02
setembro

Hospital Municipal de Santa Cruz é alvo de fiscalização após denúncias de supostas irregularidades

Foto: Thonny Hill (arquivo).
Fotos: Fernando Lagosta

Na última quinta-feira (01) as dependências do Hospital Municipal de Santa Cruz do Capibaribe foram alvo de uma fiscalização de rotina de uma equipe da comissão do Conselho Estadual de Saúde.

O objetivo da visita foram denúncias que apontavam supostas irregularidades no interior da unidade de saúde, entre elas a presença de medicamentos vencidos que estariam sendo destinados a pacientes. De acordo com as informações repassadas, foram encontrados medicamentos vencidos tanto no bloco cirúrgico como também na farmácia dentro do hospital.

A ação de fiscalização, que também foi acompanhada por vereadores, foi realizada em clima tenso, que aumentou após órgãos de imprensa não terem sido autorizados por funcionários a fotografar as dependências e acompanhar os trabalhos.

Em entrevista coletiva, o coordenador do Conselho Estadual de Saúde, Júlio Cesar, não deu detalhes, mas pontuou que irregularidades foram encontradas no interior do hospital municipal.

000

“Recebemos várias denúncias de medicações e de muitas coisas que se tem irregulares. Nosso papel é fiscalizar e deliberar, junto a política pública e alinhar o município, para que a população possa ser servida melhor. Recebemos denúncias não só em Santa Cruz do Capibaribe, mas em outros municípios que estão aí. Infelizmente, a verba pública tem sido jogada, lamentavelmente, no lixo. A gente encontra algumas coisas que é lamentável. A população precisa saber disso, é direito dela e tem que cobrar. Como diz o artigo 196, que saúde é um direito de todos e é dever do estado de garantir, mas o município também tem que garantir a saúde aos seus munícipes e muitos gestores precisam resolver essa situação que está aí” – disse.

Questionado se haviam irregularidades na unidade como medicamentos vencidos, o mesmo pontuou:

“Podemos adiantar que vamos levar um relatório que, possivelmente, vai ser entregue a secretaria estadual de saúde diante dos fatos. Como eu adiantei, vamos relatar isso no laudo. Não podemos, previamente, solicitar assim. Irregularidades se tem, agora não podemos apontar no momento, mas vamos entregar esse relatório a Secretaria Estadual de Saúde e, possivelmente, deve ser levado a Câmara de Vereadores” – disse.

.

Diretora nega presença de medicamentos vencidos

Já na manhã desta sexta-feira (02) nossa equipe entrou em contato com Gilcélia Santos, diretora administrativa do Hospital Municipal, que falou a fiscalização.

A diretora confirmou a ação de fiscalização, mas quanto as supostas irregularidades encontradas, a mesma citou que não foi comunicada sobre estas por parte da equipe de fiscais.

“A fiscalização de rotina foi feita pelos conselheiros onde, se supostamente eles acharam ou se viram alguma coisa errada, não somos comunicados. Se viu ou se teve, eles nos mandam uma notificação, mas até o momento em que eu estava com eles acompanhando, nos dois hospitais (a fiscalização também foi realizada no Materno Infantil), foi tudo tranquilo, apenas deram algumas orientações a serem seguidas” – disse.

Já quanto as denúncias, ela citou que não foram localizados medicamentos vencidos, mas quanto as supostas irregularidades ditas por Júlio Cesar, ela foi enfática:

“Se ele encontrou, ele não passa para nós. O colegiado julga e vem para gente o que temos que fazer, que melhorar, que adaptar. Ele também não passou isso as entrevistas, mas se houve alguma coisa, o colegiado vai julgar e vai ser passado para gente adapte a forma que deve ser. Eu te digo que, nos momentos em que estive com ele nos dois hospitais, para mim ele não nos repassou nenhum problema” – pontuou.

Notícias Anteriores