10
setembro

Artigo – Por Adriano Oliveira


MORISMO VERSUS BOLSONARISMO

.

A análise política e a compreensão de fenômenos sociais requerem explicação baseada na causalidade. O raciocínio causal é simples. Por exemplo: A gera B. Entretanto, geralmente, um fenômeno não pode ser explicado por equação social simples. B é consequência de A, em razão de que D e C estão presentes. Neste caso, estou diante de uma equação social complexa.

Morismo (M) e bolsonarismo (B) são dois fenômenos sociais. Ambos são produtos da Lava Jato (LJ). LJ, M e B criaram o antilulismo. Morismo e bolsonarismo foram fenômenos aliados. Portanto, não concorrentes. Mas hoje são concorrentes. Ambos não cabem no mesmo espaço ou a presença deles em um mesmo ambiente enfraquece um ou outro. Não existe possibilidade de ambos serem fortes em um mesmo espaço.

O morismo e o bolsonarismo são adversários do lulismo ou da esquerda. Na eleição presidencial vindoura, lulismo e esquerda estarão presentes no 2° turno da disputa presidencial. Nesse caso, quem será o adversário da esquerda? Pode ser o morismo ou o bolsonarismo. Ambos não podem estar no 2° turno, pois são concorrentes. Portanto, alguém tem que ceder, cooperar ou morrer.

O confronto ente morismo/bolsonarismo versus lulismo/esquerda impede, neste instante, o surgimento de um candidato do centro. A queda de popularidade do bolsonarismo ressuscita o lulismo e a esquerda. Mas também oferta mais robustez eleitoral ao morismo. Tenho a hipótese de que o fortalecimento de um candidato de centro só ocorrerá caso o morismo e o bolsonarismo morram. Vejam a morte de ambos como remoto. Por isto, afirmo, que é fortemente possível, uma disputa entre morismo ou bolsonarismo versus lulismo/esquerda em 2022.

Mas quem vencerá: morismo ou bolsonarismo? A última pesquisa do Datafolha revela que Sergio Moro tem aprovação de 54% dos eleitores e o presidente Jair Bolsonaro, 29%. Conclusão: o ministro tem mais popularidade do que o presidente. Mas isto significa que se a eleição fosse hoje, Sérgio Moro venceria Jair Bolsonaro? Não sei. Entretanto, é verossímil acreditar que Sérgio Moro é o adversário de Jair Bolsonaro.

Segundo o Datafolha, os eleitores de Moro são os eleitores de Bolsonaro. Isto é: ambos estão disputando os mesmos eleitores. Como ministro da Justiça, Moro tem sofrido ataques do presidente. Bolsonaro sabe que para ser reeleito, Moro precisa ir para algum lugar. Obviamente, este lugar, não pode ser a próxima disputa presidencial. Mas, se o morismo desaparecer ou não desejar disputar eleição, o dorismo surgirá?

.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Notícias Anteriores