22
abril

“Pode ser contenção de despesa ou outro fator” – afirma Dr. Eder Neves sobre suspensão de cirurgias eletivas no HMRFA em Santa Cruz do Capibaribe


Dr. Eder NevesFoto: Thonny Hill

Em entrevista concedida ao Blog, o médico e cirurgião oftalmológico Dr. Eder Neves, falou sobre mais uma polêmica envolvendo a área da saúde na gestão do prefeito Edson Vieira (PSDB).

Dr. Eder, que faz parte da equipe de médicos que realizam cirurgias no Hospital Municipal Raimundo Francelino Aragão (HMRFA), falou sobre as denúncias que chegam a redação e também a rádio Polo FM, de que cirurgias eletivas, aquelas que possuem data marcada para sua realização, não estariam sendo realizadas há meses na unidade.

.

A confirmação da não realização das cirurgias

De acordo com Dr. Eder, apenas as cirurgias oftalmológicas estão sendo realizadas atualmente, mas outros procedimentos como cesarianas, laqueaduras, retirada de vesícula e outras consideradas de pequena a média complexidade não estão sendo feitas.

Dr. Eder citou que todas as cirurgias chegaram a ser suspensas no último trimestre do ano passado por conta do surto com casos suspeitos de dengue, zika ou chikungunya e falou a retomada, apenas, das cirurgias oftalmológicas.

“O hospital passou a não fazer cirurgia alguma, inclusive as oftalmológicas, por mais ou menos 90 ou 100 dias, também por conta das férias do bloco cirúrgico. Todos os meses de dezembro ou janeiro, existem as férias do bloco e optamos por bem um período de 30 dias sem cirurgia. Coincidiu com isso e o surto de virose. No final de fevereiro, se retomou as cirurgias oftalmológicas” – disse.

Dr. Eder completou que esse cancelamento foi feito devido à sobrecarga nos atendimentos que, segundo o mesmo, aumentaria a possibilidade de infecção hospitalar.

.

Possibilidade de contenção de despesas

Segundo o médico, o HMRFA conta com 03 salas dedicadas a realização de cirurgias, mas apenas duas estão em funcionamento.

Questionamos o médico para saber se a estrutura oferecida nas mesmas é suficiente.

“Essas salas estão ótimas, está tudo prontinho, equipado, pronto para receber pacientes a fazer essas cirurgias. Existe sim todo o equipamento necessário para realização destas, de pequeno e médio porte, no Hospital” – disse.

Dr. Eder confirmou ainda que, entre os profissionais que atendem na rede pública, há médicos capazes de realizar não só as cirurgias de olho, mas também de outras áreas. Questionado sobre o porquê dessas cirurgias não estarem sendo realizadas, ele apontou um possível motivo: a contenção de gastos pelo governo Vieira.

“Sinceramente eu acredito que sim, mas não tenho respaldo para te responder isso com certeza, mas algo está acontecendo. Pode ser contenção de despesa ou outro fator. Seria interessante se questionar também o pessoal da saúde a respeito” – disse.

.

Cirurgias subsidiadas e falta de equipamento no HMRFA

Outro fato que chamou a atenção é que, no caso das cirurgias oftalmológicas, o equipamento que é utilizado não pertence ao próprio hospital, mas sim ao próprio médico.

De acordo com Dr. Eder, o município paga apenas 50% do valor pago da tabela do SUS e ele “subsidia” os outros 50%.

“Todo o equipamento que é utilizado para as cirurgias de olho é meu. Eu o adquiri ao longo do tempo. É um equipamento bom, fazemos cirurgias de ponta e que a gente faz pelo SUS sem cobrar nada. São cirurgias que são feitas com a mesma tecnologia presente em uma capital. Usamos o ambiente do hospital porque são cirurgias públicas, feitas em um ambiente público, mas que são subsidiadas por mim, digamos assim” – falou.

Segundo ele, cerca de 40 procedimentos são realizados mensalmente. Questionado sobre como ele avalia a saúde do município, ele foi enfático:

“Ela deixa a desejar, mas ela é boa para quando Santa Cruz do Capibaribe tinha cerca de 20 mil habitantes” – disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Anteriores