04
maio

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Romenyck Stiffen

Cadeira cativa: Acompanhando semanalmente os programas radiofônicos liderados pelo prefeito Edson Vieira (PSDB), podemos observar que duas pessoas são cadeiras cativas nos mesmos, são elas: Jéssica Cavalcante (PSDB) e Joselito Pedro (PSB).

Reflexo: A participação garantida de Jéssica e Joselito pode estar ligada às diversas provas de lealdades dos mesmos a atual gestão do prefeito Edson Vieira. Lealdade é uma das palavras chaves para uma possível nova gestão de Edson, nesse contexto os dois professores podem ser o reflexo da preferência de Vieira na Câmara e na vice.

Ciumeira: A verdade é que essas cadeiras cativas vêm ocasionando muitos ciúmes no pomposo ninho boca pretas, vários vereadores e pré-candidatos estão reclamando do pouco ou quase nenhum espaço na mídia do grupo, lembrando que esse ano os pré-candidatos a vereadores vão ter que se virar para divulgar os nomes, número e trabalho.

Torre de Babel (I): Enquanto os programas do prefeito Edson Vieira têm uma linha em comum e seus nomes preferenciais, a oposição tem três programas que o único ponto em comum é fechar os olhos e soltar a ripa na administração. No entanto, não existe uma linguagem que identifique a unidade do grupo, mas sim as alas dentro do mesmo.

Torre de Babel (II): Durante a semana podemos observar “o programa José Augusto Maia – Comando Geral”, a chapinha do PTN, ao sábado o programa do “Oposição em Ação”, o chapão, e o “Falando Honestamente”, e que honestamente Fernando Aragão tem muito trabalho pela frente em grupo extremamente desarticulado.

Escancarou: A desistência do vereador Galego de Mourinha (PTB), de compor a majoritária do grupo Taboquinha nas eleições de 2016, escancarou a fragilidade do grupo que ainda se encontra em uma crise sem precedentes, em um cenário de incertezas, com pouco tempo para se organizar.

Cuba: Ao ser questionado, pelo blogueiro Alisson Torres, sobre a possibilidade de o prefeito de Brejo da Madre de Deus, Dr. Edson (PTB), ser candidato para um terceiro mandato consecutivo, Roberto Asfora ironizou afirmando que essa possibilidade seria viável em Cuba, já que se trata de uma ditadura.

.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

03
maio

Artigo – Por Adriano Oliveira

O futuro do PT

adriano oliveira

Luis Inácio Lula da Silva foi eleito presidente da República em 2002 após três derrotas seguidas. Não existia, naquela época, a expectativa de que o lulismo viesse a existir. Aliás, estava presente na mente dos eleitores a desconfiança e a esperança. No mercado financeiro e no setor produtivo a desconfiança existia. Com o objetivo de tranquilizar estes setores, o então candidato Lula divulga a Carta aos Brasileiros.

O Partido dos Trabalhadores nasce como grife em 1989. O PT representava para parte dos eleitores a esperança de um Brasil mais justo socialmente e livre da corrupção. O Lula era o principal líder do PT. Nesta época, em razão da não existência do lulismo, não estava claro se o PT alavancava Lula ou o Lula alavancava o PT. No ano de 2006, quando Lula disputa a reeleição, identifiquei que o Lula que alavancava o PT. Pois o lulismo representava um consenso entre a maioria dos eleitores brasileiros. Ao contrário do petismo.

Na eleição de 2010, a força do lulismo ficou evidente. Na era Lula, o poder simbólico do lulismo foi construído. Lula era a esperança dos pobres. Tinha a desconfiança da classe média, mas representava para ela o instrumento mais seguro para a expansão ou manutenção do bem-estar. Nas classes mais abastardas, o Lula não agradava. Já era visível o surgimento da rejeição a ele nas classes A. O mercado e o setor financeiro chegaram a amar o Lula. Mas em 2010, inquietações eram observadas nestes setores.

Em meados de 2005, o PT e o Lula passam a conviver com denúncias de corrupção. A partir de 2013, fortes e frequentes acusações atingem ambos. A admiração dos brasileiros para com o PT e para com o Lula declina fortemente. Petismo e lulismo perdem força entre os eleitores. Contudo, até o instante, nenhum ator político e agremiação partidária conseguiram superá-los na admiração dos eleitores.

Qual é o futuro do PT? O futuro do PT está atrelado ao futuro do lulismo. Neste instante, o lulismo ainda vive, apesar de está enfraquecido. Mas poderá readquirir força. Para isto ocorrer, basta que o governo do futuro presidente Michel Temer decepcione. Mas caso não decepcione, o lulismo tem adeptos no ambiente formado por eleitores que admiram o Estado, defendem políticas sociais e têm o Lula como o melhor presidente do Brasil. Portanto, a reconstrução do petismo em curto prazo depende fortemente da recuperação do lulismo.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

02
maio

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Romenyck Stiffen

Dois e meio: Durante o programa “Oposição em Ação” do último sábado, 30/04, o vereador Ernesto Maia (PT) garantiu que teria documentos comprovando que o prefeito deixou de repassar mais de dois milhões e meio ao Santa Cruz Prev e não, um milhão e setecentos mil como foi anunciado.

Reação: A aprovação do projeto que parcelou a dívida da Prefeitura com o Santa Cruz Prev em 48 vezes, causou reações negativas ao prefeito Edson vieira (PSDB) e a bancada de situação. Servidores públicos estamparam fotos do prefeito e dos parlamentares com a legenda “inimigos dos servidores”. Durante o Bregaribe, o vereador Afrânio Marques e o prefeito Edson Vieira foram recepcionados por vaias, por uma parte do público presente.

Confronto: Nos últimos dias, a prefeitura de Brejo da Madre de Deus está em uma verdadeira quebra de braço com o SINDUPROM-PE, no que diz respeito à pauta de reivindicações dos professores do município em relação à educação.

Bastidores: Essa rivalidade fez com que pessoas ligadas à gestão de Dr. Edson (PTB) propagassem com veemência nas redes sociais, o arquivamento do processo de pedido de registro sindical do SINDUPROM-PE, publicado no Diário oficial da União no mês de abril.

Faltou: Em contato com a representante do SINDUMPRO-PE em nossa região, Luciene Cordeiro, a mesma alegou que se trata da carta sindical. Segundo Luciene, o ministério alegou a falta de um documento que não foi anexado, mas que o sindicato já recorreu da decisão.

 

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

30
abril

Comédia teatral “Só é corno quem quer” encerra temporada nesse fim de semana

02Fotos: Divulgação

Neste último fim de semana acontecem as duas últimas apresentações da peça teatral “Só é corno quem quer”.

A comédia, com texto de Durval Cunha e protagonizada pela companhia de teatro Só de Deboche, mostra situações inusitadas envolvendo os quatro atores, onde é contada a história de um escritor que elabora um livro sobre as dificuldades entorno da relação a dois, porém, na divulgação do candidato a ‘Best-Seller’, uma série de imprevistos cômicos acontecem, colocando em cheque a programação idealizada pelo dito escritor.

O espetáculo é composto por momentos complexos que rondam os relacionamentos humanos, tudo de uma maneira bem descontraída e humorada.

01

.03

.04

A peça acontece neste sábado (30) e domingo (01) no Teatro Municipal de Santa Cruz do Capibaribe a partir das 20h. Os ingressos, ao preço de R$ 10,00 (R$ 5,00 a meia entrada), podem ser adquiridos na bilheteria.

29
abril

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Romenyck Stiffen

Segundo Plano: Já havia dito nessas curtinhas que ficou provado em um áudio de uma discussão entre o prefeito Edson Vieira (PSDB) e o vereador Afrânio Marques (PDT), gravado pelo vereador Vânio Vieira (PTB), demonstrou que não seriam os pensionistas que estariam em primeiro plano na criação da Previdência Própria, mas sim o caixa ou as contas da prefeitura.

O áudio: No áudio que temos em mãos, o prefeito Edson Vieira cobrava, na ocasião, celeridade ao vereador Afrânio Marques em relação ao projeto da previdência própria, pois, segundo o prefeito “o dinheiro estava faltando”.

O Parcelamento: Pois bem, como todos sabem o prefeito encaminhou um projeto de lei à Câmara municipal solicitando dos vereadores a autorização para parcelar a dívida, do repasse para previdência própria, de um milhão e setecentos mil reais em 60 meses.

Aprovou: Mesmo contra a vontade dos servidores efetivos, os vereadores situacionistas Afrânio Marques, Zé Elias, Zezin Buxim, Junior Gomes, Narah Leandro, Pipoca, Dida de Nan, Luciano Bezerra e Ronaldo Pacas aprovaram o parcelamento da dívida.

Nação Azul: A comemoração da vereadora Narah Leandro (PSB), nas redes sociais mostrou que de fato o servidor público ficou em segundo plano mais uma vez, vejamos a fala da vereadora: “A nação azul hoje fez a diferença na Câmara de vereadores!!! Expulsou os que querem o atraso e garantiu a aprovação do projeto que garante o bom andamento da gestão Edson Vieira! Vocês fizeram a diferença!!! Obrigada(terminando com um coração azul)”.

Compareceu: De fato a nação azul citada pela vereadora Narah Leandro compareceu para tentar desarticular o protesto anunciado pelos servidores efetivos do município. A nação azul estava representada por servidores contratados, onde boa parte estava com a boca pintada de azul, que não fazem parte da Previdência Própria, ou seja, não era o futuro dos mesmos que estavam em jogo, ou estava?

Não resolveu: Já o vereador Ronaldo Pacas, em participação em um grupo de WhatsApp!, justificou que não participou de uma audiência com os servidores na última quarta-feira, 27, porque na mesma “nada se resolveu” e “ouvir pessoas com discurso político”. De fato não resolveu, pois o prefeito Edson Vieira (PSDB) se quer atendeu o primeiro encaminhamento da audiência que seria tirar a urgência do projeto para poder dialogar sobre o mesmo.

Discurso Político?: O que seria o discurso político insinuado por Ronaldo? A coordenação da audiência por Gilmar da Saúde, Elieudes Bezerra, Luciene Cordeiro e os demais representantes dos sindicatos ou os diversos discursos dos servidores em prol do seu futuro. Ato politiqueiro existe por parte de grupos de pessoas dos dois lados políticos da cidade, mas não precisava menosprezar a audiência realizada pelos sindicatos.

Precedentes: O projeto do parcelamento pode até ser legal, mas será que é moral? O mesmo desrespeitou a discussão e aprovação do projeto que criou a previdência própria, além de abrir precedente para o gestor atual e os próximos, sempre que precisar parcelar alguns repasses de milhões que pertencem aos servidores.

.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

27
abril

Resumório – A coluna do professor Tenório

RESUMÓRIO

Professor Tenório OK

DESISTÊNCIA PREVISÍVEL – Faz dias que o pré-candidato a vice-prefeito pelo grupo de oposição vinha dando sinais de que desistiria dessa disputa. Na política, um “pode” dito muitas vezes e por muita gente é “quase” uma “certeza”. O fato é que o celular de Galego esses dias tocou mais que berimbau em roda de capoeira. Vai começar tudo de nooooovo…

O PORQUÊ – Entre falsas surpresas, prejuízo de estratégia e desencontro de explicações, resta esclarecer a todos que, após ter lutado e insistido pra ser vice, só agora Galego descobriu que é melhor não sair candidato. Qualquer história que surja sobre pesquisas internas desfavoráveis que apontam derrota serão meras especulações. Eu não acredito nisso! Às vezes, uma desistência é apenas uma desistência, mesmo quando a vitória é (IN) CERTA…

A VEZ DO ESQUECIDO? – Esquecido por UM, lembrado por muitos. Assim é o vereador Carlinhos da Cohab, que ao ser pergunta se aceitaria ser o vice, não pensou duas vezes e disse que se for com a união do grupo aceita na hora. Ele já quis um conselheiro tutelar como aliado fiel e uma chapinha, agora quer ser vice. Não estranhem se ele lançar candidatura para prefeito ou até mesmo para deputado em 2018, numa clara demonstração que foi contaminado pela síndrome Maia.

VOLTA TALLYS – Em meio à polêmica da mudança na vaga de vice com a saída de Galego, surgem os adeptos do “Volta Tallys”. Mas há quem defenda a ideia de que é preciso construir “Pontes”. Enfim, seja o que Zé quiser!

PALANQUE DE PESO – A entrega das oito ruas pavimentadas no Dona Lica II começou com uma apresentação de zumba para testar a resistência do “palcolanque”, pois precisa ser muito forte para suportar tanta gente aderindo à onda azul.

PALANQUE MAIS AZUL – Após anos de reflexão e momentos antes de subir no palcolanque também, Ernando Silvestre descobriu que a cor de seus olhos não combinava com vermelho e resolveu azular ainda mais o grupo de situação. O partido não DEMora a vir e outros nomes também…

O AMOR E O PODER – Quem mais deve ter ficado feliz com a adesão do Galeguin do Zói Azul e as afirmações que nem ele nem seu filho Elói sairão candidatos foi a pré-candidata a vereadora Deusa Silvestre. Ela não deve tirar a música de Rosana da cabeça: “Como uma Deusa, você me mantém e os votos que você me traz me levam além…”.

FIM DO BOLÃO – Antes da inauguração, foi feito um bolão para ver quem não iria comparecer ao evento, Paulinho ou o deputado Diogo Morais. Quem apostou que Paulinho não iria se deu mal. Em breve, Zé Augusto terá mais idas à Europa este ano do que presenças de Diogo em inaugurações da prefeitura.

SÃO ZÉ – Por falar em Zé, o TCE aprovou suas contas de 2007 após recurso. Ele deve aproveitar sua nova passagem pela Europa para ir ao Vaticano já deixar encaminhado um pedido de canonização, caso consiga aprovação das contas de 2006 e 2008, o que caracterizaria os milagres necessários.

ARQUIVOS DO VÂNIO – Oposição em Ação inova e lança um novo quadro dentro do programa: “Os arquivos do Vânio”, com a participação dos convidados Afrânio Marques e Edson Vieira. O programa foi bem curto com duração de 7 minutos e 23 segundos para não ofuscar os arquivos da Polo, apresentado por Ernesto Maia. No repertório, apenas sucessos do passado, mas que repercutem bastante no presente.

FERNANDO ROUSSEFF – Fernando Aragão parece que se inspira nos discursos da Presidente Dilma na hora que usa os microfones. São tantas pérolas ditas pelo pré-candidato que o grupo de situação já pensa em pagar mais meia hora de programa de rádio para o adversário. “As falas de Fernando têm ajudado muito o governo.”

DONA LINDU AQUI – Alessandra Vieira fez um ensaio fotográfico com a família em uma praça que será inaugurada brevemente na cidade e confundiu o “euternauta”, que pensou que a primeira dama estaria em Recife no Parque Dona Lindu em pleno dia de entrega de obras da prefeitura. “Ela” é boa praça.

 “Não me queiram mal. Apenas pensem nisso sem ou com direito de resposta, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido.”

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

27
abril

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Romenyck Stiffen

Saída: Informações de bastidores da política de Brejo da Madre de Deus dão conta que o prefeito Dr. Edson (PTB), retirou Sr. Eliseu do cargo de subprefeito de São Domingos na terça-feira, 26.

De casa: Segundo a nossa fonte, quem assumirá o cargo de subprefeito de São Domingos nesta quarta-feira (27), será Isaias Carvalho, correligionário do grupo Boca Preta que é residente do distrito de São Domingos.

Reparo: Ao fazer essa mudança, Edson ameniza as críticas que vinha recebendo de seus correligionários do distrito, por ter colocado uma pessoa de fora para estar à frente da subprefeitura de São Domingos.

O vice: A desistência do vereador Galego de Mourinha (PTB) da pré-candidatura a vice na chapa do grupo Taboquinha coloca dois nomes na rota de discussão para vacância, são eles: o empresário Flávio Pontes (PTB) e o advogado Tallys Maia (PTN), os demais nomes que começam a surgir fazem parte das negociatas de bastidores ou dos holofotes midiáticos.

Dividido: O grupo taboquinha irá entrar em nova quebra de braço. De um lado estão os apoiadores de Flávio Pontes que vem em uma crescente nos últimos dias, já que o empresário está disposto a ocupar a vacância, do outro lado estão os seguidores de Zé Augusto Maia (PTN) que defende o nome de Tallys Maia, os seguidores de Zé defendem que o nome da vice deve ser indicado pelo ex-deputado.

Alfinetou: Por falar em disputa de vice, o presidente da Câmara de Santa Cruz, Afrânio Marques (PDT), alfinetou, no programa falando de política, alguns de seus concorrentes a vaga do tão sonhado cargo de vice do prefeito Edson Vieira (PSDB). Segundo Marques, o seu “nome está à disposição, a gente nunca colocou o nome “posto” como alguns colegas colocaram”.

Crescente: Correndo por fora, o nome de Joselito Pedro vem crescendo na disputa do vice de Edson Vieira para eleições municipais de 2016, mesmo não agradando a bancada situacionista da Câmara de Santa Cruz.

Estratégia: Pessoa escolhida a dedo por Joselito Pedro, Alberto Grillo (PSDB) vem fazendo um trabalho diferenciado no Teatro Municipal de Santa Cruz. Grillo será uns dos nomes da secretária de educação a tentar a vereança em Santa Cruz. Alberto é nome estratégico do grupo Boca Preta para eleições de 2016, pois sabendo do grande número de eleitores de Santa Cruz que reside em São Domingos, o prefeito Edson Vieira quer alguém do distrito no palanque.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

25
abril

Artigo – Por Adriano Oliveira

adriano oliveiraQual será a estratégia de Temer?

 

Paul Manafort é o novo estrategista do presidenciável republicano Donald Trump. Manafort sugeriu que Trump passasse a ser disciplinado. Não sei o que significa candidato disciplinado para Paul Manafort. Mas desconfio que o novo estrategista de Trump lhe aconselhou a não ser  sincero em demasia e abandonasse as polêmicas.

Michel Temer, o provável novo presidente da República, deveria, assim como fez Donald Trump, mudar de estrategista ou contrata um. Temer, aos poucos, é engolido pelos realismos eleitoral e econômico. Em razão disto, Michel Temer precisa ser estratégico. Pois se assim não for, corre o risco de ser uma decepção.

A presidente Dilma Rousseff deixará um grande desafio econômico para Temer. Reconheço que a presidente Dilma tentou fazer no início de 2015 as reformas liberais que o Brasil precisa. Mas a falta de liderança da presidente e a indisposição dos partidos de oposição possibilitaram que as reformas não fossem feitas. A oposição temia que as reformas possibilitassem que o Brasil retomasse o rumo do crescimento econômico e o PT fosse beneficiado na eleição de 2018.

Hoje, certamente, o PT tem essa mesma preocupação. As reformas liberais que o Brasil precisa caso sejam implementadas por Michel Temer podem favorecer o PMDB na eleição presidencial de 2018. Contudo, faço uma ressalva: em 2015, a presidente Dilma tinha tempo para obter os benefícios eleitorais das reformas liberais, após os custos advindos da aprovação de tais reformas. Michel Temer tem semelhante tempo?

A paralisia de Michel Temer em seu futuro governo lhe trará impopularidade, assim como reforçará a tese de que o impeachment da presidente Dilma foi um golpe. A não paralisia também. Mas se as medidas econômicas do provável presidente forem implantadas, ele poderá obter popularidade e, claro, sucesso eleitoral em 2018.

Michel Temer pode não vir a ser reeleito em 2018. Mas ele tem condições de ser reconhecido, após o seu curto mandato presidencial, como o presidente da República que recolocou o Brasil nos trilhos do desenvolvimento social e econômico. Mas Temer precisa optar em ser estadista ou candidato à reeleição. As duas opções não são excludentes. Mas o estadista não se preocupa com a impopularidade. O candidato à reeleição sim. Portanto, qual será a opção estratégica de Michel Temer?

.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

25
abril

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Romenyck Stiffen

Roda Gigante (I): De fato a semana não foi boa para o prefeito de Santa Cruz, Edson Vieira (PSDB), a discussão da Previdência e a denúncia de compras de voto não são bons temas para Vieira. Contudo, a política é uma roda gigante, em momento você está por baixo no outro você está por cima.

Roda Gigante (II): Se a semana foi ruim para Edson, o final de semana o jogou pra cima. A entrega de oito ruas pavimentadas no bairro Dona Lica II foi o fôlego extra que o prefeito precisava, mas a volta do ex-prefeito Ernando Silvestre (DEM) para o palanque do prefeito coroou o evento, pois é um passo para o DEM compor a super coligação.

Xô Zica: Bom! se a política é um roda gigante e o prefeito foi para parte de cima no final de semana, advinha que foi para parte de baixo? A Zica mais uma vez mudou de lado.

Dúvidas? (I): O posicionamento do ex-prefeito Ernando Silvestre em aderir ao projeto de Edson Vieira, faz com que as adiantadas conversas de Fernando Aragão (PTB) com a ex-vereadora Zilda Moraes (DEM) voltassem ao ponto de partida, sem direito a relargada. Não é fácil imaginar Zilda e Ernando em projetos diferentes.

Dúvidas? (II): Não é só o DEM que estaria voltando para os braços de Edson Vieira, pois as informações de bastidores apontam que o PHS não representa um apoio consolidado ao projeto de Fernando. Segundo as informações, as abelhinhas podem voltar a qualquer momento ao doce palanque azul.

Dúvidas? (III): Para deixar ainda mais os nervos do grupo Taboquinha a flor da pele, informações de bastidores apontam que o vereador Galego de Mourinha (PTB) poderá desistir de sua pré-candidatura a vice-prefeito.

.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

22
abril

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Romenyck StiffenDificuldades – A explanação do secretário de finanças de Santa Cruz do Capibaribe, Roberto Soares, na ultima terça-feira (19), na reunião de comissões da Câmara de Vereadores, apontaram as dificuldades financeiras do município, mas não imaginava que a situação era tão complicada a ponto de comemorar, na terra das confecções, a compra de 30 fardas com RECURSOS PRÓPRIOS.

Comemorou muito – Pois é! Através de nota da Gerência de Comunicação, a prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe comemorou e muito, na terra das confecções, a compra de 30 fardas com RECURSOS PRÓPRIOS para os agentes de trânsito e ao administrativo operacional da mobilidade do município.

Emenda – Sinceramente; não daria para imaginar que, na terra das confecções, a prefeitura não tivesse RECURSOS PRÓPRIOS para comprar 30 fardas, sendo necessário o prefeito Edson Vieira (PSDB) solicitar de um deputado federal uma emenda para aquisição do material.

Bom trabalho – Mesmo com o enorme exagero na comemoração da nota de assessoria, é necessário reconhecer que estão havendo melhorias na mobilidade urbana do município.

Pecado Capital – Em entrevista recente ao programa Cidade em Foco, o deputado Diogo Moraes (PSB) fez um levantamento das ações do governo Edson Vieira (PSDB) e afirmou que, diante de tanto trabalho realizado pelo grupo de Situação “O que a oposição tem e fala, é um sentimento dos sete pecados capitais que é a inveja, porque tiveram a oportunidade de trabalhar e não fizeram. Agora criticam coisas que beneficiam o povo”.

Por fora – O vereador e pré-candidato a prefeito pela oposição de Santa Cruz, Fernando Aragão (PTB), cometeu uma gafe ao questionar se a presidente do Santa Cruz PREV, Elaine Silva, seria concursada ou contratada. O parlamentar se equivocou, pois discutiu e aprovou um projeto que deixa bem claro que o presidente da instituição tem que ser do quadro efetivo do município.

Não é a primeira – O pré-candidato Fernando Aragão terá o desafio de falar mais com a razão do que com a emoção em seus discursos durante seu novo projeto. Pois não é a primeira vez que durante suas fortes falas saem gafes como essas. Termos como “capacho”, “cadeado”, “amontoado de bancas”, “trabalho de uma reunião” foram colocadas de forma equivocada em algumas frases de discursos que lhe marcam até o momento.

.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

21
abril

Artigo – Por Adriano Oliveira

Políticos são estrategistas?

adriano oliveira

Sempre recomendo aos políticos que sejam diferentes. Não dependam, exclusivamente, de acordos, da máquina partidária. Políticos sábios precisam ter imagem moderna, discurso republicano e interação com os eleitores. Os políticos modernos atendem ao desejo dos eleitores.

Durante a votação do impeachment da presidente Dilma, os políticos, em sua maioria, falaram da família, e esqueceram de falar do eleitor. Não é a família que elege o político. Mas o eleitor. Combate a corrupção e superação das crises foram descartados pelos políticos que votaram favoravelmente ao impeachment. Outros enfrentaram a máquina partidária e terão dificuldades de obterem sucesso na vindoura eleição municipal.

Políticos, repito, precisam ser sábios e modernos. Precisam ser estratégicos. E políticos não falam para a família, mas para o eleitor e não depende da máquina partidária. Mas do eleitor.

.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

20
abril

Resumório – A coluna do professor Tenório

Professor Tenório OK

 

AFRONTA À MATEMÁTICA – A votação da maioria dos deputados pela aceitação da abertura do processo de impeachment da presidente Dilma no último domingo foi para muitos uma verdadeira afronta à matemática e à democracia. Pela primeira vez se viu 342 ser maior que 54 milhões. Como diria o tio do Homem-Aranha: com grandes poderes vêm grandes responsabilidades. O poder que emanou do povo também pode se voltar contra o povo quando mal utilizado.

DEFINIÇÃO – Agora a definição de um “Jovem” leitor ou do leitor “Jovem” sobre o Presidente da Câmara: “Cunha é igual a um cano de esgoto. É sujo, mas precisam dele pra passar os dejetos”. Parece que muita gente vai inevitavelmente entrar pelo cano…

VOTAÇÃO HISTÓRICA – Não pensei que minha geração veria algo parecido com o que vi no último domingo. Sem dúvida alguma foi um dia que entrará para história desse país. Nunca antes na história do Brasil se viu deputados trabalhando num domingo até meia noite enquanto o povo descansava em casa.

INDÚSTRIA DO RISO – Quem se deu bem nessa história toda foi a turma do riso. Simultaneamente à votação, memes eram criados e compartilhados pelas redes sociais, repetindo homenagens descabidas em vez de justificativas, como fizeram os deputados.  A expectativa de boa parte que acompanhou a votação foi justamente o voto de Tiririca e a aparição de um novo meme. Isso é muito sintomático…

UM FILHO TEU NÃO FOGE À LUTA – Paulinho Coelho esteve presente em Brasília acompanhando in loco os acontecimentos históricos do último domingo. Sem pensar duas vezes, pegou um busão, partiu para a Capital Federal e armou um barraco por lá, literalmente. Parabéns ao companheiro, que ficou me devendo uma foto comendo pão com mortadela em Brasília!

A FONTE DA INGRATIDÃO – O deputado Eduardo da Fonte (PP), conhecido pela aproximação com o ex-presidente Lula, avaliou até os minutos finais a sua posição. Votou sim e já passa a ser considerado por alguns como ingrato. Decepcionou Dima(i)s alguns de seus fiéis eleitores. Só que a ingratidão na política é mais comum do que muita gente pensa.

CONSELHO INGRATO – Outro exemplo de ingratidão, dessa vez no âmbito municipal, é o caso do Conselheiro Tutelar majoritário nas últimas eleições, Ary de Poço Fundo. Segundo informações que obtive, a criatura estaria distante do criador. Não se vê Ary ao lado de Carlinhos da Cohab em nenhuma movimentação política, numa postura completamente diferente da do vereador no período da campanha para Conselho Tutelar. Às vezes, uma grande vitória pode se transformar numa grande perda…

CONSELHO AO EI – O “euternauta” manda um recado para o Estado Islâmico: Favor acompanhar as últimas informações sobre o Brasil. Já temos a zika e suas variações, a H1N1 com suas variações, 513 deputados federais especialistas em mandar abraços e beijos para família, além de PT e PSDB. Estamos acostumados com tanta desgracência que essas ameaças não nos causam pânico. Sugiro continuar investindo na Europa, pois o atual cenário não é favorável para investimentos estrangeiros.

SESSENTA? – O prefeito Edson Vieira quase emplacou uma semana e meia sem grandes peiticas em sua gestão. A do momento é referente ao não repasse à previdência municipal de pouco mais de um milhão e setecentos mil. A proposta do governo é dividir o débito em cinco anos em suaves prestações. Nem as férias dos trabalhadores da PE 160 demoraram tanto. Prolongar algo por tanto tempo assim só tinha visto Eduardo Cunha na comissão de ética que o investiga.

GRAVAÇÕES SECRETAS II – Representantes das entidades de classe dos servidores municipais se reuniram com o presidente da câmara esta semana para tratar sobre o parcelamento do débito da Previdência Municipal. Um dos representantes que aparentemente estava mais por fora que cotovelo de caminhoneiro gravou escondido toda a reunião e espalhou pelo whatsapp. Gravem isso: após Vânio Vieira, nenhuma reunião será apenas uma reunião…

PIPOCA COM ANGU – No último dia 16 aconteceu a comemoração do aniversário do vereador Pipoca. No cardápio angu com galinha e muita política, claro. Na campanha que promete ser mais difícil que fazer gargarejo de bruços, o jovem vereador segue se articulando para repetir o bom desempenho nas urnas que obteve em 2012.

 

 “Não me queiram mal. Apenas pensem nisso, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido.”

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

19
abril

Artigo – Por Adriano Oliveira

A tolice contemporânea

 

adriano oliveira..

 

Ser tolo não condiz com políticos e estrategistas. Estrategistas e políticos não podem ser tolos, eles precisam ser sábios. O debate contemporâneo brasileiro está recheado de tolices.

Recentemente, o Supremo Tribunal Federal (STF) definiu, preliminarmente, que o reajuste das dívidas dos Estados deve ser corrigido por juros simples e não por juros compostos. Diversos governadores já declararam apoio a tal decisão. Observo com preocupação a disposição dos governadores de apoiarem a decisão preliminar do STF. Os governadores sabem que se o pleno do STF decidir pela cobrança dos juros simples, os devedores dos Estados serão beneficiados. Portanto, Estados e União serão prejudicados.

O principal problema do Brasil é a crise fiscal. Como conter o crescimento da dívida pública? Esta indagação sugere que não cabe discussão quanto aos juros simples.  A reforma do Estado brasileiro é que precisa ser debatida. Nos âmbitos municipal, estadual e União, atores, no exercício do poder, precisam ter disposição para criar medidas que possibilitem o controle da dívida pública e o aumento do investimento público.

Reformas liberais são necessárias para a superação da crise. Este é um consenso entre economistas e gestores sábios. Quem está disposto a fazer reformas liberais? Qual presidente da República terá coragem de fazer uma radical reforma da Previdência?  Qual governador tem a consciência de que a dívida pública dos estados forma a divida pública da União, portanto, presidentes e governadores precisam cortar gastos e definir prioridades?

Apesar dos avanços sociais nos últimos 20 anos, o Brasil continua a ser um país fortemente desigual. Diversos ambientes sociais carecem fortemente da presença do Estado. Então, como implantar uma agenda liberal sem abrir mão de políticas sociais inclusivas? Este é o desafio. E a contemplação de tal desafio requer disposição dos atores políticos para enfrentar privilégios.

Como implantar reformas liberais em ambiente de regressão dos indicadores sociais? As conquistas sociais recentes estão se perdendo em razão das crises política e econômica. Certamente, independente do presidente da República, os eleitores, em ambiente de perdas sociais, não aceitarão as necessárias reformas liberais. Assim ocorrendo, como estes eleitores votarão na próxima eleição presidencial?  

 

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

17
abril

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Romenyck Stiffennnn

Discussão: Em conversa com um membro da bancada de vereadores de situação de Santa Cruz, o mesmo nos confidenciou que em breve será levantada a discussão estatutárias dos partidos políticos frente às novas regras eleitorais.

Esqueceram: Segundo o parlamentar, apesar de muitos políticos da cidade ter aproveitado o tempo de filiação estabelecida pela reforma eleitoral atual, “esqueceram” que alguns partidos estabelecem em seus estatutos o mínimo de tempo de filiação para garantir uma candidatura futura.

A lista: Na lista do parlamentar, vários políticos dos dois grupos da cidade não observaram esse detalhe. Contudo, o mesmo deu destaque aos nomes dos vereadores Ernesto Maia (PT) e Fernando Aragão (PTB).

Entendimento: Pelo entendimento do vereador, o pré-candidato a prefeito Fernando Aragão, não estaria atendendo ao estatuto do PTB, assim como o vereador Ernesto Maia também não supriria as exigências do estatuto do PT. Nesse contexto, ambos poderão concorrer à eleição sob-judice.

Entendimento: Em contato com o presidente municipal do PTB, o vereador Helinho Aragão, o mesmo afirmou que existe segurança sobre o tema, pois o corpo jurídico do partido tem outra interpretação.

A interpretação (I): Segundo Helinho “o caput do artigo 20 da lei 9.096/1995 não pode ser outra, a não ser de que o prazo superior previsto no estatuto serve de parâmetro para disputa interna dos partidos nas convenções, jamais como fundamento legitimador de impugnação, por adversários ao registro de candidatura de seu filiado, sob pena de se admitir, ao contrário da sólida posição do Supremo Tribunal Federal, delegação estatutária para criação de condição de elegibilidade, inclusive em desfavor da própria agremiação”.

A interpretação (II): Em contato com o vereador Ernesto Maia, o mesmo afirmou ter a mesma interpretação do vereador Helinho Aragão. Maia ainda citou o exemplo da vereadora do Recife, Marilia Arraes (PT), onde na ocasião da saída da parlamentar do PSB para o PT essa mesma discussão foi levantada e o PT teria dado todas as garantias à mesma. Vale lembrar, que assim como Ernesto, Marilia Arraes ainda não disputou eleição, após sua nova filiação para servir como jurisprudência.

Só começando: Uma coisa é certa, a eleição 2016 será diferenciada em todos os sentidos, principalmente no campo jurídico onde os advogados das coligações futuras trabalharão e muito para defender suas interpretações.

“União”: O evento realizado no ultimo sábado, 16/04, pelo vice-prefeito de Taquaritinga, Lero (PR), em busca de emplacar sua candidatura a prefeito pelo grupo Calabar pregou união, se falou em realizar uma pesquisa para escolher o candidato do grupo, se falou em reuniões do deputado estadual Diogo Moraes (PSB) com diversos setores do grupo sendo exaltado como o grande articulador da união.

União?: O problema é tentar convencer o eleitorado que o grupo Calabar está unido, mas o evento não contar com a presença do prefeito Evilásio Araújo (PSB), essa “união” não será fácil.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

15
abril

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Romenyck Stiffennn

 

Segurança prometida: Não é isso que você está pensando, não vou comentar aqui sobre a sensação de segurança pública prometida e não cumprida, mas sim, sobre a segurança prometida com a Previdência Própria de Santa Cruz, quando o projeto ainda estava em discussão.

Primeiro lugar: O problema é que o áudio de uma discussão entre o prefeito Edson Vieira (PSDB) e o vereador Afrânio Marques (PDT), gravado pelo vereador Vânio Vieira (PTB), demonstrou que não seria os pensionistas que estariam em primeiro plano na criação da Previdência Própria, mas sim, o caixa ou as contas da prefeitura.

Celeridade: No áudio que temos em mãos, o prefeito Edson Vieira cobrava na ocasião, celeridade ao vereador Afrânio Marques em relação ao projeto da previdência própria, pois, segundo o prefeito “o dinheiro estava faltando”.

Sem repassar: Em pouco mais de um ano de Previdência, o prefeito Edson Vieira já está com mais de um milhão e setecentos mil reais em atraso nos repasses para o Santa Cruz Prev, na parte patronal. A segurança prometida aos servidores, no projeto, era que em caso de atraso no repasse o montante seria debitado no FPM (Fundo de Participação dos Municípios).

Parcelamento: Durante a semana, o prefeito encaminhou um projeto de lei à Câmara municipal, solicitando dos vereadores a autorização para parcelar a divida de um milhão e setecentos mil reais, em 60 meses.

Pedalada?: Ao deixar de repassar o dinheiro para o Santa Cruz Prev, por falta de planejamento, para utilizar em outros setores da prefeitura, isso não configuraria uma pedalada? Pois, se o dinheiro não foi repassado, se deduz que ele deve ter sido utilizado em outro setor.

Confiança: O prefeito já atrasou mais de R$ 650 mil dos pensionistas e acordou como iria pagar a divida com os conselhos fiscalizadores do Santa Cruz Prev, um milhão e setecentos poderá ser parcelado em 60 vezes. Se um pouco mais de um ano a situação está desse jeito, quem garante que os atrasos nos repasses não irão virar rotina de parcelamento e o artigo da Lei de debitar no FPM não será descumprida?

Analisado: As comissões competentes para analisar o pedido de parcelamento estarão se reunindo próxima terça-feira (19) às 10h da manhã. Está nas mãos dos mesmos fazer valer a lei que discutiram e aprovaram onde esse dinheiro já deveria ter sido debitado no FPM ou aprovar um projeto, a pedido do prefeito, para parcelar um dinheiro que já deveria está na previdência? É bom ouvir os interessados, os servidores.

Ouvir: É bom ouvir os servidores, pois são os mais interessados e precisam da segurança prometida de quando o projeto estava em discussão. São os servidores que devem está em primeiro plano e não a falta de planejamento da prefeitura.

 

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

13
abril

Resumório – A coluna do professor Tenório

Professor Tenório OK
aaa

RESUMORIAL – Nunca antes na história dessa cidade se falou tanto em vice. São incontáveis as postagens em grupos de WhatsApp e em páginas de blogs que abordam o assunto. Hoje acrescentarei mais uma a esse infindável número. Farei com tranquilidade e alegria, mesmo sabendo que não terei a exclusividade da informação quando a coluna estiver publicada. Divulgar e parabenizar o novo vice aqui é motivo de alegria pra mim, independentemente do que alguns irão pensar. Mas antes é preciso dizer que ninguém chega a ser vice por acaso. Os caminhos são sempre espinhosos, há sempre aquele grupo que critica por criticar e espalha pessimismo. Acompanhei toda a movimentação da conflitante montagem de chapa, uma novela que parecia não ter fim com desejo de candidatura que acabou não se concretizando e diversas reuniões. Juventude ou experiência? Sinceramente, desde que haja trabalho, planejamento e vontade de contribuir não vejo idade como fator determinante para o sucesso. Parabéns David Helry e equipe e parabéns ao time de futsal Feminino do Ypiranga, vice-campeão da Copa Nordeste de Futsal. Um vice com a marca do trabalho e ousadia. Qualquer semelhança com outra novela local é mera coincidência.

TUDO É POSSÍVEL – Domingo será escrito mais um importante capítulo na história desse país. Tem gente que ainda não entendeu o tamanho da seriedade do que está acontecendo: Político trabalhando em Brasília no fim de semana e a Rede Globo mudando o dia e horário de transmissão do futebol mostram que a coisa é mais séria do que se pensa e tudo pode acontecer. Ou melhor, quase tudo. Uma cobertura imparcial da Globo já é querer demais…

DE BUSÃO PARA BRASÍLIA – Parece que a opção para fugir da crise que afeta o comércio vem diretamente de Brasília. Domingo promete um movimento maior do que qualquer feira de dezembro no Moda Center. Já pensaram o lucro que daria vender água mineral, quentinha, coxinha, pão com mortadela, caneta e cartolina pra fazer cartaz criativo. A grande questão é: Será que vai ter busão saindo da igreja de São Cristóvão para o Distrito Federal?

POLÍTICA INDIGESTA – Coxinha, “queijo do reino”, “bolo”, mortadela, acarajé e “merenda”! Qual será o próximo item do cardápio? Quantos escândalos ainda teremos que digerir? A verdade é que está cada vez mais difícil acreditar nos nossos governantes. Um bom apetite para todos em 2016!

EDIN BOM E EDIN RUIM – Os papeis se inverteram com os Edins de Brejo e Santa Cruz no quesito educação. Enquanto o daqui resolveu dar o reajuste de 11,36% sem precisar negociação com a categoria e quitou o retroativo atrasado, o do outro lado do rio deu reajuste zero, não recebeu a categoria na prefeitura para discutir os dez itens da pauta, chamou a polícia e colocou carro de som na rua dizendo que professor já ganha muito. “O futuro sempre vai repetir o passado enquanto a piscina estiver cheia de ratos”.

HAT-TRICK PARLAMENTAR – O “hat-trick” ocorre no futebol quando o jogador consegue fazer três gols na mesma partida. No Brasil, quando acontece, o jogador aparece no programa Fantástico com direito a escolher uma música. Pois não é que um vereador de oposição conseguiu a façanha de um hat-trick, ao ser condenado a pagar multa três vezes em três processos diferentes por excessos e acusações infundadas em um programa de rádio semanal. E ainda é o que aparece como mais votado nas pesquisas internas. Fantástico mesmo são as coisas que acontecem na política dessa cidade!

PESQUISA FALSIANE – Por falar em pesquisa, surgiu uma mais falsa que abraço de político em ano eleitoral. O instituto Alfa desmentiu quase instantaneamente a veracidade da pesquisa, inclusive alegando desespero político e má fé de quem a idealizou. Será que se divulgarem pesquisa apontando redução no índice da violência na cidade neste exato momento alguém vai acreditar?

QUEM FOI? – Já se sabe quem, inteligentemente, compartilhou a pesquisa em redes sociais. O mistério agora fica por conta do mentor intelectual dessa ideia mirabolante. Segundo alguém que não lembro quem, o melhor álibi é o de Zé Augusto, que estava na Alemanha durante a divulgação.

CAMARO X GATO – Camaro perde corrida para gato. Falando assim até parece uma fábula dos tempos modernos, mas não é. Trata-se do resultado da corrida de Prado que aconteceu na Vila do Pará no último fim de semana. O cavalo “Gato Brabo” venceu o cavalo “Camaro” de Natálio Arruda. Natálio não anda numa maré muito boa ultimamente. Se essa maré não mudar até as eleições, ele poderá, além de perder para Gato Brabo, perder para um Coelho zangado também.

 

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

11
abril

Artigo – Por Adriano Oliveira

A raposa e o porco-espinho

 

adriano oliveiraO porco-espinho sabe apenas uma coisa. Ele tem a certeza. O porco-espinho não considera outras possibilidades. A raposa sabe de várias coisas. Não tem a certeza. A raposa considera diversas possibilidades. Tais premissas advêm do cientista político Philip Tetlock.

 

Prefiro a raposa ao porco-espinho. Enquanto diversos atores afirmam que o impeachment ocorrerá, opto por mostrar que o impedimento da presidente Dilma ocorrerá ou não. Indicadores diversos mostram que a incerteza predomina. Impedimentos de presidentes da República representam jogos de soma-zero. Isto é: só é possível existir um vencedor.

 

Caso a presidente Dilma sofra o impedimento, o PT cooperará com o governo Temer? Os manifestantes contrários ao impedimento da presidente aceitarão o resultado ou protestarão intensamente nas ruas? E se a presidente Dilma não sofrer o impeachment, a oposição estenderá as mãos para a presidente? Os manifestantes que hoje vão às ruas defender o impeachment aceitarão o resultado e não mais protestarão contra a presidente Dilma?

 

O impeachment, sem “acordão”, não é a solução para crise. Esta é uma obviedade para a raposa. Mas não é para o porco-espinho. O ideal era que após a votação do impeachment, independente do resultado, todos ofertassem voto de confiança ao vencedor e processos de cooperação ocorressem. Mas não vislumbro, neste instante, a cooperação.

 

O impeachment ou o não impeachment poderá provocar consequências institucionais relevantes. Futuros presidentes da República reprovados entre os eleitores e inaptos para o exercício do cargo ficarão sujeitos à mágoa do PT e de outras agremiações. Pedidos de impedimentos, assim como ocorreu na era FHC, voltarão a ser corriqueiros. A instabilidade institucional poderá surgir.  O não impeachment frustrará a expectativa de diversos atores estratégicos. A frustação poderá elevar os conflitos em todos os espaços adequados para manifestações.

 

Qual é, então, a solução para as crises? A raposa, certa vez, sugeriu o “acordão” entre os diversos atores institucionais. O “acordão” pode ser construído com impeachment ou sem impeachment. Mas que tal com novas eleições gerais?

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

11
abril

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Romenyck StiffenVai disputar: Desde as eleições 2008, o nome da psicóloga Verônica Valadares sempre é lembrado para disputar uma vaga a Câmara de vereadores de Santa Cruz, contudo sempre fica no campo da especulação, mas dessa vez é pra valer. Em contato com esse colunista, a psicóloga afirmou que será candidata de fato. Verônica está filiada ao PTB e disputará uma área muito carente no grupo Taboquinha, a representatividade feminina em cargo eletivo.

 

Quitou: O prefeito Edson Vieira (PSDB) quitou o retroativo que devia aos professores desde outubro de 2015 e de quebra, inaugurou no mesmo dia um núcleo de atendimento educacional especializado para categoria, contando com vários profissionais de saúde.

 

Lamentar: Já em Brejo da Madre Deus está de lamentar, o prefeito Dr. Edson (PTB) escolheu o último ano de sua gestão para desrespeitar a Lei municipal 262/2009, que garante o reajuste anualmente no mês de Janeiro e se posicionou afirmando que não irá pagar o mesmo.

 

Desumano: Para completar, as reformas que foram anunciadas e festejadas para escolas de São Domingos estão paradas há mais de mês e, alunos e professores estão em sala de aulas em condições desumanas, principalmente sem ventilação. Esse dois pontos abordados nessas curtinhas ao lado de tantas outros que foram expostas nesse ano de 2016 foram repudiadas pelos professores através de uma nota assinada pelo SINDUPROM-PE.

 

Impossível?: A união Calabar que parecia impossível na cidade de Taquaritinga pode estar preste a acontecer. Esse mês de abril será decisivo para o grupo que observava no rompimento entre suas duas principais lideranças, o prefeito Evilasio (PSDB) e o vice Lero (PDT), os passos largos para a derrota nas urnas.

 

Os Bombeiros: O deputado estadual Diogo Moraes (PSB) e o ex-deputado estadual Oseas Moraes (PSB) estão sendo de fundamental importância para apagar o incêndio, que deixará sim sequelas em vários personagens, mas que será de fundamental importância para manutenção do grupo no poder.

 

Estratégias: Caso a união Calabar aconteça, o vereador e pré-candidato a prefeito Jânio Arruda (PSD) terá que mudar todas as suas estratégias em relação às eleições municipais de 2016. Pois o parlamentar sabe que disputar as eleições com o grupo Calabar rachado é uma coisa e disputar com o mesmo “unido” é bem diferente.

 

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

06
abril

Resumório – A coluna do professor Tenório

RESUMÓRIO

 

Professor Tenório OKPÉ DE COELHO E ARRUDA – Segundo a crendice popular, um galho de arruda e um pé de coelho afastam olho gordo e dão sorte.  Só se for um pequeno galho e apenas um pé, porque se for um Arruda grande e velho e um Coelho completo o efeito pode ser o contrário e trazer dor de cabeça. Pelo menos foi o que aconteceu nos bastidores dos debates políticos da cidade. Resultado: cortaram Arruda e o Coelho.

 

O VELHO CHICO – Na atual novela global, o personagem Ernesto morreu precocemente e Afrânio está entre a vida e a morte. Seria a novela um presságio? A verdade é que 2016 não será fácil pra ninguém. Na nossa novela eleitoral alguns vão morrer, mas só saberemos quem, no último capítulo, o da abertura das urnas. Como diria o debatedor que ficou, “vamos aguardar”.

 

FILHOS DO PHS – Impressionante o quanto o PHS consegue filiar pessoas. Provavelmente, enquanto acabo de escrever essas linhas alguém está sendo filiado e tendo a foto postada nos grupos políticos de WhatsApp. Cuidado para quando forem preencher algum cadastro em um formulário diverso não colocarem no lugar de pai e mãe apenas PHS no campo reservado à filiação.

 

CONFLITO NA COLMEIA – Eis que uma invasão na tão badalada colmeia deixou as abelhinhas do PHS agitadas. Sabe-se que formigas gostam de açúcar e entram nas colmeias para roubar o mel. Como o açúcar união não está abundante em nenhum dos grupos políticos, algumas formigas rubro azulinas estão tentadas a roubar esse mel, deixando a Abelha Ferreira furiosa. Mas nenhuma investida foi tão polêmica quanto à do “Zé Colmeia”, conhecido personagem que adora se deliciar com as guloseimas alheias. Alguém chame o Guarda Smith para Catatau não sair prejudicado.

 

PASSAGENS RELÂMPAGO – Quem durou mais, Lula na Casa Civil, a miss Colômbia ou Carlinhos no PRB? Segundo simpatizantes da oposição, a potência eleitoral teve quatro anos pra pensar em que partido entrar e na hora de escolher, escolhe o partido errado. Parece que ele não foi o único! Escolhas errados já deram muita dor de cabeça aos nossos políticos.

 

MULHERES FELIZES – Algumas mulheres de destaque de nossa cidade e região foram homenageadas recentemente em evento exclusivo para mulheres. Também foram destaques roupas, vaidades e uma palestra com ênfase em ser feliz. Mas se você perguntar se alguma mulher de destaque está preocupada com possíveis denúncias a seu respeito, capazes de afetar toda essa felicidade a resposta é YES.

 

TIME DA SEGURANÇA – Aconteceu nesta semana mais uma reunião para resolver os problemas da falta de segurança em Santa Cruz, a enésima. Oposicionistas dizem que reunião não resolve nada, mas quando perguntado o que eles já fizeram como resposta alegam que houve uma reunião em Recife e mudaram o horário para que eles não participassem. E o racha das celebridades políticas que participo levou quase um time para reunião com o Secretário de Defesa Social de Pernambuco. Quatro integrantes do racha estavam presentes. Espero que após essa preleção possamos comemorar um resultado positivo.

 

CANDIDATO ATLETA – Por falar em futebol, Carlinhos Bala, Kuki, Magrão, Batata e Zé do Carmo se filiaram a partidos políticos em busca de uma vaga para 2016. A política parece ser um negócio da China para atletas veteranos. Um caminho interessante para quem sempre esteve acostumado com altos salários.

 

MAIS UM CHICO FORA – Na dança das cadeiras do governo municipal algumas peças foram reposicionadas. Francisco Ricardo permaneceu na Secretaria de Serviços Públicos e não disputará vaga para vereador. Com isso, mais um Chico fica de fora da disputa de cargos eletivos nas eleições deste ano em santa Cruz, um de cada lado. A campanha de 2016 será muito difícil. Algumas desistências começam a surgir. Comer muito Cuscuz não é suficiente para quem tem pretensões políticas.

 

QUER SER OUVIDO – Em Santa Cruz não precisa muito esforço para virar notícia e ganhar as manchetes dos principais meios de comunicação da cidade. Pra isso também te roteiro definido: Protestar na vinda do governador, se filiar a algum partido com críticas a alguma personalidade política, insultar promotores, juiz e a mais nova modalidade é acabar com reunião de vereadores. Já pensou se virar moda? Pra resolver problemas existem outros caminhos, para aparecer, também.

 

TAMBÉM QUERO SER OUVIDO – O resumorista eu será o entrevistado da próxima sexta-feira no programa Arquivos da Polo a partir das 23h. Apesar de ser um programa essencialmente musical, haverá uma pitada de política em off, com direito a encontro de opositores. Eu também quero ser ouvido.

 

                                                                                                               

“Não me queiram mal. Apenas pensem nisso, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido.”

 

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

06
abril

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Romenyck StiffenO pilar – Sem sombra de dúvidas, a educação é um dos principais pilares para o futuro de um país, estado ou município. É através de investimentos na educação que podemos contribuir com mão de obra qualificada, influenciar diretamente na segurança, ter uma sociedade mais crítica em seus posicionamentos.

 

Sem resposta – Já estamos no quarto mês e o prefeito de Brejo da Madre de Deus, Dr. Edson (PTB), ainda não deu uma resposta aos professores em relação ao reajuste salarial, quebrando uma tradição onde, há anos, o aumento era feito de forma automática em janeiro de acordo com o determinando pelo MEC.

 

Parou – Para piorar a situação, no distrito de São Domingos, as obras da Escola Municipal São Domingos estão paradas e causando transtornos, prejudicando o bom andamento das aulas.

 

Por falar… – Em Santa Cruz do Capibaribe, o prefeito Edson Vieira (PSDB) vem se desdobrando para tentar deixar a folha salarial em dia. Contudo, tem um retroativo de outubro de 2015 que os professores não esquecem, com todo direito.

 

Prazos – O danado do retroativo foi negociado em abril do ano passado, teve promessa para ser pago em outubro de 2015, em janeiro, fevereiro e março de 2016. Continuando dessa forma, informações de bastidores apontam que o retroativo pode render uma parada de advertência, caso o problema não seja solucionado em breve.

 

Mais dois – A preocupação dos professores é que um retroativo que foi negociado há um ano ainda não foi pago, o que pensar dos retroativos do reajuste atual? Os mesmos foram aprovados em lei, onde deverão ser pagos em duas parcelas do corrente ano, mas sem especificar quando.

.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

05
abril

Artigo – Por Adriano Oliveira

Temer e o futuro

 

adriano oliveiraA saída do PMDB da base do governo Dilma e as diversas manifestações ocorridas são sinais de que o impeachment da presidente ocorrerá. Contudo, a mobilização de diversos partidos com o objetivo de ocupar os espaços deixados pelo PMDB na frágil coalizão partidária e as recentes manifestações de apoio a presidente são ruídos que sugerem que o impeachment não ocorrerá.

 

O que acontecerá com o Brasil caso ocorra o impeachment da presidente Dilma? A expectativa otimista é que as crises econômica e política findem. Para isto ocorrer, o novo presidente, Michel Temer, construirá coalizão partidária para governar. A coalizão deverá ser formada por diversos partidos. O fato de ser um novo governo e a suposta habilidade política de Temer sugerem que a coalizão será concretizada e temporariamente mantida.

 

Após a formação da coalizão, Michel Temer terá que acenar para o mercado e o setor produtivo. A agenda econômica precisará ser responsável. Portanto, será uma agenda liberal. Temer terá que conter o aumento do déficit público. O novo presidente não terá condições de protelar a reforma da Previdência e a aprovação de um novo imposto, como a CPMF, será necessário.

 

Ocorrerão cortes de recursos para políticas sociais? Segundo Moreira Franco, conselheiro de Michel Temer, não existirão cortes. Os programas do governo Dilma na área social continuarão. Portanto, observem que as agendas social e econômica do PMDB na presidência tendem a ser semelhantes às agendas do governo Dilma no ano de 2015. Não existirá mudança de política de governo. Mas mudança de atores no exercício do governo.

 

Prevejo que os manifestantes favoráveis ao impeachment da presidente Dilma ficarão em silêncio por dado período do governo Temer, pois a esperança para a superação da crise econômica estará na mente deles. Não desprezo robustas manifestações comandadas pelo PT e por Lula. Tais manifestações podem ser intensas em razão da agenda econômica liberal que tende a ser implantada. Michel Temer assumirá e exercerá o governo com os mesmos desafios de Dilma e com semelhante Congresso disposto a pressioná-lo. Temer conviverá com a constante ameaça da Operação Lava Jato. E com o desejo de recuar em relação às reformas necessárias. Portanto, o sucesso do futuro governo Temer é, neste instante, incerto.

 

 

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

04
abril

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Romenyck StiffenContra: O vereador Zé Minhoca (PSDB) sempre utilizou fortes argumentações para ser contra o presídio que foi construído em Santa Cruz do Capibaribe. Para o situacionista, a época, o presídio poderia atrair mais bandidagem para cidade, contribuindo para o aumento no índice de violência.

 

A gafe: De fato a violência vem aumentando na cidade e pode sim, ter como um dos fatores o presídio, não o especifico. Contudo, na última sessão da Câmara, Zé Minhoca jogou a culpa para construção do presídio ao grupo de oposição. Será?

 

Um cobrador: Quem acompanha as sessões da Câmara desde outras gestões, sabe que quando a antiga cadeia fechou na cidade, Francisco Ricardo, vereador a época, virou um cobrador assíduo para a construção de uma nova cadeia no município. Apesar de Francisquinho a época ser Taboquinha, hoje o mesmo é aliado de Zé Minhoca.

 

A construção: Quem mora na cidade desde década passada, sabe que a construção do Presídio iniciou na gestão do ex-prefeito Toinho do Pará. Apesar de Toinho a época ser do grupo Taboquinha, hoje o mesmo também é aliado de Zé Minhoca.

 

Dúvida: Olhando assim o histórico causa uma dúvida a quem se deve a culpa ou os méritos do presídio em nossa cidade, até porque os nomes citados eram de fato do grupo que hoje é oposição no município.

 

Mas…: Consultando o site JusBrasil, nos deparamos com uma notícia de março de 2010, quando o deputado estadual, a época, Edson Vieira, atual prefeito e aliado de Zé Minhoca, solicitava uma nova cadeia para Santa Cruz.

 

A matéria: Em uma extensa matéria podemos destacar o seguinte trecho: “O Parlamentar (Edson Vieira), acompanhado de vereadores de Santa Cruz do Capibaribe, fez uma apelo ao secretário estadual de Desenvolvimento Social, Roldão Joaquim, para que a obra seja agilizada. Segundo Vieira, o secretário ficou surpreso ao saber que a cadeia ainda não foi construída.”

 

Reflexão: Nesse contexto, mesmo com argumentações convincentes, o vereador terá que refletir melhor de quem é a culpabilidade ou os méritos para construção da cadeia, que se transformou no atual presídio.

 

 

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

01
abril

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Romenyck StiffenDia da Mentira – Hoje é primeiro de abril, nacionalmente conhecido como o “Dia da Mentira”, dia para enganar as pessoas, mas em um contexto de brincadeiras, tirando onda da cara de algum conhecido.

 

A reunião – Como já havíamos relatado em outras curtinhas, o Governador do Estado, Paulo Câmara (PSB), o prefeito de Santa Cruz, Edson Vieira (PSDB) e o deputado Diogo Moraes (PSB) se reuniram para resolver os problemas da insegurança que assola nosso município. Ao término desse encontro, as assessorias enviaram notas e entrevistas esperançosas para população.

 

O prazo – Os nossos representantes saíram da reunião afirmando que, em 30 dias, a população de Santa Cruz teria a sensação de segurança. Coincidência ou não, o prazo se encerra no simbólico Dia da Mentira.

 

A sensação – A verdadeira sensação que temos é que fomos enganados, que de fato estão brincando com o assunto, que estão surfando uma das maiores ondas com a nossa cara. Mas o erro é nosso e não dos políticos, pois para muitos estamos fazendo TERRORISMO ao tratarmos do tema segurança, no lugar de exaltarmos os AVANÇOS da cidade.

 

Enquanto isso… – Nos 30 dias que sentiríamos a sensação de segurança, o terrorismo dos assaltos continuaram, os terrorismos dos arrastões permaneceram, o terrorismo das pessoas baleadas, a humilhação de estarmos presos em nossas residências.

 

Imaginária – Como sempre falamos, este é o ano da “Santa Cruz imaginária”, onde tudo está perfeito para quem está no poder ou quem quer chegar ao poder terá todas as soluções transformando a cidade em um paraíso.

.

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

01
abril

Fiquei Sabendo – Reviravolta partidário em Santa Cruz

Em Primeira mão

Carlinhos muda de legenda em poucos dias de filiado

 

Janielson SantosO prazo para filiação partidária e saídas de funcionários públicos de primeiro escalão, que pretendem concorrer ao pleito em outubro, se encerra sábado (02). No entanto, o pouco tempo ainda pode guardar novidades e reviravoltas antes inimagináveis.

 

FIQUEI SABENDO que o vereador Carlinhos da Cohab, filiado há apenas alguns dias no Partido Republicano Brasileiro (PRB), deixa hoje a legenda e se transfere para o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), na qual também se filiou recentemente Fernando Aragão, pré-candidato a prefeito e o vereador Vânio Vieira, que concretizou seu apoio ao oposicionista.

 

A legenda trabalhista conta em Santa Cruz ainda com Helinho Aragão e o pré-candidato a vice-prefeito, Galego de Mourinha.

 

Durante o pouco tempo de legenda, Carlinhos cogitou a possibilidade de uma chapinha, filiando, inclusive, alguns dos seus aliados mais próximos, a exemplo do conselheiro tutelar Ari de Poço Fundo.

 

Com isso, os aliados de primeira ordem do parlamentar deverão seguir os seus passos. A eventual chapinha, liderada por Carlinhos, deixa de existir e ele, definitivamente, disputa o pleito pelo chapão.

 

A estranha saída do oposicionista não acontece de forma avulsa e sem fundamento. Carlinhos conseguiu, durante o primeiro mandato, ser ‘visado’ e não quer correr nenhum risco durante o pleito.

 

As movimentações envolvendo o PRB, na região, preocupam o vereador. Em Brejo da Madre de Deus, o deputado estadual Diogo Moraes (PSB), esteve ao lado do vereador Josevaldo, no ato de filiação, com o presidente da sigla, Sílvio Costa Filho.

 

Além disso…

 

FIQUEI SABENDO ainda de um ‘acordo’ que envolveria membros dois lados políticos em Santa Cruz do Capibaribe, montado sobre nova denúncia envolvendo o Calçadão Miguel Arraes de Alencar, estaria diretamente atrelado com essa decisão de Carlinhos. O caso deve ganhar contornos, nos próximos dias.

 

Com a decisão, o vereador será oficializado nas próximas horas no Recife e deve enviar nota à imprensa explicando os motivos da reviravolta.

.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

31
março

Resumório – A coluna do professor Tenório

RESUMÓRIO

 

Professor Tenório OKRESUMORIAL – SANTA CRUZ atravessa uma das suas piores fases nos últimos anos. Existe atualmente uma mistura de descrédito, decepção e revolta que começa a contagiar não só os que naturalmente sempre torceram contra, mas também alguns dos que torcem a favor e são apaixonados. Não escrevo essas linhas com o objetivo de atacar ou defender ninguém. Espero que me compreendam e saibam que apenas digo o que ouço e vejo, principalmente através das redes sociais. A cada semana uma nova decepção. E não adianta protestar, pois resultados positivos não aparecerão com barulho ou apenas com a mudança de quem está no comando do processo. Bastaria cumprir o tão falado planejamento e montar uma equipe competente. Não vejo com bons olhos um cidadão em fim de carreira ser postulante a salvador da pátria. SANTA CRUZ merece sair dessa situação caótica o quanto antes e mostrar aos que torcem contra e a favor que é possível crescer em meio às adversidades. Espero que 2016 seja realmente um ano de vitórias e espero, com toda sinceridade, ver não só SANTA CRUZ, mas SPORT e NÁUTICO crescendo e se destacando no cenário nacional. “Não esqueçam: Qualquer semelhança com nossa cidade é mera coincidência”.

 

PECULIARIDADE FRASAL – Sei que para entender boa parte do que escrevo nessa coluna as pessoas devem estar informadas sobre o que acontece na política local e nacional. Pensando nisso, resolvi testar se o leitor está familiarizado com o que acontece na política através de frases peculiares ditas por personalidades de nossa política. Espero que vocês consigam identificar pelo menos 80% dos autores das frases abaixo.

 

QUEM DISSE? – Eu tenho história, cara; Não tem nesse país viva alma mais honesta do que eu; Vão fazer sexo; Eu sou capacho de Zé; Se Edson não fizer um bom governo não serei candidato a nada; Você não é um Maia puro sangue; Não vamos colocar meta. Vamos deixar a meta aberta, mas quando atingirmos a meta, vamos dobrar a meta; Eu tenho os c*nh**s roxos; A violência é geral, assaltaram uma mansão no Morumbi; Se eu não for um bom prefeito, não votem em mim numa reeleição; O FEM está quebrado, a Central de Feiras não vai sair nunca; Eu vou abrir a caixa de ferramentas; Se Toin Ruim, que era meu reserva, ganhou de lapada, imagina eu; Fizeram reunião de mulé, aqui tem hômi, quem decide vão ser os hômis do partido, rapai; Edson é o grande adversário, mas o maior inimigo dos Taboquinhas é Zé Augusto; Eleitor é feito galinha, a gente joga milho e eles vêm; Vai começar tudo de novo…

 

ELEITOR APAIXONADO – O vereador rei do voto e já eleito, Carlinhos da Cohab, não brinca em serviço. A novidade é que mesmo já tendo fechado apoios em Poço Fundo, agora ele está buscando lá o voto de paixão, aquele voto que não se muda de jeito nenhum. “Thais sem querer voto”. O vereador parece que quer entrar para história daquele distrito.

 

CABO ELEITORAL – Ainda está aberta a temporada de contração de cabos eleitorais. Tem de todo preço, de cinco até cinquenta você ainda encontra. É cada proposta indecente. As promessas são de 100 a 400 votos. Haja dinheiro e fé pra pagar e acreditar em tudo isso. O “euternauta” recomenda que você feche com algum que goste de você tanto quanto o Galvão Bueno gosta de Neymar.

 

OTIMISMO EXAGERADO – Conversando com integrantes das duas principais alas partidárias, percebi um otimismo fora do comum. Um lado mostra uma pesquisa com números confortáveis o outro diz que o candidato pode ficar em casa que a eleição está ganha. Pelo que ouvi, em 2016, teremos dois prefeitos e vinte e um vereadores eleitos.

 

OUVIDO DE MERCADOR – Em meio aos boatos de que o PSB teria que apoiar os candidatos do PP em três cidades, entre elas Santa Cruz, como condição para o apoio do Partido Progressista ao projeto de reeleição de Geraldo Júlio no Recife, o Deputado Diogo Moraes fez ouvido de mercador. Aqui quem nem entrou no PSB já saiu. Se alguém mentiu, ninguém desmentiu. Se ninguém mentiu alguém se omitiu.  E priu!

 

POLI FILIAÇÃO – O PHS é um dos partidos que mais tem se movimentado nos últimos dias. Rompimento, adesão, desfiliação e filiação são palavras que estão sempre presentes em sua pauta. O partido filia tanta gente que pode eleger um vereador apenas com o voto dos filiados. Enquanto alguns pré-candidatos estão mais parados do que saci com cãibra, o presidente municipal do PHS não para.

 

LARGADA RELÂMPAGO – Em reunião relâmpago de apenas três minutos, o PMDB decidiu deixar oficialmente o governo da Presidente Dilma Rousseff. A largada relâmpago foi a notícia mais comentada da terça e despertou o interesse de Rubinho Barrichello e Felipe Massa, que já pensam em fazer estágio com os Pemedebistas pra tentar melhorar o desempenho nas corridas. Mas o verdadeiro campeão de memes do PMDB ainda permanece sendo a carta de Temer para Dilma.

 

REFORÇO DE PESO – E na contramão do PMDB, o vereador Ernesto Lázaro quase puro sangue Maia está prestes a se filiar ao PT. A justificativa para a escolha da legenda, que vive dias difíceis no cenário nacional, foi a falta de segurança dos outros partidos. Já não basta a falta de segurança nas ruas e nas nossas casas, agora temos que conviver com o absurdo da falta de segurança também nos partidos políticos. Será que vai ter protesto ou audiência pública?

 

 “Não me queiram mal. Apenas pensem nisso, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido.”

 

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

30
março

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Romenyck StiffenSem trégua: Em conversa com um vereador de oposição de Santa Cruz, o mesmo nos garantiu que as próximas semanas serão de muita munição contra o prefeito Edson Vieira (PSDB) e alguns vereadores situacionistas. A coincidência é que também ouvi o mesmo argumento de um vereador de Situação em relação às munições contra a oposição, ou seja, os dossiês políticos estão prontos. Vamos aguardar de que forma a população irá digerir as futuras informações.

 

O rejeitado: Em entrevista ao Blog Agreste Notícias, o vereador Chico de Irineu, pré-candidato a prefeito em Jataúba, afirmou que existe uma rejeição nas ruas do município em relação ao nome de Mamão.

 

Três vezes: Chico também seguiu a linha de uma recente entrevista do ex-vereador Furibinha, pré-candidato a vice em uma eventual chapa encabeçada por Chico de Irineu e, afirmou que Mamão já foi candidato a prefeito por três oportunidades, sendo rejeitado pelos eleitores.

 

Favorito: Permanecendo o quadro de duas candidaturas competitivas no campo das oposições de Jataúba, o prefeito Antônio de Roque amplia o favoritismo para sua reeleição.

 

Confiante: Em conversa com um aliado de primeira hora do vereador Jânio Arruda, pré-candidato a prefeito por Taquaritinga, o mesmo nos fez uma matemática interessante. Segundo o aliado, se o grupo de situação estivesse unido teria uma vitória garantida, pois o eleitor Calabar é maioria na Dália da Serra, apontando um número de mais oito mil vermelhos, enquanto o grupo boca preta tem em média sete mil eleitores.

 

Mas…: Contudo, na matemática do aliado de Jânio Arruda, o grupo Calabar irá dividir os votos entre o candidato do prefeito Evilasio (PSB) e do vice-prefeito Lero, garantindo, assim, uma suposta vitória de Jânio Arruda. O aliado ainda acredita que o adversário principal de Jânio nas urnas será o vice-prefeito Lero e não o candidato do prefeito Evilasio.

 

Resumindo: Para o aliado de Jânio não adianta se enganar, em uma união do grupo Calabar a vitória é do grupo de situação, mas com a divisão o favorito seria o grupo de oposição, através do nome de Jânio Arruda.

 

Sem confronto: Em Brejo da Madre de Deus, Após os vereadores situacionistas Josevaldo e Hilário Paulo afirmarem que caso o prefeito Dr. Edson (PTB) consiga ser candidato novamente, ao cargo de prefeito em 2016, retiram sua pré-candidatura. O vereador Bolão seguiu a mesma linha dos aliados e afirmou que também retira, mas, assim como Josevaldo, não será mais candidato a vereador.

 

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

29
março

Artigo – Por Maurício Romão

O uso das reservas internacionais para investimentos

 

Maurício RomãoA deterioração das contas públicas governamentais encetou um mecanismo circular da dívida que precisa ser interrompido sob pena de o país não conseguir pôr fim à recessão.

 

A causação circular começa com o déficit nominal crescente, que aumenta a relação dívida/PIB, indicador básico de solvência fiscal de uma economia.

 

A trajetória ascendente do déficit pressiona o aumento do dólar. As importações ficam mais caras e a inflação aumenta. Os juros sobem para conter a inflação, mas isso faz crescer o serviço da dívida. Com as receitas estagnadas ou caindo, o déficit nominal aumenta mais ainda e o círculo vicioso continua…

 

O mecanismo é, às vezes, descontinuado por fatores ocasionais, mas as causas não resolvidas que deram ensejo à grave situação da economia, contudo, operam no sentido de reinstalar o processo circular.

 

O receituário convencional para desmontar essa armadilha dá-se mediante ajustes e reformas que corrijam o desequilíbrio fiscal, criando condições para a retomada de crescimento sustentável.

 

Avesso a essa agenda, o PT passou a defender recentemente o uso das reservas internacionais do país para investimento interno (vide documento “O futuro está na retomada das mudanças”).

 

Considerando estoque recente, as reservas somariam US$ 360,0 bilhões, cerca de 20% do PIB. Alguns analistas argumentam que esse nível de reservas é mais do que suficiente para proteger o país de movimentações bruscas no fluxo de capitais e que um estoque adequado gravitaria no entorno de 10% a 15% do PIB.

 

Não há consenso entre especialistas sobre o nível ótimo de reservas dos países. Admita-se, contudo, que se faça uso de parte delas, deixando o estoque em cerca de 15% do PIB.

 

O governo utilizaria, então, US$ 90,0 bilhões das reservas, o que requereria transformá-los em R$ 360,0 bilhões para investimento interno (supondo uma taxa de câmbio de R$ 4,0 / US$ 1,0).

 

Um parêntesis: essa operação esbarra em impedimentos legais. Quem tem os dólares é o Banco Central (BC) e quem vai gastar os reais em investimentos é o Tesouro. Esses reais não estavam previstos no orçamento. Jogá-los na economia equivale a gerar um crédito suplementar de R$ 360,0 bilhões sem passar pelo Congresso Nacional. Ou seja, uma pedalada semelhante a que foi realizada pelo governo no passado recente.

 

Mas, injetados os R$ 360,0 bilhões na economia o BC entra em ação, enxugando o aumento de liquidez no sistema mediante a venda de títulos da dívida pública, remunerados pela Selic a 14,25% ao ano. Esta operação, é óbvio, aumenta a dívida pública.

 

Outro parêntesis. Há um custo elevado de manutenção das reservas, já que estas rendem menos de 1% ao ano lá fora e o BC paga 14,25% ao ano para esterilizar os reais internamente. O “seguro” pelo conforto de liquidez custa caro, de fato.

 

Como fica a posição patrimonial do país após o uso de parte das reservas? O estoque total diminui e a dívida pública resta acrescida. Quer dizer: o país reduziu as reservas, que é o seu ativo, e aumentou a dívida pública, que é seu passivo!

 

E os gastos de investimento? Bem, certamente terão importância positiva na economia, se dispendidos propriamente, mas ao preço de reduzir o colchão protetor do país, as reservas, e de turbinar a dívida pública, impulsionando o movimento circular descrito acima.

 

A rationale econômica diz que a retomada do investimento se dá com reequilíbrio de contas públicas, que depende, urbi et orbi, de ajuste fiscal e reformas estruturais. Fora daí, é exercício de autoengano.

 

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

29
março

Artigo – Por Adriano Oliveira

O acordão

 

adriano oliveiraComo superar a crise política brasileira? A superação da crise requer a diminuição do ritmo da Lava Jato ou o fim dela. Portanto, para findar com a crise, diversos atores precisarão agir contrariamente as ações da Lava Jato.

 

Desde o ano passado sugiro a hipótese de que a diversidade de atores trazidos à tona em razão da Lava Jato freia o impeachment da presidente Dilma. Recentemente, a imprensa divulgou lista com mais de 200 nomes de políticos que receberam doações ilegais ou não. Tal notícia contribuiu para comprovar a minha hipótese. Hoje, o sentimento em parte da classe política é de medo. E o sentimento na opinião pública é de decepção.

 

Os políticos temem a Lava Jato porque sabem que não existe nenhuma novidade nos fatos trazidos à tona por ela. Inicialmente, diversos atores políticos acreditaram que a Lava Jato só atingiria o PT, o ex-presidente Lula e a presidente Dilma. Miopia exacerbada. A Lava Jato desvenda os mecanismos de parte da política brasileira. E tais mecanismos, por serem tradicionais, não são encarados como imorais. Fazem parte do ambiente político.

 

Se os políticos temem a Lava Jato, qual é a melhor opção neste instante? Findar ou frear as ações da Lava Jato. Os atores políticos têm a opção de construir um acordão. Para ele acontecer, a primeira possibilidade é o impeachment da presidente Dilma. Com isto, surge o novo governo liderado por Michel Temer. Temer tem condições de dialogar com o Supremo Tribunal Federal (STF) e este agir como poder moderador no conflito políticos versus Lava Jato.  Com o novo governo, atores serão nomeados para o ministério da Justiça e para a Polícia Federal com o objetivo de “controlar” a Lava Jato.

 

A outra opção é o não impeachment de Dilma. A presidente e o ex-presidente Lula agirão para controlar a Lava Jato. A oposição ficará retraída, pois o temor à Lava Jato a motiva para isto. O STF será o poder moderador. E a presidente Dilma e Lula passam a ser os atores estratégicos que têm a missão de frear a Lava Jato e de conduzir o país para a superação da crise.

 

As duas opções apresentadas são factíveis. Contudo, indago: (1) Caso a presidente Dilma seja impedida de continuar a governar, o PT, liderado por Lula, aceitará a perda de força da Lava Jato? (2) É possível, em ambas as possibilidades apresentadas, frear as ações da Lava Jato? Mais uma vez afirmo: a saída para a crise passa, obrigatoriamente, pelo o enfraquecimento da operação Lava Jato. Ou seja: por um grande acordão.

 

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

27
março

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Romenyck Stiffen De volta: Após uma semana sem escrever nossas curtinhas e sem participar do programa Rádio Debate, devido a problemas pessoais, estamos de volta, tentando com muita fé em Deus, driblar as adversidades que a vida nos traz.

 

Novidade: Em nossa volta, trazemos a novidade de que a partir do dia 04 de abril, além de participamos da primeira parte do programa Rádio Debate na Polo FM, iremos compor também, a bancada de debatedores da “Hora do Debate”. Agradecemos a direção da emissora pelo convite e a confiança depositada. Mas, vamos as curtinhas de fato:

 

Crise (I): A segurança de Santa Cruz de fato está em crise, faltam apenas cinco dias para o prazo de sensação de segurança, prometida pelo governador Paulo Câmara (PSB) e o prefeito Edson Vieira (PSDB) concluir. Contudo, essa sensação não está sendo sentida pelo povo, muito menos projetos convincentes estão sendo apresentados à população.

 

Crise (II): Para piorar a situação, o prefeito Edson Vieira (PSDB) e o Comandante da Guarda Municipal, Edgar Martins, foram denunciados pelo Ministério Público por irregularidades praticadas no agrupamento da Guarda Municipal. Perseguição pessoal e política, desvio de função e excesso de trabalho, seriam as principais denúncias.

 

Reflexão: Após os incêndios no prédio publico da antiga cadeia de Santa Cruz, a vereadora Narah Leandro (PSB) fez uma interessante e extensa reflexão nas redes sociais, que resumiremos no seguinte trecho “Esse espaço foi usado durante anos como PRISÃO e repressão de homens. Poderíamos talvez em uma parceria entre o PODER PÚBLICO e PRIVADO transformar esse lugar em uma CRECHE para ensinar crianças a serem homens e mulheres de BEM da nossa sociedade”.

 

Mas…: Apesar da reflexão da vereadora Narah ser pertinente, se desloca do que sempre foi divulgado e prometido por seu aliado, o prefeito Edson Vieira, onde o local seria transformado em uma AME.

 

Por fora: E Narah de fato se demonstrou sem sintonia com o governo municipal e estadual. Pois, no último dia 17 de março foi divulgado no Diário Oficial da União (DOU) o parecer favorável do relator da comissão de Saúde e Assistência Social da ALEPE, em relação ao projeto enviado pelo Governo do Estado para ceder por 5 anos ao município de Santa Cruz, o referido imóvel com o objetivo da implantação de um Ambulatório Médico Especializado à Saúde da Mulher (AME Mulher).

 

Visão (I): O empresário Rubinho Nunes (PC do B) está visando muito mais que a indicação para candidatura a prefeito, pelo grupo de Situação de Brejo da Madre de Deus. De forma paralela, Rubinho vem fortalecendo o PC do B no Polo de Confecções, dando oxigênio aos diretórios municipais do partido comunista na referida região, a mais recente foi em Taquaritinga do Norte, onde a sigla será presidida pela vereadora Cinthia Delise. O empresário desponta como a maior liderança da sigla na região, tendo o aval irrestrito da deputada federal Luciana Santos.

 

É o povo: Segundo Furibinha (PT), ex-vereador de Jataúba, quem não aceita Mamão é o povo. O ex-vereador concedeu entrevista ao Agreste Notícia e disparou “que Mamão já teve três oportunidades de ser candidato a prefeito e não houve êxito em nenhuma delas”.

 

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

23
março

Artigo – Por Adriano Oliveira

A Lava Jato

 

adriano oliveiraEm 2006, não era comum no âmbito da Ciência Política brasileira, pesquisas sobre o Crime Organizado. Ela se dedicava, majoritariamente, a fenômenos importados. Ou seja: se já existiam pesquisas sobre dado tema nos Estados Unidos, os cientistas políticos brasileiros deveriam estudar tais temas no Brasil. Esta obrigatoriedade não me desmotivou a estudar os mecanismos do Crime Organizado.

 

Com a orientação do sábio cientista político Jorge Zaverucha, defendi Tese de doutorado intitulada Tráfico de Drogas e Crime Organizado – Peças e Mecanismos. Em 2008, esta Tese foi publicada em livro pela editora Juruá. Na Tese, mostrei as peças que davam vida à criminalidade organizada, no caso, os atores, dentre os quais, o poder estatal. E mostrei os tipos de organizações criminosas.

 

Em razão da minha Tese, não vejo com surpresa os fatos publicizados pela Lava Jato. O Estado é uma peça crucial para que o Crime Organizado adquira vida e força. Organizações criminosas capturam atores do Estado para obter mais benefícios. Por outro lado, grupos organizados endógenos, os quais nascem dentro do poder estatal, buscam cooperar com atores estranhos ao Estado para consolidar a organização criminosa do tipo exógena.

 

O que a Lava Jato mostra é que organizações criminosas de origem endógena nasceram em diversas empresas estatais, em particular na Petrobrás. Presentes nestas organizações estavam políticos e funcionários públicos. Organizações de origem exógena, representada por empresários e lobistas, interagiram com as organizações endógenas. Diversos líderes, em variados momentos, comandavam cada organização, exógena e endógena. Ou seja: observo que não existe um líder comandando uma grande organização criminosa.

 

Não é possível afirmar em qual período nasceram as organizações criminosas que usaram diversas empresas estatais para o financiamento de campanhas eleitorais e para a formação de coalizão partidárias. Com base em minha Tese, assevero que não existe ineditismo quanto aos fatos que a Lava Jato mostra. Quem leu a Tese sabe disto.

 

Saliento que a relação setor produtivo e classe política não é, obrigatoriamente, ilícita. Não é ilícito, empresários doarem recursos declarados para candidatos. E não é vergonhoso políticos assumirem que receberam tais recursos. A Lava Jato não pode criminalizar a atividade política. Embora, ela deva desvendar, sem seletividade, os mecanismos da criminalidade organizada presentes no sistema político.

 

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

Notícias Anteriores


 




error: Copiando nosso texto?