02
junho

Em reunião online, Diogo Moraes, Danilo Cabral e vereadores de Santa Cruz buscam esclarecimentos sobre abastecimento de água com a COMPESA

Reunião online

Nesta segunda-feira (01), através de chamada de vídeo, o deputado estadual Diogo Moraes, participou de uma reunião com foco na questão do abastecimento hídrico de Santa Cruz do Capibaribe. O encontro on-line contou com a presença do assessor da presidência da Companhia Pernambucana de Saneamento, Aldo Santos, o diretor regional do agreste, Mário Heitor Filho e ainda o gerente regional da COMPESA, Bruno Avelino.

O deputado federal Danilo Cabral, os vereadores de Santa Cruz do Capibaribe Helinho Aragão e Augusto Maia, além do ex-deputado federal Zé Augusto Maia e do assessor parlamentar Marcelo Carvalho também participaram da reunião. Na oportunidade, os representantes da Companhia Pernambucana de Saneamento Básico apresentaram um panorama da situação na região e esclareceram questionamentos dos participantes.

O deputado Diogo Moraes abordou sua preocupação com o abastecimento hídrico de Santa Cruz do Capibaribe, apesar das chuvas que ocorreram no Agreste pernambucano no primeiro quadrimestre de 2020. “Essas chuvas permitiram a acumulação de água nas principais barragens que atendem o município de Santa Cruz do Capibaribe, são elas: barragem Gercino Pontes (Tabocas), barragem Machado (Bandeira) e barragem de Poço Fundo. Apesar disso, identificamos que em algumas localidades da cidade, a água não chega. E sabendo do trabalho responsável que a COMPESA vem fazendo nas últimas gestões, buscamos esclarecer a razão dessa ruptura em alguns bairros”, afirmou Moraes.

Neste sentido, Bruno Avelino pontuou que no dia 30 de abril os mananciais possuíam respectivamente 58%, 100% e 100% da capacidade de acumulação, tornando a situação de Santa Cruz do Capibaribe confortável para os próximos anos, inclusive com a previsão de conclusão da obra estruturadora da adutora do Alto Capibaribe.

“Com a melhora na situação das barragens, o abastecimento de 70% do município de Santa Cruz do Capibaribe foi normalizado, permitindo o fornecimento de água através das torneiras para a população durante a pandemia do COVID-19, entretanto os bairros Centro, Palestina, Oscarzão, Arcoverde e Malaquias Cardoso continuaram desabastecidos em função de várias ações criminosas na estação de tratamento de água (ETA) Machado, unidade responsáveis pela produção de água para as localidades. As ações ocorreram durante o segundo semestre de 2019 e primeiro semestre de 2020, período no qual a COMPESA realizou várias manutenções/recuperações no sistema que não se tornaram eficiente em função da recorrência dos danos causados por terceiros”, esclareceu Bruno Avelino. 

Além disso, segundo Mário Heitor Filho, com objetivo de recuperar a unidade citada e reestabelecer o quanto antes o abastecimento para os bairros citados, a COMPESA já realizou um processo licitatório para contratação de obra de recuperação da unidade e aquisição de materiais com valor na ordem de R$ 60.000,00 e a empresa já iniciou os trabalhos.

“A previsão é que o processo seja concluído agora em junho e os testes sejam iniciados, projetando, assim, o abastecimento seja normalizado para os 30% restante da população dentro de um calendário de abastecimento que será divulgado”, acrescentou Aldo Santos. Também atentos às demais obras em curso na região, os representantes da Câmara de vereadores e os deputados questionaram sobre os avanços da Adutora do Alto Capibaribe e pediram atualização do status das obras. Receberam, portanto, retorno positivo sobre as construções em andamento. “A COMPESA vai iniciar os testes do esgotamento sanitário ainda neste mês, confirmando que está tudo conforme o previsto, o sistema já começa a funcionar. A Adutora do Alto Capibaribe que avança, chegando a Santa Cruz do Capibaribe, se somará a esses esforços e auxiliará na segurança hídrica que o povo da região tanto clama”, pontuou Diogo Moraes.

Conteúdo da Assessoria

Notícias Anteriores


 




error: Copiando nosso texto?