13
abril

Recorde negativo: Pernambuco ultrapassa as 80 mil notificações de casos suspeitos de dengue, zika e chikungunya

Doença transmitida pelo Aedes aegypti se tornou preocupaçao mundial - Imagem meramente ilustrativaMosquito Aedes aegypti é o principal transmissor das três doenças – imagem meramente ilustrativa

Um dado preocupante foi divulgado nesta quarta-feira (13) pela Secretaria Estadual de Saúde. Trata-se do grande número de notificações de casos suspeitos de dengue, zika e chikungunya, vindos dos 184 municípios do estado.

Segundo o boletim, de janeiro até agora foram registrados mais de 80 mil casos notificados como suspeitos das três doenças, fator que pode levar o estado a mais que dobrar os números registrados durante todo o ano de 2015, pouco mais de 130 mil.

Para se ter uma ideia da gravidade do problema, 75 cidades estão em situação de risco de apresentarem quadro de surto semelhante ao que aconteceu, por exemplo, em Santa Cruz do Capibaribe e em outras cidades da região como Taquaritinga, Jataúba e Brejo da Madre de Deus.

Ainda de acordo com a Secretaria, puxam a fila de notificações os casos de dengue, com mais de 55.502 casos, sendo 8.448 confirmados e 8.245 descartados. Esses números representam um aumento de 23,99% em relação ao mesmo período de 2015, quando foram notificados 44.764 e 22.479 confirmados.

A importância da prevenção

Vale ressaltar a importância da manutenção da atenção, especialmente por parte da população, em eliminar o máximo possível de focos do mosquito Aedes aegypti, inseto que é o vetor transmissor dessas três doenças.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, 80% dos focos estão dentro das residências e os cuidados devem ser redobrados com atenção especial a Zika, que pode causar microcefalia em bebês.

Para quem não conhece, a doença acontece quando o cérebro sofre uma má formação, nascendo menor e trazendo consigo diversos problemas neurológicos permanentes.

Notícias Anteriores