11
agosto

Após 8 anos, Armando Monteiro sobe ao palanque de Edson Viera, em Santa Cruz


Prefeito pede ‘lealdade’ e Armando garante que não vai ‘esquecer o gesto’

Fotos: Janielson Santos.

O ano era 2010. O então candidato a deputado estadual Edson Viera (PSDB) recebia em seu palanque, em Santa Cruz do Capibaribe, o candidato ao Senado Federal, Armando Monteiro Neto, até então seu adversário e aliado de primeira hora de José Augusto Maia, adversário em absoluto do tucano. Naquela noite, Armando havia subido, poucas horas antes, no palanque do candidato a deputado federal, José Augusto.

Oito anos depois, agora como candidato ao governo do estado de Pernambuco, pela segunda vez, Armando Monteiro volta ao palanque de Edson, este no posto de prefeito e com a pretensão máxima de levar Alessandra Viera à conquista de uma cadeira na ALEPE.

“Minha primeira palavra só pode ser de agradecimento”, disse o candidato, acrescentando ‘a manifestação de confiança depositada’, de forma oficial, pelo grupo de situação do município em seu projeto rumo ao Palácio do Campo das Princesas.

Coincidentemente, nessa sexta-feira (10), assim como em 2010, Armando se reuniu com o grupo ‘boca-preta’, poucas horas após se encontrar com Zé Augusto.

Para o candidato, o ato é mais que simbólico, pelo acirramento político entre os grupos locais.

“Aqui as cores (partidárias) são muito fortes, os santa-cruzenses se entregam de corpo e alma”, disse Armando, acrescentando em seguida que se conseguiu passar no ‘teste em Santa Cruz’, juntando em seu projeto grupos distintos, será capaz de juntar diferentes ‘torcidas’ no estado’.

“Temos que ter a compreensão que somos pernambucanos. Essa é a nossa origem. Antes de ser de Santa Cruz, lado ‘A’ ou ‘B’, o que nos une é a consciência de sermos todos pernambucanos e, nessa hora, Pernambuco precisa de todos nós”, frisou o petebista, garantindo que não vai esquecer o gesto do tucano.

Motivação – Durante seu discurso, Edson Vieira (PSDB) voltou a argumentar que sofreu uma suposta perseguição do governo do estado. “Estranhamente, passei a ser perseguido sem saber por que”, falou.

O gestor afirmou que não é de ‘ficar no muro’ e tomou a decisão de apoiar Armando, com auxílio de aliados, após um pedido de Bruno Araújo.

“Pernambuco é maior e as picuinhas de Santa Cruz não vão interferir”, disse, complementando em seguida que “não vai se aliar com adversários no município”.

Chapa completa – Os dois candidatos ao senado, Mendonça Filho (DEM) e Bruno Araújo (PSDB), o candidato a deputado federal, Fernando Filho (MDB), prefeitos da região, vereadores e secretários, também estiveram no ato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Notícias Anteriores