28
fevereiro

“Voto que se averigue tudo”, diz Ronaldo Pacas sobre possível CPI no calçadão


Fotos: Thonny Hill.

Com a possibilidade real de um pedido para abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), para investigar os valores investidos no Calçadão Miguel Arraes de Alencar, na Câmara de Santa Cruz, o vereador Ronaldo Pacas (PR) já se colocou favorável à investigação. A confirmação foi repassada durante o programa Rádio Debate, da Polo FM, onde o vereador foi sabatinado nesta quarta-feira (28).

O assunto surgiu após parte do telhado do Setor Azul ceder, e é tema constante nos bastidores, entre os vereadores e demais funcionários da Casa José Vieira de Araújo. Para Ronaldo, tudo deve ser analisado. “A CPI seria uma maneira de saber o que aconteceu. É necessário esclarecer. É aguardar… eu voto que se averigue tudo”, disse.

Além disso, o vereador foi questionado sobre sua recusa a cargo no governo do estado, apoio para Câmara Federal, ‘sonho’ para presidência da Câmara, falta de convites para eventos da administração municipal, possíveis empregos de familiares sob sua indicação na gestão Vieira, entre outras coisas.

“Sonho meu…”

Ronaldo não nega o desejo de presidir o Legislativo Municipal. Ele revelou que, mesmo esse não sendo o fator principal, caso aceitasse o cargo no governo do estado, considera que se distanciaria da Câmara. O vereador também acredita ter capacidade suficiente e trabalha com esse intuito.

Estadual, Diogo! Federal, não se sabe…

Se para ALEPE o apoio tá definido no projeto de reeleição de Diogo Moraes (PSB), o mesmo não acontece para um representante em Brasília. Ronaldo diz que pode continuar com Mendoncinha (DEM), mas abre brecha para um possível apoio em André de Paula (PSD), Bruno Araújo (PSDB), João Campos (PSB) ou algum nome apresentado por Diogo.

Que convite?

O parlamentar revelou que há um tempo não recebe convites para eventos da administração municipal. Isso teria tido início após Ronaldo informar, em reunião com o prefeito Edson Vieira e grande parte da bancada de Situação, que continuaria engajado no projeto de Diogo 2018.

Família

Ronaldo foi questionado sobre supostas indicações de familiares para o serviço público municipal. Respondeu que uma filha teria sido um pedido do Secretário de Educação, Joselito Pedro. E a esposa, como questionado, nunca teria trabalhado no serviço público.

Indagado se o contrato da prefeitura com a filha, não havia sido renovado por retaliações a sua postura política, disse não ter informações se o contrato foi renovado ou não.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Notícias Anteriores