com o SINDUPROM-PE, no que diz respeito à pauta de reivindicações dos professores do município em relação à educação.

Bastidores: Essa rivalidade fez com que pessoas ligadas à gestão de Dr. Edson (PTB) propagassem com veemência nas redes sociais, o arquivamento do processo de pedido de registro sindical do SINDUPROM-PE, publicado no Diário oficial da União no mês de abril.

Faltou: Em contato com a representante do SINDUMPRO-PE em nossa região, Luciene Cordeiro, a mesma alegou que se trata da carta sindical. Segundo Luciene, o ministério alegou a falta de um documento que não foi anexado, mas que o sindicato já recorreu da decisão.

 

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

30
abril

Comédia teatral “Só é corno quem quer” encerra temporada nesse fim de semana

02Fotos: Divulgação

Neste último fim de semana acontecem as duas últimas apresentações da peça teatral “Só é corno quem quer”.

A comédia, com texto de Durval Cunha e protagonizada pela companhia de teatro Só de Deboche, mostra situações inusitadas envolvendo os quatro atores, onde é contada a história de um escritor que elabora um livro sobre as dificuldades entorno da relação a dois, porém, na divulgação do candidato a ‘Best-Seller’, uma série de imprevistos cômicos acontecem, colocando em cheque a programação idealizada pelo dito escritor.

O espetáculo é composto por momentos complexos que rondam os relacionamentos humanos, tudo de uma maneira bem descontraída e humorada.

01

.03

.04

A peça acontece neste sábado (30) e domingo (01) no Teatro Municipal de Santa Cruz do Capibaribe a partir das 20h. Os ingressos, ao preço de R$ 10,00 (R$ 5,00 a meia entrada), podem ser adquiridos na bilheteria.

29
abril

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Romenyck Stiffen

Segundo Plano: Já havia dito nessas curtinhas que ficou provado em um áudio de uma discussão entre o prefeito Edson Vieira (PSDB) e o vereador Afrânio Marques (PDT), gravado pelo vereador Vânio Vieira (PTB), demonstrou que não seriam os pensionistas que estariam em primeiro plano na criação da Previdência Própria, mas sim o caixa ou as contas da prefeitura.

O áudio: No áudio que temos em mãos, o prefeito Edson Vieira cobrava, na ocasião, celeridade ao vereador Afrânio Marques em relação ao projeto da previdência própria, pois, segundo o prefeito “o dinheiro estava faltando”.

O Parcelamento: Pois bem, como todos sabem o prefeito encaminhou um projeto de lei à Câmara municipal solicitando dos vereadores a autorização para parcelar a dívida, do repasse para previdência própria, de um milhão e setecentos mil reais em 60 meses.

Aprovou: Mesmo contra a vontade dos servidores efetivos, os vereadores situacionistas Afrânio Marques, Zé Elias, Zezin Buxim, Junior Gomes, Narah Leandro, Pipoca, Dida de Nan, Luciano Bezerra e Ronaldo Pacas aprovaram o parcelamento da dívida.

Nação Azul: A comemoração da vereadora Narah Leandro (PSB), nas redes sociais mostrou que de fato o servidor público ficou em segundo plano mais uma vez, vejamos a fala da vereadora: “A nação azul hoje fez a diferença na Câmara de vereadores!!! Expulsou os que querem o atraso e garantiu a aprovação do projeto que garante o bom andamento da gestão Edson Vieira! Vocês fizeram a diferença!!! Obrigada(terminando com um coração azul)”.

Compareceu: De fato a nação azul citada pela vereadora Narah Leandro compareceu para tentar desarticular o protesto anunciado pelos servidores efetivos do município. A nação azul estava representada por servidores contratados, onde boa parte estava com a boca pintada de azul, que não fazem parte da Previdência Própria, ou seja, não era o futuro dos mesmos que estavam em jogo, ou estava?

Não resolveu: Já o vereador Ronaldo Pacas, em participação em um grupo de WhatsApp!, justificou que não participou de uma audiência com os servidores na última quarta-feira, 27, porque na mesma “nada se resolveu” e “ouvir pessoas com discurso político”. De fato não resolveu, pois o prefeito Edson Vieira (PSDB) se quer atendeu o primeiro encaminhamento da audiência que seria tirar a urgência do projeto para poder dialogar sobre o mesmo.

Discurso Político?: O que seria o discurso político insinuado por Ronaldo? A coordenação da audiência por Gilmar da Saúde, Elieudes Bezerra, Luciene Cordeiro e os demais representantes dos sindicatos ou os diversos discursos dos servidores em prol do seu futuro. Ato politiqueiro existe por parte de grupos de pessoas dos dois lados políticos da cidade, mas não precisava menosprezar a audiência realizada pelos sindicatos.

Precedentes: O projeto do parcelamento pode até ser legal, mas será que é moral? O mesmo desrespeitou a discussão e aprovação do projeto que criou a previdência própria, além de abrir precedente para o gestor atual e os próximos, sempre que precisar parcelar alguns repasses de milhões que pertencem aos servidores.

.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

27
abril

Resumório – A coluna do professor Tenório

RESUMÓRIO

Professor Tenório OK

DESISTÊNCIA PREVISÍVEL – Faz dias que o pré-candidato a vice-prefeito pelo grupo de oposição vinha dando sinais de que desistiria dessa disputa. Na política, um “pode” dito muitas vezes e por muita gente é “quase” uma “certeza”. O fato é que o celular de Galego esses dias tocou mais que berimbau em roda de capoeira. Vai começar tudo de nooooovo…

O PORQUÊ – Entre falsas surpresas, prejuízo de estratégia e desencontro de explicações, resta esclarecer a todos que, após ter lutado e insistido pra ser vice, só agora Galego descobriu que é melhor não sair candidato. Qualquer história que surja sobre pesquisas internas desfavoráveis que apontam derrota serão meras especulações. Eu não acredito nisso! Às vezes, uma desistência é apenas uma desistência, mesmo quando a vitória é (IN) CERTA…

A VEZ DO ESQUECIDO? – Esquecido por UM, lembrado por muitos. Assim é o vereador Carlinhos da Cohab, que ao ser pergunta se aceitaria ser o vice, não pensou duas vezes e disse que se for com a união do grupo aceita na hora. Ele já quis um conselheiro tutelar como aliado fiel e uma chapinha, agora quer ser vice. Não estranhem se ele lançar candidatura para prefeito ou até mesmo para deputado em 2018, numa clara demonstração que foi contaminado pela síndrome Maia.

VOLTA TALLYS – Em meio à polêmica da mudança na vaga de vice com a saída de Galego, surgem os adeptos do “Volta Tallys”. Mas há quem defenda a ideia de que é preciso construir “Pontes”. Enfim, seja o que Zé quiser!

PALANQUE DE PESO – A entrega das oito ruas pavimentadas no Dona Lica II começou com uma apresentação de zumba para testar a resistência do “palcolanque”, pois precisa ser muito forte para suportar tanta gente aderindo à onda azul.

PALANQUE MAIS AZUL – Após anos de reflexão e momentos antes de subir no palcolanque também, Ernando Silvestre descobriu que a cor de seus olhos não combinava com vermelho e resolveu azular ainda mais o grupo de situação. O partido não DEMora a vir e outros nomes também…

O AMOR E O PODER – Quem mais deve ter ficado feliz com a adesão do Galeguin do Zói Azul e as afirmações que nem ele nem seu filho Elói sairão candidatos foi a pré-candidata a vereadora Deusa Silvestre. Ela não deve tirar a música de Rosana da cabeça: “Como uma Deusa, você me mantém e os votos que você me traz me levam além…”.

FIM DO BOLÃO – Antes da inauguração, foi feito um bolão para ver quem não iria comparecer ao evento, Paulinho ou o deputado Diogo Morais. Quem apostou que Paulinho não iria se deu mal. Em breve, Zé Augusto terá mais idas à Europa este ano do que presenças de Diogo em inaugurações da prefeitura.

SÃO ZÉ – Por falar em Zé, o TCE aprovou suas contas de 2007 após recurso. Ele deve aproveitar sua nova passagem pela Europa para ir ao Vaticano já deixar encaminhado um pedido de canonização, caso consiga aprovação das contas de 2006 e 2008, o que caracterizaria os milagres necessários.

ARQUIVOS DO VÂNIO – Oposição em Ação inova e lança um novo quadro dentro do programa: “Os arquivos do Vânio”, com a participação dos convidados Afrânio Marques e Edson Vieira. O programa foi bem curto com duração de 7 minutos e 23 segundos para não ofuscar os arquivos da Polo, apresentado por Ernesto Maia. No repertório, apenas sucessos do passado, mas que repercutem bastante no presente.

FERNANDO ROUSSEFF – Fernando Aragão parece que se inspira nos discursos da Presidente Dilma na hora que usa os microfones. São tantas pérolas ditas pelo pré-candidato que o grupo de situação já pensa em pagar mais meia hora de programa de rádio para o adversário. “As falas de Fernando têm ajudado muito o governo.”

DONA LINDU AQUI – Alessandra Vieira fez um ensaio fotográfico com a família em uma praça que será inaugurada brevemente na cidade e confundiu o “euternauta”, que pensou que a primeira dama estaria em Recife no Parque Dona Lindu em pleno dia de entrega de obras da prefeitura. “Ela” é boa praça.

 “Não me queiram mal. Apenas pensem nisso sem ou com direito de resposta, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido.”

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

27
abril

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Romenyck Stiffen

Saída: Informações de bastidores da política de Brejo da Madre de Deus dão conta que o prefeito Dr. Edson (PTB), retirou Sr. Eliseu do cargo de subprefeito de São Domingos na terça-feira, 26.

De casa: Segundo a nossa fonte, quem assumirá o cargo de subprefeito de São Domingos nesta quarta-feira (27), será Isaias Carvalho, correligionário do grupo Boca Preta que é residente do distrito de São Domingos.

Reparo: Ao fazer essa mudança, Edson ameniza as críticas que vinha recebendo de seus correligionários do distrito, por ter colocado uma pessoa de fora para estar à frente da subprefeitura de São Domingos.

O vice: A desistência do vereador Galego de Mourinha (PTB) da pré-candidatura a vice na chapa do grupo Taboquinha coloca dois nomes na rota de discussão para vacância, são eles: o empresário Flávio Pontes (PTB) e o advogado Tallys Maia (PTN), os demais nomes que começam a surgir fazem parte das negociatas de bastidores ou dos holofotes midiáticos.

Dividido: O grupo taboquinha irá entrar em nova quebra de braço. De um lado estão os apoiadores de Flávio Pontes que vem em uma crescente nos últimos dias, já que o empresário está disposto a ocupar a vacância, do outro lado estão os seguidores de Zé Augusto Maia (PTN) que defende o nome de Tallys Maia, os seguidores de Zé defendem que o nome da vice deve ser indicado pelo ex-deputado.

Alfinetou: Por falar em disputa de vice, o presidente da Câmara de Santa Cruz, Afrânio Marques (PDT), alfinetou, no programa falando de política, alguns de seus concorrentes a vaga do tão sonhado cargo de vice do prefeito Edson Vieira (PSDB). Segundo Marques, o seu “nome está à disposição, a gente nunca colocou o nome “posto” como alguns colegas colocaram”.

Crescente: Correndo por fora, o nome de Joselito Pedro vem crescendo na disputa do vice de Edson Vieira para eleições municipais de 2016, mesmo não agradando a bancada situacionista da Câmara de Santa Cruz.

Estratégia: Pessoa escolhida a dedo por Joselito Pedro, Alberto Grillo (PSDB) vem fazendo um trabalho diferenciado no Teatro Municipal de Santa Cruz. Grillo será uns dos nomes da secretária de educação a tentar a vereança em Santa Cruz. Alberto é nome estratégico do grupo Boca Preta para eleições de 2016, pois sabendo do grande número de eleitores de Santa Cruz que reside em São Domingos, o prefeito Edson Vieira quer alguém do distrito no palanque.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

25
abril

Artigo – Por Adriano Oliveira

adriano oliveiraQual será a estratégia de Temer?

 

Paul Manafort é o novo estrategista do presidenciável republicano Donald Trump. Manafort sugeriu que Trump passasse a ser disciplinado. Não sei o que significa candidato disciplinado para Paul Manafort. Mas desconfio que o novo estrategista de Trump lhe aconselhou a não ser  sincero em demasia e abandonasse as polêmicas.

Michel Temer, o provável novo presidente da República, deveria, assim como fez Donald Trump, mudar de estrategista ou contrata um. Temer, aos poucos, é engolido pelos realismos eleitoral e econômico. Em razão disto, Michel Temer precisa ser estratégico. Pois se assim não for, corre o risco de ser uma decepção.

A presidente Dilma Rousseff deixará um grande desafio econômico para Temer. Reconheço que a presidente Dilma tentou fazer no início de 2015 as reformas liberais que o Brasil precisa. Mas a falta de liderança da presidente e a indisposição dos partidos de oposição possibilitaram que as reformas não fossem feitas. A oposição temia que as reformas possibilitassem que o Brasil retomasse o rumo do crescimento econômico e o PT fosse beneficiado na eleição de 2018.

Hoje, certamente, o PT tem essa mesma preocupação. As reformas liberais que o Brasil precisa caso sejam implementadas por Michel Temer podem favorecer o PMDB na eleição presidencial de 2018. Contudo, faço uma ressalva: em 2015, a presidente Dilma tinha tempo para obter os benefícios eleitorais das reformas liberais, após os custos advindos da aprovação de tais reformas. Michel Temer tem semelhante tempo?

A paralisia de Michel Temer em seu futuro governo lhe trará impopularidade, assim como reforçará a tese de que o impeachment da presidente Dilma foi um golpe. A não paralisia também. Mas se as medidas econômicas do provável presidente forem implantadas, ele poderá obter popularidade e, claro, sucesso eleitoral em 2018.

Michel Temer pode não vir a ser reeleito em 2018. Mas ele tem condições de ser reconhecido, após o seu curto mandato presidencial, como o presidente da República que recolocou o Brasil nos trilhos do desenvolvimento social e econômico. Mas Temer precisa optar em ser estadista ou candidato à reeleição. As duas opções não são excludentes. Mas o estadista não se preocupa com a impopularidade. O candidato à reeleição sim. Portanto, qual será a opção estratégica de Michel Temer?

.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

25
abril

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Romenyck Stiffen

Roda Gigante (I): De fato a semana não foi boa para o prefeito de Santa Cruz, Edson Vieira (PSDB), a discussão da Previdência e a denúncia de compras de voto não são bons temas para Vieira. Contudo, a política é uma roda gigante, em momento você está por baixo no outro você está por cima.

Roda Gigante (II): Se a semana foi ruim para Edson, o final de semana o jogou pra cima. A entrega de oito ruas pavimentadas no bairro Dona Lica II foi o fôlego extra que o prefeito precisava, mas a volta do ex-prefeito Ernando Silvestre (DEM) para o palanque do prefeito coroou o evento, pois é um passo para o DEM compor a super coligação.

Xô Zica: Bom! se a política é um roda gigante e o prefeito foi para parte de cima no final de semana, advinha que foi para parte de baixo? A Zica mais uma vez mudou de lado.

Dúvidas? (I): O posicionamento do ex-prefeito Ernando Silvestre em aderir ao projeto de Edson Vieira, faz com que as adiantadas conversas de Fernando Aragão (PTB) com a ex-vereadora Zilda Moraes (DEM) voltassem ao ponto de partida, sem direito a relargada. Não é fácil imaginar Zilda e Ernando em projetos diferentes.

Dúvidas? (II): Não é só o DEM que estaria voltando para os braços de Edson Vieira, pois as informações de bastidores apontam que o PHS não representa um apoio consolidado ao projeto de Fernando. Segundo as informações, as abelhinhas podem voltar a qualquer momento ao doce palanque azul.

Dúvidas? (III): Para deixar ainda mais os nervos do grupo Taboquinha a flor da pele, informações de bastidores apontam que o vereador Galego de Mourinha (PTB) poderá desistir de sua pré-candidatura a vice-prefeito.

.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

22
abril

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Romenyck StiffenDificuldades – A explanação do secretário de finanças de Santa Cruz do Capibaribe, Roberto Soares, na ultima terça-feira (19), na reunião de comissões da Câmara de Vereadores, apontaram as dificuldades financeiras do município, mas não imaginava que a situação era tão complicada a ponto de comemorar, na terra das confecções, a compra de 30 fardas com RECURSOS PRÓPRIOS.

Comemorou muito – Pois é! Através de nota da Gerência de Comunicação, a prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe comemorou e muito, na terra das confecções, a compra de 30 fardas com RECURSOS PRÓPRIOS para os agentes de trânsito e ao administrativo operacional da mobilidade do município.

Emenda – Sinceramente; não daria para imaginar que, na terra das confecções, a prefeitura não tivesse RECURSOS PRÓPRIOS para comprar 30 fardas, sendo necessário o prefeito Edson Vieira (PSDB) solicitar de um deputado federal uma emenda para aquisição do material.

Bom trabalho – Mesmo com o enorme exagero na comemoração da nota de assessoria, é necessário reconhecer que estão havendo melhorias na mobilidade urbana do município.

Pecado Capital – Em entrevista recente ao programa Cidade em Foco, o deputado Diogo Moraes (PSB) fez um levantamento das ações do governo Edson Vieira (PSDB) e afirmou que, diante de tanto trabalho realizado pelo grupo de Situação “O que a oposição tem e fala, é um sentimento dos sete pecados capitais que é a inveja, porque tiveram a oportunidade de trabalhar e não fizeram. Agora criticam coisas que beneficiam o povo”.

Por fora – O vereador e pré-candidato a prefeito pela oposição de Santa Cruz, Fernando Aragão (PTB), cometeu uma gafe ao questionar se a presidente do Santa Cruz PREV, Elaine Silva, seria concursada ou contratada. O parlamentar se equivocou, pois discutiu e aprovou um projeto que deixa bem claro que o presidente da instituição tem que ser do quadro efetivo do município.

Não é a primeira – O pré-candidato Fernando Aragão terá o desafio de falar mais com a razão do que com a emoção em seus discursos durante seu novo projeto. Pois não é a primeira vez que durante suas fortes falas saem gafes como essas. Termos como “capacho”, “cadeado”, “amontoado de bancas”, “trabalho de uma reunião” foram colocadas de forma equivocada em algumas frases de discursos que lhe marcam até o momento.

.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

21
abril

Artigo – Por Adriano Oliveira

Políticos são estrategistas?

adriano oliveira

Sempre recomendo aos políticos que sejam diferentes. Não dependam, exclusivamente, de acordos, da máquina partidária. Políticos sábios precisam ter imagem moderna, discurso republicano e interação com os eleitores. Os políticos modernos atendem ao desejo dos eleitores.

Durante a votação do impeachment da presidente Dilma, os políticos, em sua maioria, falaram da família, e esqueceram de falar do eleitor. Não é a família que elege o político. Mas o eleitor. Combate a corrupção e superação das crises foram descartados pelos políticos que votaram favoravelmente ao impeachment. Outros enfrentaram a máquina partidária e terão dificuldades de obterem sucesso na vindoura eleição municipal.

Políticos, repito, precisam ser sábios e modernos. Precisam ser estratégicos. E políticos não falam para a família, mas para o eleitor e não depende da máquina partidária. Mas do eleitor.

.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

20
abril

Resumório – A coluna do professor Tenório

Professor Tenório OK

 

AFRONTA À MATEMÁTICA – A votação da maioria dos deputados pela aceitação da abertura do processo de impeachment da presidente Dilma no último domingo foi para muitos uma verdadeira afronta à matemática e à democracia. Pela primeira vez se viu 342 ser maior que 54 milhões. Como diria o tio do Homem-Aranha: com grandes poderes vêm grandes responsabilidades. O poder que emanou do povo também pode se voltar contra o povo quando mal utilizado.

DEFINIÇÃO – Agora a definição de um “Jovem” leitor ou do leitor “Jovem” sobre o Presidente da Câmara: “Cunha é igual a um cano de esgoto. É sujo, mas precisam dele pra passar os dejetos”. Parece que muita gente vai inevitavelmente entrar pelo cano…

VOTAÇÃO HISTÓRICA – Não pensei que minha geração veria algo parecido com o que vi no último domingo. Sem dúvida alguma foi um dia que entrará para história desse país. Nunca antes na história do Brasil se viu deputados trabalhando num domingo até meia noite enquanto o povo descansava em casa.

INDÚSTRIA DO RISO – Quem se deu bem nessa história toda foi a turma do riso. Simultaneamente à votação, memes eram criados e compartilhados pelas redes sociais, repetindo homenagens descabidas em vez de justificativas, como fizeram os deputados.  A expectativa de boa parte que acompanhou a votação foi justamente o voto de Tiririca e a aparição de um novo meme. Isso é muito sintomático…

UM FILHO TEU NÃO FOGE À LUTA – Paulinho Coelho esteve presente em Brasília acompanhando in loco os acontecimentos históricos do último domingo. Sem pensar duas vezes, pegou um busão, partiu para a Capital Federal e armou um barraco por lá, literalmente. Parabéns ao companheiro, que ficou me devendo uma foto comendo pão com mortadela em Brasília!

A FONTE DA INGRATIDÃO – O deputado Eduardo da Fonte (PP), conhecido pela aproximação com o ex-presidente Lula, avaliou até os minutos finais a sua posição. Votou sim e já passa a ser considerado por alguns como ingrato. Decepcionou Dima(i)s alguns de seus fiéis eleitores. Só que a ingratidão na política é mais comum do que muita gente pensa.

CONSELHO INGRATO – Outro exemplo de ingratidão, dessa vez no âmbito municipal, é o caso do Conselheiro Tutelar majoritário nas últimas eleições, Ary de Poço Fundo. Segundo informações que obtive, a criatura estaria distante do criador. Não se vê Ary ao lado de Carlinhos da Cohab em nenhuma movimentação política, numa postura completamente diferente da do vereador no período da campanha para Conselho Tutelar. Às vezes, uma grande vitória pode se transformar numa grande perda…

CONSELHO AO EI – O “euternauta” manda um recado para o Estado Islâmico: Favor acompanhar as últimas informações sobre o Brasil. Já temos a zika e suas variações, a H1N1 com suas variações, 513 deputados federais especialistas em mandar abraços e beijos para família, além de PT e PSDB. Estamos acostumados com tanta desgracência que essas ameaças não nos causam pânico. Sugiro continuar investindo na Europa, pois o atual cenário não é favorável para investimentos estrangeiros.

SESSENTA? – O prefeito Edson Vieira quase emplacou uma semana e meia sem grandes peiticas em sua gestão. A do momento é referente ao não repasse à previdência municipal de pouco mais de um milhão e setecentos mil. A proposta do governo é dividir o débito em cinco anos em suaves prestações. Nem as férias dos trabalhadores da PE 160 demoraram tanto. Prolongar algo por tanto tempo assim só tinha visto Eduardo Cunha na comissão de ética que o investiga.

GRAVAÇÕES SECRETAS II – Representantes das entidades de classe dos servidores municipais se reuniram com o presidente da câmara esta semana para tratar sobre o parcelamento do débito da Previdência Municipal. Um dos representantes que aparentemente estava mais por fora que cotovelo de caminhoneiro gravou escondido toda a reunião e espalhou pelo whatsapp. Gravem isso: após Vânio Vieira, nenhuma reunião será apenas uma reunião…

PIPOCA COM ANGU – No último dia 16 aconteceu a comemoração do aniversário do vereador Pipoca. No cardápio angu com galinha e muita política, claro. Na campanha que promete ser mais difícil que fazer gargarejo de bruços, o jovem vereador segue se articulando para repetir o bom desempenho nas urnas que obteve em 2012.

 

 “Não me queiram mal. Apenas pensem nisso, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido.”

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

19
abril

Artigo – Por Adriano Oliveira

A tolice contemporânea

 

adriano oliveira..

 

Ser tolo não condiz com políticos e estrategistas. Estrategistas e políticos não podem ser tolos, eles precisam ser sábios. O debate contemporâneo brasileiro está recheado de tolices.

Recentemente, o Supremo Tribunal Federal (STF) definiu, preliminarmente, que o reajuste das dívidas dos Estados deve ser corrigido por juros simples e não por juros compostos. Diversos governadores já declararam apoio a tal decisão. Observo com preocupação a disposição dos governadores de apoiarem a decisão preliminar do STF. Os governadores sabem que se o pleno do STF decidir pela cobrança dos juros simples, os devedores dos Estados serão beneficiados. Portanto, Estados e União serão prejudicados.

O principal problema do Brasil é a crise fiscal. Como conter o crescimento da dívida pública? Esta indagação sugere que não cabe discussão quanto aos juros simples.  A reforma do Estado brasileiro é que precisa ser debatida. Nos âmbitos municipal, estadual e União, atores, no exercício do poder, precisam ter disposição para criar medidas que possibilitem o controle da dívida pública e o aumento do investimento público.

Reformas liberais são necessárias para a superação da crise. Este é um consenso entre economistas e gestores sábios. Quem está disposto a fazer reformas liberais? Qual presidente da República terá coragem de fazer uma radical reforma da Previdência?  Qual governador tem a consciência de que a dívida pública dos estados forma a divida pública da União, portanto, presidentes e governadores precisam cortar gastos e definir prioridades?

Apesar dos avanços sociais nos últimos 20 anos, o Brasil continua a ser um país fortemente desigual. Diversos ambientes sociais carecem fortemente da presença do Estado. Então, como implantar uma agenda liberal sem abrir mão de políticas sociais inclusivas? Este é o desafio. E a contemplação de tal desafio requer disposição dos atores políticos para enfrentar privilégios.

Como implantar reformas liberais em ambiente de regressão dos indicadores sociais? As conquistas sociais recentes estão se perdendo em razão das crises política e econômica. Certamente, independente do presidente da República, os eleitores, em ambiente de perdas sociais, não aceitarão as necessárias reformas liberais. Assim ocorrendo, como estes eleitores votarão na próxima eleição presidencial?  

 

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

17
abril

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Romenyck Stiffennnn

Discussão: Em conversa com um membro da bancada de vereadores de situação de Santa Cruz, o mesmo nos confidenciou que em breve será levantada a discussão estatutárias dos partidos políticos frente às novas regras eleitorais.

Esqueceram: Segundo o parlamentar, apesar de muitos políticos da cidade ter aproveitado o tempo de filiação estabelecida pela reforma eleitoral atual, “esqueceram” que alguns partidos estabelecem em seus estatutos o mínimo de tempo de filiação para garantir uma candidatura futura.

A lista: Na lista do parlamentar, vários políticos dos dois grupos da cidade não observaram esse detalhe. Contudo, o mesmo deu destaque aos nomes dos vereadores Ernesto Maia (PT) e Fernando Aragão (PTB).

Entendimento: Pelo entendimento do vereador, o pré-candidato a prefeito Fernando Aragão, não estaria atendendo ao estatuto do PTB, assim como o vereador Ernesto Maia também não supriria as exigências do estatuto do PT. Nesse contexto, ambos poderão concorrer à eleição sob-judice.

Entendimento: Em contato com o presidente municipal do PTB, o vereador Helinho Aragão, o mesmo afirmou que existe segurança sobre o tema, pois o corpo jurídico do partido tem outra interpretação.

A interpretação (I): Segundo Helinho “o caput do artigo 20 da lei 9.096/1995 não pode ser outra, a não ser de que o prazo superior previsto no estatuto serve de parâmetro para disputa interna dos partidos nas convenções, jamais como fundamento legitimador de impugnação, por adversários ao registro de candidatura de seu filiado, sob pena de se admitir, ao contrário da sólida posição do Supremo Tribunal Federal, delegação estatutária para criação de condição de elegibilidade, inclusive em desfavor da própria agremiação”.

A interpretação (II): Em contato com o vereador Ernesto Maia, o mesmo afirmou ter a mesma interpretação do vereador Helinho Aragão. Maia ainda citou o exemplo da vereadora do Recife, Marilia Arraes (PT), onde na ocasião da saída da parlamentar do PSB para o PT essa mesma discussão foi levantada e o PT teria dado todas as garantias à mesma. Vale lembrar, que assim como Ernesto, Marilia Arraes ainda não disputou eleição, após sua nova filiação para servir como jurisprudência.

Só começando: Uma coisa é certa, a eleição 2016 será diferenciada em todos os sentidos, principalmente no campo jurídico onde os advogados das coligações futuras trabalharão e muito para defender suas interpretações.

“União”: O evento realizado no ultimo sábado, 16/04, pelo vice-prefeito de Taquaritinga, Lero (PR), em busca de emplacar sua candidatura a prefeito pelo grupo Calabar pregou união, se falou em realizar uma pesquisa para escolher o candidato do grupo, se falou em reuniões do deputado estadual Diogo Moraes (PSB) com diversos setores do grupo sendo exaltado como o grande articulador da união.

União?: O problema é tentar convencer o eleitorado que o grupo Calabar está unido, mas o evento não contar com a presença do prefeito Evilásio Araújo (PSB), essa “união” não será fácil.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

15
abril

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Romenyck Stiffennn

 

Segurança prometida: Não é isso que você está pensando, não vou comentar aqui sobre a sensação de segurança pública prometida e não cumprida, mas sim, sobre a segurança prometida com a Previdência Própria de Santa Cruz, quando o projeto ainda estava em discussão.

Primeiro lugar: O problema é que o áudio de uma discussão entre o prefeito Edson Vieira (PSDB) e o vereador Afrânio Marques (PDT), gravado pelo vereador Vânio Vieira (PTB), demonstrou que não seria os pensionistas que estariam em primeiro plano na criação da Previdência Própria, mas sim, o caixa ou as contas da prefeitura.

Celeridade: No áudio que temos em mãos, o prefeito Edson Vieira cobrava na ocasião, celeridade ao vereador Afrânio Marques em relação ao projeto da previdência própria, pois, segundo o prefeito “o dinheiro estava faltando”.

Sem repassar: Em pouco mais de um ano de Previdência, o prefeito Edson Vieira já está com mais de um milhão e setecentos mil reais em atraso nos repasses para o Santa Cruz Prev, na parte patronal. A segurança prometida aos servidores, no projeto, era que em caso de atraso no repasse o montante seria debitado no FPM (Fundo de Participação dos Municípios).

Parcelamento: Durante a semana, o prefeito encaminhou um projeto de lei à Câmara municipal, solicitando dos vereadores a autorização para parcelar a divida de um milhão e setecentos mil reais, em 60 meses.

Pedalada?: Ao deixar de repassar o dinheiro para o Santa Cruz Prev, por falta de planejamento, para utilizar em outros setores da prefeitura, isso não configuraria uma pedalada? Pois, se o dinheiro não foi repassado, se deduz que ele deve ter sido utilizado em outro setor.

Confiança: O prefeito já atrasou mais de R$ 650 mil dos pensionistas e acordou como iria pagar a divida com os conselhos fiscalizadores do Santa Cruz Prev, um milhão e setecentos poderá ser parcelado em 60 vezes. Se um pouco mais de um ano a situação está desse jeito, quem garante que os atrasos nos repasses não irão virar rotina de parcelamento e o artigo da Lei de debitar no FPM não será descumprida?

Analisado: As comissões competentes para analisar o pedido de parcelamento estarão se reunindo próxima terça-feira (19) às 10h da manhã. Está nas mãos dos mesmos fazer valer a lei que discutiram e aprovaram onde esse dinheiro já deveria ter sido debitado no FPM ou aprovar um projeto, a pedido do prefeito, para parcelar um dinheiro que já deveria está na previdência? É bom ouvir os interessados, os servidores.

Ouvir: É bom ouvir os servidores, pois são os mais interessados e precisam da segurança prometida de quando o projeto estava em discussão. São os servidores que devem está em primeiro plano e não a falta de planejamento da prefeitura.

 

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

13
abril

Resumório – A coluna do professor Tenório

Professor Tenório OK
aaa

RESUMORIAL – Nunca antes na história dessa cidade se falou tanto em vice. São incontáveis as postagens em grupos de WhatsApp e em páginas de blogs que abordam o assunto. Hoje acrescentarei mais uma a esse infindável número. Farei com tranquilidade e alegria, mesmo sabendo que não terei a exclusividade da informação quando a coluna estiver publicada. Divulgar e parabenizar o novo vice aqui é motivo de alegria pra mim, independentemente do que alguns irão pensar. Mas antes é preciso dizer que ninguém chega a ser vice por acaso. Os caminhos são sempre espinhosos, há sempre aquele grupo que critica por criticar e espalha pessimismo. Acompanhei toda a movimentação da conflitante montagem de chapa, uma novela que parecia não ter fim com desejo de candidatura que acabou não se concretizando e diversas reuniões. Juventude ou experiência? Sinceramente, desde que haja trabalho, planejamento e vontade de contribuir não vejo idade como fator determinante para o sucesso. Parabéns David Helry e equipe e parabéns ao time de futsal Feminino do Ypiranga, vice-campeão da Copa Nordeste de Futsal. Um vice com a marca do trabalho e ousadia. Qualquer semelhança com outra novela local é mera coincidência.

TUDO É POSSÍVEL – Domingo será escrito mais um importante capítulo na história desse país. Tem gente que ainda não entendeu o tamanho da seriedade do que está acontecendo: Político trabalhando em Brasília no fim de semana e a Rede Globo mudando o dia e horário de transmissão do futebol mostram que a coisa é mais séria do que se pensa e tudo pode acontecer. Ou melhor, quase tudo. Uma cobertura imparcial da Globo já é querer demais…

DE BUSÃO PARA BRASÍLIA – Parece que a opção para fugir da crise que afeta o comércio vem diretamente de Brasília. Domingo promete um movimento maior do que qualquer feira de dezembro no Moda Center. Já pensaram o lucro que daria vender água mineral, quentinha, coxinha, pão com mortadela, caneta e cartolina pra fazer cartaz criativo. A grande questão é: Será que vai ter busão saindo da igreja de São Cristóvão para o Distrito Federal?

POLÍTICA INDIGESTA – Coxinha, “queijo do reino”, “bolo”, mortadela, acarajé e “merenda”! Qual será o próximo item do cardápio? Quantos escândalos ainda teremos que digerir? A verdade é que está cada vez mais difícil acreditar nos nossos governantes. Um bom apetite para todos em 2016!

EDIN BOM E EDIN RUIM – Os papeis se inverteram com os Edins de Brejo e Santa Cruz no quesito educação. Enquanto o daqui resolveu dar o reajuste de 11,36% sem precisar negociação com a categoria e quitou o retroativo atrasado, o do outro lado do rio deu reajuste zero, não recebeu a categoria na prefeitura para discutir os dez itens da pauta, chamou a polícia e colocou carro de som na rua dizendo que professor já ganha muito. “O futuro sempre vai repetir o passado enquanto a piscina estiver cheia de ratos”.

HAT-TRICK PARLAMENTAR – O “hat-trick” ocorre no futebol quando o jogador consegue fazer três gols na mesma partida. No Brasil, quando acontece, o jogador aparece no programa Fantástico com direito a escolher uma música. Pois não é que um vereador de oposição conseguiu a façanha de um hat-trick, ao ser condenado a pagar multa três vezes em três processos diferentes por excessos e acusações infundadas em um programa de rádio semanal. E ainda é o que aparece como mais votado nas pesquisas internas. Fantástico mesmo são as coisas que acontecem na política dessa cidade!

PESQUISA FALSIANE – Por falar em pesquisa, surgiu uma mais falsa que abraço de político em ano eleitoral. O instituto Alfa desmentiu quase instantaneamente a veracidade da pesquisa, inclusive alegando desespero político e má fé de quem a idealizou. Será que se divulgarem pesquisa apontando redução no índice da violência na cidade neste exato momento alguém vai acreditar?

QUEM FOI? – Já se sabe quem, inteligentemente, compartilhou a pesquisa em redes sociais. O mistério agora fica por conta do mentor intelectual dessa ideia mirabolante. Segundo alguém que não lembro quem, o melhor álibi é o de Zé Augusto, que estava na Alemanha durante a divulgação.

CAMARO X GATO – Camaro perde corrida para gato. Falando assim até parece uma fábula dos tempos modernos, mas não é. Trata-se do resultado da corrida de Prado que aconteceu na Vila do Pará no último fim de semana. O cavalo “Gato Brabo” venceu o cavalo “Camaro” de Natálio Arruda. Natálio não anda numa maré muito boa ultimamente. Se essa maré não mudar até as eleições, ele poderá, além de perder para Gato Brabo, perder para um Coelho zangado também.

 

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

11
abril

Artigo – Por Adriano Oliveira

A raposa e o porco-espinho

 

adriano oliveiraO porco-espinho sabe apenas uma coisa. Ele tem a certeza. O porco-espinho não considera outras possibilidades. A raposa sabe de várias coisas. Não tem a certeza. A raposa considera diversas possibilidades. Tais premissas advêm do cientista político Philip Tetlock.

 

Prefiro a raposa ao porco-espinho. Enquanto diversos atores afirmam que o impeachment ocorrerá, opto por mostrar que o impedimento da presidente Dilma ocorrerá ou não. Indicadores diversos mostram que a incerteza predomina. Impedimentos de presidentes da República representam jogos de soma-zero. Isto é: só é possível existir um vencedor.

 

Caso a presidente Dilma sofra o impedimento, o PT cooperará com o governo Temer? Os manifestantes contrários ao impedimento da presidente aceitarão o resultado ou protestarão intensamente nas ruas? E se a presidente Dilma não sofrer o impeachment, a oposição estenderá as mãos para a presidente? Os manifestantes que hoje vão às ruas defender o impeachment aceitarão o resultado e não mais protestarão contra a presidente Dilma?

 

O impeachment, sem “acordão”, não é a solução para crise. Esta é uma obviedade para a raposa. Mas não é para o porco-espinho. O ideal era que após a votação do impeachment, independente do resultado, todos ofertassem voto de confiança ao vencedor e processos de cooperação ocorressem. Mas não vislumbro, neste instante, a cooperação.

 

O impeachment ou o não impeachment poderá provocar consequências institucionais relevantes. Futuros presidentes da República reprovados entre os eleitores e inaptos para o exercício do cargo ficarão sujeitos à mágoa do PT e de outras agremiações. Pedidos de impedimentos, assim como ocorreu na era FHC, voltarão a ser corriqueiros. A instabilidade institucional poderá surgir.  O não impeachment frustrará a expectativa de diversos atores estratégicos. A frustação poderá elevar os conflitos em todos os espaços adequados para manifestações.

 

Qual é, então, a solução para as crises? A raposa, certa vez, sugeriu o “acordão” entre os diversos atores institucionais. O “acordão” pode ser construído com impeachment ou sem impeachment. Mas que tal com novas eleições gerais?

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

Notícias Anteriores


 

error: Copiando nosso texto?