31
janeiro

A sua coluna esportiva – Por Elivaldo Araújo

Iniciando a temporada 2018

.

Início de temporada: O Campeonato Pernambucano já teve com várias surpresas, derrotas do Santa Cruz contra equipes medianas, vitória do Central contra o Náutico, além do próprio Timbu atropelando o rico Sport na Arena Pernambuco. Neste começo, podemos citar o bom aproveitamento da Patativa.

A caminho da África: O santa-cruzense Nailson Pereira da Silva, participará da ultramaratona na África do Sul no mês de junho. A prova tem um percurso de 90 km. A prova chamada de Comrades Marathon ou “Camaradas Maratona” está na sua 93ª edição e o atleta falou em sua expectativa para a participação. Força para o atleta e que consiga obter um bom resultado para o município.

Regional da Moda: Vem aí mais um grande torneio  no município, o Campeonato Regional da Moda de Santa Cruz, que contará com várias promessas e destaques da região, além de jogadores profissionais e que já fizeram fama no futebol nordestino, ops… e em Portugal também. É só aguardar e conferir, o torneio está previsto para ter início a partir de 20 de fevereiro no Estádio Municipal.

Atleta Yamaha: O piloto santa-cruzense, Tallys Nathan, principal nome da atualidade no motocross do Nordeste, será o piloto nordestino oficial que representará a Yamaha. A estreia de Tallys Nathan com as motos Yamaha será no próximo fim de semana, na segunda rodada do Arena Nordeste.

Master é a bola da vez: O campeonato de Society Master segue com mais uma rodada no próximo fim de semana no Rota do Mar Club. Teremos no sábado (03) a partir das 8h40 – Goleada de Prêmios x Porto da Cohab; Beto Malhas x Narkoticos; Zebrão x Movelaria N.S das Graças.

;

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

31
janeiro

Artigo – Por Adriano Oliveira

O PT PERDE TEMPO

O analista eleitoral não deve mudar de opinião frequentemente. E só deve se pronunciar, em particular, sobre cenários eleitorais, com base em pesquisas eleitorais. A condenação do líder maior do PT não interfere na conjuntura da eleição presidencial vindoura. E o PT continua a perder tempo. Por quê?

Lula não é o melhor candidato do PT. Em agosto de 2017, escrevi artigo neste JC, mostrando que caso o ex-presidente fosse candidato (ou se for), ele teria que passar a campanha eleitoral falando do passado e dando explicações sobre as acusações advindas da Lava Jato. Resgatar as ações do seu governo é estratégia ótima. Mas se defender da corrupção, não. Além disto, frisei no referido artigo, que em algum instante de 2018, Lula poderia sofrer alguma condenação da Justiça. Nesse caso, o candidato Lula criaria condições para perder eleitores para um oponente do seu campo em razão da incerteza da sua candidatura.

O lulismo permanece. Há um bom tempo, alerto que o lulismo estará presente na eleição de 2018, independente da candidatura Lula. O ex-presidente da República representa uma agenda de governo, em especial, a da inclusão social. Tal agenda tem apelo eleitoral entre os eleitores das classes C e D e da região Nordeste. Lula também atrai parte da classe média que tem emprego público e é refratária a reforma da Previdência e controle de gastos públicos. O candidato que Lula apoiar terá condições de ter bom desempenho.

O PT e o lulismo representam alternativas a Temer e ao PSDB. Como já frisei há tempo, o Bolsonaro é uma bolha eleitoral. A provável entrada na cena eleitoral do candidato do governo Temer e de Geraldo Alckmin enfraquecerão o bolsonarismo. Os eleitores que discordam da agenda de reformas propostas pelo governo Temer e que são historicamente apoiadas pelo PSDB tendem a procurar um candidato do PT e, claro, o candidato apoiado por Lula.

A conjuntura eleitoral, por ora, não mudou nada no âmbito da eleição presidencial. O PT, com Lula ou sem Lula, tem, e sempre teve, condições de estar no 2° turno da disputa presidencial. Porém, tenho duas dúvidas, as quais serão respondidas com pesquisas: A condenação de Lula enfraquece o lulismo ou fortalece? Caso ocorra a prisão do Lula, o lulismo ganha ou perde fôlego? As respostas poderão surgir em breve.

.

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

29
janeiro

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Contas e mais contas!

Matemática – Mais um período eleitoral se aproxima e as contas começam a ser feitas para que as estratégias sejam tomadas. Nesse contexto, em Santa Cruz do Capibaribe, três nomes estão calculando (e muito). São eles: Alessandra Vieira (PSDB), Diogo Moraes (PSB) e José Augusto Maia (Podemos).

Expectativas – Para as eleições do ano corrente, as expectativas são de que o número de eleitores que irão as urnas em Pernambuco chegue a cinco milhões de votos válidos. Em 2014, esses números foram de 4.483.000.

Quociente – As referidas contas estão de olho no quociente eleitoral e por isso que iremos, mais uma, vez ouvir os termos de chapinhas e chapões.

Para estadual – O quociente para Deputado Estadual em 2014 foi de 94 mil votos por vaga. Com a expectativas de mais de 5 milhões de eleitores em 2018, em votos válidos, o quociente chegará a 100 mil votos por vaga, ou seja, a cada 100 mil, a chapa faz um deputado estadual.

Para federal – Para o cargo de Deputado Federal, em 2014 o quociente eleitoral foi de 180 mil e a expectativa é de que esses números cheguem a quase 200 mil em 2018, ou seja, a cada 200 mil votos, a chapa faz um deputado federal.

As contas – Com os números acima citados, Diogo precisaria de aproximadamente 45 a 50 mil votos para assegurar a reeleição. José Augusto Maia iria para o partido Avante na esperança de participar de uma chapinha, onde com 25 a 30 mil votos lhe faria sonhar com uma vaga. Já informações dão conta que Alessandra só disputará pelo PSDB caso os números 35 a 40 mil votos lhe derem uma segurança, caso contrário a mesma poderá migrar para outra sigla.

Chances – Com os números postos acima, as estratégias estão postas e os três filhos de Santa Cruz do Capibaribe tem chances reais na disputa, lógico, caso não aconteça acidentes de percursos.  Desde já, agradeço a contribuição do amigo Gilsemar Pedro pelos cálculos expostos.

.

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

25
janeiro

Resumório! – A coluna do Professor Tenório

FANTASMA DO 7X1 – Não tem como apagar da história o trauma do 7×1 ocorrido em 2014. O resultado não será esquecido, mas o sofrimento pode ser minimizado com a tão esperada e desejada revanche em 2018. A preparação foi e está sendo muito bem feita, por isso a confiança no resultado. Só nos resta parabenizar o mestre que escalou a equipe, treinou direitinho e botou o time em campo para jogar sob seu comando. Mais uma vez preciso explicar que, apesar de gostar de futebol, a coluna é sobre política. Logo, em 2014, os sete vereadores de oposição ficaram contra o projeto político de Zé e foram massacrados. Ernesto Maia, o mestre da articulação e mais humilhado nas urnas, não esqueceu a derrota e espera uma revanche agora em 2018. 

SONO PERDIDO – A comunicação oficial da candidatura de Alessandra Vieira (dita pelo prefeito aos vereadores em reunião) definição de quem fica com Diogo ou Alê e o plano maquiavélico de Ernesto Maia de lançar o nome de Fernando Aragão para deputado Federal movimentaram a política na Capital da Moda e tirou o sono de muita gente. 

QUEM NÃO DESCER SERÁ DERRUBADO – Um ponto positivo da reunião que aconteceu na casa do prefeito e outras que acontecerão é deixar claro que quem insistir em ficar em cima do muro vai ser derrubado e a queda pode machucar. Dependendo do tamanho da queda, a dor pode incomodar até 2020.

IN-DECISÕES – Alguns vereadores da bancada de situação estão fazendo charminho na hora de escolher se vão aderir ao projeto político de Alessandra Vieira ou de Diogo Moraes para deputado estadual. Seria para valorizar o apoio ou para mostrar que candidatura imposta e panfleto na rua ninguém é obrigado a aceitar? 

APOIOS SECRETOS – Quantos segredos guardam o coração de uma mulher eu não sei, mas tenho muita curiosidade de saber quais são os apoios secretos de José Augusto Maia para sua candidatura a uma vaga na ALEPE. Quem são, como vivem, onde moram? Isso a gente nunca vai a assistir no Globo Repórter. O Mundial do Palmeiras, o que acontece após a morte e os apoios de Zé são sempre complicados de explicar.

E O FEDERAL QUEM É? – Integrantes do grupo denominado Taboquinha ficaram confusos depois que se colocou mais uma opção para disputa de uma vaga para deputado federal. Já lançaram até uma música nas malas e grupos de whatsapp: “E o federal quem é? Quem deu um drible em Zé”.

O ESTRATEGISTA – Nada como um golpe após o outro e um julgamento no meio. Há quem diga que o plano de articular a candidatura de Fernando Aragão para deputado Federal foi para desviar a atenção dos santa-cruzenses do julgamento e condenação de Lula, símbolo maior do PT, partido presidido por Ernesto na cidade. 

SORTE E AZAR – As prévias para disputa eleitoral em Santa Cruz do Capibaribe estão tomando corpo. Malas, criação e atuação do conhecido exército de fakes são pequenos exemplos. Inclusive, pé de Coelho pode até dar sorte, mas fake que mexe com o Coelho todo, certamente vai ter um azar danado.

UM DE CADA VEZ – Julgamento do recurso no processo que pede cassação de Edson Vieira, Dida e Joab que seria no mesmo dia do julgamento de Lula foi adiado para próxima segunda-feira. Melhor assim, seria muita informação para um Resumório só.

UM DIA PARA SER ESQUECIDO – Conheço duas pessoas que certamente estavam torcendo para Lula e para o time do Vasco na quarta-feira (24). Desejo para eles e para o Lula dias melhores. Assim é a vida, um dia se perde no outro também, mas um dia se ganha.

DIRETO DA REDE – “Lula condenado em segunda instância, é porque o triplex é dele e foi ocultado ilegalmente. Então se ele tivesse pegado uma pena de até quatro anos, poderia iniciar o cumprimento em regime aberto e cumprir prisão domiciliar no referido triplex do Guarujá”.

“Não me queiram mal. Apenas pensem nisso, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido”

.

As informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

19
janeiro

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Auditoria em Brejo

A auditoria: Após aproximadamente um ano e um mês de gestão, o prefeito de Brejo da Madre de Deus, Hilário Paulo (PSD), afirmou que está realizando uma auditoria para saber como o ex-prefeito Dr. Edson (PTB), atual secretário de Saúde do município, deixou as finanças da prefeitura.

Previdência: Hilário afirma que pegou duas folhas da previdência em atraso, são elas: novembro e dezembro. Contudo, o prefeito não soube detalhar o valor da dívida deixada por Dr. Edson.

O estranho: Como falamos, após um ano e meio de gestão, Hilário afirmou que existe uma auditoria em curso, mas não disse quando a mesma teve inicio ou quando termina, a única coisa que afirmou foi que se necessário irá representar ‘o EX ou os EX, ou seja, uma auditoria do fim do mundo’.

No aguardo: Só na previdência foram duas folhas em atrasos deixados por Dr. Edson, ou seja, dividas existem e foram deixadas pelo ex gestor, a  necessidade de representar ocorrerá e não será fácil para Hilário politicamente.

Não bate: Uma coisa é certa, as contas não batem, pois na diplomação de Hilário, Dr. Edson afirmou que deixou recursos em caixa, contudo o que se ver é Hilário dizendo que assumiu dividas.

Assumindo: Quem está assumindo sem querer, essa conta que não bate, são os funcionários públicos de Brejo, pois infelizmente estão sem garantias no presente (salários) e futuro (previdência).

 

As informações e opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

16
janeiro

Artigo – Por Adriano Oliveira

COMO SER ELEITO DEPUTADO?

Em meados de 2016, um neófito candidato a vereador trouxe a seguinte indagação: “Gostaria de saber se existem estratégias para que eu possa ser eleitor vereador do Recife?” O candidato revelou que não tinha lideranças comunitárias, apoio do poder estatal e não era apoiado por sindicatos e movimentos sociais. Após todas estas informações, frisei: “O seu sucesso eleitoral é improvável”. O candidato não foi eleito.

Para você ser eleito deputado estadual ou federal são necessários o apoio de prefeitos, opositores do prefeito, vereadores, vereadores não eleitos, lideranças comunitárias, sindicatos, movimentos sociais organizados, máquinas estatal e partidária. Se você não tem isto, a sua chance de sucesso eleitoral é diminuta.

Um prefeito ou um ex-prefeito representa o candidato X no município. Através da troca de benefícios, estes atores conseguem votos para o competidor X. Assim também fazem o vereador e o vereador não eleito. Esclareço que os políticos com mandato exigem mais benefícios do candidato do que os políticos sem mandato. A liderança comunitária também é instrumento para a conquista do voto. Entretanto, eles não têm a força de captação de votos que têm os políticos de carreira. Ser o candidato preferencial do partido ou do candidato ao governo do Estado importa.

Sindicatos e movimentos sociais contribuem para o sucesso eleitoral do candidato, em particular, os classificados de Esquerda. Tais atores têm o poder de organizar ações que podem render votos ao competidor. Neste âmbito, podemos encontrar o voto ideológico ou atrelado à preferência partidária, os quais são atalhos informacionais que orientam a escolha do eleitor.

Existe o voto de opinião? Este é desprovido de qualquer interesse de troca. Ele existe. Mas não conheço competidores que foram eleitos apenas com voto de opinião. Isto significa que os outros atores/instrumentos citados são necessários para o sucesso eleitoral. E as estratégias eleitorais? Elas são necessárias. E inerente a elas, estão os instrumentos mostrados e a comunicação. Contudo, a boa comunicação política não elege, solitariamente, um candidato. Se você deseja ser deputado, abandone, urgentemente, a inocência. Desconfie do voto de opinião e dos seus seguidores nas redes sociais. Seja cético quanto ao potencial eleitoral do “novo”. E boa sorte!

.
As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

10
janeiro

Resumório! – A coluna do Professor Tenório

DIRETO DO LITORAL – Além da curiosidade para saber onde fica o endereço de uma casa muito falada nas redes sociais, a ida ao litoral pernambucano é sempre um prato cheio para quem acompanha os bastidores da política local e regional.

ESFRIOU – O comentário na praia e em outros cantos é que a candidatura de Edson Vieira para federal está fria e feito carro antigo a álcool, só pega no empurrão. Bruno não emplacar para o senado, deixar a prefeitura por mais de dois anos e um ataque do palácio aos seus votos são as razões para a candidatura está no seu momento Frozen.

ESQUENTOU – Por outro lado, o distanciamento entre Edson e Diogo esquentou a possibilidade da candidatura de Alessandra Vieira para estadual. Uma grande e relevante dúvida é como ela seria chamada na campanha, “A minina” ou “Mainha”? Ainda não cabe enquete mental, mas já tem os defensores de ‘a minina’, porque a música ficaria estranha: Ôh mainha, mainha vai dar outra lapadinha… mainha.

CONSEQUÊNCIAS – Com a esfriada da candidatura de Edson para federal, o sorriso do seu vice, Dida de Nan, já não é mais o mesmo. Inclusive Dida já está recebendo menos tapinhas nas costas e, pasmem vocês, teve aliado do governo sem medo de comentar que ele canta ruim. O respeito, simpatia e carinho de muitos é só com quem tem ou terá a caneta na mão.

FORA TADEU – Outro assunto comentado em Tamanda Beach foi sobre o plano de articulação dos vereadores para Tadeu se convencer a não morar mais em Santa Cruz. Entre as principais sugestões estão: contratação de uns pirralhos para apertar a companhia de sua residência e correrem; articulação para o carro da água do Murici passar mais vezes e em horário especial na rua; encaminhar o pessoal que pede ajuda aos vereadores e não votam neles para pedirem ajuda na casa de Tadeu; incentivo a vendedores de porta a fazerem hora extra naquela rua; não contar para ele que esse calendário da Compesa de 28 dias sem água e 2 dias com água não é cumprido, nem que os pedidos de caminhão pipa demoram meses.

FORA TADEU NÍVEL II – Se as ações anteriores não funcionarem, tem a segunda parte do plano que consiste em colocá-lo nos grupos de WhatsApp de notícias policiais para ele se familiarizar com os números da violência da cidade; torcer para ele fazer transações bancárias nas agências da cidade e precisar enviar correspondência através de nosso correio; algum vizinho ligar o rádio em volume máximo na hora do Oposição em Ação todos os sábados (essa sugestão quem deu foi um leitor da coluna) e colocar a rua de sua residência na rota das carreatas.

A LISTA – O governador Paulo Câmara cumprirá agenda em Santa Cruz do Capibaribe nos próximos dias e a lista de convidados para o evento será mais melindrosa do que lista de convidados para casamento. Sempre tem alguém esquecido que fica chateado. Sem contar os convidados que saem reclamando de tudo.

OS CORTADOS – Não é oficial, mas informações de bastidores dão conta que muita gente será cortada da lista de convidados. Tem um que se não descer do muro logo terá seu nome cortado da lista de convidados dessa e da próxima visita, feito sua orelha já foi cortada de uma foto; Tem gente que seu convite foi transferido para Toritama; Tem gente com 100% de confiança em outra coisa, não no convite. A lista dos cortados será grande feito aquela dos servidores contratados do Brejo da Madre de Deus.

SEM ALICERCE – Circulou em blogs e redes sociais imagens de uma construção de um Posto de Saúde no Dona Lica com paredes erguidas sem alicerce e com as bases para colunas sendo feitas em cima do solo. O primeiro fato inusitado de 2018 merece uma enquete mental.

ENQUETE MENTAL – Por que não cavaram alicerce na UBS do Dona Lica, foi para não danificar algum possível sítio arqueológico? Foi por que aqui não dá um vento tão forte como aquele dessa semana em Toritama? Ou foi por que tomaram gosto em fazer e desmanchar para fazer outra vez como em algumas praças?

“Não me queiram mal. Apenas pensem nisso, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido”.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

04
janeiro

Os números, sempre eles! – Por Maurício Romão

A tabela que encabeça este breve texto mostra a votação, por estrato de votos, dos deputados federais eleitos por Pernambuco em 2014. Chama a atenção, de pronto, o fato de que quase a metade dos parlamentares eleitos teve de 100 mil a 200 mil votos.

Considerando apenas as duas últimas faixas de votos, constata-se que 60% dos eleitos obtiveram mais de 100 mil votos, o que dá uma ideia do forte potencial de votos do conjunto. Registre-se, por oportuno, que sete suplentes em 2014 conseguiram votações expressivas, acima de 50 mil votos, com média de 61.692 votos. Dentre estes não eleitos, a votação menor foi de 50.128 votos e a maior de 73.967 votos.

A média de votos de todos os eleitos foi de 123.302 votos. Excluindo a votação da primeira faixa, que destoa das demais, a média sobe para 127.249 votos, uma média bastante elevada. Tirando o caso extremo da primeira faixa, a menor votação do time dos eleitos foi de 85.053 votos. Cada eleição tem sua história própria, como se sabe, mas não se estaria longe do raio de possibilidades eleitorais considerar que a votação mínima para eleger um deputado federal em 2018 gravite por aí mesmo, no entorno desses 85 mil votos.

O quociente eleitoral para deputado federal em 2018 deve ficar ao redor de 170 mil votos, abaixo do registrado na última eleição (179.329 votos). Essa perspectiva se prende à tendência de a alienação eleitoral (abstenção, votos brancos e votos nulos) crescer em 2018, em função do desencanto com a política e com os políticos. Assim, contando-se com um pequeno incremento do eleitorado, os votos válidos devem cair e, por via de consequência, o quociente eleitoral.

A barreira numérica do quociente de 170 mil votos sinaliza, com base na eleição passada, que apenas alguns poucos partidos teriam cacife para disputar o pleito de 2018 isoladamente, sem coligações, e eleger pelo menos um deputado: PSB, PTB, PSDB, PT, PP e PR (o PMDB, sem Jarbas Vasconcelos candidato, teria dificuldades de alcançar esse quociente. Se o partido mudar de mãos, vai depender da dimensão eleitoral dos novos membros).

Todos os demais 24 partidos tiveram votações individuais em 2014 bem abaixo do quociente projetado de 170 mil votos. Não havendo nada de excepcional, ninguém deste grupo teria condições de eleger um representante em 2018, competindo em carreira solo (projete-se esta situação para 2022, quando as coligações estarão proibidas…).

Então, por motivos numéricos óbvios, a tônica vai ser a celebração geral de alianças (lembrando que nas últimas oito eleições nenhum parlamentar federal de Pernambuco foi eleito sem ser por coligações!).

E aí é o de sempre: a coligação planejada terá o desafio de superar o quociente eleitoral, enquanto que o candidato, notadamente aquele com perspectivas eleitorais medianas, ficará atento ao potencial de votos de seus pares da futura aliança, pois se o grupo tem candidatos eleitoralmente fortes, ele corre sério risco de não se eleger.

As informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

 

28
dezembro

Resumório! – A coluna do Professor Tenório

O ÚLTIMO DO ANO – Finalmente chegamos ao último Resumório do ano. E para finalizarmos 2017, trazemos uma coluna ainda no clima das confraternizações. Leve, serena, sincera, tranquila e sem polêmica, assim como a política de nossa cidade e região. 

CONFRA DO ZÉ – A confraternização de José Augusto Maia contou com a presença do deputado federal de parte do grupo Taboquinha, Ricardo Teobaldo. As ausências de Deomedes e Marlos, a passagem estrategicamente relâmpago de Ernesto Maia e a presença não empolgada de Capilé demonstraram um pouco dos rumos que cada um irá tomar em 2018.  Zé Augusto canta e fala em UNIÃO desde o início da década de noventa. Teobaldo viu e se surpreendeu com o talento de Zé em juntar pessoas.

CASAMENTO DO ANO – O casamento do ano não foi um que aconteceu há uns dias em Taquaritinga do Norte, com direito à presença do cantor Leonardo.  Recentemente, quem estava feliz e em lua de mel era Carlinhos da Cohab, que paquerou Rubinho Nunes, namorou com Mendocinha, noivou com Sílvio Costa e acabou casando com Ricardo Teobaldo, aquele mesmo que o vereador andou reclamando que não tinha nem o número do telefone.

DEU ZEBRA – Maior repercussão do que as ausências de políticos em determinados eventos ao longo do ano, foi a presença do prefeito Edson Vieira na confraternização de Diogo Moraes. Muitos apostavam na não ida.  Se fosse futebol, teria dado zebra, pois praticamente ninguém acertou. 

ENTRADA TRIUNFAL – O que mais chamou a atenção de todos não foi o fato do prefeito Edson ir à confraternização de Diogo Moraes, até porque ele foi convidado. Foi a chegada triunfal dele no meio da fala do deputado com uma enorme comitiva com todos enfileirados, peitos estufados e cara de quem queria causar mesmo. Uma chegada tão impactante assim eu só tinha visto na volta de Tieta para Santana do Agreste. Inclusive, recomendo a quem estava na confraternização ou assistiu pela live, assistir a cena da novela com a volta de Tieta para sabermos qual foi mais impactante. Vocês podem achar que é brincadeira, mas além de mim, conheço uma pessoa que já assistiu o trecho da novela para fazer a comparação.

COINCIDÊNCIA – Além da entrada de Edson a lá Tieta, outra cena que chamou a atenção na confraternização do deputado foi a hora em que o prefeito e sua comitiva estavam indo embora. Tinha som ao vivo e a música cantada no exato momento da saída deles foi “Cristal Quebrado” de Magníficos, cuja letra diz assim:

.

Melhor assim
Cada um vai pro seu lado
Está desfeito, não tem jeito 
O encanto foi quebrado

Cristal quebrado não cola jamais
Sonhos feridos não curam, não saem
Melhor me esquecer 
Não volto atrás

.

COINCIDÊNCIA II – Acredito que o cantor da confra de Diogo não acompanha os bastidores da política e que a música e o momento foram apenas coincidência. Coincidentemente, Magníficos será uma das atrações no aniversário de 64 anos de emancipação política da cidade no próximo dia 29. Certamente a banda vai tocar a canção por ser um grande sucesso e não por retratar esse momento turbulento de uma relação que está cada dia mais próxima do fim. Só lembrando que, oficialmente, está tudo tranquilo. Um apoia o outro e o outro apoia um.

PRESTANDO CONTAS – Para não esquecer e ser injusto com os anfitriões, o ex-prefeito José Augusto com o Ricardo Teobaldo, o deputado Diogo Moraes e o prefeito Edson Vieira prestaram contas de suas ações, que foram várias e importantes, mas assim como alguns eleitores visitados no porta a porta preferem falar de ajuda em vez de propostas e ações, tem os leitores que preferem as peiticas em vez de elogios a políticos.

APARTHEID – E para não deixar as peiticas de lado, o ano vai acabar do jeito que começou, com o muro da vergonha, do apartheid, dos amigos do rei, dos amigos do poder, da turma que se deu bem e inúmeras denominações que já foram dadas por quem abomina o uso do espaço da frente ou do lado do palco como camarote VIP para os mais chegados. A polêmica do São João não foi suficiente para acabar com a naturalização dessa prática. Aconteceu no Natal de Poço Fundo e tenho minhas dúvidas se não acontecerá na festa do aniversário da cidade.

ANO NOVO – Fim de Resumório e de ano chegando, só nos resta agradecer pelo carinho dos leitores e desejar que o ano novo seja repleto de alegrias e oportunidades, assim como será para o vereador que votou favorável ao projeto de lei que concede aumento de salário para secretários, no final de 2017 e começará 2018 trocando a câmara de vereadores por uma secretaria. Desejo também que as amizades sejam mais sinceras do que as declarações de voto a Diogo Moraes feitas pelo prefeito, alguns vereadores, secretários e militantes bocas pretas. Aquele abraço!

“Não me queiram mal. Apenas pensem nisso, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido.”

.

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

23
dezembro

As curtinhas do Romenyck Stiffen

CADÊ O 13º?

 

Quase todos: Na região do Polo de Confecções, quase todos os prefeitos pagaram o décimo terceiro e já anunciaram o pagamento do mês dezembro, a exceção foi o prefeito de Brejo da Madre de Deus, Hilário Paulo (PSD), que não honrou seus compromissos.

Mesma desculpa: Hilário usou da mesma desculpa para justificar a folha inchada, alguns meses atrás. Falar de um enquadramento que ainda não foi feito de forma integral, assim como de um reajuste que só foi pago a partir de julho.

A promessa: Segundo nota publicada nas redes sociais, pelo secretário de educação de Brejo da Madre de Deus, a promessa é de que seja pago na próxima semana, mesmo sem dizer a data.

E dezembro?: A situação fica delicada, pois a promessa do 13º é para mesma semana em que normalmente terá que ser pago no mês de dezembro. A pergunta é, qual a garantia que se tem hoje de que esses compromissos serão honrados até o final do mês, como sempre foi de costume em anos anteriores?.

Comparações: O que Hilário não precisa nesse momento são as comparações com o governo de Dr. Edson, principalmente de forma negativa. Mas, o pior é que a comparação ficou dentro de um mesmo governo, com a Secretaria que o ex-prefeito é responsável. Pois, a propaganda nas ruas é que a Secretaria do Doutor pagou o 13º dos funcionários, como se houvesse duas prefeituras.

Como prosperar?: Um governo sem planejamento não tem como prosperar, um governo que não paga em dia seus funcionários não tem como prosperar. Hilário entrará 2018 com a experiência de 2017, sabendo onde errou e acertou, mas com um grande detalhe, perdendo a super aprovação que tinha há tempos atrás, cabe ao prefeito recuperá-la.

.

As informações e opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

20
dezembro

Resumório! – A coluna do Professor Tenório

FURO DE REPORTAGEM – Que os políticos falam uma coisa em público e outra completamente diferente quando estão entre si não é novidade. Interessante foi uma conversa flagrada por jornalistas de Santa Cruz na espera de um voo no aeroporto de Recife. O flagra foi logo após um evento que juntou as oposições ao Governo do Estado. As conversas foram diferentes dos discursos do evento. Fica aí a dica para jornalistas, esqueçam as coletivas e foquem na camuflagem pós-eventos.

PERGUNTAS – Três perguntas inquietam o ser humano, desde as sociedades primitivas até as mais adiantadas e sofisticadas: De onde venho? Quem sou eu? Para onde vou? Em Santa Cruz, apenas duas perguntas estão despertando a atenção de muitas pessoas ultimamente: Você vai com Edson Vieira ou Diogo Moraes? Você é a favor ou contra o asfaltamento da Avenida Padre Zuzinha?

NOVATOS – As boas-vindas para os novos moradores da cidade são perguntando se serão Taboquinha ou Boca Preta. Quem chegar agora também precisará optar por prefeito ou deputado e por asfalto ou calçamento na Avenida Padre Zuzinha. Pelo menos eles entenderão uma das razões para o não desenvolvimento da cidade. Gasta-se tanta energia com isso que não sobra tempo e energia para coisas mais importantes.

AVENIDA HISTÓRICA – Independentemente do que se faça, a Avenida Padre Zuzinha entra para história da cidade. Se não for pela preservação das gameleiras e enquanto Patrimônio Histórico, será pelo tamanho da repercussão que ganhou essa questão do asfalto. Por essas bandas é mais comum escutar especialistas quando se trata de campanha e estratégia eleitoral. Temas relacionados ao Patrimônio Histórico, urbanismo, impactos ambientais etc. não é comum dar ouvidos a especialistas.

CONTRA – Segundo um amigo “Jovem”, tem um senhor na Rua Grande que é CONTRA esse asfaltamento porque vai cobrir uma pedra de calçamento que ele amola a peixeira faz uns quarenta e sete anos. De fato, geraria uma grande mudança de hábito na vida desse senhor.

A FAVOR – Tenho outro amigo não tão jovem, que é A FAVOR do asfaltamento porque ficará excelente para se andar de patins em dupla e de mãos dadas. Nesse caso, ajudaria na aproximação das pessoas. Esses depoimentos foram tirados das redes sociais, que servem entre outras coisas para se fazer desabafo, saber a localização das pessoas e rir bastante.

EMBARGO – Neste exato momento, na hora do envio do Resumório para publicação, chegou a informação que as obras na Avenida Padre Zuzinha foram embargadas pela justiça. Como a discussão foi bastante partidarizada nas redes sociais, só nos resta saber se vai ter carreata do embargo.

AUMENTO – Está tramitando na Câmara de Vereadores um projeto de lei para aumentar o salário dos secretários. Na última sessão ordinária de 2017 teve até vereador rezando pelo Advogado André Tadeu. Vamos aguardar o resultado dessas orações. Pelo menos no embargo das obras da Avenida Padre Zuzinha, o advogado é inocente.

DIRETO DA REDE – “O ano nem acabou e com 1141 homicídios a mais que em 2016, o slogan do Governo de Pernambuco começa a fazer sentido: Mais do que você imagina”. “Não me queiram mal. Apenas pensem nisso, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido.”

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

18
dezembro

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Luciano Estadual?

Desembarcou – A REDE Sustentabilidade anunciou no último sábado (16) que desembarcará do Governo Paulo Câmara (PSB).  A decisão foi tomada na Conferência Estadual do partido, onde Roberto Leandro, representante do partido no estado, afirmou que a legenda terá candidatura própria à majoritária com o intuito de formar um palanque para Marina Silva no Estado.

Proporcional – Para formar um palanque, o partido formará chapas proporcionais com nomes em todos os polos do estado para candidatura a deputado Estadual e Federal.

Estiveram presentes – Integrantes da Rede de Santa Cruz do Capibaribe estiveram presentes na referida conferência e alguns voltaram animados com a possibilidade da candidatura do ex-vereador Luciano Bezerra ao cargo de Deputado Estadual.

Aproveitaria? – Para alguns membros do partido, Luciano poderia aproveitar o vácuo deixado por Diogo Moraes (PSB) em um possível rompimento do deputado com o prefeito Edson Vieira (PSDB).

Sem problemas? – É notório que Luciano também se encontra distante do prefeito Edson Vieira, mas pessoas próximas ao ex-vereador afirmam que não haveria problemas em uma reaproximação. A pergunta seria: Nessa altura do campeonato, Edson necessitaria de se reaproximar de Luciano?

Perdendo aliados – De fato, uma separação política com o deputado, Edson perderia um bom número de aliados por tabela, mas não sei se Luciano estaria nos planos do prefeito para combater os Moraes em 2018.

.

As informações e opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

06
dezembro

Resumório! A coluna do professor Tenório

​RESUMÓRIO 

 

UM NOVO CICLO – Esta semana encerro um ciclo e, ao mesmo tempo, inicio um novo. De antemão, quero agradecer a todos que mandaram mensagens me parabenizando ao longo do dia. Aceitei o convite, porque acredito que somos movidos por desafios. Agradeço também a quem acreditou e acredita no meu trabalho. Numa cidade onde a paixão política é excessivamente aflorada, qualquer trabalho se torna mais difícil. Sei que críticas surgirão, vou encará-las com naturalidade e procurar fazer o melhor que estiver ao meu alcance. Com o tempo, a gente acaba aprendendo com os erros e com os acertos. Espero dar conta da missão e corresponder à responsabilidade que foi a mim confiada, assim como procurei fazer nos anos anteriores. Mais uma vez obrigado aos amigos que mandaram mensagens em razão do aniversário de dois anos da coluna RESUMÓRIO. E que venha o terceiro ano repleto de muita informação e humor! Se alguém nos grupos políticos de whatsapp me parabenizou por outra razão, obrigado também.

O DIA D – Parece que foi ontem, mas é isso mesmo, o Resumório completará, próximo sábado (9), dois anos de existência. Dois anos de resumos, risadas, intrigas e alguns elogios. Já durou bem mais do que a passagem de Lula pela Casa Civil e a nomeação de marido de vereadora para direção de escola.

COADJUVANTES – Lamento muito pela forma de tratamento totalmente descabida dada a certas pessoas em razão de serem companheiros de mulheres que se destacam de algum modo na sociedade. Quero registrar que não concordo, uso porque numa coluna satírica tenho licença poética para tal. Foi assim com o militante do PDT e advogado Túlio Gadêlha, que hoje é conhecido como o “Namorado de Fátima Bernardes” e com o competentíssimo professor historiador Itamar, que muitas vezes é tratado como o “Marido de Jéssyca”. Afinal de contas, ninguém é de ninguém! 

QUARENTA E OITO – Um livro muito conhecido para quem acompanha política de uma forma geral é “As 48 Leis do Poder” e um fato muito repercutido na política de Santa Cruz está sendo as “48 horas no poder”, tempo que durou a nomeação de um aliado do prefeito Edson Vieira para o cargo de Gestor de uma escola estadual. Ambos têm muito a nos ensinar, pois nos mostra grandes lições para a política e para a vida.

ENQUETE MENTAL – As invenções da imprensa, burburinhos e fuxicos de esquina estão causando tanta polêmica que acabaram parando na enquete mental do Resumório. Qual exoneração causou mais polêmica, a de Nilton da CIRETRN ou a do Marido da vereadora?

É AÇÃO – A proporção das exonerações está tão grande que ninguém duvide que apareça um spot no rádio, grupos de whatsapp ou bicicletas de som com alguma voz institucional, (mentalizem a voz aí) dizendo: ♫ E-xo-ne-ra-ção de coordenador da CIRETRAN: É ação…É ação de Diogo Moraes é Diogo… E-xo-ne-ra-ção de diretor de escola: É ação…É ação de Diogo Moraes é Diogo… Paulo Câmara um passo a frente, em termos de exoneração… ♫

EXONERAÇÃO E NÃO CONVITE – Além das “malassombradas” exonerações que atrapalham a união dos mundos azul e amarelo, ainda tem aqueles danados dos “não convites”. Em matéria de não ser convidado eu sou quase um especialista e prevejo que logo logo vai aparecer mais um.

AS VOLTAS QUE O MUNDO DÁ – A política é surpreendente mesmo. Quem diria que um dia José Augusto Maia, nosso Zé, tocaria triângulo num Arraiá da Vale com Hildo Teixeira. São as voltas que o mundo dá. Como seria bom se fosse natural as pessoas de grupos políticos diferentes serem amigos e frequentarem os mesmos ambientes sem despertar cisma em ninguém. Infelizmente, quem alimenta a paixão, morre de amor pelo poder e não deixará a racionalidade prosperar.

A SANTA – A situação de Santa Cruz do Capibaribe está muito preocupante, pois não respeitam nem os Santos. Roubaram uma imagem de uma Santa de dentro de uma igreja. A falta de segurança também vem acompanhada com a falta de respeito à fé das pessoas.

O SANTA – O “Direto da Rede” de hoje traz a pergunta feita lá no Diário Pernambucano: “É verdade que o Santa Cruz Futebol Clube vai fechar contrato com a Netflix Brasil? Todo ano é uma série diferente. ”

.

“Não me queiram mal. Apenas pensem nisso, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido.”

;

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador.

29
novembro

Resumório! A coluna do professor Tenório

RESUMÓRIO 

 

SUA CASA, MINHA VIDA – Pretendendo disputar cargo eletivo nas eleições do próximo ano, o prefeito Edson Vieira inicia a semana com pauta positiva. A construção de 500 casas será muito importante para a vida das famílias contempladas e para a vida política dele. 

CASAS E ASFALTO – Além da assinatura para contratação de empresa para a construção de 500 casas do programa Minha Casa Minha Vida, também teve a assinatura de contrato para o asfaltamento de várias ruas. Um pedaço da rua do resumorista, aquela que foi calçada por três prefeitos, também será asfaltada. Com quatro prefeitos diferentes trabalhando na pavimentação de uma mesma rua, já é mais do que o direito de pedir música no Fantástico, é negócio para entrar no guinness book. Só espero que um quinto prefeito atente para um dia fazer o saneamento desse pedaço de rua também.

DESTAQUES – Quanto aos asfaltos, a citação de emendas de vários deputados federais, inclusive adversários políticos, foi algo que chamou a atenção, assim como o presidente da Câmara de Vereadores vestido informalmente com uma camisa do Sport Club do Recife durante as assinaturas. Sobre os convites para o evento, “quase” todo mundo devidamente convidado, mas isso já faz parte do passado. 

ESSE HEXA NÃO É LUXO – O advogado André Tadeu da Mota Florêncio já chegou a marca de seis ações na cidade de Santa Cruz do Capibaribe, mostrando que ele tem um carinho especial pela terra das gameleiras. Redução de salário dos vereadores, redução dos salários dos vereadores novamente, auxílio alimentação, redução da quantidade de parlamentares, combustíveis e não aumento de salário para secretários, vice-prefeito e prefeito.

INTENÇÃO DE VOTO – Uma sugestão do “euternauta” para a turma que gosta de fazer pesquisa política é aferir como anda o nome de André Tadeu na intenção de votos para as próximas eleições em Santa Cruz. Seria interessante saber os números dele para deputado, prefeito e até para o cargo de vereador.

LIDERANÇA – Em recente pesquisa, “Branco” e “Nulo” fazem dobradinha e lideram pesquisa para o governo de Pernambuco somando 30% das intenções de votos. Quem se aproxima desse número é uma tal de “Rejeição”. Ainda é muito cedo, mas parece que a turma do Temer terá muito a temer em 2018. Segundo a pesquisa, o apoio do Presidente Michel Temer a algum candidato faria com que 88% dos pernambucanos o rejeitasse. 

PROGRAMA DE ZÉDSON – Programa do prefeito cita um magote de vezes o nome de Zé Augusto e surpreende os ouvintes. Um dos ouvintes marcou um risquinho no papel para cada vez que Zé era citado e um risquinho cada vez que Diogo Moraes era mencionado. Com os risquinhos de Diogo não dava pra fazer um triângulo, já com os de Zé daria pra fazer um castelo. Parecia o programa de “Zédson Vieira Maia”.

DE TRÊS – Assaltos acontecem todos os dias, o dia todo em todos os lugares da cidade. Mas quando é de vereador ou personalidade política é como se fosse uma cesta de três pontos no basquete. Parece que vale mais. Pelo menos em termos de repercussão sim. O premiado da vez foi o vereador Joab do Oscarzão. Além de Tadeu nos calcanhares, mais essa!

NOVA BANCADA – Além da bancada de situação, da bancada de oposição e de uma suposta bancada de Diogão, a bancada que mais cresce na Casa José Vieira é a “bancada dos assaltados”. Lembrando que o ex-vereador e atual vice-prefeito é integrante dessa bancada também.

TODOS NA SULANCA – Onda de violência continua firme e forte na cidade. Como o único lugar aparentemente com aquela velha prometida e sonhada sensação de segurança é o Moda Center, o já tão concorrido ramo da sulanca pode ganhar milhares de adeptos. Em busca de um pouco de segurança todo santa-cruzense poderá virar sulanqueiro. Há quem diga que esse movimento todo na feira não é o povo em busca de mercadoria, mas em busca de um lugar seguro para passar umas horinhas.

“Não me queiram mal. Apenas pensem nisso, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido.”

;

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador.

24
novembro

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Os Grandes Duelos!

 

Reflexos: Há um bom tempo estamos percebendo e debatendo que o afastamento entre PSB x PSDB no Estado de Pernambuco está refletindo na relação politica entre o Prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, Edson Vieira (PSDB), e o Deputado Estadual Diogo Moraes (PSB).

Efeito dominó: Esse mal-estar entre Edson e Diogo está ocasionando um efeito dominó na bancada de Situação e na última sessão ordinária presenciamos o aperitivo de grandes duelos que teremos a partir de agora entre Jessica Cavalcante (PTC) versus Júnior Gomes (PSDB).

Gestos (I): A vereadora Jéssica em seus discursos colocou o grupo na grade e mostrou o que Edson já fez para diversos membros do Grupo, entre eles: Júnior Gomes, hoje o maior calo no sapato do prefeito Edson no momento.

Gestos (II): A reposta de Júnior a Jéssica, respectivamente a Edson, é de que os gestos foram mútuos, estando ao lado e dando apoio ao prefeito a mais de 20 anos, nos tempos ruins e bons.

Esperando: Vários vereadores Boca Preta estão esperando as definições para 2018 e principalmente saber quem será Edson Vieira sem a caneta na mão a partir de abril do ano que se aproxima. Será nesse contexto que os parlamentares de situação irão se definir entre Edson e Diogo.

Insustentável: Podemos analisar dentro dessa conjuntura que o rompimento entre Edson e Diogo está mais próximo do que muitos imaginam.

;

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

21
novembro

Artigo – Por Adriano Oliveira

A ILUSÃO DA INTENÇÃO DE VOTO

 

Um candidato, independente da data do dia da eleição, quando opta por realizar pesquisa, tem a intenção de voto como exclusiva preocupação. Segundo os candidatos, a intenção de voto apontará as suas chances de vitória na futura eleição. A intenção de voto é a ilusão de ótica dos candidatos.

Um homem está à beira do mar. Do litoral, ele enxerga uma ilha. O guia conta ao homem que nesta ilha existe belo resort. A gastronomia é fantástica. O conforto esplêndido. De longe, o homem enxerga os coqueiros da ilha. O telhado do resort. Um pouco de fumaça. O homem, ávido por férias, conclui que a ilha é maravilhosa. Contudo, ao chegar à ilha, o homem encontra a frustração.

A história contada serve para ilustrar a ilusão da intenção de voto. O candidato X encomenda uma pesquisa, e descobre que tem, hoje, 25% de intenção de votos. O seu suposto concorrente, Y, 12%. O candidato X conclui que é competitivo. O suposto candidato competitivo desprezou a variável básica: o nível de conhecimento de Y. E duas vitais: As condições em que a eleição de 2018 ocorrerá e os desejos do eleitor.

Se o candidato Y é pouco conhecido ou desconhecido, é óbvio que ele tende a ter baixa intenção de voto. Em qual condição a eleição ocorrerá? Pesquisas revelam que eleitores ainda reconhecem a permanência da crise econômica. Entretanto, em 2018, ocorrerá recuperação da economia? O governador Platão tem baixa aprovação entre os eleitores. Em 2018, os eleitores continuarão a reprovar, majoritariamente, o governo de Platão?

Quais os desejos do eleitor? Os eleitores de Júpiter têm o sentimento de que o governo está parado ou que sumiu e, por consequência, não enfrenta os problemas e não mostra disposição para atender as demandas da população. Portanto, eleitores desejam mudança de governo. Eles têm esperança de que um novo governo fará com que Júpiter sai da inércia, avance.

As pesquisas de opinião, qualitativas e quantitativas, têm condições de identificar os desejos do eleitor. Em conjunto com a análise de diversos dados é possível construir cenários evidenciando em quais condições a eleição vindoura será disputada. O eleitor está imerso no ambiente social, faz escolhas influenciado por ele, e sofre empurrões advindos das estratégias eleitorais. Portanto, candidatos sábios relegam, neste instante, a intenção de voto. Mas desejam decifrar os desejos do eleitor e em que condição a eleição futura será disputada.

.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

20
novembro

A sua coluna esportiva – Por Elivaldo Araújo

Central de Caruaru começa a montar elenco para o Estadual 2018

 

Estreia com derrota: A seleção de Santa Cruz do Capibaribe estreou com derrota na terceira fase da 12ª Copa TV Asa Branca de Futsal. A equipe perdeu por 5 a 2 para a seleção de Sertânia. Com o resultado, o time do Sertão precisa de uma vitória simples para garantir a vaga. Já o time da Capital da Moda, precisa vencer Brejo da Madre de Deus e torcer por uma combinação de resultados.

Badminton em destaque: O Badminton de Brejo da Madre de Deus vem se destacando na região. Neste fim de semana, foi realizada em Arcoverde, a 5ª Etapa do Campeonato Pernambucano da modalidade. Brejo disputou o campeonato nas categorias Sub 11,13 e 15. O grande destaque foi atleta do Sub-13, Jefferson Matheus, que vem cada vez mais conquistando resultados importantes para o Agreste.

Dever cumprido: A categoria de base do Ypiranga encerrou a sua participação neste fim de semana no Campeonato Pernambucano Sub-15 e Sub-17. No sábado (18), a equipe foi até Caruaru e, pelo Sub-15, a Maquininha empatou em 2 a 2 contra o Caruaru City, já pelo Sub-17, a equipe venceu o Caruaru City por 2 a 0. Com os resultados, o Ypiranga acabou sendo desclassificado da próxima fase, ‘mas o melhor de tudo é que os frutos foram colhidos’.

Elenco sendo montado: Restando menos de dois meses para o Campeonato Pernambucano de Futebol 2018, o Central já começou a se reforçar e já contratou a metade de um time, além de parte da comissão técnica. Para o elenco, a diretoria já anunciou os nomes de Murilo Prates, Murilo e Denis (G), Dudu Gago (LD), William Paulista (Z), Graxa e Douglas Carioca (V), Danilo Romão e Lucas Silva (M). Já a comissão técnica contará com Odair Mourato (prep. físico), Luiz Henrique (auxiliar) e o Mauro Fernandes (treinador).

.

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

15
novembro

Resumório! A coluna do professor Tenório

A IDA DOS QUE FICARAM – O vereador Joab afirmou que vai permanecer no grupo de situação. Isso antes de saber da saída de Bruno Araújo do Ministério das Cidades. A ida do vereador para “outro grupo” está temporariamente adiada. Bruno sai e Joab fica, mas não esqueçam daquele 1%… Ronaldo não recebeu nenhuma proposta oficial, mas se houver e for para o bem do povo, vai conversar e pensar…

A CASA CAIU? – Caiu sim, mas só pela metade. O PSDB perdeu o “caminho para casas” aqui em Santa Cruz e região. Segundo informações colhidas recentemente, pelo menos 600 das casas prometidas estão garantidas para Santa Cruz, independentemente do Ministro que sai e do que entrará.

CENSURADO – Propaganda de Diogo Moraes na Central de Feiras foi vetada devido uma denúncia da oposição. Os sete vereadores da oposição não fizeram e nem têm conhecimento sobre essa denúncia. A pergunta é: quem hoje é oposição ao deputado? Uma coordenação de CIRETRAN por uma propaganda na feira de frutas? No xadrez, isso corresponderia a uma Rainha por um Peão. Será que na campanha de Diogão vão tocar aquela melodia: “Só não sabia que pra se fazer o bem, causaria tanta inveja em alguém…”

VOTO, MAS NÃO DEFENDO – Até o presente momento, Diogo Moraes conta com o voto de muitos e a defesa pública de poucos. Apesar da crítica de alguns servidores da prefeitura nas redes sociais ao deputado, tudo, exceto os fatos, apontam que a união segue firme e forte.

CRISE INFINITA – Desde que me entendo por gente que minha cidade passa por racionamento de água e crise na prefeitura. Demissão de contratado já era para constar em todo plano de governo de prefeituráveis, de tão comum.

PROTESTO E QUEIMAÇÃO – População de Pão de Açúcar fez um protesto por mais segurança para o distrito. Queimaram pneus, queimaram o asfalto e queimaram Paulo Câmara. Parece que os grupos políticos da Dália da Serra estão com o Governador. Tá faltando combinar com a população. Vamos esperar as urnas. Elas assim como resultado de exame de gravidez são aguardadas e surpreendentes. 

POLEMIZOU – Em entrevista a um conhecido blogueiro da cidade, o vice-PREFEITO de Santa Cruz criticou o “inesquecível” auxílio alimentação aprovado pelos vereadores da cidade e quando perguntado o que acrescentaria na administração se assumisse a prefeitura, disse que “gosta das coisas corretas, que é trabalhador e que com ele tem de trabalhar”. Sei lá se ele vai ser mal compreendido…

REPROVAÇÃO EM BAIXA – Da volta do serrote para cá, a popularidade de Temer deve cair ainda mais com a saída do ministro Bruno Araújo. Só falta a turma que vota em Bruno chamar o governo de Temer de governo golpista.

ALMA LAVADA – O pessoal que teve seu cartaz de protesto jogado no riacho Tapera pela equipe que fa a segurança do governador Paulo Câmara deve ter ficado de alma lavada quando viu a Polícia Federal na Casa Militar cumprindo mandado de prisão, conduções coercitivas etc. A gente protesta, mas é honesto, deve ter pensado algum dos donos de cartaz apreendido.

CONTRAPRPAGANDA – Muita gente que cobra maior divulgação do Moda Center Santa Cruz compartilhando postagens negativas do Moda Center em redes sociais. Natural na cidade das contradições. Só resta saber se é uma mera contradição mesmo ou se a velha e conhecida politicalha está no meio das discussões.

DIRETO DA REDE – “A nova lei trabalhista mal foi colocada em prática e já terceirizaram o Náutico e o Santa Cruz”.

“Não me queiram mal. Apenas pensem nisso, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido.”

13
novembro

Artigo – Por Maurício Romão

O PCdoB mirou na proporcional

 

O PCdoB é tido como um partido-satélite, que gravita na órbita do PT. Por causa desse histórico de atrelamento, o meio político se surpreendeu com a decisão dos comunistas de lançar candidato à presidência da República na próxima eleição, independentemente da já conhecida postulação petista.

As análises políticas que se seguiram ao inopinado anúncio centraram-se na especulação de que o sentimento majoritário entre os comunistas era o de que: (1) a candidatura do ex-presidente Lula, por impedimento judicial, não seria levada a cabo e (2) um eventual plano B petista (Fernando Haddad, Jacques Wagner, etc.) seria inviável eleitoralmente.

A compreensão esboçada neste breve texto sobre a candidatura do PCdoB não exclui a aceitação desses pontos interdependentes, mas entende que eles são parciais à medida que não contemplam também as conseqüências da reforma política 2017.

Os principais temas aprovados na reforma de 2017 foram o fim das coligações proporcionais (2020), a instituição de cláusula de desempenho partidário e a criação do fundo especial de financiamento de campanha.

A hipótese aqui aventada é a de que esses tópicos foram capitais para a decisão do PCdoB.

A cláusula estabelece requerimentos de desempenho dos partidos para terem acesso ao fundo partidário e à propaganda gratuita de rádio e TV. A medida entrará em vigor já em 2018, na eleição para a Câmara, e vai crescendo em exigências de desempenho até a eleição de 2030.

Para o pleito do ano que vem, por exemplo, os partidos terão de obter, no mínimo, 1,5% dos votos válidos, distribuídos em pelo menos um terço das unidades da federação, com mínimo de 1% dos votos válidos em cada uma delas; ou eleger pelo menos 9 deputados, distribuídos em pelo menos um terço das unidades da federação.

Vigorasse a cláusula na eleição de 2014 o PCdoB teria atendido a esses requisitos, mas apenas ligeiramente acima dos limites estabelecidos. Com efeito, o partido obteve 1,96% dos votos válidos e elegeu 10 deputados em 9 estados, cumprindo simultaneamente o requerimento geral de votos válidos e do número de deputados em um terço das unidades da federação (registre-se, por oportuno, que 7 dos 10 deputados foram eleitos em coligação com o PT).

Se, entretanto, as coligações também já fossem proibidas em 2014, os comunistas só teriam elegido 5 deputados, encolhendo sua bancada pela metade. Isso teria impedindo o PCdoB de ter acesso ao fundo partidário e ao tempo de rádio e TV.

Na perspectiva hipotética de vigência do novo fundo especial de financiamento de campanha, o partido teria reduzido também sua participação, já que 83% dos recursos são distribuídos em proporção aos votos válidos e ao tamanho das bancadas.

Infere-se daí, então, que a continuidade de papel coadjuvante do PT envolveria riscos de o partido comunista tornar-se mero figurante das contendas eleitorais, com restringidas perspectivas de ascensão ao Legislativo e de acesso a recursos partidários públicos.

Assim, tudo leva a crer que a decisão do PCdoB lastreou-se não só nas evidências de que o PT tem poucas chances de chegar à presidência em 2018, mas, também, nas implicações que a recente reforma política trará aos partidos de pequena dimensão eleitoral, incluídos os ideológicos.

O lançamento de candidatura a presidente, ainda que de pouca probabilidade de sucesso, tem o condão de tornar o PCdoB mais protagônico no processo eleitoral e catapultar as candidaturas proporcionais. Uma decisão de sobrevivência político-partidária.

;

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

09
novembro

As curtinhas do Romenyck Stiffen

No mínimo, um desgaste popular!

Desgaste – O advogado André Tadeu pode até perder todas as ações contra os vereadores de Santa Cruz do Capibaribe, mas no mínimo, ele causou um grande desgaste nos parlamentares. Vejamos:

A primeira ação – Após a primeira ação que solicitava redução salarial e concedida a liminar sobre a mesma, referente ao projeto aprovado em 2016 pelos vereadores, ocasionou a articulação dos parlamentares das bancadas de oposição e situação no que diz respeito à aprovação do auxílio alimentação.

O auxílio – Ficou muito claro que o auxílio alimentação pode ter sido utilizado como uma compensação salarial, mas foi crucial para um desgaste público sem precedentes em relação a nossa Casa de Leis e chamou a atenção da imprensa de todo o Estado.

Teve mais – Após esse episódio, André Tadeu entrou com diversas ações que ocasionaram verdadeiras sangrias nos vereadores. Foram elas: mais uma redução salarial; uma contra o auxilio alimentação e a mais recente: a redução no número de vereadores.

Temor – Essa última ação ocasionou muito temor em diversos vereadores, principalmente nos que estão ameaçados nos cargos. Essa situação foi sentida após um dos vereadores publicar por engano uma conversa em grupo de WhatsApp.

A conversa – Na conversa, o vereador afirma já ter conversado com alguns vereadores de oposição e situação para não haver a reunião ordinária desta quinta-feira 09/11/17, pois temiam a imprensa estadual e o público na sessão.

Não prosperou – A articulação do vereador não prosperou, pois em conversas com alguns parlamentares de situação e oposição, os mesmos afirmaram que a reunião ocorreria de forma natural.

Quais motivos? – Será que a articulação do vereador não prosperou devido o mesmo ter publicado a conversa em um grupo errado ou por não ter o apoio dos 10 vereadores que não sofrem risco de perca de mandato e ser quórum mínimo suficiente para que a sessão aconteça? Lembrando que as duas respostas também podem se completar, sem dúvidas.

.

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

08
novembro

A sua coluna esportiva – Por Elivaldo Araújo

Final da Série A2: Pesqueira x Decisão

 

Pesqueira x Decisão: Hoje acontece a primeira partida que decidirá o acesso de apenas uma equipe para a disputa do Campeonato Pernambucano da Primeira Divisão 2018. O duelo desta noite será em Pesqueira às 20h, entre o time do mesmo nome da cidade contra o Decisão de Bonito. A partida de volta será no próximo domingo (12) em Bonito às 15h.

Touro no México: O paratleta santa-cruzense, Heleno Victor de Melo Silva, o Touro tem conseguindo conquistas importantes para o nosso município. Em dezembro, ele irá competir no Mundial Paralímpico na Cidade do México, a disputa será entre os dias 2 e 8 no Ginásio Olímpico Juan de la Barrera, onde ao todo serão 17 brasileiros na disputa.

E a degola?: Não anda bem a situação dos clubes pernambucanos nas principais divisões do Campeonato Brasileiro de Futebol (A e B). O Náutico está praticamente rebaixado, porém ainda resta uma pequena esperança, a equipe precisará vencer os quatro jogos que restam e torcer por combinações de resultados. Já o Santa Cruz terá que pelo menos vencer três e empatar um, mas depende também de combinações, quanto ao Sport Recife, ele também que se cuide, mas só depende de si para se livrar da queda.

Em breve, o retorno: Quem se encontra se preparando para voltar aos ringues possivelmente em janeiro de 2018, é o santa-cruzense, Murilio Chacal, na categoria peso mosca (até 57 kg). Ele é detentor do título na categoria do último São Lourenço Fight (SLF), também do cinturão do Grand Fighting Championship (GFC), além de ter ganhado notoriedade ao participar do Shotoo 62’, que teve transmissão ao vivo pelo canal de assinatura COMBATE.

.

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

01
novembro

Resumório – A coluna do professor Tenório!

POLÊMICA, DEMISSÃO E DESGASTE – O assunto que movimentou a semana teve como um dos principais protagonistas o conhecido e sempre tão elogiado Diego. Após uma badalada demissão, seu nome foi logo entrando na pauta dos principais meios de comunicação e redes sociais. A verdade é que Diego, mesmo sem ter a intenção, despertou revolta e decepção em muita gente. Mas o que esperar de um grupo que está afundando a cada dia? Embora alguns não acreditem em mim, sou um torcedor e entusiasta desse grupo, que tem muita gente boa e competente. Espero, sinceramente, que reencontrem o caminho das vitórias, com união, força e muito trabalho. Mas como a coluna é sobre política e não futebol, desejo que todos esqueçam a demissão de Luxemburgo, que Diego Souza supere a perda de dois pênaltis, que o Sport supere as recorrentes derrotas e consiga permanecer na série A. Voltando à política, desejo muito sucesso ao amigo Diego Bezerra, novo coordenador da CIRETRAN de Santa Cruz do Capibaribe. 

​​QUEM GANHOU? – A peitica Moraes/Vieira acirrou os ânimos dentro do grupo de situação. Já se escuta nas rodas de conversa da cidade a tradicional pergunta feita nos debates durante as campanhas: Quem ganhou o embate? Outra coisa que se escuta é: Se eu perder meu cargo, também ganho um desabafo do prefeito no rádio?​

MAR EM FÚRIA – A verdade é que as águas do mar azul já foram mais tranquilas. A tempestade Moraes deixou muita gente à deriva e sem saber para onde nadar. Espera-se que os próximos dias sejam de bonança. Se o mau tempo persistir, melhor vestir aquele coletinho AMARELO de salva-vidas e decidir a hora certa de pular do barco.

REASSINATURA – O Governador Paulo Câmara veio terça-feira (31), para cerimônia de reassinatura da ordem de serviço para retomada da duplicação da BR 104 que parece que vem de ré, nunca vi demorar tanto pra ficar pronta. O evento foi realizado às margens da BR, sem sinal de celular e internet. Provavelmente para evitar articulação de protestos. Pelo menos lá não tinha Rio por perto pra jogarem os cartazes.​

CARTAZ PROMOCIONAL – Agora que os dois principais grupos políticos de Santa Cruz fazem oposição ao governador Paulo Câmara, seria natural encontrar no bazar promoção de placas: Não queremos suas migalhas! Pague uma e leve duas, você escolhe se quer na cor azul ou vermelho. 

PALMÔMETRO – O aferidor de palmas durante a assinatura da ordem de serviço estava ligado e detectou que poucos políticos da região estão em alta. Detectou também que tem Minino precisando de umas palmadas para deixar de birra.

A FORÇA DA REDE – Nem PSB nem PSDB, forte é o rapaz da REDE de Pão de Açúcar. Nem na vinda do Governador Paulo Câmara ele retirou as redes armadas na entrada do distrito que tomam a visão dos motoristas que saem com destino a Taquaritinga e Paraíba.

TAPAS – O tapa-buraco da PE 160 avançou ainda mais da entrada da cidade até a ponte nova e surpreendeu a população que de tão acostumada com as crateras, ainda cai em buracos imaginários. Os condutores insistem em levar os carros para mecânicos consertarem suspensões boas e escutam batedeiras no carro que não existem. Outubro foi o mês do tapa. Taparam os buracos de minha rua, taparam até os formigueiros da beira da PE 160 e muita gente levando tapa de luvas.

SEM CONVITE – Alguns vereadores de Santa Cruz não foram convidados para visitação dos engenheiros na central de feiras e reclamaram.  A justificativa para o não convite a uma determinada figura foi o sol forte que poderia prejudicar a pele. Que tem gente tentando salvar a própria pele está claro. Só não me venham com um auxílio protetor solar. Inclusive, a coerência foi mantida, pois quem disse que o sol estragaria a pele estava lá na assinatura da ordem de serviço da duplicação da BR 104 de boné, claramente para se proteger do sol.

REDUÇÃO – O Advogado André Tadeu entrou com uma ação popular para reduzir o salário dos vereadores, entrou com outra ação para reduzir o salário ainda mais, entrou com mais uma ação para reduzir o auxílio alimentação e agora entrou com uma ação para reduzir o número de vereadores. O que vai sobrar para Tadeu tentar reduzir na próxima ação popular?

“Não me queiram mal. Apenas pensem nisso, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido.”

.

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

31
outubro

Artigo – Por Maurício Romão

O PARADOXO DA REFORMA POLÍTICA

 

No bojo da revisão estava previsto, inclusive, um chamamento aos eleitores para decidirem, em plebiscito, quais seriam a forma (república ou monarquia) e o regime de governo (presidencialismo ou parlamentarismo) que deveriam vigorar no Brasil.

Como imaginar, dizia-se à época, uma mudança radical no arcabouço político-institucional do país sem uma grande alteração nas regras de voto, nas legislações eleitorais, nas organizações partidárias, etc.?  Tudo isso pressupunha uma profunda “reforma política”. Daí a origem do termo.

Após o plebiscito os debates sobre “reforma política” continuaram na ordem do dia e foram pauta das últimas seis legislaturas, começando com a de 1994-1997.

As temáticas abordadas no Congresso sob esse rótulo de reforma política -modificações na legislação eleitoral, na legislação partidária e no sistema de voto – configurariam mais propriamente uma reforma eleitoral. Entretanto, os meios de comunicação e a informalidade se encarregaram de dar aos dois conceitos o mesmo significado.

Um traço distintivo comum das mencionadas legislaturas, todavia, foi o de que grande parte do debate era despendida na tentativa de substituir o sistema proporcional de lista aberta vigente no país, identificado equivocadamente como o grande causador das crises que assolam a nação.

Registre-se, contudo, que tal debate se deu sem que tenha havido discussão mais aprofundada sobre o mecanismo em uso, cuja versão atual é praticamente a de 1945.

Como nas sucessivas legislaturas os modelos tradicionais (proporcional de lista fechada e os majoritário-distritais), candidatos a substituir o de lista aberta, não angariavam adeptos suficientes para aprovação, os parlamentares começaram a buscar alternativas em esdrúxulas propostas de variantes desses sistemas.

Nesse laboratório de experimentos apareceu de tudo: desde as mutações no proporcional (misto, misto em dois turnos, misto flexível, lista fechada, esta nas versões bloqueada, flexível e livre), passando por aquelas no majoritário-distrital (puro, misto e proporcional) e desembocando no majoritário-distritão (convencional, misto e proporcional).

Não é de estranhar que nenhuma das extravagantes sugestões encontrou respaldo suficiente no Congresso e as poucas (versões originais) que chegaram a plenário foram derrotadas no voto.

Mas esse foco magnificado na substituição do modelo eleitoral resultou numa associação de todo espúria: reforma política, praticamente, passou a ser identificada com mudança de sistema eleitoral: se a legislatura terminasse sem conseguir trocar de sistema de voto, não teria havido reforma política.

Tudo isso não obstante as relevantes mudanças nas legislações eleitoral e partidária acontecidas desde a revisão constitucional de 1993, derivadas do próprio Congresso e mais recentemente do Judiciário.

Agora mesmo, neste ano de 2017, os parlamentares, além da instituição de cláusula de desempenho partidário, promoveram a mais importante modificação no sistema de voto proporcional desde os seus primórdios (claro que só se voltaram para aperfeiçoar o modelo em uso depois de fracassadas as tentativas de impor o famigerado distritão).

Trata-se do fim das coligações proporcionais (2020) e da abertura para que todos os partidos possam disputar sobras de voto (2018), mesmo que não tenham atingido o quociente eleitoral. Com essas duas correções, o modelo vigente fica depurado de 90% de suas deformações.

Ainda assim, a sensação geral é a de que não houve reforma política, ou a de que ela foi irrelevante, cosmética, pífia. Daí a frustração coletiva…

Também pudera, nem bem foram publicados os textos da reforma de 2017 e o presidente do Senado já anuncia que vai destravar na Casa, nesses próximos dias, a antiga proposta de modelo distrital misto para eventual implantação em 2020.

A história se repete, mas com requintes perversos de uma grande tragédia…

.

*A expressão “reforma política” passou a ser empregada no país no âmbito das discussões da revisão constitucional de 1993 (Jairo Nicolau, Representantes de quem?, Zahar, 2017).

 

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

31
outubro

As curtinhas do Romenyck Stiffen

O homem de gelo!

Sangue frio – Não é de hoje que o deputado Estadual Diogo Moraes (PSB) mostra que faz política com sangue frio. Após oito anos, a história política se repete com Moraes e a estratégia adotada parece que será a mesma: mostrar tranquilidade, união com a principal liderança do grupo e que é o candidato do mesmo.

2010 – Na eleição de 2010, Diogo era vereador do grupo taboquinha, mas as vésperas das eleições tiveram uma quebra de braço com o líder do grupo, José Augusto Maia (Podemos). Maia não apoiava a candidatura de Moraes, contudo Diogo montou uma estratégia com seus aliados de não agredir Zé em público, tentado transparecer que era o candidato do grupo. A referida estratégia deu certa e as urnas foram generosas para Moraes.

2018 – Estamos às vésperas da eleição de 2018, Diogo é deputado estadual do grupo Boca Preta e, devido à conjuntura politica estadual que se desenha, o mesmo se encontra em uma quebra de braço com o líder do grupo, Edson Vieira (PSDB). Moraes aponta que montará a mesma estratégia política de 2010: não agredirá Edson em público e irá transparecer que é o candidato do grupo. Resta saber se a estratégia dará certo e as urnas serão generosas dessa vez.

Amenizando – Como um homem de gelo, Diogo Moraes vem tentando amenizar os desabafos do prefeito Edson Vieira contra o governador Paulo Câmara (PSB), assim como os desabafos dos aliados políticos do prefeito nas redes sociais.

Sinuca de bico – A postura política de Diogo, neste momento, deixou o prefeito Edson Vieira e seus aliados em uma sinuca de bico, ou seja: bater em Moraes é vitimá-lo para as eleições de 2018, assim com Zé fez em 2010.

.

As informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

Notícias Anteriores


 




error: Copiando nosso texto?