17
agosto

As curtinhas do Romenyck Stiffen

A DENUNCIANTE

Comum – Sempre relatamos as constantes denúncias que vereadores de oposição em Santa Cruz do Capibaribe fizeram e fazem contra diversos setores do Governo Vieira.

Surpreendente – Contudo, na Sessão Ordinária da Câmara de Vereadores da última quinta-feira (17), a vereadora situacionista Jessyca Cavalcanti (PTC) surpreendeu a todos e fez uma grave denuncia contra o oposicionista e líder do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) no município, Joab do Oscarzão (PSD).

A denúncia – Jessyca protocolou na quarta-feira (15) uma denúncia contra o vereador Joab Gomes por supostas cobranças irregulares a integrantes do MTST do município. A denúncia no Ministério Público Federal também envolve a esposa do vereador, Vanessa Oliveira Batista.

Justificativa – Tanto o vereador Joab, quanto sua esposa Vanessa, se dizem tranquilos em relação à denúncia feita por Jessyca. O vereador justificou, na tribuna, que a denúncia é uma perseguição política, já que o mesmo deixou recentemente a base do governo Vieira e virou “uma pedra no sapato do prefeito”, contudo, o parlamentar afirmou que não “irão lhe calar”.

Defesa indireta – Afirmando que eram necessárias as explicações de Joab, vereadores de oposição a exemplo de Ronaldo Pacas (PR), Marlos da COHAB (Podemos) e Ernesto Maia (PT) fizeram uma espécie de defesa indireta.

Cobranças – Os vereadores acima citados mostraram surpresos com Jessyca apresentando uma denúncia na Câmara, pois segundo os mesmos, a líder do governo não traz as respostas devidas quando acusações são feitas contra o prefeito Edson Vieira (PSDB) ou em relação a setores do Governo. Uma das explicações mais cobradas dos parlamentares foi em relação aos investimentos que são feitos em relação à taxa cobrada no Calçadão.

Sem justificativas – Uma coisa é certa: não é novidade na política de nosso município uma denúncia ser respondida por outra ou uma cobrança ser respondida por outra, contudo, poucas explicações concretas são dadas para população. As insinuações são constantes, mas o “POVO” é sempre o último a saber.

.

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

15
agosto

Resumório! – A coluna do Professor Tenório

​RESUMÓRIO 

 

MESMO DIA – As vindas de Armando Monteiro e Paulo Câmara a Santa Cruz do Capibaribe na última sexta-feira chamou a atenção de quem gosta de política. Pena que os eventos, à noite, foram no mesmo horário, só deu para acompanhar um pouco de cada.  Foi feito Calcinha Preta e Limão com Mel nos showmícios de antigamente. Teve de ser um pé lá e outro cá. Foi ruim, porque não tinha as bandas, mas foi bom, porque era mais perto. 

DANÇA DAS CADEIRAS – Os eventos das majoritárias não conseguiram juntar grande público. Tinha mais cadeiras do que eleitores, fato. Se eu não disser que no azul tinha mais gente do que no amarelo vão ficar com raivinha, como diz o meu amigo Ralph. O silêncio é um recado, a ausência também.

COMEÇO E FIM – Começo de campanha é desanimado feito namoro antigo. Os principais postulantes ao governo do estado estiveram em Santa Cruz no último fim de semana, mas a receptividade popular não foi das mais empolgantes. Pouco público nos eventos, mas é sempre assim. Depois que tocarem a lambadinha e Hildo Teixeira gritar o famoso “Vai começar tudo de novo”, pode arrumar cadeira que o povo vai!

FELIZ DA VIDA – Apesar do pouco público, o Governador Paulo Câmara deve ter saído muito feliz daqui. Não teve garotinha pegando microfone pra reclamar até do vento, não teve cartaz de protesto, não teve faixa rasgada e jogada no Riacho Tapera nem ameaça de vaia. Ou seja, foi um sucesso!

BARRIGA QUASE CHEIA – Armando Monteiro deve ter saído satisfeito da cidade também, com um pouco de fome talvez. Ele quis almoçar com Zé Augusto, jantar com Edson Vieira e lanchar com Fernando Aragão. Ficou sem lanche. Depois de um tempo sem aparecer e dizer que não precisa bater cartão em Santa Cruz, apareceu e o acesso ao seu telefone provavelmente ficou mais fácil.

ADESÕES – O final de semana foi marcado por adesões e apresentações dos candidatos dos principais grupos políticos. Entre as adesões ao deputado Diogo Moraes, também merece destaque o assessor de um dos vereadores aderentes, conhecido como “Ministro das vaias”, o maior articulador de vaia para políticos da região. Mais uma importante adesão foi a do vereador Vânio Vieira, GRAVEM esse nome. 

CASOS DE FAMÍLIA – Um aspecto curioso de nossa política são os casos de família. De um lado, tio e sobrinho estão separados. Do outro, tio e sobrinho se reencontraram politicamente e estão juntos. Zé e Ernesto e Diogo e Fernando foram destaques nas adesões e “desadesões” da semana.

EM RESUMO – Muito fácil resumir a movimentação política do fim de semana, principalmente no que diz respeito às adesões. Só basta uma frase que nunca morre na política: “Quem era ruim ficou bom e quem era bom ficou ruim”. Simples assim.

AMARELOU – A Cohab possui dois vereadores e ambos estão no projeto político do deputado Diogo Moraes. A responsabilidade para os parlamentares é grande, pois estranho será se o deputado não for majoritário naquele bairro. Pra mim, era para as adesões terem sido anunciadas antes da Copa do Mundo, para amarelar tudo de vez! Seriam as ruas mais em clima de copa da cidade.

LARANJINHAS – O grupo que vem se formando em Santa Cruz, em torno das adesões ao projeto político de Diogo Moraes já recebeu algumas sugestões de nomes para o batismo. Assim como Zeus Augusto mudou o nome do grupo de Cabecinha para Taboquinhas quando trouxeram água de Tabocas, sugeriram colocar o nome do grupo “Piranginhas”, referência à adutora do Pirangi. Depois de tantas adesões de políticos do lado vermelho, outra sugestão é batizar de “laranjinhas”. Laranja é o resultado da mistura das cores amarela e vermelha.  ​

NO BREJO NÃO – Entre as muitas ações movidas pelo advogado André Tadeu para baixar salários de secretários, prefeitos e vereadores na região, a do Brejo da Madre de Deus para baixar salários dos vereadores teve a liminar negada por juiz de primeira instância.  Em caso de manutenção da decisão, tragam a turma do Brejo para ajudar os companheiros parlamentares desse lado do rio na condução do processo de reajuste salarial, pois estão precisando. Pelo menos no Brejo, vereador não precisa alugar box no Moda Center para amenizar as consequências da perda salarial causada por Tadeu.

ACAPULCO É AQUI – Duplicação da PE 160, asfaltamento de várias ruas, água nas torneiras de diversos bairros, eletrificação rural, creches, escola, conjunto habitacional… Tudo lindo e maravilhoso! Se continuar assim após o período eleitoral, o Chaves e toda a turma da vila não vão mais para Acapulco. Virão todos para cá.

AS MAIS COMENTADAS – Confusão em Mala da 29, grito de golpista em discurso de candidato ao senado, ou eles ou eu, fala em cima do palanque diferente da combinada embaixo, celular de figura importante desaparecido, retirada de candidatura, mais exoneração em escola do estado… Essas foram algumas das situações mais comentadas nos bastidores. Na política, a gente aprende a não acreditar em tudo e não duvidar de nada. Como as fontes são duvidosas, não detalharei os assuntos. Resta saber o que é verdade, o que não é verdade e como cada um conta a história.

MUITO GROSSO – Pelo menos uma das versões eu contarei, em consideração aos leitores. Sobre a confusão na Mala da 29, disseram que o pai de um candidato foi rude com um militante político que não votará em seu filho. Ele foi mais grosso do que a camada de asfalto que estão colocando no perímetro urbano da PE 160. Há quem diga que o militante só se sente seguro para andar na rua acompanhado da Major Conceição.

 

Não me queiram mal. Apenas pensem nisso, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido.”

As informações e opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

10
agosto

As Curtinhas do Romenyck Stiffen

A promessa!

 

Tem história: Há 18 anos o senador Armando Monteiro (PTB) iniciou uma história politica com grupo Taboquinha, especialmente com o ex-prefeito de José Augusto Maia (PTB). Essa história rendeu bons frutos para ambos.

Frutos: Podemos destacar como frutos dessa parceria: Para os taboquinhas o Comado da prefeitura de 2000 a 2012 (dois mandatos de José Augusto Maia e um de Toinho do Pará (PSB)), cadeira na assembleia legislativa por dois mandatos (Toinho do Pará). Enquanto isso, Armando se tornou majoritário em todas as suas disputas na cidade, Deputado Federal (2002 e 2006), Senador (2010) e Governo (2014).

2010: Em uma eleição atípica, a candidatura de Armando ao senado em 2010 teve o apoio coeso dos dois grupos políticos da cidade, sendo liderado esses apoios por José Augusto Maia, candidato a federal a época, e Edson Vieira (PSDB), candidato a deputado estadual a época.

2012: Em 2012, dois anos após ter recebido apoio dos dois grupos políticos, Armando se posicionou nas eleições municipais ao lado de Zé em uma disputa contra Edson Vieira.

Chateação: Apesar de vencer as eleições de 2012, o prefeito Edson Vieira apresentou muita chateação em relação ao comportamento de Armando, pois existia um suposto acordo de bastidores, que não foi levado ao público na época, de que o senador haveria prometido neutralidade nas eleições de 2012.

Novamente: Armando Monteiro é candidato ao Governo do Estado em 2018 e novamente terá o apoio de Zé Augusto Maia e Edson Vieira. Contudo, desta feita, Armando afirmou de forma pública, a imprensa, que não terá lado nas eleições municipais em 2020.

Reação: O tempo e as urnas dirão como o eleitor Taboquinha e Boca Preta irão reagir em relação a esse posicionamento de Armando Monteiro.

/

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

08
agosto

Resumório! – A coluna do Professor Tenório

​RESUMÓRIO

 

MAIS DO QUE DEVERIA – Se existe uma coisa que não falta em Santa Cruz do Capibaribe é grilo, muriçoca, escorpião e políticos da cidade disputado cargo eletivo em 2018.  Na verdade, eles sempre existiram, o problema é que tem mais do que deveria. Uns a gente mata com veneno, outros, não votando. Por incrível que pareça, está saindo dessa lista os tão falados buracos do perímetro urbano da PE 160. Em seu lugar, colocarei cachorros de rua. Tem um bocado também por aqui.

CONVENÇÕES – Final de semana recheado de convenções na capital pernambucana. Muitas caravanas saindo do interior para idolatrar político! O valor gasto em gráfica e em fogos de três tiros lá, daria para cumprir todo o plano de governo mentiroso deles. Daria até para encanar água do Rio Nilo, no Egito, para o Nordeste e acabar de vez com a indústria do voto com a seca.

FOI PORQUE QUIS – Os santa-cruzenses eleitores, militantes e simpatizantes dos principais pré-candidatos ao governo do estado de Pernambuco foram ao Recife no último fim de semana para vê-los de perto. Próxima sexta-feira serão eles que virão ver o povo. Armando Monteiro e Paulo Câmara estarão na cidade juntamente com pré-candidatos ao senado e câmara federal. Importante começar as movimentações políticas por onde o povo é mais apaixonado.

BRIGA – A maior prova da paixão política do pessoal aqui não é já terem brigado na justiça para usar a imagem do falecido Eduardo Campos em suas campanhas. A maior prova será, se for confirmada essa peleja de bastidores, disputar quem tem mais moral com Armando Monteiro. Aí é paixão rocha feito o saco do outro que depois mudou de cor.

VAI COMEÇAR TUDO DE NOVO – O povo já estava era com saudade do clima político nas ruas. As convenções foram um aperitivo. Eleição é o carnaval de quarenta e cinco dias sem custo para o eleitor-folião. Na verdade, existe um custo e é bem alto, só que a conta vem depois e a gente acaba pagando a vida toda.

IRONIAS – Dizem que a pré-candidata ao governo de Pernambuco, Marília Arraes, sofreu um golpe com a retirada de sua candidatura. Um golpe arquitetado pelo partido que sofreu O Golpe. Curiosamente, nem o maior entusiasta da campanha da neta de Arraes em Santa Cruz irá votar nela para deputada federal. Isso porque Ernesto Maia também será candidato a deputado federal. O suplente que assumiria o lugar de Ernesto na câmara municipal, em caso de eleição dele para Câmara Federal, também não vai votar nele pra federal. Cômico, trágico ou irônico?

DE MENTIRINHA – Só falta oficializar a desistência de uma das três pré-candidaturas de mentirinha mais badaladas dos últimos tempos. A de Marília Arraes foi a mais traumática até o momento. Fizeram muitos acreditar que era de verdade e, se fosse, ela teria total condição de ser eleita governadora de Pernambuco. A de José Augusto Maia já era dada como certa, não surpreendeu ninguém. Nem a desistência, nem o discurso enfadonho e repetitivo. Agora só falta a de Lula.

PRECIOSO – O Fantástico desmascarou um esquema de compra de premiações pagas com recursos públicos por prefeitos, vereadores e secretários. A reportagem comprovou a denúncia incluindo até um jumento entre os melhores prefeitos do Brasil. O jumento chamado Precioso prestou um grande serviço ao país, mostrando como estão tratando os recursos públicos e deixando toda a população atenta para esse descaso com o uso do nosso dinheiro. Os políticos não, mas a premiação de Precioso é merecida.

PREMIADOS – São incontáveis os prefeitos, vereadores e secretários de Santa Cruz e região agraciados com a premiação de melhor alguma coisa. O problema foi com aqueles que pagaram a honraria com recursos públicos. Alguns já se pronunciaram, dizendo que foi inocência, que não sabia, que foi enganado blá, blá, blá, blá. Destaque para o prefeito de Taquaritinga do Norte, Ivanildo Lero, que reconheceu o erro, se desculpou e já devolveu o valor gasto para a conta da prefeitura.

TINHA DE SER – Quando é para dar errado, não tem jeito. Existem milhões de espécies na natureza e a reportagem do Fantástico acha de escolher logo um jumento para receber o prêmio de melhor prefeito do Brasil. Poderia ter sido um cachorro, um gato ou até um peixinho, mas preferiram um jumento. Parece até que tem santa-cruzense Taboquinha dando dica a galera da produção do programa.

REFAZENDO AS CONTAS – O gasto com a premiação de “faz de conta” vai além do que consta como despesa de inscrição para receber a vergonhosa medalha e o diploma. Muitos levaram integrantes da pasta para receber o prêmio. Refeição, deslocamento e publicidade com o título nem estão sendo questionados. Mas enfim, fica a lição e o constrangimento, para quem se constrangeu, claro.

FORÇA DA REGIÃO – Santa Cruz do Capibaribe emplacou 5 pré-candidaturas a deputado estadual, três a federal, isso mesmo, apareceu mais uma da semana passada para hoje, e uma para vice-governador. Taquaritinga do Norte para não ficar atrás, terá uma vereadora como suplemente de senador. Como dizem os meus amigos Canalhas: O bom no bom é bom demais!

QUEDAS – Há quatro anos caiu o avião com Eduardo, este ano caiu a candidatura de Marília Arraes. Só faltava cair no colo de Paulo Câmara mais um mandato de governador. A queda de braço com os integrantes do PT estadual ele já venceu, agora só resta esperar pelas urnas.

.

Não me queiram mal. Apenas pensem nisso, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido.”.

As informações e opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

06
agosto

Artigo – Por Adriano Oliveira

CAMPANHA E EMOÇÃO

 

O desafio da análise e das estratégias eleitoral e política é a superação da emoção. Isto é possível. Mas não é ato corriqueiro. A emoção causa ilusão eleitoral. Vencedores de hoje não serão os vencedores do amanhã. Os perdedores de agora serão os vencedores do futuro. Tais frases servem de alerta às vésperas da eleição.

Eleitores emocionados desprezam a razão. Podem ser míopes. Inerente à emoção/sentimento estão a paixão, a raiva, a vingança política e o perdão. Estas orientam o eleitor. Uma das funções dos estrategistas é provocar as emoções dos eleitores. E, por consequência, a sua miopia eleitoral. Eleitores emocionados representam “perigo”. Tendem a fazer escolhas aparentemente equivocadas. Porém, podem representar um trunfo para um candidato que hoje não seja favorito, por exemplo.

O eleitor apaixonado gosta do candidato e não tem explicação para justificar o seu gostar. Ele gosta e pronto. Não adianta revelar os “podres” dele. A raiva eleitoral surge por alguma promessa descumprida por parte do competidor. Ou por algum ato do candidato que o eleitor reprova.  A vingança eleitoral pode advir da raiva. Eleitores querem se vingar porque estão decepcionados ou contrariados. Eleitores que querem vingança criam conjuntura favorável para candidatos de oposição.

Eleitores perdoam. A razão também aqui não está objetivamente posta. Eles olham para o incumbente e compreendem os seus argumentos. Aceitam as suas desculpas. Por consequência, decidem dar nova chance. Por exemplo: “Reconheço que prometi. Mas não fiz em razão das dificuldades existentes. E você sabe: Todos nós temos dificuldades que precisam ser superadas”.

O estrategista, através de pesquisas, em particular qualitativas, precisa identificar, com bastante antecedência, mas ainda dá tempo, quais os emoções/sentimentos dos eleitores para com os competidores.  Os sentimentos presentes no eleitorado revelam, antecipadamente, como poderá ser a escolha do eleitor.

O melhor dos mundos é um eleitor emocionado. O pior dos mundos é um eleitor sem emoção. Não estou a defender a enrolação política. Apenas, estou lidando com o realismo eleitoral. Estratégias bem feitas precisam incentivar e reforçar as emoções dos eleitores. Entretanto, uma observação: Eleitores têm direito a se emocionar. Políticos e estrategistas não têm./

 

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

01
agosto

Resumório! – A coluna do Professor Tenório

​RESUMÓRIO

 

CAPITAL DAS CARREATAS – Em Santa Cruz do Capibaribe, já teve carreata de máquinas com pedra de calçamento, com canos, de usina asfáltica e outras que não lembro neste exato momento que escrevo. Pois bem, a última aquisição para a história de nossas carreatas desnecessárias foi uma carreata de ambulâncias e carros para Secretaria de Saúde. Já não bastam as peças publicitárias nas redes sociais, tendinha para discursos, aplausos, fogos de três tiros e os demais detalhes que já fazem parte do ritual, a satisfação é fazer uma carreata.

CAPITAL DAS CANDIDATURAS – Nunca antes na história das eleições se viu tanto suspense para definição das candidaturas. No meio das definições e indefinições, Santa Cruz do Capibaribe ganha destaque estadual, nacional, internacional, talvez até intergaláctico. Pelo andar da carruagem teremos, só de filhos da terra, dois pré-candidatos a deputado federal, cinco a deputado estadual e um possível vice-governador. O ex-vereador Luciano Bezerra está cotadíssimo para ser o vice de Júlio Lóssio.

CHAPA LOCAL – Para não ser surpreendido mais uma vez, procurei saber se ninguém da cidade tem interesse disputar vaga no senado. Só assim a gente já fechava uma chapa 100% local. Será que estão dando desconto no cinema, Dotz ou oferecendo milhas aéreas para candidatos e eu não estou sabendo? Alguma coisa deve ter, nem que seja um cuscuz com bode na feira de Cacimba de Baixo todo fim de semana, não é possível.

FILHOS DA COSTUREIRA – Queira ou não queira tudo indica que teremos mais um pré-candidato a deputado estadual filho da terra e também filho da costureira. Trata-se de Agnaldo Xavier, irmão da também pré-candidata Alessandra Vieira. Se a família tiver grupo de whatsapp, esta semana ele foi movimentado…

ESTÁTUA – Se o Secretário de Saúde, Dr.  Nanau, conseguir resolver os históricos problemas de muriçoca e das filas para marcação de consultas e exames na frente de sua secretaria, ele merece uma estátua em praça pública. Ele está fazendo um bom trabalho na pasta, mas a gente quer aquilo que para os prefeitos e secretários anteriores foi impossível, sobrenatural, de outro mundo, improvável…

EMP – O Estilo Moda Pernambuco 2018 foi indiscutivelmente um sucesso! É só preciso avisar ao povo daqui que quem deve aparecer num desfile de moda é a coleção, o produto, a marca. Não precisa sambar na passarela! Parece legal, divertido, mas no fundo no fundo, não é o que o público vai assistir.

DESPULOU – Se a flecha lançada e as palavras ditas não voltam, o mesmo não podemos dizer com os apoios a projetos políticos em Santa Cruz do Capibaribe. O gordinho do Jiu-jitsu pulou para o projeto político do deputado Diogo Moraes e recentemente despulou. Provavelmente deve desdizer o que disse sobre o deputado e sobre o ex e agora atual aliado, o prefeito Edson Vieira. Há quem diga que mais gente vai despular também. Não sei que tipo de amor motivou o despulo, só acho que não foi saudade!

ASSALTO A CAIXA 2 – O segundo Assalto a agência da Caixa de Santa Cruz num intervalo de quatro meses mostrou que quem tanto critica político corrupto segue seus passos direitinho. Levaram dinheiro que os ladrões deixaram para trás. A notícia que já era negativa para cidade, ganhou a cereja que faltava com essa “apropriação indébita”. É o que chamamos de ruim piorado. Tem cara desse pessoal ter gostado do assalto ao banco.

RIFA-SE – Rifa-se não pelas três finais da Loteria Federal, no mês de agosto, uma candidatura legítima, autêntica e competitiva. Comenta-se em blogs da capital que a pré-candidatura de Marília Arraes foi rifada pelo PT. Se for verdade, não quero nem imaginar como estará o humor da neta de Arraes nas suas próximas entrevistas.

ALEGRIA E TRISTEZA – A situação de Marília ainda não está oficializada, causando aflição em muita gente. Deveriam resolver logo, para os que torciam contra começar a mangar logo e os que torciam a favor mergulharem no mar de tristeza e revolta. Confirmada a não candidatura dela, podemos concluir que o PSB de Pernambuco está se especializando em Golpe, dessa vez, de mestre.

NAMORO – A paquera entre PT e PSB de Pernambuco parece que dessa vez virou namoro. E Lula, que já disse tanta coisa, falou o que? Parece que não recebeu nenhuma visita ilustre esta semana.

DIRETO DA REDE – Essa situação do PT em Pernambuco tá tão complicada que vou começar a chamar o partido de “minha ex”.

.

Não me queiram mal. Apenas pensem nisso, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido.”

;

As informações e opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

31
julho

Artigo – Por Adriano Oliveira

É POSSÍVEL FAZER PREVISÃO ELEITORAL?

 

São raros os políticos que gostam da previsão eleitoral. Mas existem os sábios políticos que sabem fazer previsões e gostam delas. Diversos estrategistas relegam as previsões. Vários acadêmicos também. É possível fazer previsão eleitoral? Respondo que sim.

A previsão eleitoral é ato árduo, mas não impossível. E deve ser praticado. Pois é a previsão que possibilita a escolha ótima e subótima por parte do ator político. Candidatos e analistas, inclusive acadêmicos, utilizam a variável Intenção de voto como instrumento para previsão. Ao fazerem isto podem estar construindo previsões equivocadas.

A pesquisa qualitativa é o instrumento inicial para a boa previsão. Quais os sentimentos dos eleitores? Quais emoções determinados candidatos despertam? O que incentivam a escolha do eleitor? Quais os apoios de atores proporcionam o voto em dado competidor? Qual apoio político e temas retiram votos do candidato? As respostas advindas destas perguntas possibilitam a boa previsão.

Destaco que: Mesmo que o candidato esteja com reduzida Intenção de voto no momento da pesquisa qualitativa é possível criar estratégias através dos dados qualitativos e alavancar a sua candidatura. Por outro lado, é possível que o crescimento do competidor seja quase impossível.

Os dados quantitativos também conduzem a boa previsão. E eles devem ser interpretados concomitantemente com os dados qualitativos. No questionário da pesquisa quantitativa, os preditores do voto precisam estar presentes. Os preditores devem ser monitorados sistematicamente. Se eles mostrarem regularidade por um dado período, eles adquirem força de prever o resultado da eleição.

O ponto fundamental da previsão é a estratégia. Esta advém das pesquisas qualitativas e quantitativas. Se o estrategista descobre previamente que a estratégia X incentiva o eleitor a votar em Pedro Alvares Cabral para presidente ou governador, esta estratégia deve ser utilizada, pois tem o poder de conquistar eleitores, e adquire poder de previsão. Isto significa que a boa previsão nasce da compreensão da estratégia que será ou poderá ser utilizada pelo competidor.

Atrelados à boa previsão estão os cisnes negros, os acasos. A previsão não lida com eles. Mas estes existem.  Portanto, estrategistas e políticos devem considerá-los.  Entretanto, existem os cisnes cinzas, os quais são previsíveis, mas não são identificados previamente em razão da miopia dos atores. E a miopia eleitoral é a maior inimiga da previsão.

/

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

26
julho

Artigo – Por Maurício Romão

“O OUTRO ERA ELE MESMO”

 

Disse o coronel Aureliano Buendía, em “Cem anos de solidão”, que a diferença entre liberais e conservadores em Macondo era a de que os liberais iam à missa das cinco horas e os conservadores iam à missa das sete…

Vivesse no Brasil, diante de partidos tão inorgânicos, o coronel ia repetir algo parecido sobre os rótulos de esquerda e direita em terras tupiniquins.

Considere-se a tabela acima (são 5.565 os municípios brasileiros). Nela têm-se quatro partidos que se auto-intitulam de “esquerda”, PPS, PDT, PSB e PT. Há também listados três partidos carimbados como mais direitistas, pertencentes ao “centrão”: PP, DEM e PR.

Os dois “campos” não tiveram nenhum prurido programático e danaram-se a fazer alianças entre eles em 2012 (se atualizada a tabela para 2016, os números devem ser bem parecidos).

Tome-se o PT, a sigla que mais simboliza o “campo” de esquerda, à guisa de exemplo. Só com o PP os petistas fizeram coligação em 1.531 municípios (27,5% dos municípios).

E o que dizer das alianças do PT com o seu oposto, sua antítese, o “centrista” PSDB? Juntaram-se em 20,2% dos municípios. E com outro centrista, hoje inimigo mortal, o eclético PMDB? Mancomunaram-se em mais de 2 mil municípios (36,4%).

Em uma crônica escrita em setembro de 1878, intitulada “Coligações”, Machado de Assis disserta sobre a aliança entre dois partidos na comarca de S. Vicente, de cujo texto são extraídas as seguintes passagens:

“Dizem os alemães que duas metades de um cavalo não fazem um cavalo. Por maioria de razão se pode dizer que metade de um cavalo e metade de um camelo não fazem nem um cavalo nem um camelo”.

No caso dos dois partidos, continua ele: “…ignoro o modo pelo qual as duas metades dos dois programas foram coladas às metades alheias. …O ponto mais obscuro deste negócio é a atitude moral dos dois partidos, a linguagem recíproca, as mútuas recriminações. Cada um deles vê no adversário metade de si próprio. O nariz de Aquiles campeia na cara de Heitor. Bruto é o próprio filho de César. …Nenhum deles podia acusar o outro de se haver ligado a adversários, porque esse mal ou essa virtude estava em ambos; não podia um duvidar da boa-fé, da lealdade, da lisura do outro, porque o outro era ele mesmo, os seus homens, os seus meios, os seus fins”.

A crônica em setembro agora faz 140 anos…

.

As informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

25
julho

Resumório! – A coluna do Professor Tenório

DIA ESPECIAL – Hoje é sem dúvidas um dia especial para mim. Coincidentemente, também é dia da coluna Resumório, um trabalho que faço cheio de alegria. Não posso deixar despercebido a felicidade que sinto. Mesmo sabendo que para muitos é um dia como outra qualquer, faço questão de falar e comemorar, pois o que é bom precisa ser compartilhado com os outros. Me sinto tão feliz no dia de hoje que dá vontade de aproveitar até ficar bêbado, girando e vendo o mundo girar. É um momento de esquecer as críticas e piadas que já fiz e simplesmente desfrutar. Sim, antes de alguém achar que estou falando de meu aniversário, que também é hoje, estava me referindo a felicidade de ver o giradouro que não girava de nossa cidade ser liberado para ser girado, mesmo que durante um curto período de tempo. Mas já que se tocou no assunto, obrigado a todos que me felicitaram no dia de hoje!

URUCUBACA – Recentemente, aconteceram dois acidentes automobilísticos, um com o irmão do deputado Mendonça Filho e outro com o deputado Ricardo Teobaldo. Os pré-candidatos Maias estão salvos dessa urucubaca. Ernesto, porque só faz campanha virtual e Zé, porque não sai de casa. Às vezes, titio e sobrinho estão apenas se protegendo do mal, enquanto as pessoas ficam criticando suas formas de fazer política.

BOM OU RUIM? – O governador Paulo Câmara consegue a façanha de ser considerado bom e ruim num raio de poucos quilômetros. Ele é bom em Toritama, Taquaritinga do Norte e em Brejo da Madre de Deus. Quando chega em Santa Cruz é ruim, mas já foi bom. Agora a pergunta que não quer calar é: Foi ou é bom ou ruim para quem?

MILITÂNCIA CONFUSA – Armando Monteiro deixou uma galera confusa aqui em Santa Cruz quando depois do possível rompimento com Bruno Araújo. Era ruim, ficou bom, mas já estava ficando ruim outra vez. Com o apoio ao palanque de Alckmin e a permanência de Bruno Araújo na frente de oposições, parece que ele vai permanecer sendo bom, pelo menos por enquanto. Isso deixa a militância confusa, sem saber o que falar e o que escrever nas redes sociais.

CHANTAGEM – Bruno Araújo, além de sair do grupo de WhatsApp da frente das oposições, deve ter dito que além de romper, iria bloquear Armando no face book e deixar de segui-lo no Instagram. Não deu outra, reconciliação decretada e militância sossegada para se expressar sem constrangimento.

DINHEIRO, PODER E WHATSAPP – Diz o velho ditado popular, quer saber quem são as pessoas? Dê poder e dinheiro a elas. Atualizando o ditado, ficaria assim: Quer saber quem são as pessoas? Dê poder, dinheiro e seja rebelde num grupo de WhatsApp. Quando se agita um grupo de WhatsApp, os integrantes ficam contagiados pelo vírus da sinceridade ou hipocrisia e a anarquia está feita. Vira um “Cabaré”. Santa Cruz produz mais grupos de WhatsApp sobre política do que confecção. Como diz uma “Velha Coruja”, acostumada com o grande jogo: “Cada um com seus comércios”. Eu até gosto do “Cabaré da Política”, mas tem hora que dá uma gastura…

APOIOS SECRETOS – Se existe uma coisa que não se sustenta é um segredo político. Assim que os acordos são feitos, sempre tem alguém numa mala vazando a informação e agitando os bastidores. Agora, por exemplo, já se sabe quais são os nomes que vão aderir ao projeto político de Diogo Moraes, a situação de Zé etc. Como não tenho autorização para escrever sobre o assunto, vou pelo menos ganhar umas pizzas, apostando com os apaixonados que ainda se surpreendem com a política.

PECULIARIDADE POLÍTICA – Está chegando o tempo das campanhas e suas peculiaridades. Uma delas, que inclusive já aconteceu esta semana, é quando se pede um veículo emprestado e ele está com adesivo do político que você não vota e nem simpatiza. Aí você tem as seguintes opções: rasgar e dizer que foi alguém que fez ou já avisar ao amigo que vai rasgar e ele se vire para colocar outro depois.

SAUDADE – A da duplicação da PE 160, principalmente no perímetro urbano de Santa Cruz, está mexendo com equilíbrio emocional das pessoas. Depois das reclamações da poeira que a obra faz, tem gente morrendo de saudade dos buracos. E eu entendo, porque se constrói uma relação afetuosa com eles. Foram tantos momentos juntos, tantas reclamações nas malas, tantos pneus estourados, tantas risadas e tanta discussão nas redes sociais. Queira ou não queira, dessa vez será o fim da buraqueira! ​

ENQUETE MENTAL – O que será entregue primeiro a população, a reforma do campo dos peladeiros, conhecido como Arizão, a construção da nova pista de bicicross, a reforma da quadra da Escola Ivone Gonçalves ou o São João da Moda 2019?

“Não me queiram mal. Apenas pensem nisso, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido”

.

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

24
julho

As curtinhas do Romenyck Stiffen

SITUAÇÃO DIFÍCIL!

Rompimento – O desconforto político entre o Senador Armando Monteiro (PTB) e o Deputado Federal Bruno Araújo (PSDB) pode retirar o apoio do PSDB ao pré-candidato petebista ao governo do Estado de Pernambuco.

Candidatura própria – O possível rompimento entre PTB e PSDB no Estado pode levar os tucanos de Pernambuco lançar candidatura própria ao Palácio do Campo das Princesas.

Tempo – A questão é se o PSDB tem tempo e musculatura eleitoral nesse possível rompimento para montar uma chapa majoritária e proporcional. O PSDB sairia com chapa puro sangue da proporcional a majoritária, simplesmente, para dar palanque ao presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB) ou teria outros partidos para navegar no barco tucano?

Situação difícil – Esse possível rompimento entre o PSDB e o PTB, levando a uma candidatura própria dos Tucanos no Estado, deixa o planejamento de muitos pré-candidatos nas proporcionais, deputados estaduais e federais, em uma situação difícil.

Só fez um – Em 2014, o PSDB fazia parte do grande chapão que dava sustentação ao governador Paulo Câmara (PSB). Dos 11 tucanos que se lançaram a disputa por vagas na ALEPE, apenas Claudiano Filho foi eleito com 48.459 votos. Caso tivesse em uma chapa puro sangue, o PSDB teria contemplado duas vagas, entrando, também, Antônio Moraes.

Chegou a três – Apesar de só eleger um, o PSDB chegou ocupar três cadeiras na Assembleia Legislativa de Pernambuco durante a atual legislatura, pois os suplentes Antônio Moraes e  Terezinha Nunes assumiram, sendo o primeiro de forma efetiva.

Não tem ninguém – Hoje o PSDB não mandatos de Deputado Estadual em Pernambuco, pois tanto o Claudiano Filho quanto o Antônio Moraes estão fazendo parte da robusta bancada do PP. Em relação a suplente Terezinha Nunes, ela teve que deixar o cargo com a volta do titular.

90 mil – Os dois deputados estaduais do PSDB que fazem parte hoje do PP, somados, tiveram quase 90 mil votos, ou seja: o PSDB perdeu dois grandes quadros para encorpar uma chapinha.

Novidade – A grande mídia do Estado já trouxe como principal novidade dos quadros Tucanos para eleições de 2018 a primeira dama de Santa Cruz do Capibaribe, Alessandra Vieira. Contudo, a projeção é que a mesma tenha no máximo 50% dos votos dos dois nomes perdidos.

Grande chance – Nesse contexto, mesmo com a situação difícil que o PSDB passa, se os tucanos conquistarem uma vaga para ALEPE, existe uma grande chance que a vaga possa ser de Alessandra, contudo, é necessário potencializar o voto além do que estava previsto e “animar” os candidatos que serve de cauda.

.
As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

18
julho

Resumório! – A coluna do Professor Tenório

ENCONTROS, DESENCONTROS E AUSÊNCIAS – Enquanto se reclama da ausência de um deputado, a pré-candidata a deputada da cidade faz várias reuniões e mantém contato constantemente com a militância. Um leva a fama, mas tem outro sumido também. Uns com aparições esporádicas e outro fazendo pré-campanha em Campos do Jordão. Por essas e outras que só se acredita na consistência, candidatura e eleição de dois, dos quatro pré-candidatos a deputado estadual filhos da terra.

GEOGRAFIA DOS APOIOS – “Do Agreste ao Sertão, de ponta a ponta até o litoral…” Não é música de campanha da década de oitenta ou noventa. É a geografia dos apoios de Alessandra Vieira e Diogo Moraes, principais pré-candidatos filhos da terra ao cargo de deputado estadual. Depois quero só ver a atenção dada a esse monte de municípios. Se for dividir as emendas, dá uma rua calçada para cada um.

LEVANTOU POEIRA – A duplicação da PE 160 no perímetro urbano de Santa Cruz do Capibaribe está a todo vapor. E não é que tem gente achando ruim e reclamando da obra devido a poeira? Eu já disse em algum Resumório, o certo era botar veludo, mas ninguém me escuta.

INVEJO SUA SAÚDE – A frase “invejo sua saúde” já foi muito dita ou escutada. Em Santa Cruz, o que está dando inveja, no bom sentido, é o trabalho da Secretaria de Saúde. Ainda tem muito a se fazer, é cedo para tantos elogios, mas se está causando ciúmes é porque é um trabalho invejável. Agora se acabarem com as muriçocas, merece ganhar um prêmio Nobel.

VISITAS – Lula é o presidiário mais ilustre do país. Estratégias são criadas para conseguirem visitá-lo. É chique e um privilégio para poucos conseguir uma visita ao “torneiro mecânico”, como o trata o meu professor de maldades. Já deve ter brasileiro trocando uma viagem espacial por uns minutinhos na carceragem da Polícia Federal em Curitiba.

PATRIMÔNIO – Dizem que a saúde é o nosso maior patrimônio. Eu concordo e digo mais, o segundo maior certamente são bases eleitorais. Nenhum político abre mão ou passa para qualquer pessoa. É um patrimônio e como tal, deveria até ser declarado no Imposto de Renda.

SEGURANÇA – A câmara de vereadores está passando por uma série de adequações, com destaque para a segurança da Casa José Vieira de Araújo. Vidro de proteção e porta giratória com detector de metais estão contempladas na reforma. Estou sentindo falta de um sistema de defesa “antiovo”, feito o sistema antimíssil de Israel. Fica a dica.

NÃO VAMOS ESQUECER – Gente, o maior e melhor São João da Moda não pode ser esquecido assim tão rápido. Foi muito caro para esquecermos em poucos dias. Falem dele, mesmo que seja de mal. Falem da prestação de contas que ainda não aconteceu, da chatice de Bruno e Marrone, de qualquer coisa, mas vamos manter a memória do grande evento viva por pelo menos mais alguns dias.

TRI FELIZ – Todo mundo tá Feliz! Parece canção da Xuxa, mas foi o resultado da última pesquisa datamétrica para governo do estado de Pernambuco. Os principais pré-candidatos na disputam ficaram felizes com os números apresentados, Armando Monteiro, Paulo Câmara e Marília Quase Pré-candidata Arraes. Foi uma pesquisa parecida com um grande amigo meu que faz a política da boa vizinha com todo mundo. Parabéns para o instituto! Geralmente nas pesquisas, a alegria de um é o motivo da tristeza do outro.

EMP – Gaby Amarantos fará apresentação e participará de “talk show” no Estilo Moda Pernambuco 2018. Para quem já trouxe a Lady Kate do Zorra Total, Gaby é quase a Miranda, estilista do filme O diabo veste Prada.​ A banda Plano Base também se apresentará, mas os noveleiros de plantão já fiquem avisados que eles não vão cantar a música “Axé Pelô”, de Beto Falcão.

DIRETO DA REDE – “Agora cá pra nós, podem falar o que quiserem, França campeã, Mbappé revelação, etc. e tal … Mas na realidade, quem deitou e rolou nesta copa mesmo foi o Neymar”.

“Não me queiram mal. Apenas pensem nisso, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido”

,

As informações e opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

11
julho

As curtinhas do Romenyck Stiffen

O ASFALTO DA ESPERANÇA!

 

Asfaltadas: Diversas cidades de nossa região estão tendo várias ruas asfaltadas, podemos destacar três delas: Santa Cruz do Capibaribe, Brejo da Madre de Deus e Taquaritinga do Norte.

Força de Bruno: A maioria desses asfaltos é de emendas ou conquistas do deputado federal Bruno Araújo (PSDB), em especial nas cidades de Santa Cruz do Capibaribe e Brejo da Madre de Deus.

Esperança: A pavimentação asfáltica surge como uma esperança para muitos desses prefeitos como forma de alavancar suas aprovações ou até mesmo tirá-los da desaprovação e da crise política. Podemos constatar tal situação ao analisarmos o pesado marketing em relação à referida ação.

Surtindo: Em Santa Cruz do Capibaribe, a pavimentação asfáltica vem surtindo o efeito positivo na população que aprovam a nova roupagem, principalmente as que ocorreram no centro da cidade. O prefeito Edson Vieira (PSDB) vem utilizando a referida ação como um dos seus carros chefes da propaganda institucional.

Quer o mesmo: O efeito conquistado por Edson Vieira em Santa Cruz do Capibaribe, através da pavimentação asfáltica, é a mesma que o prefeito de Brejo da Madre de Deus, Hilário Paulo (PSD), deseja.

O Distrito: O distrito de São Domingos irá receber futuramente, em algumas de suas ruas, pavimentação asfáltica. Hilário passa por um momento muito delicado político e administrativamente e já usa a referida  ação como carro chefe da propaganda institucional.

Até quando?: O grande questionamento é até quando conseguirão explorar o efeito positivo da pavimentação asfáltica? Contudo, é fato que o suspiro asfáltico foi importante para o momento político de alguns.

;

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

11
julho

Resumório! – A coluna do Professor Tenório

RESUMÓRIO

 

SELEÇÃO E POLÍTICA – Quando a seleção da França, que joga de azul venceu a Bélgica, que usa terno vermelho, não faltou a velha piadinha na internet: “O azul venceu o vermelho mais uma vez”. Em resposta, os Taboquinhas ressuscitaram a história de que o Brasil só é campeão da copa do mundo com os Taboquinhas no poder. Foi assim em 1958 com Raimundo Aragão, em 1962 com Pedro Neves, em 1994 com Aragãozinho e em 2002 com José Augusto. A única vez que o Brasil foi campeão com os Bocas Pretas na prefeitura foi em 1970, com Padre Zuzinha. Esse teria sido um dos milagres do Padre. Essa história além de ser uma resposta a quem tirou onda da derrota do vermelho, serve como argumento para atrair eleitores que são fãs de futebol e não gostam de política. 

DECEPÇÃO – Mais uma vez, a seleção decepciona milhões de brasileiros com eliminação na Copa do Mundo. Uma colega me falou que todo time que ela torce, perde. Melhor seguir o conselho dos internautas: “Daqui pra frente só vou torcer para meus boletos, porque eles vencem sempre”.

SOLUÇÃO – Segundo um “Jovem” leitor da coluna e sulanqueiro oprimido, quem ficou com grande estoque de blusas amarelas, depois da derrota do Brasil para Bélgica, só vai fazer negócio se houver um grande protesto na Avenida Paulista ou uma festa temática do Bob Esponja.

BOLÃO DO BREJO – Mais triste do que você que perdeu o Bolão da Copa, com as saídas das principais seleções favoritas, está o prefeito Hilário Paulo, do Brejo da Madre de Deus. Ele perdeu Bolão, vereador que vai ser um calo na sua administração. 

MUDANÇA – Ainda sobre o prefeito Hilário, populares filmaram um veículo que pertence à prefeitura do Brejo fazendo uma mudança de familiares do prefeito. O povo de São Domingos queria mudança, mas não esse tipo de mudança.

IMPARCIAIS – Não é fácil ser imparcial no mundo da política. Todos que trabalham na área são sempre questionados sobre a parcialidade. Em Santa Cruz do Capibaribe, o maior exemplo de imparcialidade são as muriçocas. Elas estão presentes em todas as gestões, quer seja do azul ou do vermelho. Pode ser impressão minha, por causa da Copa do Mundo, mas acho que as muriçocas aqui de casa cantam o hino nacional. 

SEMELHANÇAS – O euternauta quer saber qual a semelhança entre a pré-candidatura de José Augusto Maia para deputado estadual e a previsão do tempo de facebook. Muito fácil a resposta: Quase ninguém acredita.

O RETORNO – O sumiço de José Augusto Maia tem causado estranheza no meio político. Nos bastidos, a conversa é que todas as piadas feitas com a ausência dele serão vingadas. Articulações estão sendo feitas e o retorno será bombástico.

PACOTE – Com o fim do São João e da copa próximo domingo, já cresce a expectativa pelas movimentações políticas prometidas para depois desse período. As atenções estão voltadas para a possibilidade de anúncio de adesões no atacado. O povo querendo pacote de obras, mas vai ter de se contentar com pacote de apoios a projeto político.

PAIXÃO MUNICIPAL – A eleição deste ano parecia que seria bem desanimada e fria. Mas depois que eu vi a militância se mobilizando para votar em enquete de grupo de whatsapp, percebi que é só darem a largada que a empolgação vem por gravidade. Eleição faz parte da cultura da cidade. É uma paixão municipal.

DIRETO DA REDE – “Depois da peitica jurídica do último domingo, chegamos à conclusão que para conseguir soltar o Lula, só se chamarem os mergulhadores da caverna da Tailândia”.

;

Não me queiram mal. Apenas pensem nisso, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido.”

/

As informações e opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

10
julho

As curtinhas do Romenyck Stiffen

PERDENDO ALIADOS

Situação política – Por diversas curtinhas, debatemos a situação política do prefeito de Brejo da Madre de Deus-PE, Hilário Paulo (PSD), assim como o momento do grupo Boca Preta da cidade.

A decisão – Sempre falamos que a decisão política que o prefeito tomasse no corrente ano de 2018, ele sairia perdendo, principalmente, com baixas em sua bancada de sustentação na câmara de vereadores.

A expectativa – Existia uma expectativa de rompimento entre o prefeito Hilário e o ex-prefeito, atual secretário de saúde, Dr. Edson (PTB). Hilário dava sinais de que o grupo iria marchar com um único candidato e secretários que não o seguisse teriam que entregar o cargo, a exemplo do Doutor.

Cada um por… – O vereador Bolão (PP) afirmou que, em recente conversa com o prefeito Hilário, o mesmo teria dito que havia pensado melhor e cada um do grupo poderia apoiar o candidato que assim desejar.

O rompimento – Esse foi um dos vários motivos que levaram o vereador Bolão romper com o prefeito. Ficou claro que, além desse motivo, a influência de Dr. Edson no governo Hilário e do vereador Manoel Bento (PCdoB) no distrito de Fazenda Nova incomodou Bolão.

Esfacelou – A decisão de Hilário esfacelou o grupo para as eleições de 2018, pois Dr. Edson e o vereador Manoel Bento irão apoiar Waldemar Borges (PSB) para estadual. O vice Josevaldo provavelmente será candidato a deputado estadual e terá o apoio do vereador Damião (PTB) e Bolão irá apoiar um candidato diferente do prefeito, com possibilidade de ser Diogo Moraes (PSB).

Minoria – Com o rompimento oficializado por Bolão, o prefeito Hilário passa a ter minoria na câmara de vereadores, sendo um complicador político em articulações futuras para Hilário.

Percas – A decisão de Hilário também prejudicou os planos do prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, Edson Vieira (PSDB), e o projeto Alessandra Vieira (PSDB) para deputado estadual. Se Edson esperava o apoio de um grupo político, hoje o mesmo conta com uma pequena parte desse grupo.

,

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

04
julho

Resumório! – A coluna do Professor Tenório

MANTENDO A PALAVRA – No último dia do São João da Moda foi registrado foto do possível “sucessor” Maia e Edson Vieira no mesmo camarote. A imagem é emblemática, mas a palavra foi mantida, pois a conversa dos dois sempre foi não subir no mesmo palanque. Sobre subir no mesmo camarote nunca teve declaração.

TRANQUILIDADE – O São João da Moda foi tranquilo demais, com poucas ocorrências em comparação a anos anteriores. Já nos camarotes não podemos dizer o mesmo. Informações ultrassecretas dão conta de atitudes hostis e teste de verificação para saber se o xampu de militante de outro partido fortifica mesmo a raiz dos cabelos.

PRA SER ESQUECIDO – O maior São João do Mundo teve um ano para ser esquecido. Foi pauta negativa em rede nacional com a questão das agulhas no Pátio do Povo. Além disso, teve a questão do Ecade, atraso por conta da greve dos caminhoneiros e finalizou com um incêndio. 

PRA SER LEMBRADO – O maior e melhor São João de Santa Cruz foi sem dúvidas a edição 2018. Recorde de público e atrações renomadas contribuíram para isso, mesmo com o agouro da torcida do contra. Pelo menos em termo de repercussão positiva, até agora o nosso foi melhor do que o de Campina. A meta agora é melhorar estradas e saúde…

O PROFESSOR E O VAQUEIRO – O futuro próximo até que pode ser logo Alê. Mas de acordo com as movimentações, a escolha pra depois pode não ser DINAN e sim DINÂMICA, com ênfase na EDUCAÇÃO. Nesse caso, o futuro mais distante é logo a Lito.

CONTRA – Com o fim do período junino, retomamos as peiticas de sempre, dando uma parcial de quem é contra e quem é a favor o asfaltamento da Rua Grande. São contra alguns historiadores, ambientalista, oposicionistas, o velho que amolava a peixeira numa pedra de calçamento e um cabra que mora lá numa casa com toda fachada antiga modernizada.

A FAVOR – São a favor as mulheres que andam de salto naquele calçamento com uma pedra longe da outra, maioria dos moradores da Rua, o pessoal que quer andar de patins e, claro e evidentemente, todos aqueles que seguem a gestão em qualquer decisão. Ou seja, tirando algumas pessoas sensatas, como em muitos outros assuntos importantes da cidade, o pastoril sempre influencia nas opiniões.

TOMBAMENTO – Já que a feira de mangaio, o cruzeiro, as gameleiras, a Av. Padre Zuzinha e sua Festa de Setembro não tiveram sua importância histórica tratada como deveria, poderiam pelo menos tombar a lambadinha e a mala da Solar, verdadeiros Patrimônios Históricos de Santa Cruz do Capibaribe.

PRATO INDIGESTO – É conhecida a fama da feijoada ser um prato carregado, indigesto. E se o almoço for acompanhado por um protesto nem se fala. Assim foi o almoço do prefeito Edson Vieira na ocupação da Barrinha, sábado passado. Parece até que ele sentiu saudade de levar uma vaia. Tem gente com apetite para confusão. Será que vão alimentar ou deixá-lo morrer de fome?

ABRAÇOS – Diz uma canção que o melhor lugar do mundo é dentro de um abraço. Não sei o que estão Armando para convencer o povo, mas os primeiros abraços que antes eram considerados improváveis aconteceram em Vertentes. As imagens imediatamente tomaram conta das redes sociais da terra da Sulanca. Lembram daquela propaganda do ‘Invisible Black & White’? Parece que Armando Monteiro estará com uma camisa Red & Blue na sua próxima visita a Santa Cruz. E ainda vão discutir qual a cor que ficará do lado do coração.

DESPEDIDAS – O início da semana foi de despedida para Guillermo Ochoa, um grande profissional que prestou excelente trabalho ao seu país. Quem acompanhou sua trajetória sabe que ele muitas vezes defendeu o indefensável como goleiro da seleção mexicana de futebol. Também nos despedimos do presidente vitalício da ALEPE, Guilherme Uchoa, que faleceu na madrugada de terça.

INAUGURAÇÃO – Na peculiar lista de inaugurações curiosas em Santa Cruz do Capibaribe que já conta com fachada de cemitério, semáforo, motolância, pijaminha e calçamento de rua, acrescentem aí um outdoor de um presidenciável.

“Não me queiram mal. Apenas pensem nisso, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido.”

.

As informações e opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

04
julho

As curtinhas do Romenyck Stiffen

ZÉ SERÁ CANDIDATO?

ZÉ SERÁ CANDIDATO? – A pergunta se o ex-prefeito José Augusto Maia (AVANTE) será candidato a deputado estadual em 2018 é a mais frequente nas malas da cidade, nas redes sociais, nos bastidores políticos e na imprensa local e regional.

CADÊ AS BASES? – Essa é a segunda pergunta feita em uma roda diálogo quando se comenta se Zé será candidato. O mesmo afirma, desde o início do ano, que em breve divulgaria seus apoios fora da cidade, contudo, estamos em julho e as convenções estão batendo as portas, mas até agora nada.

SÓ O TAMBORETE? – A terceira pergunta nessa mesma roda de diálogo é se Zé perderá mais apoios em sua bancada de vereadores e ficará sozinho, com seu tamborete. O ex-prefeito conta hoje com um grupo de cinco vereadores, mas informações de bastidores apontam que no mínimo dois desses parlamentares irão lhe abandonar até as convenções.

VAI COM EDSON? – Essa é a pergunta mais incomoda dessas conversas, pois terá que olhar ao lado e, provavelmente, ver o prefeito Edson Vieira (PSDB) apoiando o mesmo projeto para o Governo do Estado, o senador Armando Monteiro (PTB), não vem sendo visto com bons olhos por seguidores de José Augusto Maia.

PLANO B? – As desconfianças geradas através das perguntas acima citada levam a uma última: Qual será o ‘plano B’ do Zé? Informações de bastidores dão conta que José Augusto Maia tem um plano B em mente e que poderá divulgar nos próximos dias.

HIPÓTESES – Existem duas hipóteses em relação a esse suposto plano B do Zé: A primeira é de que José Augusto Maia poderá trazer um estadual de fora, tendo como nome mais provável o João Paulo (AVANTE), filho do deputado federal Silvio Costa (AVANTE). A segunda hipótese é de que Zé poderá indicar um dos filhos, tendo em Tallys Maia (AVANTE) o nome das apostas nas rodas de conversas.

O SUSPIRO – Mesmo tendo Edson apoiando o mesmo projeto político no Estado e sofrendo as pressões internas de seu grupo político, Zé entrará em 2018 focado em uma única disputa que a de Armando Monteiro ao governo do Estado. Uma possível vitória de Monteiro representará um forte suspiro político de Zé para o futuro.

.

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

27
junho

Resumório! – A coluna do Professor Tenório

EM CLIMA DE SÃO JOÃO E COPA DO MUNDO

POLÍTICA E FUTEBOL – A coluna é sobre política, mas durante a Copa do Mundo não tem como deixar de falar em futebol, principalmente porque as principais lideranças da cidade e região estão esperando o fim do período junino e da copa para continuarem com as movimentações.

QUEM É QUEM – E uma postagem bacana que está rolando na internet é a que compara políticos aos times de futebol na copa 2018. Gostei tanto que vou regionalizar as postagens de acordo com a realidade de hoje. Faça você também a comparação entre nossos políticos e as seleções no mundial, antes que o cenário mude.

MARÍLIA – Marília Arraes é a Bélgica na copa. Muito competitiva, bastante elogiada, tem conseguido a simpatia de várias torcidas pelo desempenho apresentado. É uma favorita que não consegue ir para a disputa do título.

ZÉ AUGUSTO – José Augusto Maia é a Alemanha na copa. Muitas vezes campeã. Por muito tempo um adversário temido e favorito em todas as disputas que enfrentou, porém com esse desempenho apático e irreconhecível, está fora do grande jogo.

ALESSANDRA – Alessandra Vieira é o México na copa. Surpreendeu em alguns momentos, sempre traz grandes expectativas, mas só segue adiante graças a grande ajuda que recebeu de quem não está na disputa.

DIOGO – Diogo Moraes é a Croácia. Muitos não acreditavam, mas está na frente dos principais adversários com boa pontuação, superando até o grande favorito.

ERNESTO – Ernesto Maia é a Coreia do Sul na copa. Não tem potencial pra ir longe, mesmo assim, surpreendeu todo mundo com uma vitória inacreditável e está na frente do grande favorito.

TIME DO GOVERNADOR – Aproveitando o clima futebolístico, o prefeito de Taquaritinga do Norte, Lero, certamente deve jogar no time do governador Paulo Câmara. Secretários que não apoiarem os meus, ou entrega o cargo ou eu tiro. Foi o que ele deixou claro em entrevista concedida à Rádio Polo FM nesta quarta-feira.

ESPERANÇA – Os tempos são outros, na política e no futebol. Temos Uma copa que Itália e Holanda não se classificaram nas eliminatórias, Alemanha eliminada em último lugar na fase de grupos e a Argentina indo mal. Que sirva de esperança para Ernesto, Luciano e Cleiton. Nem sempre os gigantes favoritos saem vencedores.

DIRETO DA REDE – “Alemanha eliminada, pois estava usando uniforme verde. Essa cor não tem mundial. E o que dizer do México? A mesma coisa, sempre jogou de verde e nunca venceu um mundial”.

SÃO JOÃO DA MODA – A próxima coluna será em julho, então aproveito para contar as últimas do São João da Moda. Gustavo Lima levou mais gente para arena da moda do que o badalado Safadão. Além do olho nu em fotos dronianas, o Resumório também conta com outro instrumento de aferição de público, que é a fila para entrar na arena da Moda. Só teve fila no dia de Gustavo Lima. Não chegou a ser como as filas para pagar contas da CELPE, mas eram grandinhas também.

SEM SEGURANÇA – Uma coisa que chamou a atenção nos shows de Gustavo Lima e Wesley Safadão foi que uma garotinha subiu o tirou selfies com eles. Pode até ser que tudo estivesse sob controle, mas todos lembram que com o governador, uma garotinha pegou o microfone e tirou onda, em vez de selfie. Aquele espaço entre público e palco pode servir muito bem para área vip, porque se for para segurança não protege nem de lindas e meigas garotinhas.

CARÊNCIA – Nem a noite Gospel escapou das críticas dos criticadores de plantão. Há quem diga que aconteceu um mini comício. Além disso, um vereador cumprimentou um cidadão e ficou chateado por não ter sido cumprimentado de volta. Uns reclamando porque são barrados em camarote e outros porque não são cumprimentados pelo povo. Quanta carência!

“Não me queiram mal. Apenas pensem nisso, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido.”

.
As informações e opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

27
junho

As curtinhas do Romenyck Stiffen

ARMANDO PALANQUE!

FACILITANDO – A alta rejeição do governador Paulo Câmara (PSB) na região do Polo de Confecções está facilitando a pré-campanha do senador e pré-candidato ao Governo do Estado, Armando Monteiro (PTB), na referida região.

ARMANDO PALANQUE – O senador Armando Monteiro (PTB) vem conseguindo armar seu palanque em cidade onde não tinha e ampliou isso nas localidades que já tem apoios.

TAQUARITINGA – Na Dália das Serras, já é dado como certo os apoios dos ex-prefeitos Zeca e Evilásio, além do atual vice-prefeito Gena Lins. Os mesmos gravaram um vídeo recentemente sinalizando o referido apoio, deixado o prefeito Lero (PDT) em uma situação política delicada.

BREJO DA MADRE DE DEUS – A recente adesão do Grupo Ferreira e do PSC ao projeto de Armando Monteiro poderá abrir espaço para o Petebista em Brejo através do Grupo Asfora. Roberto Asfora (PSDB) vem demonstrando constante gratidão ao espaço que a família Ferreira vem lhe dando no Estado.

SANTA CRUZ DO CAPIBARIBE – Armando tem o apoio do grupo Taboquinha em Santa Cruz do Capibaribe há quase duas décadas. Contudo, o mesmo poderá em 2018 repetir o feito de 2010 e obter o apoio dos líderes dos dois principais grupos políticos da cidade, ou seja: do ex-prefeito José augusto Maia (Avante), líder Taboquinha, e do prefeito Edson Vieira (PSDB), líder Boca Preta.

VIABILIZANDO – Como podemos observar, Armando vem conseguindo aproveitar a situação delicada que o governador Paulo Câmara passa em nossa região, conseguindo conquistar lideranças importantes para viabilizar seu projeto político.

.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

26
junho

Artigo – Por Maurício Romão

CRISES E CONCERTOS

 

Durante a grave crise política e econômica que culminaria com o impeachment da presidente Dilma Rousseff chegou-se a ventilar uma ação cooperada entre oposição e situação para estancar a crise, pois já se notava crescente percepção dos dois lados de que o conflito político estava paralisando a nação e piorando todos os seus indicadores relevantes.

Lógico que os proponentes desse diálogo reconheciam as dificuldades práticas de se levar adiante tal empreitada, em face do sectarismo imperante.

Não obstante, o que os embalavam na perseguição desse propósito eram, ao que parece, os exemplos de acordos de união nacional que prosperaram exitosamente, ainda que, de início, parecessem impossíveis diante da enorme gama de obstáculos que se antepunham à celebração de entendimentos.

São os casos dos Pactos de Moncloa, acordados em outubro de 1977, na Espanha; da Agenda 2010, consensuada em 2003, na Alemanha, e do Pacto por México, estabelecido em 2012.

Esses acordos são considerados referências básicas de concertos entre forças políticas antagônicas, de compreensão e desprendimento de que sacrifícios distributivos são necessários para superação de dificuldades e desenho de um futuro comum.

Infelizmente, a idéia de pacto não avançou no Brasil naquele momento, os impasses políticos se acirraram desde então, e o país segue atravessando o período transicional do governo Temer com várias crises superpostas.

As eleições se aproximam, as pré-candidaturas não empolgam, há um enorme descrédito com a política e os políticos, e grassa, urbi et orbi, intensa aura de desesperança no país.

Projeta-se, assim, um sombrio cenário pós-eleição: dado o clima de desalento e a sectária divisão política existente, quem quer que seja o futuro presidente carecerá de sustentáculo político e, portanto, de condições para liderar o processo de reconstrução nacional.

Contudo, esse contexto adverso, paradoxalmente, pode tornar-se, ele próprio, a saída para uma nova tentativa de ação cooperada, em que se buscaria estabelecer consensos em torno de uma agenda mínima que compusesse um projeto com características de união nacional.

O fulcro central do projeto seria a preservação de conquistas históricas que pertencem aos brasileiros de todos os matizes e são seus alicerces pétreos: (1) a democracia, (2) a estabilidade da moeda e (3) a continuidade do processo de inclusão social.

A agenda mínima gravitaria no entorno de duas reformas estruturais, absolutamente essenciais para o desenvolvimento nacional: (a) a reforma previdenciária e (b) a reforma tributária.

A reforma previdenciária é condição sine qua non para o ajuste fiscal, sem o qual não é possível liberar recursos para investimentos, e sem investimentos não há crescimento econômico sustentável.

A reforma tributária é requerida para tornar o sistema mais simples e mais equânime, destravando amarras à criação de empregos, ao consumo e à produção. No bojo desta reforma, é indispensável a racionalização da concessão de subsídios (renúncia fiscal) que hoje já representa cerca de 4% do PIB.

A agenda mínima seria acordada, naturalmente, sem prejuízos de outras medidas importantes, algumas das quais pendentes no Congresso, que ajudariam na recuperação econômica e social do país (mecanismos de proteção social contra o desemprego, privatizações, cadastro positivo, etc.).

É inconcebível que cheguemos às eleições presidenciais sem que destacadas lideranças nacionais, entre empresários, políticos, acadêmicos e sindicalistas discutam em conjunto a gravidade da situação do país e encetem um grande movimento de mobilização nacional que devolva esperanças de dias melhores à sociedade.

Se isso for feito, quer dizer, mostrada a disposição para o diálogo, o conteúdo do processo de entendimento, o formato do seu desenrolar e o elenco de participantes serão definidos por gravidade.

;

As informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

25
junho

Artigo – Por Adriano Oliveira

BOLSONARO E O ELEITOR CURTO-CIRCUITO

 

Por diversas vezes, neste espaço, frisei que o candidato Jair Bolsonaro é uma bolha eleitoral e que representa um incipiente antilulismo. Mantenho estas duas hipóteses, apesar de Bolsonaro “liderar” as recentes pesquisas eleitorais quando o Lula não está presente.

Bolsonaro é uma bolha em razão de que ele não manterá os seus atuais porcentuais de voto no decorrer da campanha. A bolha tende a estourar. E o classifico como um antilulismo incipiente em virtude de que quando a bolha estourar, um antilula surgirá, o qual deverá ser Geraldo Alkmin.

Recentemente, em razão de pesquisa qualitativa, uma tese surgiu, a qual ainda deve ser encarada como hipótese. Bolsonaro possui eleitores que têm curto-circuito mental quando informações são disponibilizadas a eles. Esta tese nasce do pensamento do psicólogo Daniel Kahneman. Para este autor, o indivíduo utiliza dois sistemas mentais para emitir respostas, o Sistema 1 e o Sistema 2.

Ao usar o Sistema 1, o eleitor é rápido em sua resposta. Mas quando utiliza o Sistema 2, ele é parcimonioso para emitir opinião. Promovo o dialogo entre o raciocínio de Kahneman e a seguinte premissa da Economia comportamental: indivíduos podem sofrer “empurrões”, os quais orientam as suas decisões. Deste modo, com a intenção de incentivar o eleitor a usar o Sistema 2 para emitir a sua resposta, “empurrões” são dados a ele. Especificamente, informações são ofertadas ao entrevistado.

Diante do resumido argumento teórico exposto, pesquisas qualitativas (grupos focais) e quantitativas, podem “dar” empurrões a eleitores dispostos a escolherem Bolsonaro para presidente da República. Informações são ofertadas ao eleitor. Na prática, como isto funciona?

Quando o eleitor mostra disposição em votar em Bolsonaro, nova indagação é feita a ele. Mas desta vez, a pergunta vem acompanhada de uma informação negativa sobre Bolsonaro. É em razão desta que o eleitor de Bolsonaro revela curto-circuito mental. A hipótese que tenho para explicar este processo é simples: O eleitor de Bolsonaro, ainda não sei quantos, utiliza apenas o Sistema 1 para optar por escolhê-lo como futuro presidente da República. Entretanto, diante de uma informação negativa sobre o candidato do PSC, o eleitor utiliza o Sistema 2, e opta por rejeitá-lo.

A tese do eleitor curto-circuito pode ser utilizada para qualquer outro competidor. Entretanto, observo que os eleitores de Bolsonaro não são convictos quanto à escolha dele para presidente. E sendo assim, eles podem mudar o voto para outro candidato. O cenário eleitoral que insisto em apresentar é: o lulismo, por ser uma agenda na sociedade, tem eleitores convictos e estará no 2° turno da disputa presidencial. E Geraldo Alckmin, em razão da estrutura da campanha e da moderação, conquistará eleitores indecisos e parte dos eleitores de Bolsonaro. Neste caso, os eleitores que sofrerão curto-circuito mental em razão das estratégias eleitorais dos opositores de Bolsonaro.

/

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

25
junho

A sua coluna esportiva – Por Elivaldo Araújo

DIRETO DA SÉRIE A2 DO PERNAMBUCANO 2018

 

Decisão: Paulo Junior é o novo técnico da equipe do Decisão de Bonito. O experiente técnico já treinou o Salgueiro e comandará o ‘Falcão do Agreste’, na a disputa da Série A2 deste ano. O Decisão faz parte do grupo do Ypiranga no torneio.

Chã Grande: Outra equipe que também faz parte do grupo da Máquina de Costura, é a equipe do Chã Grande, que visando montar o elenco para a campeonato, ocorrerá uma avaliação de atletas com a idade máxima de até 23 anos. A Peneira será nos dias 30 de junho e 1° de julho.

De volta a Petrolina: O novo treinador da ‘Fera Sertaneja’ será Pedro Manta, que foi anunciado após reunião com a diretoria do Petrolina. Manta, que terá a difícil missão de tentar levar o clube novamente à elite do Estadual em 2019.

Serrano: Jairo Santos é o novo treinador do Serrano. Ele tem vasta experiência no futebol, nordestino e brasileiro, trabalhou no Ferroviário de Serra Talhada, Vera Cruz e Petrolina, além de clubes de Sergipe, Alagoas, Rio Grande do Norte, Ceará, Paraíba, Santa Catarina e Piauí.

Ypiranga: A equipe da Máquina de Costura iniciou os trabalhos visando a preparação para o torneio da Série A2. Informações de bastidores dão conta de que um reforço que fez parte do elenco em 2013, estará de volta para defender o clube.

;

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

21
junho

Artigo – Por Adriano Oliveira

E SE DILMA NÃO TIVESSE CAÍDO?

 

Em 13 de dezembro de 2015, escrevi artigo neste espaço, defendendo a seguinte tese: O impeachment da então presidente Dilma Rousseff não era a melhor estratégia da oposição, em particular do PSDB, para a retomada do poder. Naquela época, frisei que a saída de Dilma colocaria as crises econômica e política no colo da oposição. Obviamente, que a tese não deveria ter sido encarada como evento que obrigatoriamente ocorreria. Era um cenário.

Geraldo Alckmin também tinha em mente a tese apresentada. Ele foi um dos últimos tucanos a aderir ao impeachment. Alckmin resistiu à miopia dos atores sábios do PSDB. Tal miopia era provocada pelo desejo frenético de reconquista da presidência e da incapacidade de interpretar a conjuntura. Hoje o PSDB de intensa ansiedade por não saber se o seu candidato a presidente crescerá.

O presente mostra que a minha tese não foi refutada e que Alckmin tinha razão. Duas variáveis poderiam ter condicionado o sucesso do governo Temer. A recuperação da satisfação econômica do eleitor e a intervenção na segurança pública do Rio de Janeiro. Mas estas duas variáveis faliram. E, hoje, o governo Temer é um estorvo para os políticos que serviram a ele. Isto não significa, de modo algum, que o governo Temer não tenha méritos. Mas o eleitor não reconhece os méritos de Temer. E para a boa estratégia eleitoral é a opinião do eleitor que importa.

Hoje, o PSDB deve indagar: E se Dilma não tivesse saído da presidência? Certamente, e isto é mais do que plausível, a Lava Jato perturbaria o governo dela. Por consequência, as reformas necessárias, em particular, a da Previdência, não teria sido realizada. A crise fiscal perduraria. A coalizão em torno da presidente sofreria ataques da oposição e da Lava Jato. A presidente ficaria paralisada para governar. As crises econômica e política perdurariam até hoje.

Diante de uma conjuntura de intensa crise, Lula poderia ser responsabilizado pela ascensão de Dilma ao poder. O efeito disto no eleitor poderia ter sido dois: 1) O reforço do lulismo; 2) O enfraquecimento do lulismo. Os dois são efeitos possíveis. Entretanto, com a sangria do governo Dilma e do PT no exercício do poder, o lulismo poderia sofrer enfraquecimento. Se tal possibilidade ocorresse, onde estariam os partidos que hoje desprezam Geraldo Alckmin? Certamente, todos estariam beijando às suas mãos, já que o PSDB seria favorito a vencer o PT na disputa presidencial.  Hoje, a realidade não é esta.

;

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

20
junho

Resumório! – A coluna do Professor Tenório

MAIS PRECIOSA DO QUE NUNCA – Com o tamanho do São João da Moda, a pulseirinha de camarote valorizou mais que o preço da gasolina nas semanas da paralisação dos caminhoneiros. E domingo é dia de esquecer tudo e curtir o show do Safadão. Preparem a moto pra buscá-lo na entrada da cidade feito em Limoeiro. Aqui vai ser congestionamento para entrar no Moda Center e para curtir forró.

ESTACIONAMENTO – Os flanelinhas lotearam as ruas próximas à Arena do Forró. Mineral a cinco reais é promoção comparado ao preço que eles estão cobrando por uma vaga de estacionamento. A tabela de estacionamento é mais ou menos assim: na Rua Cabo Otávio cinco reais, nas imediações da festa, 20. Na Cohab você consegue uma vaga por 10 reais.

MANGAÇÃO – O Brasil tirou a alegria de milhões de amantes do futebol com sua estreia na Copa. A mangação com a derrota da Alemanha só durou uma hora. A gente acostumado a mangar durante quatro anos na eleição. 

ESTRESSE DO ESTOQUE – Galvão Bueno estava numa tristeza tão grande depois do empate da seleção brasileira na estreia da copa. Nem quero imaginar se ele fosse sulanqueiro e tivesse estocado camisas do Brasil. Ele saberia quais são os reais efeitos do estresse do estoque.

ADESÃO INDIGESTA – Das adesões à pré-campanha do deputado Diogo Moraes, a mais bombástica foi a do vereador Joab. Não por ser surpreendente, mas pela troca de farpas entre ele e o prefeito. Saíram contando coisas comprometedoras um do outro e, por fim, o vereador acabou falando palavras impublicáveis até para quem escreve tirando onda. Mas para você leitor não ficar na curiosidade, em uma das falas, ele disse que o prefeito estava feito “moça em Portugal”. 

MEU PET MINHA VIDA – Segundo o vereador Joab do Oscarzão, em entrevista pacata, serena e tranquila, no conjunto habitacional do Bairro Jaçanã tinha uma casa destinada ao motorista do prefeito que abrigava dois cachorros. Essa confusão pode não parar por aí. Será que vai aparecer um casal de lebres também, ou um jabuti?

MAIS DOIS – A pré-campanha do deputado Diogo Moraes conta, atualmente, com sete dos 17 vereadores. Mais dois já estão na agulha, um empolgado com a ideia e outro morrendo de medo de um carão. A ‘Euquipe’ do Resumório procurou saber se era verdade essa história da possibilidade do apoio de nove vereadores. A informação recebida foi que nove é uma conta quebrada. Logo, não se descarta a possibilidade de 10 adesões até outubro.

TRAIÇÃO – Com a possibilidade de adesão de mais dois vereadores ao projeto político do deputado Diogo Morais, as reuniões de grupo devem ser bem tensas. Como ‘Zeus Augusto Maia’ e o ‘Minino Rei’ vão confidenciar estratégias ao grupo com a perspectiva de “traição”? Já está rolando o bolão da traição.

MERGULHOU – Enquanto Alessandra e Diogo esbanjam apoios fakes e verdadeiros, Zé anda tão apagado quanto à exibição de Neymar na estreia da seleção. Pelo menos ele e os raros entusiastas de sua pré-campanha mantiveram as aparências durante a visita do deputado federal Teobaldo, no fim de semana.

MELHOR DO QUE CAMPINA – Se a ideia do São João da Moda era competir até com Campina Grande-PB, pelo menos no quesito agulhada somos melhores. Até o momento não foi registrado nenhuma furada em Santa Cruz. O furo por enquanto só no bolso. E esse dói bastante.​

“Não me queiram mal. Apenas pensem nisso, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido.”

.

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

20
junho

As curtinhas do Romenyck Stiffen

O QUE TEM DE NOVO?

DESTAQUE – O deputado estadual Diogo Moraes (PSB) vem sendo o principal destaque nesse período de pré-campanha. Seu poder de articulação e aglutinação de pessoas lhe rendem fortes espaços na mídia da região.

O GRUPO – Em Santa Cruz do Capibaribe, o deputado está montando um grupo robusto com lideranças não governamentais, governamentais, suplentes de vereadores e vereadores. Na câmara de vereadores, por exemplo, essa bancada já é maior que a do prefeito Edson Vieira (PSDB) e do ex-prefeito José Augusto Maia (Avante).

VAI CRESCER – Informações de bastidores apontam que esse grupo ainda crescerá muito até as eleições. Mais suplentes que disputaram eleições pelos grupos Boca Preta e Taboquinha irão aderir ao projeto de reeleição de Moraes, assim como mais vereadores. Essas mesmas informações apontam que Diogo fará uma maioria absoluta na Câmara em menos de um mês, superando o número de vereadores em apoios à Zé e Alessandra juntos.

O QUE TEM DE NOVO? – Que um novo grupo está se montando, isso é uma verdade. Contudo, apesar de ser robusta eleitoralmente, a linha de frente não representa necessariamente o novo, ou seja: uma renovação de nomes.

FIGURINHAS CARIMBADAS – Observamos figurinhas carimbadas, dos dois grupos políticos, nessa linha de frente do projeto de reeleição de Diogo. Vejamos: o deputado pertence a uma família que faz parte da política há exatamente três décadas, aglutinou ao seu lado nomes como o ex-prefeito Aragãozinho, o ex-vereador Galego de Mourinha, os vereadores Junior Gomes (PSB), Deomedes Brito (PT), Ronaldo Pacas (PR), Marlos da Cohab (Podemos), Toinho do Pará (PSB), Zé Minhoca (PSDB) e Joab do Oscarzão (PSD).

SUSTENTAÇÃO – A sustentação de um grupo tão robusto não é fácil. Diogo terá como desafios o de chegar bem na ALEPE e torcer muito pela reeleição do governador Paulo Câmara (PSB), comportando, assim, tanta gente em um projeto que vise perpassar 2018.

NECESSÁRIO – Mesmo não transparecendo uma renovação de nomes em nossa política ao olhar para essa linha de frente, é necessário, para o nosso município, a formação de um grupo com essa robustez tentando quebrar, no mínimo, a polarização das duas lideranças políticas que se rivalizam nas duas últimas décadas em nossa cidade.

.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade do seu idealizador

15
junho

As curtinhas do Romenyck Stiffen

CPI DA EDUCAÇÃO?

 

Assembleia: Os professores de Brejo da Madre de Deus participaram de uma assembleia, convocada pelo SINDUPROM-PE, na última quinta-feira, 14/06, na Câmara de vereadores. Na ocasião, alguns vereadores de oposição e também de situação se fizeram presentes.

CPI: Os professores apontaram diversas reivindicações não atendidas e situações que estariam acontecendo na área da educação que levaram alguns vereadores presentes observar a necessidade de uma possível CPI da educação.

Sem votar: Os vereadores, principalmente os de oposição, se comprometeram na assembleia, em só votar os projetos enviados pelo poder executivo, após o prefeito Hilário Paulo (PSD) resolver as situações pendentes com os professores e a educação.

Comprou a briga: Há varias Curtinhas venho afirmando que Hilário vem remando contra maré e um dos seus principais calos é a educação, pois comprou uma briga com uma categoria organizada.

Nada fácil: O prefeito Hilário poderá passar nos próximos dias com os projetos do executivo travados na Câmara e possivelmente terá que enfrentar nos próximos meses uma possível CPI.

Complicador: Hilário iniciou com uma maioria expressiva na câmara, 8×5, hoje o mesmo tem uma maioria mínima, 7×6, e em breve o prefeito contará com a minoria da Câmara, pois irá perder no mínimo mais um vereador, independente do posicionamento político tomado para as eleições de 2018.

Vai suar: O prefeito Hilário vai ter que suar muito nos próximos anos para enfrentar uma oposição que será maioria na Câmara, terá que se articular bastante para que os projetos do executivo passem e impedir uma possível CPI.

;

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

14
junho

Artigo – Por Adriano Oliveira

O ELEITOR NÃO É PARA PRINCIPIANTES

 

A greve dos caminhoneiros revelou que a compreensão do eleitor brasileiro não é para principiantes. O presidente Temer, ao assumir a presidência, decidiu implementar, corajosamente, agenda alternativa a do PT, a qual é caracterizada pelo uso do Estado como instrumento para interferência no mercado e como ativo provedor de políticas públicas. Temer desenvolveu ações para retirar o Estado da economia. Reduziu a inflação e os juros. Fez a reforma trabalhista e aprovou limite para o gasto público. Concedeu independência à Petrobrás. E tentou fazer a necessária reforma da Previdência.

Suponho, que no inicio do governo, os estrategistas de Temer partiram da seguinte premissa: os eleitores, majoritariamente, desejam a saída de Dilma. Por consequência, o Brasil precisa de uma agenda diferente da do PT. Premissa, em parte, verdadeira. Os eleitores, em sua maioria, queriam Dilma fora da presidência. Eles, majoritariamente, como bem revelam as pesquisas, defendem a redução de impostos. Parte deles deseja ser empreendedor. Alguns reclamam dos privilégios no setor público.

Entretanto, no universo dos que apoiavam o impeachment de Dilma, observava-se admiradores do governo Lula. No grupo de eleitores que foram às ruas com a camisa do Brasil clamando “Fora PT”, estão presentes eleitores contrários à reforma da Previdência e de uma Petrobrás regida pelas regras do mercado. No universo dos que bateram panela contra o PT, estão eleitores que desejam que o filho faça concurso público e que entre numa universidade pública. Dentre estes, inclusive, estão funcionários públicos que reclamam do congelamento dos salários.

No grupo dos lulistas estão os eleitores contrários à agenda de Temer.  E no grupo dos antilulistas estão os eleitores que reprovam a agenda Temer, não reprovam o todo da agenda lulista, e deixaram de gostar do Lula em razão das denúncias de corrupção e de outros motivos, como, por exemplo, o aumento do preço dos serviços.

O presidente Temer não conquistou os eleitores lulistas e nem antilulistas. Se as meritórias ações do seu governo – redução da inflação e dos juros, reforma trabalhista e controle do gasto público – tivessem gerado benefícios diretos e imediatos para o brasileiro, Temer hoje seria forte candidato à reeleição. Se o governo Temer tivesse mantido na Petrobrás a mesma política do governo do PT, a greve dos caminhoneiros não teria ocorrido, e nem parte majoritária da sociedade tinha apoiado tal movimento. Ao contrário. Os eleitores estavam felizes e, talvez, parcela deles já tivesse esquecido o Lula na prisão.

,

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

13
junho

Resumório! – A coluna do Professor Tenório

O BECO – Impressionante como o Beco está sempre presente na história do partido denominado Boca Preta. Primeiro foi a inesquecível música “entra em beco sai em beco”, nos comícios de mamãe Salete, na década de noventa. O Beco da Cidadania, também conhecido popularmente como Beco da cracolândia foi contemplado com um projeto belíssimo anos atrás. Só faltou trazerem o finado Michael Jackson e o Olodum, mas a realidade praticamente não mudou lá. Até ano passado, encheram a avenida de barracas e camarotes no São João da Moda, deixando o Beco do Forró para o povo dançar. Agora estão calçando algumas ruas estreitando tanto a pavimentação que está parecendo um Beco. Por fim, não sei se por ausência ou decisão precipitada, a verdade é que um monte de gente que fazia parte do grupo de situação pegou o Beco. E dizem por aí que mais gente ainda vai pegar o Beco. 

OVOACIONADO – Na coluna da semana passada eu afirmei que a reunião da câmara de vereadores traria no cardápio dos discursos: respostas, insinuações, provocações e denúncias. Me enganei, os ingredientes que apareceram só dariam para fazer, no máximo, uma omelete. Digo isso porque o presidente da Câmara de Santa Cruz do Capibaribe, Zé Minhoca, foi “ovoacionado” em plena sessão ordinária, isso na última quinta-feira. Depois do acontecido, algo não cheirava bem naquela câmara. E não era mais um engavetamento de CPI.

CAIU – Caiu o teto do calçadão Miguel Arraes de Alencar, duas vezes; Caiu a aliança Vieira/Moraes. Caiu a popularidade dos políticos da cidade; Caiu um poste na Av. 29 de Dezembro; Caiu a tradição de iniciar o São João no dia dos namorados; A gente cai quase todo dia nos buracos da PE 160 e da cidade, já está na hora da gente cair na real. Em outubro, teremos mais uma bela oportunidade!

TRADIÇÃO INFLACIONADA – Em Santa Cruz do Capibaribe, tradicionalmente, o São João começava no Dia dos Namorados. Salvo engano, a justificativa para não manter a tradição foi o alto custo que teria um evento iniciado dia 12 e terminado depois do dia 24. Se o orçamento do São João da Moda é em torno de três milhões, quantos milhões seriam suficientes para manter essa tradição?

NA FEIRA E NA POLÍTICA – Um número considerável de comerciantes do Moda Center aparentemente está arrependido de ter votado para o fechamento do parque aos domingos na alta temporada. Aconteceu o mesmo com alguns apoiadores do golpe a Dilma. É só mais um exemplo de como o povo ainda escolhe mal quando vota. Se foi difícil escolher o melhor dia para vender e ganhar dinheiro, imaginem escolher quem vai administrar a cidade, o estado, o país.

FEIRA E FORRÓ – Muita reclamação domingo passado com os clientes chegando a cidade logo cedo e o Moda Center fechado, assim como foi decidido em assembleia. Já que não podiam comprar, era para a clientela ter ido conhecer o Forró do Menino. É sempre importante conhecer outros tipos de comércio.

CAPITAL DOS BURACOS – Não é que chegou a alta temporada no Polo de Confecções e os buracos da PE 160 não foram tapados, como esperava a população. Dizem que as máquinas estão trabalhando a todo vapor. Isso é a mais pura verdade, só que elas estão fazendo mais buracos. Na pista antiga são buracos quadrados e na nova um imenso e cumprido buracão. Já se passou uma mudança de Papa e um título estadual do Náutico sem essa obra ficar pronta, depois ainda querem paciência.

BONITO – Perguntado em entrevista de rádio se apoiaria Diogo Moraes para deputado, caso Zé Augusto não consiga ser candidato, o ex-vereador Fernando Aragão disse que vai sentar com o grupo e decidir. Nas entrelinhas, quis dizer que não anunciará numa emissora de rádio antes de ouvir o grande grupo. Isso é fazer bonito e não como fizeram em Bonito. Está um rapazinho, deu entrevista e não falou o que não devia. Dizem até que sorriu e criticou quem é abusado. É o sinal dos tempos!

O ESCOLHIDO – “Tenho uma certa impressão de uma certeza imprecisa” que, em breve, o grupo azul vai divulgar qual projeto político apoiará para governo do estado. Se mantiverem a escrita, vamos começar a acompanhar as rádios de Bonito também. A menos que estejam Armando uma estratégia para apresentação mais eficiente que não cause polêmica. As conversas de bastidores dizem que é pra ir todo mundo junto, caladinhos e achando bom.

O PREÇO – A internet repercutiu o preço de um voo fretado da Seleção Brasileira como se fosse o absurdo dos absurdos. Nada que a venda de uma dúzia de camisas oficiais da seleção não cubra. Essa galera nem imagina quanto custa água mineral, corte de bolo e o São João da Moda em nossa Santa Felicidade!

“Não me queiram mal. Apenas pensem nisso, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido”

.

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

13
junho

As curtinhas do Romenyck Stiffen

COM QUEM VOU?

DILEMA – O tempo está passando e o prefeito Edson Vieira (PSDB) tem um dilema para resolver: qual candidato apoiar ao Governo do Estado?

OS PREFERIDOS (I) – Edson pode seguir o seu líder político no Estado, Bruno Araújo (PSDB), e apoiar o senador Armando Monteiro (PTB). Contudo, Vieira sabe que no município Armando tem preferência pelo grupo taboquinha, em especial, José Augusto Maia (PTB).

OS PREFERIDOS (II) – O prefeito de Santa Cruz do Capibaribe ainda pode fazer o caminho de volta e apoiar o projeto de reeleição do governador Paulo Câmara (PSB). Contudo, Edson Vieira sabe que no município o governador tem preferência pelo grupo do deputado estadual Diogo Moraes (PSB).

OUTROS NOMES – Lógico que existem outros nomes na disputa do Estado, mas é pouco provável ver o prefeito Edson apoiar Júlio Lóssio (REDE) ou Marília Arraes (PT), por exemplo.

VAI SE POSICIONAR, MAS… – Óbvio que o prefeito Edson Vieira vai se posicionar apoiando Paulo ou Armando, contudo, o mesmo não terá tanto empenho em seu apoio seja qual for sua escolha. Observaremos um Edson dispensando seus comandados no apoio ao Governo do Estado e o veremos empenhado em tentar fazer Alessandra e Bruno como majoritários em sua cidade.

.

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

08
junho

As curtinhas do Romenyck Stiffen

MAIS UMA ESCOLA!

TAMBÉM É BRASIL – Para quem ainda não sabe, Toritama é uma cidade desse mesmo país chamado Brasil onde vários gestores municipais alegam dificuldades de governar por razões da crise que, de fato, assolam nossa nação.

DIFERENTE – Quais os motivos que levam a gestão de Edilson Tavares (MDB) apresentar tantas ações já consolidadas no município de Toritama, enquanto os demais prefeitos de nossa região não conseguem acompanhar o mesmo ritmo? Fica a dica pra você, leitor, refletir.

MAIS UMA ESCOLA – Apesar de não conseguir cumprir o primeiro prazo prometido, que era inaugurar três escolas no início do ano letivo de 2018, Edilson entregará a terceira escola nesse mês de junho.

ALTO PADRÃO – Não é qualquer construção que está sendo entregue a população, mas são escolas de alto padrão, que causam inveja se comparadas a diversas escolas estaduais, particulares e também municipais.

EQUIPAMENTOS – As escolas contam com materiais tecnológicos como tablets e computadores por aluno, salas amplas e climatizadas. A que será entregue no mês corrente, contará com equipamentos para prática de esportes e lazer de forma diferenciada.

ALÉM DA EDUCAÇÃO – Contudo, não é apenas a área de Educação que vem recebendo uma atenção especial. Outras áreas a exemplo da Saúde, com construção de Unidades Básica de Saúde, também são destaques.

SAINDO DO ALUGUEL – As construções de escolas e UBS fazem com que o município economize com alugueis, diferente de outros que só aumentam os custos, principalmente com imóveis que pertencem a aliados políticos.

VEM DIMINUINDO – Outro diferencial de Edilson em relação a muitos prefeitos de nossa região, é a redução de forma constante no gasto com folha de pessoal. Toritama ainda está acima do limite prudencial que é 54%. Está com 58%, mas recebeu bem acima disso. Contudo, bem abaixo de cidades da região que ultrapassam os 60% ou até mesmos os 70%.

REFLEXÃO – Trago mais uma vez a necessidade de reflexão, quais os motivos que levam a gestão de Edilson Tavares (MDB), em Toritama, cidade desse mesmo país chamado Brasil, onde vários gestores municipais alegam dificuldades de governar por razões da crise, apresentar tantas ações já consolidadas e economicidade, enquanto os demais prefeitos de nossa região não conseguem acompanhar o mesmo ritmo?

As informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

 

 

 

 

06
junho

Resumório! – A coluna do Professor Tenório

OSTENTAÇÃO – A galera das redes sociais não perde tempo. Com a falta de combustível por conta da paralisação dos caminhoneiros, as fotos de lugares paradisíacos foram substituídas por fotos de painel de carro e moto com o ponteiro marcando que o tanque estava cheio. Parece que o sofrimento nas longas filas eram para resolver mais de um tipo de necessidade.

ACABOU – Agora que a paralisação acabou, já podemos voltar à rotina na Terra das Confecções. Não se falava outro assunto nas rodas de conversas. Vamos voltar a falar de buracos redondos e quadrados, muriçocas, raio X quebrado, calçamento estreito, São João, entrevistas, apoios e adesões. São as peiticas nossas de cada dia.

VIOLÊNCIA – Voltou o combustível e voltou a onda de violência. Alívio de um lado, preocupação do outro. Parece que a turma dos crimes trabalhou dobrado para compensar a semana sem movimento. E a nossa sorte é que nos divertirmos com tudo, até com as nossas próprias desgraças, porque a única coisa que funcionou na semana passada regularmente foi a produção de memes.

A ENTREVISTA – Alessandra Vieira concedeu entrevistas em algumas rádios da cidade e virou o assunto mais badalado da semana na política local. Teve análise de políticos, de lideranças, de correligionários, de cientistas políticos, teve meme, piada e até música. Essa cidade não tem a menor chance de dar certo mesmo. O país parou por uma semana e, na semana seguinte, o destaque foi uma entrevista de uma pré-candidata a deputada estadual.

REVISÃO – Se a entrevista de Alessandra fosse uma prova, ela poderia pedir revisão de nota. Foi dado nota três, quatro, cinco, seis e sete para a mesma entrevista. Teve gente avaliando de forma mentirosa e gente com dificuldade de avaliar. Por outro lado, teve gente com muita sinceridade na avaliação.

REPÚDIO – O vereador Marlos Melo apresentou, esta semana, na Câmara de Vereadores, voto de repúdio aos deputados federais de Pernambuco que votaram a favor da entrega do petróleo do pré-sal às petrolíferas multinacionais. Discussões acaloradas à parte, dois vereadores de oposição votaram favoráveis ao voto de repúdio, mas vão votar e apoiar o deputado federal que repudiaram, o mesmo que já tinha sido criticado em outros momentos. Sou a favor, mas sou contra. Voto e apoio, mas repudio as atitudes dele. Pior seria se melhor não fosse.

SÓ UMA PARTE – Nos últimos dias aconteceram várias entrevistas, principalmente com pré-candidatos a deputado. Na hora de fazer uma avaliação sobre as entrevistas ou opinar sobre um ponto específico, deixando aliados ou amigos em saia justa, a saída mais usada foi: “só ouvi uma parte da entrevista”. Se me questionarem algo sobre o Resumório de hoje, mesmo não sendo possível, já adianto que só li uma parte.

PREPAREM A PIPOCA – Segundo informações de bastidores, a próxima reunião da câmara de vereadores de Santa Cruz promete ser daquelas com discursos bem acalorados, dando continuidade ao que foi dito em programas de rádio. Respostas, insinuações, provocações e denúncias fazem parte do cardápio. Quem gostar desse tipo de discurso, prepare a pipoca, porque vai ser animado.

TITANIC – O ex-vereador, ex-secretário e atual pré-candidato a deputado estadual Luciano Bezerra comparou a gestão municipal com o Titanic em entrevista na Rádio Polo. Disse que a gestão está afundando e os mais pobres é que estão sendo mais prejudicados. Enquanto isso, os mais endinheirados continuam ouvindo a banda tocar, assim como aconteceu na embarcação. Ele foi muito elegante na comparação. No meio da campanha se diz ou se canta assim: “Tá todo mundo vendo que o barco vai afundar, pule você também, pule pro lado de cá”.

DÍVIDA – Em sua entrevista, Luciano disse que o município tem uma dívida consolidada de quase 50 milhões, que está com mais de 60% de comprometimento com a folha de pessoal, que tem gente na prefeitura sem fazer nada. Só faltou dizer: Viva São João! Sejamos sinceros, para quem tem 50 milhões de bronca, dois milhões a mais ou dois milhões a menos não faz tanta diferença assim.

DIRETO DA REDE – “Quem souber quando Temer vai tirar uns dias de férias, por favor indicar uma bela praia para banho aqui em Pernambuco, Piedade, onde fica uma igrejinha. Os melhores banhos são sempre à tarde com maré alta.”

“Não me queiram mal. Apenas pensem nisso, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido.”

.

As opiniões e informações aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador
Página 1 de 27123...1020...Última »

Notícias Anteriores