A Polícia Civil está investigando uma suposta quadrilha de colombianos, que estaria praticando crimes de estelionato e agiotagem em cidades da região, dentre elas Caruaru, Santa Cruz do Capibaribe e Toritama.

De acordo com as informações, dois deles já foram presos no último sábado (30), sendo dois colombianos.

.

O esquema

De acordo com o delegado Dr. Thiago Henrique, da 3ª delegacia em Caruaru, os acusados foram detidos no Parque 18 de Maio, onde com eles foi localizada a quantia superior a R$ 6 mil.

Os acusados emprestavam dinheiro a comerciantes, cobrando juros que variavam de 30 a 50%, onde os valores eram pagos pelos devedores em parcelas diárias. O delegado falou sobre como seria o esquema praticado pela quadrilha.

“São várias duplas espalhadas pelos comércios dessas cidades e eles são bem organizados. Há também relatos de ameaça, de extorsão… Vamos apurar também uma possível lavagem de dinheiro, mas eles tem que explicar de onde vem esse dinheiro que eles emprestam. As investigações estão no início e a população tem medo desses colombianos. A grade maioria faz as denúncias apenas de forma anônima, alegando medo de morrer” – disse.

.

Como a população pode ajudar

Agiotagem no país é considerado crime e as denúncias que levem a localização de outros integrantes dessa suposta quadrilha podem ser levadas a delegacia mais próxima ou então de forma anônima, através do Disque Denúncia Agreste, pelo (81) 3759-4545.

Outras cidades no país também estão registrando a ação criminosa.

 

 

 

 

 

A Ciclo foi representada por Gustavo e Maria Luísa.

A Ciclo consultoria, primeira Empresa Júnior do Agreste federada, vem se destacando no estado e nacionalmente. Empresa formada única e exclusivamente por estudantes do curso de engenharia de produção. A empresa recebeu reconhecimento nacional no Encontro Nacional de Graduação em Engenharia de Produção (o ENEGEP), onde a organização ganhou o Prêmio Voitto XI de melhor Case de Sucesso de um projeto realizado em uma grande indústria alimentícia do agreste.

“A Ciclo Consultoria veio para Caruaru com o objetivo de modificar a realidade das empresas do agreste e ver todo esse reconhecimento mesmo com tão pouco tempo de empresa (2 anos) é motivo de alegria e muito orgulho” – disse Ana Flávia, santa-cruzense e uma das gerentes de projetos da empresa.

A empresa já atua em empresas inclusive de Santa Cruz do Capibaribe e vem recebendo muitos elogios pelos trabalhos realizados.

“Somos uma consultoria de gestão e para nós a coisa mais importante é aprender com as empresas e levar o que vemos na faculdade para a realidade do Mercado ajudando a melhor estruturá-las”.

A Ciclo Consultoria oferece serviços em 6 grandes áreas: Gestão da Produção, Gestão da Qualidade, Logística, Gestão de Processos, Gestão Estratégica e Gestão Financeira.

Para mais informações consultar o site clicando AQUI

;

Informações da assessoria.

 

 

Foto: Divulgação.

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) divulgou na tarde desta quarta-feira (05) o resultado da apuração do Índice de Efetividade da Gestão Municipal – IEGM, que avalia a efetividade da gestão administrativa das prefeituras.

O índice é composto por sete indicadores englobando as áreas da Educação, Saúde, Planejamento, Gestão Fiscal, Meio Ambiente, Proteção das Cidades e Governança da Tecnologia da Informação.

O IEGM avalia os municípios por cinco faixas de resultados: Altamente efetiva, Muito efetiva, Efetiva, Em fase de adequação e Baixo nível de adequação. Elas são definidas em função da consolidação das notas obtidas nos indicadores.

Segundo o levantamento, entre os municípios da região, estão em fase de adequação, Jataúba, Riacho das Almas, Surubim, Caruaru, Belo Jardim. Toritama, Taquaritinga do Norte, Santa Maria cambucá e Santa Cruz do Capibaribe. Já em relação aos municípios com Baixo nível de  adequação, se encontra o município de Brejo da Madre de Deus.

Os dados dos municípios que compõem o índice são baseados exclusivamente em levantamentos e informações prestadas pelos próprios gestores municipais e não foram auditados pelo Tribunal de Contas do Estado.

A coleta é feita anualmente por meio de questionários eletrônicos, utilizando-se informações do exercício anterior. Dos 184 municípios pernambucanos, 159 responderam aos sete questionários que compõem o índice.

O índice permite acompanhar, ao longo das gestões, se a visão e objetivos estratégicos dos municípios estão sendo alcançados de forma efetiva. Também pode ser utilizado como insumo para as análises das contas públicas, sem perder o foco do planejamento em relação às necessidades da sociedade.

 

 

Foto: Ney Lima (arquivo).

Deputados aprovaram nesta quarta-feira (05) projeto de lei que afrouxa a Lei de Responsabilidade Fiscal para municípios e permite que as administrações regionais ultrapassem o limite de gastos com pessoal sem sofrer punições.

O projeto permite aos municípios receberem transferências voluntárias, obterem garantia direta ou indireta de outro ente e contratarem operações de crédito mesmo se não reduzirem despesas com pessoal que estejam acima do limite.

A medida será possível para os municípios cuja receita real tenha queda maior que 10%, em comparação com o mesmo quadrimestre do ano anterior, devido à diminuição das transferências recebidas do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e devido à diminuição das receitas de royalties e participações especiais.

No plenário, foram 300 votos favoráveis, 46 contrários e 5 abstenções. Entre os partidos, apenas PSDB e PSL orientaram contra a aprovação.

A proposta veio do Senado e segue agora direto para a sanção do presidente Michel Temer, já que não foi alterada.


Representação foi protocolada no Ministério Público. Grupo estuda possibilidade de ingressar com pedido de impeachment na Câmara. Entre os denunciantes está o ex-secretário Luciano Bezerra

 

 

 

 

 

EXCLUSIVO

 

 

Um grupo de três advogados ingressou com uma denúncia contra o prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, Edson Vieira (PSDB), no Ministério Público. O conteúdo da representação aponta que o município teria, reiteradas vezes, superado os limites estabelecidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal com a folha de pagamento e que o prefeito Edson Vieira teria promovido manobras fiscais desviando parte dos contratos para o CONIAPE, o consórcio de município presidido pelo próprio Edson Vieira. A representação busca apurar supostos atos de improbidade administrativa cometidos pelo prefeito.

Os advogados se embasaram em afirmações confessadas pelo secretário de saúde, Dr. Nanau, que durante audiência pública na Câmara de Vereadores, realizada em 09 de novembro deste ano, teria sido questionado pelo vereador Ernesto Maia (PT) sobre novas contratações de pessoal na área da saúde, o secretário afirmou que não houve novas contratações, e sim uma transferência do pessoal das folhas de pagamento da Secretaria de Saúde para o CONIAPE.

No entendimento dos advogados, a afirmação do secretário Nanau confirma a manobra compreendida como “pedaladas fiscais”. O grupo alega ainda que os repasses feitos pela Prefeitura de Santa Cruz ao CONIAPE na área da saúde em 2018 somam quase R$ 1 milhão, quando o previsto na Lei Orçamentária Anual para o mesmo ano era de R$ 370 mil.

O pedido de investigação foi protocolado pelos advogados Antônio Júnior, Diogo Neves e Luciano Bezerra, esse último atuou como Secretários de Estratégia Urbana e Gestão no primeiro governo do prefeito Edson Vieira. O mesmo conteúdo da representação será apresentado ao Tribunal de Contas do Estado, segundo eles.

A denúncia foi assinada também por membros do Movimento Brasil Livre no âmbito local, que confirmaram o apoio ao pedido de investigação.

 

 

Acusação pode desencadear pedido de abertura de processo de impeachment na Câmara

 

 

O Blog do Ney Lima apurou que, caso a representação se converta em denúncia do Ministério Público, esse mesmo conteúdo poderá desdobrar um pedido de abertura de processo de impeachment do prefeito Edson Vieira na Câmara de Vereadores. O pedido poderá ser protocolado pelo mesmo trio de advogados. Eles estudam se os fatos podem se configurar crime para tomar a decisão.

 

 

O que dizem os envolvidos

 

 

O Blog do Ney Lima entrou em contatos com advogados responsáveis pela denuncia. Diogo Neves afirmou que “a manobra irregular realizada pelo prefeito em não reduzir efetivamente os gastos públicos e sim maquiar os dados, acaba trazendo prejuízos à população, que podem ser sentidos agora”. Diogo frisou que irregularidades no serviço da coleta de lixo e atraso nos salários de servidores como exemplo.

“Os desdobramentos dessa investigação podem atingir várias outras pessoas além do prefeito de Santa Cruz do Capibaribe”, afirmou o advogado Antônio Júnior.

Luciano Bezerra lembrou que “foram pedaladas fiscais que resultaram no impeachment da presidente Dilma Rousseff”.

O Blog ouviu também a membro do grupo Brasil Livre, Jéssica Lagos, que confirmou o apoio às apurações: “O MBL teve acesso à peça do processo. Nós assistimos as provas e acompanhamos a leitura do processo. Decidimos entrar com participação de apoio no processo porque, para o MBL, existem provas suficientes para que o prefeito seja acusado”, afirmou.

O prefeito Edson Vieira disse que aguarda ter conhecimento sobre o conteúdo da denúncia para, se for o caso, se pronunciar.

 

 

 

 

 

 

Imagem: Divulgação.

A tramitação eletrônica dos procedimentos extrajudiciais já está em curso no Ministério Público de Pernambuco. A partir desta quarta-feira (05), as Promotorias de Justiça de Brejo da Madre de Deus e Jataúba, estão utilizando exclusivamente o Sistema de Informações do Ministério Público (SIM) para os referidos procedimentos.

Segundo o promotor de Justiça titular de Brejo da Madre de Deus, Antônio Rolemberg, que também é presidente do Comitê Estratégico de Tecnologia da Informação (Ceti), o SIM já estava sendo utilizado paralelamente ao Arquimedes, em ambiente de beta test. Agora, ele passa a ser a única ferramenta voltada para a gestão dos processos extrajudiciais.

“A finalidade é avaliar, nos próximos dias, eventuais inconsistências para resolver possíveis problemas de usabilidade em um ambiente menor. Trabalharemos integrados com a Coordenadoria Ministerial de Tecnologia da Informação (CMTI) para deixar o sistema mais maduro a fim de levá-los para as demais Promotorias de Justiça no primeiro trimestre de 2019”, salientou Rolemberg.

Dentre as principais vantagens do SIM, o coordenador do Ceti ressalta a praticidade de acesso, que pode ser feito pelo navegador de dispositivos conectados à internet; a agilidade na tramitação dos autos, visto que o SIM incorpora modelos de documentos pré-formatados e é orientado a tarefas, reduzindo o trabalho dos usuários na operação do sistema; e o controle dos fluxos, visto que cada usuário poderá efetuar seu trabalho diretamente no sistema, sob a supervisão do membro, que valida as ações dos demais servidores.

“Estamos no processo de concluir as customizações do SIM, que foi desenvolvido no Rio Grande do Sul, para adequar o sistema aos fluxos e bases de dados do MPPE. No momento, a prioridade é checar o desempenho do SIM e das adaptações que foram feitas por nós, avaliar a segurança e disponibilidade do serviço. Trata-se de uma mudança de paradigma”, explicou o coordenador ministerial de Tecnologia da Informação, Évisson Lucena.

As ferramentas que estão sendo desenvolvidas no âmbito do MPLabs poderão ser incorporadas ao SIM, trazendo ainda mais benefícios à atuação dos promotores e procuradores de Justiça.

“O SIM representa mais um passo que nossa gestão está adotando no sentido de colocar o MPPE em outro patamar na prestação de serviço à sociedade. Vamos fazer mais entregas inovadoras que se somarão a essa ferramenta, prevista para entrar em pleno funcionamento no primeiro trimestre de 2019”, complementou o procurador-geral de Justiça Francisco Dirceu Barros.

 

 

Justificativa pode ser feita nos cartórios eleitorais ou pela internet, no Sistema Justifica -Arquivo/Agência Brasil

O prazo para justificar a ausência no primeiro turno das eleições deste ano, realizado no dia 7 de outubro, encerra-se nesta quinta-feira (6). Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), aqueles que não votaram no primeiro turno precisam regularizar sua situação eleitoral.

Conforme o TSE, a quitação eleitoral é exigida para posse em cargo público, matrícula em instituições de ensino superior e emissão de passaporte, por exemplo. No caso de servidor público, a regularidade eleitoral é condição para recebimento do salário. Após três ausências consecutivas às urnas, o eleitor tem o título cancelado.

A justificativa pode ser feita pela internet, no Sistema Justifica, disponível nos portais dos tribunais regionais eleitorais (TREs), no menu de serviços ao eleitor. Neste caso, o eleitor deve preencher o formulário online, declarar o motivo da ausência e anexar comprovante do impedimento para votar. O sistema emite o protocolo para acompanhamento do pedido.

O eleitor também pode ir a um cartório eleitoral, preencher o formulário disponível nesses locais e nos portais dos tribunais eleitorais. A documentação deve ser entregue pessoalmente em qualquer cartório eleitoral ou enviada por via postal ao juiz da zona eleitoral na qual o eleitor é inscrito. É preciso anexar ao formulário a comprovação do motivo da ausência nas eleições.

Residentes no exterior

Os brasileiros residentes no exterior inscritos para votar, mas que não compareceram às urnas, também precisam justificar a ausência.

Nesse caso, o requerimento de justificativa eleitoral deve estar acompanhado de cópia de documento oficial brasileiro de identidade e da comprovação do motivo da ausência. A justificativa pode ser entregue nas representações diplomáticas brasileiras ou enviada pelo Sistema Justifica.

 

 

Rádio Debate aborda a eleição da Câmara de vereadores de Santa Cruz

O programa Rádio Debate desta quarta-feira (05) abordou os bastidores da eleição da Câmara de vereadores de Santa Cruz do Capibaribe, onde após várias articulações, Augusto Maia se tornou o futuro presidente da Casa de Leis para o biênio 2019/2020.

Confira o programa na íntegra:

 

 

 

Foto: Janielson Santos.

Na tarde desta quarta-feira (05) o vereador Ernesto Maia, participou do programa Rádio Debate da Rádio Polo FM. Ele falou sobre os dias que antecederam a eleição da Câmara de Santa Cruz do Capibaribe, onde teria posto o nome para a disputa, mas após articulações, acabou retirando e apoiando o vereador Augusto Maia como presidente.

Ernesto Maia destacou que tentou compor com vereadores da base do prefeito Edson Vieira (PSDB), porém não teve uma resposta positiva.

“Eu vinha conversando já com dois vereadores da base do prefeito, que disseram que podiam votar, conversei com esses dois e eles deram esperanças, mas ontem eles ligaram e agradeceram o convite, então informaram que iriam continuar no grupo do prefeito” – pontuou.

O vereador Ernesto Maia citou que o clima na Câmara de alguns eleitores da base de sustentação do prefeito de Edson Vieira, teria sido determinante para que o mesmo pudesse mudar de ideia e tomar uma posição.

“Ao chegar na Câmara ao ver aquele clima como estava, aquele azulão estampado, a cara das pessoas prontas para comemorar, pois o prefeito Edson iria fazer presidência, e vendo aquele clima, pensamos como iríamos fazer para que isso não acontecesse e de fato aconteceu uma independência da Câmara com a prefeitura” – completou.

Ernesto deu detalhes de como ocorreu a sua retirada da disputa e citou que Augusto Maia seria o único nome entre Helinho Aragão, Capilé e Augusto, para que houvesse uma independência da Câmara com o poder público.

“Júnior (Gomes) chegou pra mim e disse ‘a gente vota em Helinho, com eu e você na mesa’ e também acho que Augusto também estaria, então eu disse, ‘olhe a gente pode fechar esse acordo aqui, mas entendo que se a gente votar em Helinho com os comentários que já estão nas redes sociais com a foto de Helinho e um correligionário de Edson, seria uma vitória pra gente, pra Edson Vieira e pra Zé Augusto’. Então eu propus e mostrei que o nome de Augusto seria o ideal para a independência da Câmara, até por que era o único nome que os aliados do prefeito não votariam” – revelou.

 

 

Fotos: Janielson Santos.

O deputado estadual Diogo Moraes (PSB), participou na tarde desta quarta-feira (05) do programa Rádio Debate da Rádio Polo FM, onde ele falou sobre as articulações que acabaram elegendo o vereador Augusto Maia, como o futuro presidente da Câmara de Santa Cruz do Capibaribe.

Ele parabenizou o vereador Ernesto Maia por ter retirado a sua candidatura em prol do nome de Augusto Maia.

“Ernesto fez um gesto de grandiosidade de um político que sabe enxergar o futuro, foi onde tomei a decisão de entrar na sala de Zé e dizer que a nossa bancada dos oito escolheu Augusto Maia para ser o futuro presidente. Perguntei a Augusto, ‘você está preparado para ser o presidente? ’, e ele me disse “tô”, mas vou conversar com meus colegas. Mas isso não foi uma decisão tomada apenas por Diogo, mas sim na intenção de unir pelo melhor nome” – frisou.

Diogo revelou que a atitude pela união do grupo também é visando às próximas eleições, porém destacou que o nome de Fernando Aragão seria atualmente o principalmente nome para a majoritária em 2010, mas não descartou que algo novo possa ocorrer no próximo pleito.

“Esse conjunto de gestos de união é o que vai fazer que a gente chegue forte em 2020. E hoje o nome o nome é o de Fernando Aragão que está nas ruas, pois se caso as eleições fossem seria Fernando o candidato, mas não há nada definido por que  a eleição ainda será em 2020, mas a gente sabe que a vida muda, um exemplo foi Augusto que nos últimos 40  minutos se tornou presidente da Câmara” – completou.

Durante a entrevista o deputado estadual, Diogo Moraes, disse que o vereador Capilé, o qual teria comunicado o seu rompimento com o ex-deputado federal, José Augusto Maia, revelou que estaria com Diogo Moraes e Fernando Aragão.

“Após o fim da votação, Capilé disse que estava comigo e com Fernando (Aragão), e essa é a união de todos que querem o bem” – finalizou.

Em contato com a Rádio Polo FM, o vereador Capilé desmentiu as declarações de Diogo Moraes.

 

 

O elenco da Paixão de Cristo de Nova Jerusalém terá a participação de dois  novos nomes de destaque da TV brasileira para a temporada 2019. São RicardoTozzi, no papel de Pilatos, e Gabriel Braga Nunes, interpretando Pilatos no lugar de Dalton Vigh, que precisou ser substituído por problemas de saúde. O espetáculo será encenado no período de 13 a 20 de abril.

Gabriel já chegou à cidade-teatro de Nova Jerusalém, localizada no município do Brejo da Madre de Deus (PE), a 160 quilômetro do Recife, na Madrugada desta quarta-feira (5) e às 6h da manhã já estava nos cenários participando da gravação dos filmes de divulgação do espetáculo. Ricardo Tozzi, chegará na sexta-feira e grava imagens no sábado.

Também estão participando das gravações no agreste pernambucano os demais integrantes do elenco de convidados para a próxima temporada: Juliano Cazarré (Jesus), Priscila Fantin (Maria), Bruno Lopes (Apóstolo João), a atriz pernambucana Nínive Caldas (Madalena).

 

Artista bastante conhecido na TV brasileira, Gabriel Braga Nunes, atuou no ano passado na novela global “Novo Mundo” fazendo o papel de Thomas Johnson. Ele terá um papel de destaque na minissérie “Se eu fechar os olhos agora”, produzida pela TV Globo, que vai ao ar em 2019.

Reconhecido por seu talento e também por figurar entre os grandes galãs da TV brasileira de sua geração, Ricardo Tozzi foi destaque como o vilão  Xavier Vidal na novela “Orgulho e Paixão” que foi ao ar na TV Globo este ano. Atualmente ele está em cartaz com a peça “Os guardas de Taj”.

 

 

 

Imagens: Janielson Santos.

O vereador Augusto Maia (Podemos) presidente eleito na Câmara e Vereadores e Santa Cruz do Capibaribe, em votação realizada ontem, concedeu entrevista ao programa Rádio Debate desta quarta-feira (05), onde falou sobre o processo de articulação entre seus pares, até conseguir os 11 votos da oposição na Casa.

Em tom apaziguador, Augusto sustenta que o momento é de ter ‘tranquilidade’ e afirma que não houve fechamento de acordo para composição de eleição 2020.

“O objetivo é que todas as oposições estejam juntas para 20. Vai vim um nome. Não teve nome firmado para 20. Temos dois anos para discutir um nome de consenso”, disse acrescentando que ‘continuando desunido, perderia outra eleição’.

Mesmo obtenho os 11 votos de opositores ao prefeito Edson Vieira (PSDB), na Câmara, Augusto presenciou o vereador Capilé rompendo politicamente com o ex-prefeito José Augusto (pai de Augusto) ao ficar de fora a chapa. (Ronaldo Pacas foi eleito vice, Júnior Gomes 1º secretário e Carlinhos da Cohab 2º secretário).

Oposição unida

O vereador afirma que, após várias articulações, havia duas possibilidade: Fechar com o grupo de seis vereadores situacionistas, com Helinho presidente, ou ser eleito presidente com os votos da oposição.

Apostando numa união do grupo rumo às eleições municipais de 2020, ele optou pelo segundo caminho, garantindo que não foi coagido pelo pai, como argumenta vereadores do bloco do prefeito.

“Seria uma confusão na cabeça do eleitor”, diz, caso tivesse escolhido a primeira possibilidade.

Cabeça fria

O presidente eleito entende que ‘qualquer decisão que tivesse tomado, machucaria alguém’ e diz que é importante manter os 11 vereadores unidos.

Ao falar sobre a atitude de Capilé, entende que o colega ‘estava de cabeça quente’, reafirmando a amizade e que vai conversar com ele de forma tranquila.

 

 

 

 

FINALMENTE – Até que enfim acabaram com a angústia, aflição, incerteza, nervosismo, expectativa e tudo mais que antecedeu a escolha do novo presidente da Câmara de Vereadores de Santa Cruz do Capibaribe. Foram muitas as sensações, antes, durante e depois. Se você perdeu algum detalhe, não se preocupe. Resumo tudo com a alegria, leveza e satisfação que Helinho e Capilé vão demorar a ter quando falarem nesse assunto.

O FILHO DE ZÉ – E o presidente quem é? É o filho de Zé! Isso mesmo, mais uma vez na política da ‘Terra da Sulanca’, o mundo girou em torno de um Maia. Augusto foi eleito vereador, Tallys foi candidato a deputado estadual. A presidência da câmara ficou também com um Maia. Alguém duvida que tenha um Maia na chapa majoritária de 2020?

RISOS – Após o surpreendente desfecho que culminou na eleição do vereador Augusto Maia para presidente da casa José Vieira de Araújo, prometo concluir as linhas de hoje sem digitar nenhum ‘kkkkk’, afinal, esta é uma coluna séria; tão séria quanto as promessas de Zé e Augusto de votarem em Helinho juntamente com a bancada de Edson.

MUDANÇA DE OPINIÃO – E mais uma vez, quem era ruim agora é bom e quem era bom ficou ruim. As oposições se juntaram e agora não tem mais oposição do Paraguai e oposição original. Os meninos de Zé que eram leves porque iriam se juntar com a bancada de situação já devem ser considerados pesados. A união ‘Zédson’ não aconteceu e Diogo Moraes, provavelmente, não é mais o grande inimigo de Zé Augusto, como bradado durante eleição de 2018.

O GRANDE VILÃO – Ernesto Maia mostrou mais uma vez que é o grande articulador da política municipal. Ele mostrou que tanto mata quanto intoxica, que tanto espalha quanto junta. Tudo depende da situação, do contexto, do humor, do alinhamento dos planetas e do que pretende fazer com o ‘Tchitchio’ Zé Augusto a curto, médio e longo prazo. Ernesto foi o responsável pela reviravolta que levou a vitória a chapa única formada por Augusto presidente, Ronaldo vice, Junior Gomes primeiro secretário e Carlinhos da Cohab segundo secretário.

UNIU SEPARANDO – Pode parecer contraditório, mas a astúcia de Ernesto é tão grande que ele consegue unir separando. Isso mesmo. Uniu as bancadas de Zé e Diogo para composição da chapa vencedora e separou a bancada de Zé, que aparentemente agora só conta com seu filho.

MAIS UMA PESSOA ENGANADA – No momento em que votou na chapa única, o vereador Capilé anunciou o rompimento político com Zé Augusto. Capilé descobriu que nem sempre dá para confiar na palavra de político.

ELE TAMBÉM NÃO – A vereadora Jessyca havia dito recentemente na tribuna da Câmara que não votaria em Ernesto Maia para presidente. Disse em entrevista no rádio que não teria problema em votar em Augusto. Quando parecia que a questão era apenas de sangue puro, ela teve a oportunidade de votar no filho de Zé e não o fez. Parece que ele só seria merecedor se fosse junto da bancada do prefeito.

PALAVRAS – Segundo informações dos bastidores, Augusto queria manter a palavra com os amigos Capilé e Helinho e abrir mão de ser presidente nessa conjuntura. Mas José Augusto Maia praticamente o obrigou a aceitar a presidência, constrangendo-o com palavras duras. No final das contas, Augusto foi eleito e não queria ser para manter a palavra com os amigos. Os amigos mantiveram a palavra e não ficaram nem na composição da mesa diretora.

O BATISMO – Augusto, Capilé e Helinho foram apresentados à política ontem, pelo menos a uma de suas faces mais sombrias. Antes, eles só ouviam as histórias das articulações, dessa vez fizeram parte da história. E o que eles poderiam dizer depois de tudo isso? Talvez o trecho da canção do Roberto responda essa pergunta: Se chorei ou se sorri, o importante é que emoções eu vivi.

FIM DE JOGO – José Augusto Maia conseguiu na tarde da terça-feira (3), ao eleger seu filho para presidente da Câmara de Vereadores, enganar a bancada de Edson Vieira e acabar com o belíssimo campeonato de PlayStation que os amigos Capilé, Helinho e Augusto costumam disputar juntos. Acho que não tem mais clima para esse outro tipo de jogo, vai que Augusto vença os dois mais uma vez. A amizade ficaria em xeque.

TUDO E NADA – O vereador Helinho passou de favorito a esquecido na composição da nova mesa diretora. Que fique a lição para 2020, já que seu nome também foi cogitado para disputar a prefeitura na próxima eleição municipal. Ele foi o presidente Gasparzinho.

“Não me queiram mal. Apenas pensem nisso, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido”

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizador

05
dezembro

 

 

 

Notícias Anteriores


 





 

error: Copiando nosso texto?