28
maio

Pastores evangélicos emitem nota sobre declarações do vereador Joab Gomes

 

No último sábado (23), o vereador Joab Gomes participou de um programa de rádio e afirmou que a prefeitura de Santa Cruz supostamente gasta cerca R$ 5 milhões de reais por ano com festas religiosas, onde a maior parte seria destinada para a igreja católica. O caso ganhou repercussão já que o mesmo afirmou ter dados sobre essas acusações no sábado, porém na terça-feira (26) o vereador participou de um programa de rádio onde afirmou que a prefeitura não facilitava a disponibilização dos documentos comprobatórios.

17 pastores de Santa Cruz emitiram uma nota nesta quarta-feira (27), declarando que as afirmações do vereador Joab Gomes são caluniosas. Em nota, os pastores pediram que o vereador se retrate publicamente das acusações ou que o mesmo apresente provas.

Confira a nota na íntegra:

 

Nota de indignação dos Ministros Evangélicos de Santa Cruz do Capibaribe sobre a fala do vereador Joab Gomes.

À todos quantos interessarem,

Nós, Ministros das Igrejas Evangélicas em Santa Cruz do Capibaribe abaixo representados, vimos nessa ocasião repudiar publicamente a irresponsável fala do vereador Joab Gomes pelas últimas declarações, no sentido de que, nossas comunidades religiosas são consumidoras de recursos públicos. Asseveramos que defendemos absoluta lisura e seriedade com a administração do dinheiro público, jamais aprovaremos tais procedimentos nem participamos da suposta apropriação dos referidos recursos. Afirmamos ainda, nosso compromisso diante de Deus e da nossa Cidade, Santa Cruz do Capibaribe, de proclamarmos o genuíno evangelho de Cristo sem macular essa mensagem com qualquer coisa que sirva-lhe de escândalo, inclusive, desse que ora somos caluniosamente acusados. Convocamos ao senhor vereador à que tenha a hombridade de se retratar publicamente ou apresentar as provas sobre quem pode ser acusado de tais procedimentos por nós peremptoriamente reprovados. Para que a Cidade de Santa Cruz separe o trigo do joio.

28
maio

Pandemia – Qual o remédio para salvar as empresas?

A pandemia da covid-19 tem feito inúmeras vítimas em todo o mundo, até hoje, segundo o instituto Johns Hopkins, já são mais de 353 mil mortes, só no Brasil já morreram mais 25 mil pessoas.

A falta de uma vacina e remédio eficaz para tratar a doença e até mesmo a ausência de uma política pública adequada para tratar a pandemia são fatores para tantas mortes.

Apesar de injusta a comparação, muitas empresas aqui no Brasil também “morrerão” pelos efeitos da covid-19, e nos atrevemos a fazer uma comparação do que poderia representar a vacina ou o remédio que poderia salvar essas empresas.

Se por um lado, para as pessoas naturais, as vacinas estimulam o sistema imunológico para criar anticorpos que permitem enfrentar a doença, para as empresas, essa vacina poderia ser representada por empréstimos, com juros baixos e carência, estimulando as empresas para que possam manter os empregos e honrar suas dívidas junto aos fornecedores. Tal medida impediria um agravamento da “saúde” financeiras das entidades empresariais e consequentemente o colapso total. Infelizmente essas medidas não estão acontecendo, ou pelo menos não a contento.

Com a falta desse socorro as empresas podem ter sua situação agravada e caminhar para um estágio crítico, precisando ser socorridas pelo instituto da recuperação judicial, uma alternativa que, pelos requisitos e exigências, pode não ser acessível a todas as empresas, levando algumas destas empresas a “morte”.

Enquanto o socorro não chega, as empresas seguem “respirando” com dificuldade, na expectativa de recuperarem o fôlego e se manterem vivas no mercado.

Luciano Bezerra

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade do seu idealizador

27
maio

Resumório – A Coluna do Professor Tenório

​RESUMÓRIO

ENGRAÇADO – Um dos assuntos mais polêmicos da semana foi a aquisição de lavatórios por dois mil e quinhentos reais cada. Durante a semana, tratei do assunto de forma séria e teve gente que achou engraçado. Hoje tentarei tratar de forma engraçada e tem cara de acharem sério.

A GOSTO DO FREGUÊS – Depois da cobrança de explicações sobre o preço das pias, apreceu lavatório de tudo quanto é preço, trezentos, novecentos e setenta, mil e duzentos, mil e quinentos, mil e seiscentos. Só não apareceu exemplo de alguma cidade que tenha comprado por valor igual ou maior que Santa Cruz.

FIQUEI SABENDO – Fiquei sabendo que oposicionistas estão pagando prêmio em dinheiro para quem tiver foto ou print de câmara de segurança com imagem de algum veículo chegando em Santa Cruz trazendo as vinte pias de valor faraônico de Campina Grande para cá.

E DAÍ? – Vários vereadores, suplentes, pré-candidatos e pessoas públicas não falaram nada sobre os lavatórios. Ou acharam o preço das pias justo ou literalmente lavaram as mãos.

ENQUETE MENTAL – Se uma empresa faz um lavatório por dois mil e quinhentos reais, por quanto será que essa mesma empresa faria um banheiro completo?

A SUGESTA – A empresa que vendeu as pias fez uma nota para justificar a diferença de preços em tom de sugesta. Não sabe ela que Santa Cruz do Capibaribe é a capital da Moda e da sugesta. Aqui não se intimida ninguém mencionando ação na justiça, pois temos colecionadores de ações. Um dia, comendo uma pizza após uma entrevista mum programa de rádio, vi um surpreendente levantamento de quem tinha mais processos, isso na área da comunicação. Na política, muito difícil saber quem é nosso representante com mais ações na justiça. Aqui militante e eleitor quase teve o serviço de Inteligêcia da ALEPE nos calcanhares e não se intimidou, não seria uma nota de empresa que amedrontaria alguém.

OPOSIÇÃO – Depois da polêmica das pias, percebeu-se que um senhor dito enfadado, sem o total domínio da TECNOLOGIA consegue fazer mais oposição do que um grupo que se orgulha de ter 80% da alta cúpula do partido Taboquinha.

APRENDEU A LIÇÃO – Depois da polêmica aparição numa aglomeração em via pública sem máscara, o vereador Carlinhos da Cohab está usando máscara até na foto do perfil de seu Instagram. Parece que aprendeu a lição.

DENÚNCIAS E EXAMES – Só após denúncias no Blog do Ney Lima algumas pessoas que apresentavam os sintomas há dias conseguiram fazer o teste para covid-19. Um leitor do Resumório ficou preocupado de chegarmos ao ponto, assim como acontece com calçamentos e esgotos estourados, só resolverem o problema se denunciar nas rádios e blogs da cidade. Tomara que não!

MAIS UMA POLÊMICA – O vereador Joab do Oscarzão já parece uma polêmica. A da semana foi uma declaração em emissora de rádio sobre valores repassados pela Prefeitura para festividades religiosas. Segundo o vereador, algo em torno de 5 milhões, o que revoltou padres, pastores e muita gente na cidade.

NOTAS DE REPÚDIO – O muído está grande, o Ministério Público será acionado e cabe ao vereador comprovar a acusação. Nota de repúdio tem como muriçoca. A diferença é que a muriçoca não é seletiva, está para todos. E as notas de repúdio, até o momento, só dos representantes de igrejas e adversários políticos. Não li nenhuma de aliados, que ultimamente são poucos.

 

“Não me queiram mal. Apenas pensem nisso, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido.”

26
maio

Seu cliente sabe que a sua confecção está funcionando?

O mercado de consumo de moda, assim como outros setores, mudou com a pandemia do novo coronavírus. As pessoas não estão comprando no mesmo volume e nem da mesma forma. Mas precisam continuar consumindo. Por isso perguntamos: o seu cliente sabe que você está produzindo e vendendo?

Se ele não sabe, precisa ficar sabendo. Use o telefone, WhatsApp ou as redes sociais para isso. Informe como você se adaptou e as medidas de segurança que está tomando nesse momento. Estabeleça formas competitivas e ágeis para realizar a venda e a entrega da mercadoria. Negocie e indique se há condições especiais de pagamento.

Notícias Anteriores


 




error: Copiando nosso texto?