Foto: Câmara dos Deputados/Divulgação

Na última quinta-feira (31) o deputado federal Danilo Cabral (PSB) falou, no programa Rádio Debate (da Polo FM) sobre o pacote de privatizações que está sendo divulgado pelo presidente Michel Temer. O deputado lidera uma frente com mais de 200 deputados que é contrária à privatização da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (CHESF), que é responsável pela geração de energia a partir das águas do Rio São Francisco.

 .

Soberania nacional estaria em risco, diz deputado

De acordo com o deputado, o presidente estaria quebrando a soberania nacional ao querer negociar a companhia, de modo a levantar dinheiro para amenizar o déficit nas contas públicas do país.

“Nenhum país do mundo entrega esse tipo de política para a iniciativa privada. Isso é uma questão de soberania, de segurança nacional e de direitos. A Chesf tem quase 70 anos e é responsável pelo desenvolvimento regional do Nordeste, levando luz a milhares de lares e gerando a economia do estado. A CHESF sendo privatizada, estaremos falando da venda do Rio São Francisco” – citou.

Transposição poderia ser afetada

De acordo com ele, projetos importantes de acesso a água como o que ocorre com a transposição também poderiam ser afetados no futuro, além do aumento imediato no valor das contas de luz em torno de 17%.

Ainda de acordo com Danilo, o Governo Temer poderia até privatizar setores na economia como a exemplo de aeroportos, mas ratificou que áreas que “seriam da responsabilidade exclusiva do Poder Público” não podem passar para as mãos da iniciativa privada.

“A Chesf, quando foi criada há 70 anos, foi ela que garantiu que chegasse água e energia para várias regiões do interior do estado, quando a época Dr. Miguel Arraes fez a campanha de eletrificação rural. Já imaginou se fosse um empresário que tomasse de conta dessa política? Ele diria que isso não daria lucro e não se preocuparia com o interesse da população. A prevalência dela como empresa pública garante isso” – pontuou.

.

Michel Temer estaria cometendo um crime ao querer privatizar a Chesf, diz Danilo

Já na etapa final da entrevista, o deputado fez uma forte crítica ao presidente Temer, ao citar a privatização da geração de energia não apenas na Chesf, mas também na Eletrobrás.

“Isso é um crime, como se diz na Constituição, de lesar a sua sede; se entregar um símbolo do valor de um país, vendendo sua pátria. Não sou desfavorável à privatização por essência, mas em setores estratégicos não dá para se fazer essa entrega. A empresa que ganhar vai ficar responsável por 70% do controle da água que sai do Rio São Francisco; como se vai fazer transposição com isso? Esse governo perdeu completamente o rumo, estão fazendo uma verdadeira liquidação do Brasil para se tapar um rombo que nem sabem como fazer isso” – enfatizou.

Segundo o deputado, as companhias estariam sendo vendidas por R$ 20 bilhões, sendo que já haveriam mais de R$ 400 bilhões já investidos em barragens e outros itens.

01
setembro

 

 

 

 

 

Notícias Anteriores