31
maio

Reunião apresenta novo prazo para conclusão dos reparos em teto que desabou no Calçadão Miguel Arraes


Reunião foi realizada na Prefeitura Municipal – Foto: Gercom PMSCC

Na manhã desta quinta-feira (31) foi realizada uma reunião, na Prefeitura Municipal, que tratou do acompanhamento da reconstrução de parte do telhado do Setor Azul, do Calçadão Miguel Arraes, que desabou em duas ocasiões.

Na reunião, estiveram presentes membros da comissão de comerciantes, prefeitura, vereadores e também das empresas construtoras do empreendimento (CP Construção, Santa Cruz Construção e Poli Metálica).

O blog entrevistou o coordenador de Defesa Civil do município, Bartol Neves, que deu detalhes daquilo que, segundo ele, foi tratado.

.

Reforço na estrutura dos setores que não foram atingidos

De acordo com Bartol, o reforço na estrutura dos telhados dos setores Verde e Branco como forma de prevenção devem ser iniciados já a partir desta sexta-feira (01).

“Agora que liberou essas estradas, a empresa acredita que, a partir de amanhã, começa a se chegar material para reforço do Verde e do Branco, onde vai acontecer, posteriormente, a colocação da estrutura definitiva de pilastras” – disse.

Ainda segundo ele, a colocação desses tipos de reforço na estrutura não devem ser realizados em dia de feira, de modo a não atrapalhar a realização de negócios por parte dos comerciantes. A feira será realizada normalmente na semana que vem, segundo o mesmo.

.

Prazos para conclusão do reforço e reparos do Setor Azul

Ainda de acordo com Bartol, o reforço na estrutura dos telhados deve ser concluído até 10 de julho e a colocação das pilastras, em definitivo, no Branco e no Verde, até o final do mês de agosto.

Já quanto a conclusão dos reparos do Setor Azul, cujo telhado foi o que desabou, ele disse:

“No Setor Azul, a parte da empresa será concluída até o dia 15 de julho. Foi o prazo que eles estipularam diante dos presentes nessa reunião. Tem-se o entendimento que, após esse prazo, se precisará de mais alguns dias para que a prefeitura, junto com a direção do Calçadão possam organizar tudo junto com os comerciantes para que se possa voltar a normalidade lá no Setor Azul” – pontuou.

Ouça a entrevista concedida por ele na íntegra:

Um Comentário

  1. Francisco disse:

    O problema é o projeto de engenharia e arquitetura. Podem mudar os materiais finais e vai ocorrer problemas. Mas preferem trazer profissionais de fora do que valorizar os da cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Notícias Anteriores