Passeio ciclístico leva centenas as ruas

 

Em uma demosntração de amor ao esporte, ciclistas de todas as idades mostram disposição pelas ruas da cidade. Foto: Thonny Hill.

 

Na manhã de hoje (14/10), está acontecendo a 9ª Edição do passeio Ciclístico Lucimário, que levou centenas de ciclistas, amadores e profissionais, de todas as idades, pelas ruas de Santa Cruz.

 

Até no quadro da bicicleta, se demostra o gosto pelo esporte.

 

O evento, que é realizado anualmente e organizado pelo famoso ciclista, que com seu esporte já pedalou por vários países da américa latina, teve a adesão também de muitas pessoas que não tinham se inscrito no evento, principalmente crianças, que aderiram a ideia de saúde aliada ao esporte e acompanham os ciclistas, seguindo o exemplo dado pelos mesmos.

 

Nesse momento, os esportistas estão seguindo pelas ruas, acompanhando um trio elétrico.

 

 

Após um ano, inquéritos sobre lixo hospitalar não foram concluídos

 

Tecidos importados dos EUA eram usados em confecções de Pernambuco. 
Comércio se recuperou, mas possíveis culpados ainda não foram indiciados.

 

 

Contêineres com lixo hospitalar foram apreendidos em Suape, em outubro de 2011

A apreensão de dois contêineres com 46 toneladas de material hospitalar no Porto de Suape, no Litoral Sul dePernambuco, completou um ano na última quinta-feira (11). Algumas lacunas sobre a história ainda precisam ser preenchidas – os possíveis culpados ainda não foram indiciados. Os inquéritos civil e policial seguem abertos, com o Ministério Público Federal em Pernambuco e com a Polícia Federal.

 

Por meio de nota, a Procuradoria da República informou que pediu a instauração do inquérito policial ainda em outubro do ano passado. “O objetivo, além da apuração de responsabilidades no âmbito civil, é verificar se houve falhas no serviço público de fiscalização e promover a adoção de medidas para evitar que os fatos se repitam”, dizia o texto.

 

 

O MPF explica ainda que o inquérito civil está em andamento, até para que se avalie a necessidade de mais investigações. O inquérito policial, aos cuidados da PF, verifica os possíveis crimes contra o meio ambiente, além dos previstos no artigo 278 do código penal, que prevê como crime ‘vender, expor àvenda, ter em depósito para vender ou, de qualquer forma, entregar a consumo coisa ou substância nociva à saúde’, e o artigo 334: ‘importar ou exportar mercadoria proibida ou iludir, no todo ou em parte, o pagamento de direito ou imposto devido pela entrada, pela saída ou pelo consumo de mercadoria’.

 

Como o caso corre em segredo de Justiça, a Polícia Federal não comenta sobre o avanço das investigações nem dá previsão para a conclusão do inquérito. A Receita Federal também participou das investigações e representou a importadora criminalmente, junto ao MPF. “A empresa importadora foi representada por contrabando, por tentar importar algo que é proibido”, explica o inspetor chefe da Alfândega em Suape, Carlos Eduardo Oliveira.

 

A empresa Na Intimidade Ltda., situada em Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste pernambucano, era a importadora da carga. À época, os responsáveis se defenderam afirmando terem sido enganados pela exportadora americana Texport Inc., pois aguardavam a chegada de tecidos com defeito e não de lixo hospitalar. Os tecidos eram vendidos em cidades do Agreste, principalmente para fabricantes do polo de confecções, para produção de forros de bolsos de calças jeans. Além dos contêineres, a Agência de Vigilância Sanitária de Pernambuco (Apevisa) encontrou tecidos semelhantes em galpões em Santa Cruz do Capibaribe, Toritama e Caruaru. O material foi incinerado.

 

Os documentos apresentados naquela ocasião afirmavam que os contêineres traziam tecido com defeito, enquanto durante a inspeção foi constatado que resíduos hospitalares estavam armazenados ali. “Era uma coisa que não se esperava de forma alguma. Passamos a ficar atentos a várias outras coisas, outros fatores. Depois desse caso, houve um aprimoramento da vigilância”, conta Oliveira.

 

Os comerciantes do polo têxtil, no Agreste do estado, destino final da carga, também ficaram bem mais atentos. Na época, as vendas chegaram a cair 50% na primeira feira de rua deSanta Cruz do Capibaribe logo após a descoberta dos contêineres. A Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária fez apreensões em Santa Cruz do Capibaribe, Toritama e Caruru, material que já foi incinerado.

 

 

 

Edson Araújo, comerciante há 26 anos do ramo de tecidos em Santa Cruz do Capibaribe

Trabalhando com tecidos há 26 anos em Santa Cruz, Edson Araújo lembra que foi uma surpresa grande quando houve a apreensão na cidade. “Infelizmente, aconteceu, mas aqui não é lixeira não. Temos uma história de trabalho sério, não pode chegar uma pessoa e querer acabar com tudo para ganhar mais dinheiro”, reclama Araújo, que conta ainda que o comerciante que vendia o lixo hospitalar sumiu da cidade, mas espera que a Justiça seja feita.

 

A vendedora Erika Carolina Lopes conta que, dois meses depois do ocorrido, as vendas já tinham voltado ao normal. “As pessoas ficaram receosas, é normal, né? Todo mundo olhava muito o forro de bolso branco, todo mundo desconfiado. O problema foi mais com produto importado, mas é questão da pessoa olhar e desconfiar”, pondera Erika.

 

 

 

 

 

Maria Francisca toma ainda mais cuidado com a fabricação de jeans

Com as vendas normalizadas, o assunto foi sendo deixado de lado, mas o aprendizado ficou. “A gente pergunta de onde vem o tecido, inspeciona com mais cuidado. A gente nunca imaginou que algo assim poderia acontecer”, conta a comerciante Maria Francisca da Silva, que tem a família toda trabalhando na cadeia de produção do jeans em Santa Cruz, da fabricação à venda, no polo de moda da cidade.

 

O comerciante João Cardeal da Fonseca, que tem uma loja no centro de moda de Santa Cruz, acredita que o escândalo do lixo hospitalar foi um mal que veio para o bem. “Fiquei preocupado na época, mas agora está até melhor do que era. O pessoal que fabrica as calças jeans ficou muito mais cuidadoso, o produto melhorou de qualidade. Não dá para explicar, mas no fim das contas, até que foi algo bom”, acredita Fonseca.

 

 

A vendedora Neide Santos, de Toritama, lembra que o caso atingiu mais os pequenos comerciantes, que vendem mais nas feiras semanais. “O pessoal que vende nas barracas sofreu mais, porque eles geralmente correm mais atrás do produto mais barato de qualquer jeito, mas acho que todos aprendemos. Fora que a fiscalização agora é maior. As pessoas não falam do assunto, como se tivessem medo de voltar, mas não quer dizer que esqueceram”, acredita Neide.

 

 

 

Vendas voltaram ao normal no Moda Center em Santa Cruz do Capibaribe. Produtos melhoraram de qualidade, afirmam comerciantes.

 

Fabricantes investem em forros personalizados para ganhar confiança dos clientes

Sempre atento, Adriano Costa trabalha na famosa feira de Caruaru e faz questão de mostrar os bolsos das calças jeans que vende. “Fingir que isso não aconteceu não resolve. As pessoas podem deixar de falar, mas fica ainda aquela sombra. Nós somos os nossos fiscais, temos que verificar a procedência, olhar com atenção quando achar que algo está muito barato”, aconselha Costa.

 

Costa concorda com o colega de Santa Cruz sobre a qualidade do produto. “Os fabricantes, principalmente de Toritama, que é de onde compro mais, estão com um controle de qualidade muito grande. As pessoas ficaram com medo, viram que não adianta vender um produto muito mais barato sem saber de onde vem, os clientes são exigentes”, afirma o comerciante, que conta ainda que alguns fabricantes passaram inclusive a personalizar os bolsos. “É um processo um pouco mais caro, mas não alterou o preço para o consumidor”, explica.

 

 

Prevenção

 

 

Evitar que essa situação se repita é um dos desafios encontrados no polo. O diretor de empreendedorismo e planejamento da Câmara de Dirigentes Lojistas de Santa Cruz do Capibaribe, Bruno Bezerra, acredita que o próprio consumidor ajuda a esse tipo de produto não ser mais vendido. “O mercado em si cria suas auto-regulamentações. Se ele não quer aquele produto, o fabricante não usa mais, o fornecedor não compra mais. Aquela situação tumultuou muito o mercado, estávamos nos preparando para o final do ano, aquecendo para as vendas e atrapalhou tudo. Não é à toa que comerciantes e fabricantes riscaram aquele tipo de produto do portfólio”, diz Bezerra.

 

Além da autorregulamentação, uma legislação estadual foi criada especificamente para a reutilização de tecidos, fruto do debate do comitê de fortalecimento do polo têxtil de Pernambuco, formado por representantes do Governo, prefeituras que integram o polo e empresários da região. A Lei Estadual nº 14.634, de 23 de abril de 2012, institui, entre outros pontos, que fica proibida ‘a utilização fora da unidade geradora, a reciclagem, a compra, a venda e a doação de roupas de uso hospitalar classificadas como resíduos de serviços de saúde, mesmo que submetidas a tratamento na unidade de processamento de roupas’.

 

A regulamentação, já em vigor, prevê ainda multa de R$ 2 mil a R$ 1,5 milhão, que pode ser duplicada em caso de reincidência da irregularidade. “Não tivemos notícias de novos casos, mas continuamos a vigiar. Naquele caso [dos galpões interditados no Agreste], nossa punição foi incinerar todo o produto, enquanto os contêineres com lixo hospitalar em Suape foram devolvidos aos Estados Unidos”, detalha o gerente geral da Apevisa, Jaime Brito.

 

 

 

Em Toritama, comerciantes afirmam que não tiveram mais problemas

O gerente geral de Desenvolvimento de Negócios da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, Felipe Chaves, acredita que o trabalho de valorização feito na mídia pelo governo do estado auxiliou a recuperação rápida do polo. Ele explica que outras ações foram desenvolvidas para profissionalização, como um programa de inteligência mercadológica, através do Núcleo Gestor da Cadeia Têxtil e de Confecção de Pernambuco. “Precisamos aprofundar o estudo dos principais mercados, tanto onde o polo já atua, como em outros que podem vir à frente. Outro ponto é disseminar informação, articular com outros atores a qualificação da empresa e do produto para atuar nos mercados”, afirma Chaves.

 

Apesar das perspectivas positivas, o presidente do Núcleo Gestor da Cadeia Têxtil, Edilson Tavares, lembra que ainda existem muitos desafios a serem vencidos, que vão além da crise do ano passado. “A economia mundial passa por problemas, a indústria nacional também. Temos vários desafios, como tentar mobilizar o nosso setor para ter produtos com marca de sustentabilidade, capacitação de mão de obra”, enumera o presidente.

 

Tendo visitado inúmeras empresas, Tavares acredita que o caso do produto hospitalar sendo reutilizado foi isolado. “As pessoas não tinham muita noção do que acontecia, ninguém sabia que era irregular e proibido. As empresas regulares compram seus tecidos direto da fábrica, há até o modismo agora de personalizar o forro de bolso. Acredito que os empresários e a população estão mais vigilantes para que a gente possa expurgar do nosso meio quem tem essas atitudes”, finaliza o presidente.

 

Fonte: G1

14
outubro

14
outubro

A volta de Zé à Brasília

 

Foto: Arquivo do Blog

 

Na última semana o deputado federal José Augusto Maia (PTB), divulgou nota informando suas atividades em Brasília, onde teria passado pela Casa Civil e alguns Ministérios.

 

Por certo, o deputado tenta voltar à rotina e passar a impressão que tudo está normal. Porém, não é equívoco entender que nem tudo será como antes.

 

A derrota sofrida por José Augusto em Santa Cruz do Capibaribe tirou do PTB a cidade interiorana estrategicamente mais importante do estado de Pernambuco. Afinal, foram essas as palavras do senador Armando Monteiro (PTB) quando escolheu a Capital da Moda para fazer sua última participação em comícios neste ano.

 

A partir de 2013, José Augusto Maia passará a ter seu grupo político reduzido como nunca antes aconteceu. Perdeu a Prefeitura do município e a Câmara de Vereadores. Não tem representante na Assembleia Legislativa, e o apoio do Governo do Estado torna-se algo duvidoso.

 

Com este cenário, suas tão faladas emendas parlamentares precisarão ser executadas por governantes adversários.

 

 

A volta de Zé à Capital Federal para a concretização de obras oriundas de suas emendas passar a ser mais um desafio do mito que nunca tinha sofrido uma derrota política.

14
outubro

Festa da vitória de Edson Vieira terá Cavaleiro Elétrico

 

 

A festa da vitória obtida por Edson Vieira nas eleições municipais deste ano contará com um show da banda Cavaleiro Elétrico.

 

O Show com trio elétrico acontecerá na noite deste domingo (14), na Avenida Bela Vista.

14
outubro

Carro cai no Açude da Manhosa

 

 

 

A foto curiosa registrada por Almir das Neves (Merece Destaque), mostra um veículo Gol que ficou parcialmente submerso no Açude da Manhosa em Santa Cruz do Capibaribe.

 

O fato ocorreu enquanto o proprietário tentava lavar o veículo, na tarde deste sábado (13).

14
outubro

Domingo de festa para os amigos Eliel Antônio e Ari Gomes. Parabéns e feliz aniversário!

 

Eliel Antônio

 

Ari Gomes

Confira o vídeo gravado pelo blogueiro Pablo Ricardo, com o festival de denúncias e insultos promovidos entre os vereadores Ernesto Maia (PTB) e Dimas Dantas (PP), na reunião da Câmara de Vereadores, na última quinta-feira (11).

 

.

Comerciante é executado a tiros em Santa Cruz do Capibaribe

 

Gerlandio foi assassinado com pelo menos três tiros

 

O comerciante Gerlandio Paiva Ferreira, 33 anos, foi assassinado na noite desta sexta-feira(12), enquanto bebia com amigos em um bar, na Rua Rosemiro Alves da Rocha, no Centro de Santa Cruz do Capibaribe.

 

Foto: Mural do Leno

 

De acordo com informações da Polícia Militar, o crime tem características de execução, e teria sido cometido por dois homens não identificados que chegaram ao local e efetuaram pelo menos três disparos contra o comerciante.

 

Gerlandio era bastante conhecido na cidade e atuava com venda de etiquetas.

 

A polícia ainda não tem informações sobre os autores do crime.

13
outubro

O sábado é especial para Cido do Caldeirão. Feliz aniversário!

 

13
outubro

Revista DUPOLO apresenta desfile Verão 2013

 

 


A Revista DUPOLO, revista de moda e negócios de Santa Cruz do Capibaribe, realizará neste domingo, 14 de outubro, no corredor central do Moda Center Santa Cruz, um desfile que irá apresentar as coleções de Verão 2013 de empresas da nossa região. Na passarela desfilarão moda feminina, masculina, praia, infantil e tudo que nossas empresas têm de melhor.

 


Local: Moda Center Santa Cruz – Corredor Central
Data: 14 de Outubro (Domingo)
Horário: às 09:00h e ás 15:00h

 

Ernesto e Dimas esquentam primeira reunião da Câmara após as eleições

 

Na noite de ontem (11), os vereadores Ernesto Maia (PTB) e Dimas Dantas (PP) protagonizaram um dos embates mais acalourados das reuniões ordinárias dos vereadores durante o ano.

 

Na ocasião, Ernesto desafiou Dimas a provar sua inocência perante as denúncias de que estaria envolvido em uma empresa laranja. Já Dimas afirmou que possui uma gravação, que encriminaria Ernesto e seu tio, o deputado José Augusto Maia, por denúncias falsas.

 

Dimas também desafiou Ernesto a quebrar os sigilos fiscal, bancário e telefônico junto ao Ministério Público. Já Ernesto afirmou que aceitaria “com prazer” o desafio e que Dimas cumpra sua palavra em renunciar seu mandato de vice prefeito, caso seja comprovado seu envolvimento no caso da empresa G. Mergulhão.

 

Confira o embate nas matérias seguintes.

Clima esquenta na casa Dr. José Vieira Araújo

 

Imagem: Arquivo.

 

Em mais uma noite de discursos dos vereadores, na primeira Sessão Ordinária após as eleições, o clima foi bastante quente.

 

O vereador Junior Gomes (PDT) fez duras críticas a Socorro Maia. Dimas Dantas (PP) e Ernesto Maia (PTB), protagonizaram uma série de ataques pessoais e políticos.

 

Já Afrânio Marques (PDT), outro vereador com discursos também acalourados, denunciou a demissão de médicos em PSF´s.

 

Algumas ausências foram registradas. Os vereadores Deomedes Brito (PT), Fernando Aragão (PTB) e Dr. Nanau (PTB) não compareceram, pois estavam em compromissos particulares.

 

Confira, a partir de agora, o que de mais quente aconteceu nos discursos dos vereadores.

 

“Eu tive muitos votos de eleitores do Grupo Adversário”

 

Em seu discurso, o parlamentar agradeceu a vitória obtida nas eleições, que garantiram a continuidade de seu mandato a vereador por mais 4 anos.

 

Zezim também citou que Santa Cruz optou pela mudança, ao eleger Edson Vieira (PSDB) como novo prefeito. O vereador também falou sobre sua campanha feita, segundo ele, “sem recursos” e “sem tempo para visitas porta a porta”, mas que lhe rendeu saldo positivo, onde afirmou que teve muitos votos, inclusive de eleitores do grupo adversário.

 

Ao final de seu discurso, o parlamentar citou a maioria de vereadores eleitos de sua bancada, citando as 10 vagas conquistadas nas eleições.

“O prefeito Toinho fez o que pôde”

 

Em seu discurso, o parlamentar fez seu agradecimento a votação obtida nessas eleições.

 

O vereador parabenizou a vitória de Edson e Dimas, como também dos vereadores eleitos.

 

Galego também citou a importância dos eleitores que optaram pela mudança, citado que existem 03 tipos de eleiores: “Taboquinhas, Bocas Pretas e aqueles que fazem a diferença por Santa Cruz”.

 

Ao final de seu discurso, o parlamentar firmou a sua defesa ao prefeito Toinho do Pará (PTB), citando que ele “O prefeito Toinho fez o que pode. O que dependeu dele e que ele pôde fazer, eu acredito que ele fez” e finalizou citando que, os eleitores que votaram em Edson, foram aqueles que fizeram a diferença por Santa Cruz, mas alertou que “caso não se trabalhe ou não faça um trabalho que agrade, os destinos de Santa Cruz serão mudados”.

Ernesto desafia Dimas Dantas: “O senhor pode ter certeza: esse caso está apenas começando”

 

Em seu discurso, um dos mais fortes da noite, o parlamentar fez a defesa de José Augusto Maia (PTB), onde afirmou que as obras solicitadas por ele serão mantidas.

 

O vereador direcionou duras críticas para seu colega Dimas Dantas (PP), onde citou as acusações feitas por sua bancada e o pedido de quebra de sigilo bancário e telefônico feito por Dimas.

 

Em um pedido de aparte, o vereador Dimas desafiou Ernesto a fazer o mesmo: “Vamos fazer o mesmo amanhã, quando o senhor fez a palhaçada com 04 vereadores e vamos lá no Ministério Público fazer a mesma coisa que eu fiz? Terça feira, nove horas da manhã, estou esperando o senhor lá”.

 

Ernesto afirmou que aceitaria o desafio “com maior prazer” e indagou a Dimas responder se o cheque divulgado nas denúncias em que Dimas estaria envolvido em uma empresa laranja, que foi depositado na conta de Sávio Barros de Albuquerque (no valor de R$ 37.500,00 para a compra de uma escavadeira) que, segundo ele, pertencia a Dimas.

 

“O senhor pode ter certeza: esse caso está apenas começando. Como o senhor disse, que quando fosse provado, o senhor iria renunciar (o seu mandato), eu quero ver se o senhor vai manter palavras em relação a isso ai”.

 

Ao final de seu discurso, o parlamentar citou a segunda colocação no pleito, agradeceu aos seus eleitores e reafirmou seu apoio a seu grupo político: “Quero dizer ao grupo taboquinha que essa batalha está apenas começando.

Parlamentar dispara contra Socorro Maia: “Graças a Deus, vai sair uma múmia da Secretaria de Educação”

 

Em seu discurso, outro dos mais acalourados, o parlamentar prestou solidariedade ao presidente da casa, Francisco Ricardo (PSDB), que não conseguiu se reeleger.

 

O vereador também fez duras críticas ao deputado federal José Augusto Maia (PTB), afirmando que Edson Vieira “ganhou de um candidato que se achava maior do que Deus, que se achava o dono da razão e que só ele é quem sabia das coisas”, enfatizou.

 

Junior também citou sobre a mudança dada, segundo ele, pela população nas eleições e fez duras críticas a Secretária de educação Socorro Maia, onde afirmou que “Graças a Deus, vai sair uma múmia da Secretaria de Educação que está lá há 12 anos”, afirmando também que ela perseguiu os professores.

 

O parlamentar citou também que irá cobrar as emendas que foram prometidas por José Augusto Maia e rebateu o discurso de defesa de Toinho, afirmando que quem foi derrotado não foi Toinho e sim “o seu candidato a prefeito josé Augusto Maia”.

 

Ao final de seu discurso, o parlamentar rebateu o discurso do vereador Ernesto Maia (PTB), onde o colocou como autor do esquema que envolveu uma jovem em uma suposta compra de votos e também o empresário Zovinho.

 

 

Afrânio denuncia: “Foram demitidos todos os médicos dos PSF´s”

 

Em seu discurso, o parlamentar falou de sua preocupação com a população, citando que houve uma demissão de médicos nos Postos de Saúde da Família: “Foram demitidos todos os médicos dos PSF´s. Um abandono total a população”, destacou.

 

O vereador afirmou também que terá uma reunião na próxima segunda-feira (16/10) com o prefeito Toinho do pará (PTB), citando também que entrará em contato com o Ministério Público e com o Ministério da Saúde para tentar resolver, segundo ele, essa situação.

 

O candidato também indagou onde estariam os recursos destinados a saúde e indagou que muitos dos recursos da saúde, limpeza pública e outros setores foram, segundo ele, desviados para a campanha de deputado federal de José Augusto Maia (PTB).

 

“Será que esses recursos foram pra ir pra campanha, que diziam que eram humildes, que diziam que era liso… Nunca ví um liso fazer uma campanha de deputado federal” e que as derrotas do deputado, segundo ele, começaram no Moda Center e o chamou de “Psicopata” e “Sem sentimento”.

 

 

 

Parlamentar dispara contra Ernesto Maia: “Vou trazer uma gravação de Jadeilson dizendo que o senhor e seu tio (José Augusto) ofereceram 20 mil reais a ele para ele colocar meu nome na história. O senhor é um canalha”

 

Em seu discurso, o mais forte da noite, o vereador citou que sua campanha a prefeito “ganhou do Imperio Romano de Santa Cruz do Capibaribe” e citou que a família Maia “tinha ganhado um patrimônio considerável nos últimos anos”.

 

O vereador citou duras críticas ao vereador Ernesto Maia (PTB), onde afirmou que o mesmo fez uso de “secretários, diretores, professores e secretários de administração, de tudo para pedir votos”, citando que  o mesmo só conseguiu um pouco mais de 2000 votos, citando que teve quase 3000.

 

Nessa hora, Ernesto Maia fez a sua defesa, afirmando que foi o vereador mais votado do grupo taboquinha, que todos os vereadores perderam votos e que ele e Afrânio Marques foi dos que menos perderam, afirmando também que “Ernesto vai ser um calo no senhor, o senhor pode ter certeza”, afirmou o petebista.

 

Continuando seus ataques, Ernesto desafiou Dimas a responder sobre o cheque e o mesmo afirmou ser dele, mas retrucou as palavras de Ernesto, afirmando que ele seria “um falso, um mentiroso e um homem sem caráter”, por conta das denúncias feitas de que Dimas estaria envolvido em uma empresa laranja, que presta serviços a prefeitura e que “estaria começando essa guerra”.

 

O vereador também citou que vai entrar com um requerimento pedindo todas as atas do Moda Center, no intuito de mostrar, segundo ele, “quem é um mau caráter, quem é deu um golpe no povo de Santa Cruz. Essa história não vai parar aqui”.

 

O vereador citou também de que, em agosto do ano passado, seu irmão Klinger Dantas foi convocado sobre o assunto e não respondeu nada por não ter envolvimento com o caso e desafiou Ernesto a quebrar os sigilos fiscal, bancário e telefônico dele e de sua família.

 

Ao final de seu discurso, o vereador afirmou que vai trazer, na próxima semana, uma gravação de Jadeilson Antônio da Silva, uma das pessoas envolvidas no processo das denúncias como um dos sócios proprietários da empresa G. Mergulhão Construção Ltda.

 

“Pra semana, vou trazer uma gravação de Jadeilson dizendo que o senhor e seu tio (José Augusto) ofereceram 20 mil reais a ele para ele colocar meu nome na história. O senhor é um canalha”. Nesse momento o microfone foi cortado e o presidente Francisco Ricardo ameaçou colocar os dois para fora do recinto.

 

 

Parlamentar Dispara: “Zé Augusto subiu com os Maias e desceu com os Maias”

 

Em seu discurso, o parlamentar citou sobre as contas rejaitadas atribuidas a José Augusto Maia, quando prefeito de Santa Cruz.

 

Francisco citou também que recebeu essa semana, a resposta de que o recurso feito por José Augusto Maia a Justiça foi negado e que as contas votadas pela Câmara, no exercício de 2002, estão valendo: “Eu sempre disse que ele era um ficha-suja. O processo continua”, enfatizou.

 

O vereador citou também outras 05 contas que também foram rejeitadas pela casa, segundo ele, por “irregularidades e desvio do dinheiro público” e desafiou Ernesto Maia, afirmando que o mesmo nunca se pronunciou negativamente sobre o caso.

 

O vereador citou que a Câmara de Vereadores foi uma das mais combativas e fez críticas a Fernando Aragão, onde afirmou que o mesmo “ajeitou as contas” porque poderia ser candidato a prefeito.

 

O parlamentar destacou que “Zé Augusto subiu com os Maias e desceu com os Maia” e também fez sua defesa ao prefeito Toinho do Pará (PTB), afirmando que o mesmo não foi candidato a reeleição porque Zé não permitiu.

 

Ao final de seu discurso, Francisco Ricardo revalidou sua críticas ao deputado José Augusto, afirmando que a sua derrota começou com “a maior pisa da história”, referindo-se a derrota obtida por Zé nas eleições no Moda Center, no ano de 2010.

Passadas as eleições, pedras e outros materiais usados nas campanhas ainda continuam espalhados pelas ruas da cidade

 

Foto tirada no giradouro da Avenida 29 de Dezembro. Fotos: Thonny Hill.

 

Mesmo quatro dias após as eleições, uma grande quantidade de pedras que foram usadas para fixar cavaletes, recipientes cheios de cimento para colocação de bandeiras e santinhos ainda continuam espalhados pela cidade, especialmente nas proximidades da PE-160.

 

Segundo a Justiça Eleitoral, as coligações tem que fazer as prestações de contas de suas campanhas, como também promover a limpeza da cidade, em um prazo estipulado até o dia seis de novembro.

 

Foto tirada proximo ao binário em frente a Unimed.

Mesmo com vários apêlos, problema de passarelas ainda não foi resolvido

 

Foto: Thonny Hill.

 

Em visita pelas ruas da cidade, nossa equipe constatou que passarelas, que cortam o canal que fica nos bairros Rio Verde e Cruz Alta, ainda continuam em péssimo estado de conservação e oferecem riscos aos pedestres que as utilizam, onde moradores já relataram diversos acidentes.

 

No dia 21 de julho, o diretor da Secretaria de Infraestrutura do município nos informou que novas placas de aço estariam sendo encomendadas para resolver o problema de maneira parcial, já que apenas uma das três passarelas seria consertada.

 

Quase três meses depois, nenhuma das três passarelas foi restaurada. Pedimos a Secretaria de Infraestrutura que se prontifique a resolver o problema ou nos envie uma resposta para que possamos esclarecer os moradores daquelas localidades.

 

Foto tirada dia 19 de julho. Até hoje (11/10) nada foi feito para resolver o problema.

 

Para visualizar as postagens anteriores sobre o tema, basta clicar AQUI e AQUI.

 

Prefeito eleito de Santa Cruz concede entrevista na Rádio Cultura

 

O prefeito eleito de Santa Cruz do Capibaribe Edson Vieira (PSDB), concedeu entrevista na tarde desta quinta (11) na Rádio Cultura AM,no programa Cultura Entrevista, comandado por Hélio Jr.

 

Na oportunidade, Vieira falou sobre o desafio que terá como prefeito da importante cidade no cenário estadual que é Santa Cruz do Capibaribe.

 

“Temos um grande desafio pela frente, sei da responsabilidade que o povo me concedeu e tenham certeza que vamos colocar a cidade no rumo do progresso”, pontuou.

 

Na entrevista, Edson falou que as entidades serão peças primordiais para o desenvolvimento da cidade e que serão parceiras de seu governo.

 
Sobre as questões políticas, o prefeito eleito falou da importante participação dos secretários do governador e que fará um governo para o povo. “O governador será um grande parceiro nosso e irei até Brasília em busca de emendas para ajudar nossas ações em 2013” ,  finalizou.

 

Assessoria

Desperdício é finalmente resolvido na Rua Professora Ivani Batista

 

Fotos: Elivaldo Araújo.

 

Em mais uma visita as ruas de Santa Cruz, nossa equipe foi verificar, na manhã de hoje, se o desperdício de água na Rua Professora Ivani Batista, no bairro Nova Santa Cruz, foi resolvido.

 

No dia 12 de maio, publicamos uma matéria sobre o problema, que causado por um vazamento que estava ocorrendo há vários meses de um galpão amarelo, de propriedade de um conhecido empresário local e que foi alvo de reclamações de vários moradores daquela localidade.

 

Ao chegar no local, constatamos que o problema foi resolvido e, segundo moradores, os reparos foram feitos até o final da semana anterior.

 

Foto de como estava o local, no dia 12 de maio.

 

Para visualizar a matéria anterior sobre o tema, é só clicar AQUI.

 

 

11
outubro

Notícias Anteriores