17
maio

Polêmica das Casas


Reunião da Câmara foi adiada para evitar tumulto, afirma Júnior Gomes

 

 

O presidente da Câmara de Vereadores de Santa Cruz do Capibaribe, Junior Gomes, explicou os motivos do adiamento da reunião ordinária da Casa de Leis, nesta quinta-feira (16), para a próxima terça-feira (21), às 9h, no programa Falando de Política, da Rádio Santa Cruz FM.

 

Segundo Junior Gomes, “o fato é que, durante essa semana, nos soubemos que havia um carro de som convidando a população para ir para a Câmara, a respeito da questão das casas do loteamento Jaçanã e ontem pela manhã nós tivemos várias pessoas na Câmara de Vereadores para saber informações se a reunião iria acontecer na Câmara, a respeito das casas. E nós ficamos preocupados, porque ontem era uma reunião ordinária e vocês sabem que em reunião ordinária quem fala são os vereadores e a população nem direito de se manifestar tem, há não ser com aplausos”, esclareceu.

 

O vereador falou ainda que a preocupação maior foi “preservar a imagem da Casa (de Leis) e para evitar algum tumulto, alguma coisa que a gente não sabia. Não tem noção da proporção, até porque se quiserem debater a questão das casas, pode ser feito audiência pública, tem ministério público. E a gente sabe os ânimos como estão acirrados nesses últimos dias”, enfatizou.

 

O presidente da Câmara informou ainda que a reunião foi adiada para a manhã da terça-feira porque neste dia, normalmente, são realizadas as reuniões extraordinárias. “Na terça de manhã, geralmente, a gente faz as extraordinárias, às 9h, porque às 10h tem reunião da comissão de reformulação do regimento, que é presidida pelo vereador Afrânio e ficou acordado que sempre as reuniões extraordinárias seriam antes”, disse o edil.

 

Junior Gomes disse ainda que não havia matéria de urgência para ser votada e que o projeto mais importante que seria apresentado na reunião desta quinta-feira, seria um projeto sobre os universitários, apresentado pela Prefeitura, mas que está em tramitação nas comissões ainda.

2 Comentários

  1. jana disse:

    Se a reunião ordinária da câmara passar a ser determinada a partir da vontade de manifestações popular o caso em Santa Cruz tá mais sério do que se pensa. A polícia militar esta a disposição para evitar desordens, o presidente sabe disso. A desculpa do presidente dá margens pra dúvidas: Primeiro ele decide só?Segundo, pauta é montada antes?
    Terceiro, existe prazo pra fazer o adiamento ou fica por conta do presidente?

  2. Jânio Nunes disse:

    como disse o vereador Ernesto Maia, se toda vez que houver qualquer pequena manifestação popular o presidente da casa de Legislação CANCLAR as REUNIÕES, pode ter certeza que daqui uns 2 anos teremos novas reuniões, acho que isso ñ seria motivos pra o cancelamento de uma importante reunião em que seriam discutidos projetos e prestação de contas dos trabalhos dos vereadores, acho que deve-se entender que assumir um cargo como ser presidente de uma câmara de vereadores um órgão mais importante do Legislativo Municipal não pode ser tratado como se fosse uma faz de conta ou uma BRINCADEIRA, vejam que vcs foram eleitos pelo voto do povo, será que as pessoas que votaram nos vereadores e principalmente no presidente da casa ñ merecem pelo menos uma prestação de contas dos trabalhos prestados? é isso…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Notícias Anteriores