12
setembro

Em Santa Cruz – Morre um dos ícones em vaquejadas da região


Fotos: LC Vídeo / Arquivo pessoal

No começo da madrugada desta terça-feira (12) Santa Cruz do Capibaribe perdeu um de seus principais vaqueiros: Dioclécio Ramos da Silva, mais conhecido como “Doza Ramos”. De acordo com as informações obtidas com um dos principais estudiosos da história do município, o professor Jota Oliveira, o vaqueiro era considerado uma referência no esporte, onde começou sua história nas pistas a partir da década de 1970.

Doza Ramos também ficou conhecido em várias partes do Nordeste não só pela habilidade de “derrubar o boi na faixa”, mas também pelo nome inusitado dado ao cavalo que usava nas competições. Batizado de “Telefone”, foi com ele que o vaqueiro ganhou diversos prêmios em sua carreira, que alcançou o auge ainda na década de 1990, se encerrando apenas em 1996, com a morte de seu cavalo.

 

O animal e seu dono chegaram a ser homenageados com uma música, composta pelo cantor santacruzense Joãozinho Aboiador, que narra uma parte da trajetória vitoriosa, que o vaqueiro exibia com orgulho em sua estante repleta de troféus.

Uma das últimas homenagens concedidas ao vaqueiro aconteceu recentemente na Missa do Vaqueiro realizada na tradicional Festa de Nossa Senhora dos Milagres, que aconteceu no Sítio Barra da Cruz, zona rural do município. O mesmo seria um dos homenageados com a Medalha Padre Zuzinha, uma iniciativa da Câmara de Vereadores local, sendo a indicação da homenagem vinda através  de um projeto de lei de autoria do vereador Ernesto Maia (PT).

Doza ramos estava com 82 anos e era pai de sete filhos, que geraram 13 netos e dois bisnetos. Seu corpo será velado na Rua Claudio Abílio Aragão (236), bairro Nova Santa Cruz. O sepultamento será realizado no Cemitério Pedro e Paulo, no bairro São Miguel, as 09h desta quarta-feira (12). Ouça as música composta e interpretada por Joãozinho, que fala sobre Doza e seu cavalo “Telefone”.

.

2 Comentários

  1. romualdo calu disse:

    grande homem e historia para o agreste e brasil e amantes das vaquejadas

  2. romualdo calu disse:

    grande omenagem para o agreste e brasil e amantes das vaquejadas..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Notícias Anteriores


 




error: Copiando nosso texto?