11
dezembro

Dona Petinha, uma das precursoras das feiras de confecções em Santa Cruz, visita exposição ‘Nós Sulanca’

No último domingo (8), o Museu da Sulanca recebeu a visita da senhora Petronila Senhorinha dos Santos, 94 anos (foto). Conhecida popularmente por ‘Dona Petinha’, ela é uma das mulheres que deram origem às feiras de confecções em Santa Cruz do Capibaribe, na década de 60.

Dona de sorriso fácil, Dona Petinha é a costureira mais antiga do município e a única representante viva do grupo de que criou a antiga “Feira da Sulanca”. Na exposição, ela conferiu fotos, esculturas e depoimentos (incluindo o dela mesma) de personalidades que contam a evolução das feiras de rua até a transferência para o Moda Center Santa Cruz.

“Tenho muita esperança que as feiras sejam ainda maiores e melhores com o passar dos anos. Hoje, já é muito melhor do que no meu tempo, imagina mais na frente”, disse.

Idealizada pelo estudante de Biblioteconomia, Adelmo Teotônio (foto), a exposição fez Dona Petinha relembrar vários acontecimentos vivenciados ao longo de décadas.

 

Um pouco de sua história

Nascida no município de Brejo da Madre de Deus, Dona Petinha é mãe de oito filhos e teve uma infância difícil. Para ajudar no sustento de sua família, trabalhou por anos no cultivo de feijão, milho e algodão. Já adulta, começou a costurar colchas de retalhos e outras peças de roupas a partir de tecidos fornecidos na época pelo empresário Fernando Silvestre, popularmente conhecido por “Noronha”.

“Foi a pessoa que mais ajudou a mim e aos meus filhos. Só tenho gratidão a ele. Foi ele quem me trouxe para cá, comprou máquinas para nós e só ele quem fez tudo isso por mim”, destacou.

Sua primeira feira – Segundo ela, foi já no final dos anos 1960, em uma calçada no antigo ‘Beco de Zé Feitosa’, local próximo ao que hoje é a Rua Dr. Silvio Monteiro, no Centro. Dona Petinha seguiu acompanhando as transformações ocorridas na feira através do comercio de artigos de vestuário, atividade que deixou há apenas dois anos. Atualmente, o ponto comercial em que ela realizava vendas, no Calçadão Miguel Arraes de Alencar, é administrado por uma das filhas.

Conteúdo da Assessoria

09
dezembro

Edson Celulari e Thaynara OG empolgados com a participação na Paixão de Cristo

Na noite de domingo (8), o ator Edson Celulari e a influenciadora digital Thaynara OG subiram ao palco na cidade-teatro de Nova Jerusalém, em Brejo da Madre de Deus, para dar vida aos personagens Herodes e sua rainha Herodíades durante a produção dos filmes promocionais do espetáculo da Paixão de Cristo que será realizada na Semana Santa de 2020.

Trajando figurinos criados por Marina Pacheco, eles contracenaram no suntuoso cenário do palácio real com o ator Caco Ciocler, que fará o papel de Jesus, e cerca de 50 figurantes. Os trabalhos começaram por volta das 21h e só foram concluídos às duas da madrugada da segunda-feira.

Edson Celulari não esconde a emoção por finalmente integrar o elenco da Paixão de Cristo. “Há muitos anos eu recebo convites para participar do espetáculo e este ano deu certo. Estou muito feliz. É um grande espetáculo, bem realizado. É um projeto que vingou de forma que vai muito além até do que um espetáculo. É muito importante para a região, para o Estado e para a cultura do País existir esse projeto”, afirmou.

Ele revela que ficou impactado ao chegar na cidade-teatro e conhecer as pessoas que trabalham na produção da encenação.  “Eu sabia que era grande, mas quando eu cheguei aqui eu ainda me surpreendi. É maior do que eu imaginava, é mais profundo, é mais enraizado, mais verdadeiro. E as pessoas que fazem esse projeto estão aqui de coração, se dedicam de verdade a isso. Essas coisas me interessam, é por isso que estou aqui e estou feliz”.

Ele também está entusiasmado com a oportunidade de interpretar um personagem como Herodes. “Quando me olhei no espelho com o figurino, pensei num grande personagem. É muito forte, muito cruel como Nero, como Calígula. Eu já fiz Calígula e agora estou fazendo Herodes, vai faltar o Nero. Mas eu acho que fazer um personagem desse universo do período do império romano, que teve poder absoluto, essa crueldade com a qual ele lidava com os humores da vida, é uma oportunidade que eu quero aproveitar ao máximo. É um lindo personagem”.

Thaynara OG

Com quase 4 milhões de seguidores no Instagram, Thaynara OG, vai viver sua primeira experiência no teatro na Paixão de Cristo. “Eu já tive algumas participações no cinema em “Internet o Filme” e “Amor.com”, mas no teatro essa vai ser a primeira. O que eu vou viver aqui vai ser único, então eu estou muito empolgada. Já conheci uma parte do elenco, o Edson Celulari é muito carinhoso, muito bacana. Estou animada para aprender bastante e dar meu melhor”.

Ela revelou que a participação em Nova Jerusalém poder ser um marco para voos mais altos. “Para 2020 estou com um projeto para o cinema, recebi um convite especial que em breve eu vou contar. É legal porque a gente já fez essa imersão num mundo novo, já segue com esse plano. Eu sempre fui mente aberta, sempre gosto de novas descobertas”.

Sobre seu papel na Paixão de Cristo, ela afirmou que se trata uma personagem bem diferente dela. “A Herodíades é bem debochada, gosta de farra também, é rainha né? Tem aquela imponência. Quando me convidaram, eu pesquisei a cena dela com Herodes, é uma cena muito linda. A entrada no palco é bem impactante. Na hora eu vou me arrepiar bastante. Então vamos interpretar essa personagem, viver uma pessoa nova, acho que vai ser divertido fazer um papel tão diferente de mim, porque ela é bem doidinha”.

Sobre a reação dos seus seguidores ao anúncio dessa sua nova experiência, ela falou que foi uma grande surpresa. “Tá todo mundo encantado e empolgado para ver o resultado. Minha família já está montando uma caravana, estão fazendo pacote com ônibus e tudo para vir para cá. Tem seguidor também que já comprou ingresso. Está muito lindo vendo todo mundo se mobilizando para prestigiar e conhecer junto comigo esse novo universo. Vai ser legal mostrar os bastidores, as curiosidades nós vamos descobrir juntos. Quero que o que eu sentir aqui, eles sintam também”.

Quanto a estrutura da Nova Jerusalém, ela afirma que as imagens que aparecem nos noticiários da TV não dão real dimensão do que realmente é a cidade-teatro. “Esse teatro a céu aberto é enorme. Eu cheguei à noite na Pousada da Paixão (que funciona dentro do teatro) e me encantei porque a experiência já começa lá onde os quartos são todos decorados. Depois eu fui para os cenários. Acho que isso aqui é uma experiência 100% real porque você está num mundo novo. Eu fico muito orgulhosa de ter uma estrutura dessa no Nordeste, tudo muito profissional, muito preparado. A Paixão de Cristo 2020 está imperdível. Estou tão feliz, tão realizada que eu quero todos façam parte desse sonho junto comigo”.

Também estão no elenco da temporada 2020 da Paixão de Cristo os artistas Christine Fernandes (Maria), Sérgio Marone (Pilatos) e Juliana Knust (Madalena). Todos foram a Pernambuco participar da produção dos filmes promocionais da Paixão que começou na quinta-feira (5) e terminou no domingo (8). A espetáculo acontecerá de 4 a 11 de abril.

Os ingressos para o espetáculo já começam a ser vendidos pelo site oficial www.novajerusalem.com.br. Os preços variam de R$ 60,00 a R$ 120,00 e podem ser comprados pelo site oficial em até 12x com juros do cartão de crédito.

;

Informações da assessoria.

08
novembro

Exposição retrata a história da “Feira da Sulanca” em Santa Cruz em Santa Cruz do Capibaribe

A partir do próximo domingo (10), será realizada, no hall de entrada do Museu da Sulanca, no Moda Center Santa Cruz, uma exposição sobre a história e evolução das feiras de confecções em Santa Cruz do Capibaribe. Trata-se da exposição “Nós Sulanca”, um olhar diferenciado sobre as personalidades e o empreendedorismo no município nas últimas décadas.

Idealizada pelo estudante de biblioteconomia, Adelmo Teotônio (curador da exposição), a exposição conta com diversos depoimentos, fotos, esculturas e outras peças que fazem parte dessa evolução; acervo que, como ele mesmo conta, foi reunido com muito carinho ao longo de três meses de pesquisas.

“É uma exposição que reconta essa história, que traz a voz para personalidades desse momento histórico e faz um paralelo entre a palavra ‘Nós’, como sendo esse cruzamento de histórias, fatos e memórias coletivas; com o nome ‘Sulanca’, que está em nossas raízes, no nosso DNA de empreender. Esse acervo é uma forma de trazer à tona as memórias dessas personalidades, sejam elas carroceiros, costureiras, vendedores e outras pessoas que fazem parte de tudo isso”, pontuou.

Localizado no Centro de Eventos do Moda Center, o Museu da Sulanca é um espaço projetado para contar a história da economia confeccionista do agreste, desde o seu surgimento. A exposição “Nós Sulanca” estará aberta à visitação pública, de domingo a terça-feira, até o dia 10 de dezembro. Excursões e escolas devem agendar a visita pelo número: (81) 3759-1000 ou pelo e-mail museu@modacentersantacruz.com.br.

Notícias Anteriores


 





 

error: Copiando nosso texto?