16
maio

Santa Cruz – Projeto de Suplementação gera impasse e alfinetadas entre vereadores


Capilé e Ernesto Maia não se entendem sobre projeto de Suplementação da prefeitura. Fotos: Janielson Santos.

Tramita na Câmara de Vereadores de Santa Cruz do Capibaribe um projeto do poder executivo que solicita crédito suplementar no valor de 6 milhões e 232 mil reais. O pedido, por parte da prefeitura, é de remanejamento de valores, aprovados no orçamento no fim do ano passado.

Nos últimos dias, o vereador Capilé tem sido criticado pelas duas bancadas. Até o momento, foi o único que se posicionou contra.  Ele entende que o projeto ‘retira valores da saúde e direciona para festas’.

Para o líder da oposição, Ernesto Maia, o vereador Capilé está equivocado e ‘jogando para galera’.

Ernesto fez questão de deixar claro o quanto firma posição contrária ao prefeito Edson Vieira, mas ressalta que nunca votou pautas com o objetivo de prejudicar o município.

“É mentira do vereador Capilé. Ele não leu o projeto, está sendo mal orientado ou usando de má fé”, disse Ernesto, acrescentando que o trecho sobre saúde, no projeto, apenas regulamenta a ‘retirada de valores para pagamentos de funcionários contratados e repassa para pagamentos de concursados’.

O concurso público foi realizado ano passado e, para efetivar esses pagamentos, a prefeitura necessita desse remanejamento, segundo a ampla maioria da Casa.

“Para prejudicar funcionário, não conte comigo”, disse Ernesto e completou pouco depois “Eu faço política e não sou burro. Se tem vereador que é burro, problema dele”.

O vereador Júnior Gomes, presidente da Comissão de Finanças e Orçamento, afirmou que o projeto já foi alterado com algumas emendas.

 

“Não haverá retirada de verba que está destinada para construção de creche (500 mil) nem os 500 mil para compra de veículos escolares”, disse Júnior.

Outra medida alterada no projeto, diz respeito a uma solicitação da prefeitura para remanejamento de 8% no orçamento total. Com a negativa da Câmara, toda mudança no Orçamento continuará passando na Casa de Lei.

Em meio às discussões, Joab Gomes pediu vistas. O projeto deve retornar ao plenário, na próxima reunião.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Notícias Anteriores