12
agosto

O passo a passo do crime que chocou o agreste


Polícia refaz momento em que Guarda Municipal foi brutalmente assassinado

 

Delegado afirma não ter mais dúvidas que o adolescente apreendido matou o GCM. Fotos Fernando Lagosta

Na manhã desta quarta-feira (12), em Santa Cruz do Capibaribe, foi realizada a reconstituição do assassinato do guarda municipal Joel Bonifácio de Queiroz, conhecido por “Alemão” (32 anos).

 

O crime aconteceu na Avenida 22 de Abril (bairro Bela Vista) no dia 09 de abril deste ano. O crime chocou a população do município e de outras cidades do agreste.

 

No ato da reconstituição, estavam presentes os policiais civis da 21ª Delegacia de Proteção e Homicídios (DPH) e seu delegado, Dr. Jean Rockfeller, além do adolescente suspeito de ser o autor dos disparos que mataram o GCM.

 

Com as orientações dadas pelo suposto assassino de apenas 17 anos (que ficou, a todo momento, dentro da viatura), o momento do crime foi recriado pelos policiais e pode servir como base para o fechamento do inquérito sobre a morte do GCM.

.

Local do crime foi isolado pelos GCMs

Em entrevista concedida ao repórter policial Fernando Lagosta, Dr. Jean falou que os elementos obtidos com a reconstituição são fundamentais para que seja pedido, via justiça, a internação do adolescente tido, segundo o delegado, como autor do crime.

 

“Aparentemente, tudo indica que o adolescente foi assaltar Joel. Assaltando, ele entrou em luta corporal com ele (o GCM) e veio a desferir vários disparos, onde a vítima não resistiu e morreu. Várias linhas de investigação foram levantadas, mas a que se sustentou na Delegacia de Homicídios e que ela tem elementos para pedir (a internação) é a do latrocínio consumado.” – disse.

 

Questionado se as informações que foram repassadas na reconstituição batiam com o que foi dado no depoimento quando o mesmo chegou a ser apreendido em 27 de junho (na ocasião ele teria se envolvido em um assalto a uma loja de roupas pertencente a um policial militar – Clique AQUI para rever o caso), o delegado citou que somente o depoimento não seria suficiente para esclarecer o crime brutal.

 

Dr. Jean afirmou também que agora não tem mais dúvidas da participação do adolescente na morte do Guarda Municipal.

 

“Ele participou do fato e confirmou, de forma muito fria inclusive. Levamos ele para o local para que ele dissesse a dinâmica do crime. Isso foi feito.” – pontuou.

 

Delegado tem dúvidas de que somente uma pessoa participou na morte de Joel

 

Durante a entrevista, o delegado afirmou que, mesmo com a sua convicção de que o adolescente é autor do assassinato, ele acredita que o menor não agiu sozinho na hora do crime.

 

O delegado também lamentou o fato de que o adolescente não possa ser apreendido, já que ainda não existe um mandado de internação do mesmo.

 

Depois da reconstituição, o adolescente foi levado a Delegacia de Homicídios (foto que abre esta matéria) e liberado sob a companhia dos advogados e da família.

.

Momento da saída do adolescente e sua mãe da DPH

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Anteriores