10
outubro

Resumório! – A coluna do professor Tenório


RESUMÓRIO

 

ACABOU – Passada a ansiedade das apurações, aquela preocupação de seu candidato não ser eleito e o medo de ter poucos votos, agora é hora de comemorar, em caso de vitória. E hora de inventar desculpas e arrumar culpados, em caso de derrota. Também é hora de mangar um pouco, mas sem partir pra violência. Perder uma eleição e descobrir que esqueceu o carregador do celular no meio de uma viagem, pense em duas coisas ruins!

ÚLTIMOS DIAS – O que começou frio, ficou morno e esquentou de vez na reta final. Os últimos dias de campanha em Santa Cruz do Capibaribe foram movimentados e teve até uma surpreendente passeata meia noite. A mulher da meia noite botou muita gente nas ruas.

CARNAVAL DE 45 DIAS – E na reta final, a campanha finalmente se transformou no carnaval de quarenta e cinco dias de sempre. Teve desfile (carreata) com fantasias, carros alegóricos, ala de quadriciclos, ala de caminhões, de cavalaria. Muita música, bebida, fogos de artifício e animação. Como é mais carnaval do que campanha, foi muita festa e pouca proposta.

MUITA GENTE E MUITA VAIA – A eleição de 2018 ficará marcada na lembrança pela quantidade de gente nas filas para votar e pela quantidade de vaias em políticos. Teve vaia pra todo gosto: espontânea, orquestrada, por vingança e por pirraça. De algumas e de alguém, a gente nunca esquece, imagine quem levou!

PARABÉNS PARA VOCÊ – O domingo depois da apuração dos votos foi marcado pela festa de aniversário do prefeito com o um trio elétrico na rua. Foi uma festa de aniversário sem bolo e sem parabéns pra você. Na verdade, teve muitos parabéns para Alessandra Vieira. Foi uma festa de “Alêversário”, com muitos convidados.

MAIS FESTA – Próximo domingo tem mais festa, com Bell Marques no meio da rua. Será que ele vai cantar aquela: Ôh mainha…? “Mude esse mundo” com certeza estará no repertório. Só sei que com Bell na avenida, vai ter eleitor de todas as cores curtindo a festa. Será o mais perto da “união” que vão conseguir até depois de 2020. Para quem sempre brechava as carreatas do adversário na campanha, uma olhadinha domingo não custa nada.

SONHO DE CRIANÇA – Um companheiro não vê a hora de ir para avenida curtir Bell Marques na comemoração de uma vitória Taboquinha. Segundo ele, esse sonho foi interrompido há trinta anos por Ernando Silvestre, que venceu a eleição municipal de 1988 para Oseas Moraes e Zinha Vieira, vice.

NERVOS – O que a campanha em Santa Cruz teve de calma, o pós-campanha está tendo de tensa e delicada. Banho de whisky em vereador, troca de empurrões e murros em local público, arremesso de garrafa em casa de prefeito, roubo de bandeira em festa de vitória e pedra e intimidação em casa de vereador são alguns dos ingredientes que revelam um grande problema: antes só não sabiam perder, agora também não sabem ganhar.

DE VOLTA – Os vereadores de Santa Cruz voltaram ontem do “repouso eleitoral” remunerado com o uso da tribuna na reunião da câmara. O clima de campanha ainda estava muito colado neles, era adesivo de candidatos no peito, no microfone e enormes bandeiras estendidas no plenário. Parecia que a campanha não tinha acabado ainda.

HUMILDADE E OTIMISMO – O grupo liderado por José Augusto Maia, que conta com três vereadores, está dando uma lição de humildade e otimismo. Primeiro, Tallys, que ficou em terceiro lugar em número de votos na cidade, disse que era o maior vencedor. Depois os três vereadores pretendem lançar chapa própria para presidência da câmara, contra os oito vereadores que apoiam Diogo e os seis que apoiam Edson.

PESQUISAS – Mais uma eleição em que institutos de pesquisas erram feio. Se continuar assim, é melhor se basear no cara ou coroa, par ou ímpar, palitinho, pedra, papel e tesoura ou no bozó.

ELES NÃO – Os deputados federais e ex-ministros Mendonça Filho e Bruno Araújo tentaram uma vaga no senado e receberam um singelo não da população nas urnas. Será que eles dormiram atravessados na cama, acordaram no meio da noite com os pés para fora e pensaram que eram grandes?

VOTO CONTESTADO – Os sulistas que elegeram Tiririca e Alexandre Frota bombardeiam as redes sociais com insultos aos nordestinos por não terem votado maciçamente em Bolsonaro. Será mesmo que deveríamos aprender a votar igual a eles?​

ELEIÇÃO SEM EMOÇÃO – Depois de uma eleição de primeiro turno com quatro candidatos filhos da terra disputando vaga na ALEPE, quatro disputando vaga na Câmara Federal e outro disputando vaga como vice-governador, além de um segundo turno intenso dividindo o país entre petistas e antipetistas, como danado o pessoa do Moda Center vai chamar a atenção do pessoal com uma eleição para nova diretoria com chapa única? Muito difícil, principalmente sem carreata, girândola, carros alegóricos, reboques e afins.​

​​

Não me queiram mal. Apenas pensem nisso, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido.”

.

As informações e opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Notícias Anteriores