17
maio

Novo desabamento de teto do Calçadão esquenta discursos em sessão da Câmara


Nesta quinta-feira (17) foi realizada a 15ª sessão ordinária na Câmara de Vereadores de Santa Cruz.A sessão foi marcada portes discursos, que tiveram como tema, em sua grande maioria, o novo desabamento do teto do Calçadão Miguel Arraes de Alencar.

Os discursos giraram entre aqueles que pediam a instalação de uma CPI para apurar supostas irregularidades na construção do gigante comercial e também aos que faziam defesa mesmo com a atual situação de parte do empreendimento.

Dos 17 vereadores, 15 deles estiveram presentes e fizeram uso da tribuna. Entre eles, estava o vereador Joab do Oscarzão, que deixou o posto de Secretário de Habitação no governo Vieira.

A sessão também foi marcada pela presença de populares que, alegando serem comerciante do Calçadão, foram cobrar dos vereadores mais fiscalização e também o pedido de CPI sobre supostas irregularidades.

.

Carlinhos da Cohab solicita contratação de engenheiro pela Câmara para analisar problemas no Calçadão

“Solicitamos que se tenha um engenheiro pago pela câmara para vermos lá essas questões e que se dê um laudo. Não se tem respostas do prefeito e do governador. Foi o quê? Uma casadinha dos dois? Quanto tempo faz que esse pedido de CPI foi protocolado aqui. Quando caiu a primeira vez, se foi solicitado uma CPI e se colocaram isso por baixo dos panos aqui nessa Casa, mas agora, dessa vez, espero que se coloque esse pedido e se indique os membros”.

.

“Não tive a estrutura mínima na minha secretaria” – diz Joab do Oscarzão

“Não houve briga com ninguém. Não comentei com o prefeito e peguei todos de surpresa. Foi uma decisão pensada. Todo o sonho de quem luta por moradia é estar secretário (de governo), mas não fiquei por falta de estrutura básica. Não tive a estrutura mínima na minha secretaria. Até onde saí, que foi ontem que eu entreguei o cargo, não tinha impressora, internet… Gosto de trabalhar, mas não dessa forma” – frisou.

Joab aproveitou também para fazer críticas ao prefeito Edson Vieira, ao falar de nomes de sua legenda que foram demitidos ou alvos de críticas por apoiarem Diogo Moraes.

“Quando alguém fala uma coisa que me desagrada, fico triste. Não gostei do que o prefeito Edson Vieira disse em programa de rádio com os meus colegas do PSD. Não vou admitir ninguém estar com palavras pejorativas quanto aos meus companheiros. Nós nos reunimos, somos como uma família”.

.

“Houve equívocos e erros” – diz Jessyca Cavalcanti sobre engenheiros que analisaram Calçadão

“Teve que ter um equívoco nesse laudo por ter se desabado novamente. Houve equívocos e erros. A prefeitura notificou a empresa para que ela esclarecesse. Vocês viram o prefeito lá no local. Ninguém seria irresponsável e esse é o momento, de se contratar também um engenheiro para que essa casa acompanhe e nos possa dar esse direcionamento. Precisamos esclarecer esses fatos e, todas essas historias que se tem de superfaturamento, até agora não se tem comunicado oficial do Governo do Estado e estamos em fase se conclusão de prestação de contas”.

.

Marlos da Cohab volta a cobrar CPI e diz que Calçadão “está condenado”

“Já pedi uma CPI para que possamos fiscalizar e passar para todos o que aconteceu. A estrutura está danificada e quero estar errado: mas o calçadão está condenado por irresponsabilidade do prefeito e da empresa que fez a construção. Presidente, ao invés de ficar proibindo esses comerciantes de falar, tenha a coragem e peça a indicação dos membros para essa CPI. Não podemos virar as costas para esses comerciantes, que estão sendo prejudicados. SE acontece ruma tragédia ali, se terá a repercussão nacional e teremos prejuízos. O dinheiro veio, R$ 15 milhões… É pouco tempo de se fazer uma obra e ela desabar”.

.

“Aquilo ali vai ter que ser refeito de novo. A situação é essa” – diz Ernesto Maia sobre Calçadão

“Todo mundo já sabe que aquilo ali vai ter que ser refeito de novo. A situação é essa. Lá é cobrado 12 reais por semana de cada banca, 30 reais de cada loja. São aproximadamente 4 mil boxes e 110 lojas. Ela arrecada quase 200 mil por semana e desde que foi inaugurado, já se arrecadou R$ 8.600.000,00. Qual foi a benfeitoria que a prefeitura fez? Será que os banheiros são iguais ao do Moda Center? Se resolveu a questão daquele canal, quando se tem uma fedentina daquelas… O povo quer solução e o povo que isso. Que o senhor, presidente, deixasse de ser bonzinho com o prefeito e se colocasse uma CPI para se apurar os culpados desse desvio”.

.

Junior Gomes cobra CPI e envio de mais documentos sobre construção do Calçadão

“Não recebemos nem o plano conclusivo e nem o plano de trabalho, mas recebemos esse do convênio. Antes tarde, do que nunca. O valor total desse investimento soma R$ 14.136.069,19. Desses 14 milhões, apenas R$ 837.920,00 foram investidos pela prefeitura e os demais foram de investimento direto do Governo do Estado. Muita gente se pergunta: De quem é a responsabilidade ou os culpados? Toda essa situação nem deveria estar existindo, mas sim um empreendimento, um equipamento que servisse aos confeccionistas que ali convivem. Por um bom tempo, ele serviu dessa forma, mas o que hoje se vê… Muitos relatos de gente que está sem ter do que viver por não ter renda nenhuma, mas não tem mais. Isso precisa ser averiguado”.

.

Irmão Val diz que oposição faz politicagem sobre problemas no Calçadão

“Em 19 de setembro de 2014 estava um grupo batendo palma para políticos que estavam inaugurando aquela obra. Outros grupos estavam reunidos, preocupados, dizendo que aquilo não ia crescer. A nossa preocupação é a vida e nenhum gestor estaria satisfeito e rindo de um momento como esse. É importante que as questões de picuinha política sejam deixadas de lado e vamos resolver isso. Não adianta chegarem aqui dizendo que teve superfaturamento. É muito bom se jogar isso para o povo, mas quando se jogaram quando se haviam outras coisas? Estamos aqui para tentar solucionar e vamos fazer. Vamos com uma comitiva e todos os engenheiros ouvir e tentar ter uma solução para esse problema”.

.

“A coisa é muito mais embaixo do que se imagina” – diz Ronaldo Pacas sobre problemas no Calçadão

“Desde a primeira queda (do teto), uma equipe de engenheiros do Governo do Estado já teve aqui e deu o seu relato. A coisa é muito mais embaixo do que se imagina. Está muito diferente do projeto original e não sei de quem a culpa foi, mas há uma evasão de mais de três milhões. A coisa é mais surpreendente daquilo que se pensa, pode ter certeza. Você vai ver o furo que era naquele alicerce. Em locais que era para ter mais de 80 centímetros, se tem apenas 27…”.

.

Capilé rebate Jessyca e diz que engenheiros do Calçadão são os mesmos que assinaram obras na gestão que apresentaram problemas

“A vereadora diz que a prefeitura tem três engenheiros, mas são eles que estão atestando as obras em escolas que estão caindo, de problemas das UBSs sem alicerce, no Calçadão que caiu o teto e agora é o alicerce que está afundando. Quando se estava todo mundo junto, não se tinha denúncia. Vemos Junior Gomes hoje cobrando, mas na época em que eram aliados… Hoje, quando romperam, vem cobrar e dizer de questão de moralidade. O erro se continua até hoje. Espero que o senhor, presidente, se coloque essa CPI e que ela não seja usada como instrumento político”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Notícias Anteriores